Redação Pragmatismo
Educação 05/Mar/2018 às 20:54 COMENTÁRIOS

Professor universitário segura bebê para mãe assistir aula e vídeo viraliza

"Se ela quisesse deixar de ir às aulas, eu apoiaria desde o início. Mas, se ela quis ir, eu tenho que criar todos os mecanismos para isso. O que eu fiz foi aplicar a empatia, entender a outra pessoa, as dificuldades dela"

professor segura bebê Alessander Mendes

O vídeo de um professor universitário ninando um bebê em sala de aula ganhou as redes sociais no último final de semana e viralizou.

O docente que aparece nas imagens é Alessander Mendes, que leciona Direito Penal em uma faculdade de Teresina (PI).

Alessander embalou e ninou o pequeno Mateus, de três meses, para que sua mãe, Eliana Figueredo, aluna do 8º período de direito, continuasse assistindo aula.

O educador conta que o bebê estava quietinho durante a maior parte da aula, mas começou a chorar e ele percebeu a tristeza demonstrada pela mãe ao ter que deixar a classe.

“Então eu pedi, ‘me dê ele aqui’ e ele parou de chorar. Ela ficou feliz e eu também, foi uma experiência muito legal e meio involuntária. Um aluno filmou, publicou e muitas pessoas me mandaram mensagem, não entendi muito bem a repercussão”, declarou o professor.

A mãe da criança disse que não se surpreendeu com a atitude do professor, já que ele sempre se mostrou muito sensível durante as aulas.

“Ele que pediu para segurar, quando eu quis sair da sala, porque estava com vergonha do Mateus chorando, não queria atrapalhar a aula. Então ele pediu o bebê e ficou com ele, que ficou quietinho, parou de chorar. Eu achei muito fofo”, disse.

Eliana relatou que até tem com quem deixar o filho, mas prefere levar Mateus para a aula porque não quer deixar de amamentar o pequeno aos três meses. Ela é casada e já tem uma filha de oito anos.

“Além de não querer parar de amamentar, fico mais tranquila com ele comigo, assim consigo me concentrar melhor na aula”, explicou.

Entender o outro

Docente há 21 anos, Alessander conta que o papel do professor deve ser mediar e não disputar ou medir forças com os alunos.

“Eu sou mediador de conflitos e uma das técnicas foi usar a empatia para valorizar e entender aquela mãe, que queria assistir aula. Como professor, não devemos estar disputando, mas auxiliando. Ela estar com um bebê porque precisa não é motivo para eu impedir o conhecimento”, avaliou o professor.

“O que eu fiz foi aplicar a empatia, entender a outra pessoa, as dificuldades dela. Eu acho que o mérito é da aluna. Era ela que estava de licença e mesmo assim, assistindo à aula”, concluiu.

Um caso semelhante foi registrado no México em 2016. Relembre:
https://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/07/professor-segura-bebe-de-aluna-e-da-exemplo-em-sala-de-aula.html

Por outro lado, uma aluna já foi humilhada por uma professora por levar seu filho para a sala de aula. Confira:
https://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/04/professora-humilha-universitaria-que-levou-filha-para-a-sala-de-aula.html

VÍDEOS:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários