Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 23/Jan/2018 às 20:27 COMENTÁRIOS

Vídeo flagra homem estuprando jovem de 18 anos; suspeito se entrega

Vídeo flagra momento em que homem ataca e estupra jovem de 18 anos em São Paulo. Criminoso manteve uma arma apontada para a vítima e a violentou por 30 minutos. Policial militar suspeito de cometer o crime se entregou

estuprando jovem pm zona leste

Um policial militar é um dos principais suspeitos de ter estuprado uma jovem de 18 no último dia 14 de janeiro, na zona leste de São Paulo.

O PM, que teve o pedido de prisão temporária decretado pela Polícia Civil, se apresentou à delegacia e foi ouvido e liberado na tarde desta segunda-feira (22).

Imagens (ver abaixo) de uma câmera de segurança flagraram o momento em que a técnica em nutrição é atacada, às 7h, pelo criminoso.

O homem, que dirigia um Fiat Siena preto, desce, espera a vítima se aproximar e a puxa pelos braços. Ele obriga a mulher a entrar no banco de trás do veículo. O PM suspeito tem um carro da mesma marca, modelo e cor.

Dentro do carro, o criminoso manteve uma arma apontada para a vítima e a estuprou por 30 minutos, segundo a Polícia Civil.

O caso também é investigado pela Corregedoria da Polícia Militar e acompanhado pelo ouvidor das duas polícias, Julio Cesar Fernandes.

A equipe que ouvia o cabo na tarde desta segunda informou à reportagem que iria “preservar os investigados até a finalização do inquérito”.

À polícia, a vítima relatou que não sabe se o criminoso usou preservativo. Enquanto a estuprava, ele impediu que ela olhasse seu rosto.

“Minha filha está muito abalada e não quer falar sobre o assunto”, disse a mãe da vítima, que foi submetida a exame sexológico.

“Ela foi bem atendida, tanto na delegacia quanto no hospital. Agora, está descansando e sob os cuidados da família. A gente fica revoltada, mas queremos Justiça. O meliante que fez isso tem que pagar de um jeito ou de outro”, declarou a mãe, que é auxiliar de limpeza.

A polícia instaurou inquérito para investigar o estupro. “Mais detalhes não serão divulgados para não atrapalhar o trabalho policial, bem como para preservação da vítima de violência sexual”, afirmaram os investigadores.

A Corregedoria da PM informou que neste domingo (21) foi feita busca e apreensão na casa do cabo da corporação, mas que ele não estava no local.

A Ouvidoria da Polícia de São Paulo enviou ofícios ao MP (Ministério Público) e Corregedoria da PM pedindo que a investigação seja rigorosa.

“O ideal é que um promotor acompanhe a investigação para que, havendo indícios sérios, que o PM seja denunciado e que venha a responder por esse crime bárbaro”, disse o ouvidor Julio Cesar Neves.

No entanto, ele pede que a investigação seja isenta de “corporativismo”: “Tem que ter uma investigação. E ele tem que ter o direito de se defender, através de um processo legal. Ficando comprovado que não era ele, ele não deve responder. Do contrário, deve responder administrativamente e criminalmente”, afirmou Neves.

PM suspeito assediou jovem na mesma região

Na mesma região da zona leste da capital, no bairro de José Bonifácio, o PM suspeito de ter estuprado a técnica em nutrição teve de assinar um termo circunstanciado de importunação ofensiva ao pudor por ter assediado uma estudante de 19 anos.

O caso ocorreu no dia 4 de dezembro do ano passado, às 9h. O carro que ele dirigia é do mesmo modelo e cor flagrado no estupro da técnica em nutrição: o Siena preto.

De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado pela estudante em dezembro, ela parou um carro da PM e informou que um homem “tinha passado com um carro Siena preto e tinha mostrado o órgão genital e proferido as seguintes palavras: ‘olha que gostosa'”.

Os PMs a convidaram para entrar no carro da corporação e andar pelo bairro para tentar localizar o assediador. Próximo a um mercado, ela o reconheceu.

Foi feita abordagem e constatado que o homem é um cabo da Polícia Militar. Questionado sobre o ocorrido, ele negou o ato. Ele e a vítima foram levados ao 103º DP, na Cohab II, em Itaquera. Lá, ele assinou o termo circunstanciado e foi embora.

informações de UOL e G1

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários