Redação Pragmatismo
Geral 29/Nov/2017 às 16:06 COMENTÁRIOS

"Suicídio" de surfista é mistério para amigos e familiares

Última postagem de Jean da Silva nas redes sociais aconteceu um dia antes de sua morte e ele não dava sinais de tristeza ou depressão. Familiares tentaram manter em sigilo causa da morte, mas amigos revelaram que foi suicídio

Jean da Silva surfista suicídio
Jean da Silva morreu aos 32 anos

A morte de Jean da Silva abalou a comunidade mundial do surfe nesta semana.

Muitos amigos e amantes da modalidade teimavam em não acreditar na morte do jovem de 32 anos, que estava saudável e era considerado um talento do esporte.

Nas redes sociais, foram inúmeros os posts homenageando o catarinense que era unanimidade no quesito carisma, inclusive de campeões mundiais como Mick Fanning e Gabriel Medina.

A causa da morte de Jean não foi divulgada pelos familiares. Natural de Joinville (SC), o atleta foi encontrado morto na casa dos pais, na última sexta-feira.

Sob condição de anonimato, amigos do surfista afirmaram que ele cometeu suicídio, embora nunca tenha dado sinais de depressão.

Os amigos próximos descrevem Jean como sinônimo de serenidade e simpatia. O típico sujeito ‘boa praça’, de bem com a vida e bem quisto por todos. “Supereducado, inteligente, calmo e sereno”, descreve um dos amigos.

O auge da carreira de Jean aconteceu em 2010, quando conquistou o título brasileiro. Amigos garantem que o momento profissional não era motivo de tristeza para Jean.

Nas redes sociais, Jean exibia com entusiasmo as fotos das diversas viagens que fazia em busca de ondas, sempre ao lado de amigos.

A última postagem é de um dia antes de sua morte, relembrando uma passagem pelas Ilhas de Mentawai, na Indonésia (ver abaixo).

#tbt um dia muito clássico na #mentawai ? @osmar.rezende @maresiaoficial @tbs_surfboards @silverbaybrasil @fu.wax

Uma publicação compartilhada por Jean da Silva (@jeandasilva) em

Os amigos ainda buscam explicação para o suicídio. Um deles disse que o fim de um namoro teria deixado o atleta, que não tinha filhos, bastante abalado. Ainda assim, não dava sinais de depressão. “Da última vez que conversamos ele estava normal, feliz, brincando com todo mundo”, contou um dos amigos.

Jean é filho de uma família tradicional de Joinville e sempre se dedicou ao surfe, virando profissional ainda na adolescência.

O atleta era patrocinado por uma marca de surfe, o que lhe garantia uma situação financeira estável. Segundo amigos, não usava drogas e cuidava rigorosamente da saúde.

Recentemente, vinha tendo mais cuidados com a alimentação e praticava yoga e meditação.

com informações de G1 e Veja

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários