Redação Pragmatismo
Racismo não 03/Out/2017 às 15:31 COMENTÁRIOS
Racismo não

Justiça condena Bolsonaro por discurso de ódio contra Quilombolas

Publicado em 03 Out, 2017 às 15h31

“Não fazem nada; nem pra procriar servem mais”. Após discurso de ódio contra Quilombolas, Jair Bolsonaro é condenado a pagar indenização de R$ 50 mil

bolsonaro quilombolas

A juíza Frana Elizabeth Mendes condenou o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), em ação civil pública, ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 50 mil.

O Ministério Público Federal, no Rio, por meio dos procuradores da República Ana Padilha e Renato Machado, acusou Bolsonaro por danos morais coletivos a comunidades quilombolas e à população negra em geral.

Em 3 de abril, o deputado fez uma palestra no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro, na qual ‘ofendeu e depreciou a população negra e os indivíduos pertencentes às comunidades quilombolas, bem como incitou a discriminação contra esses povos’ (relembre aqui).

Na ocasião, o deputado afirmou que visitou uma comunidade quilombola e “o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas”. Ainda citando a visita, disse também: “Não fazem nada, eu acho que nem pra procriador servem mais”.

Na ação, os procuradores da República sustentaram que Bolsonaro usou informações distorcidas, expressões injuriosas, preconceituosas e discriminatórias com o claro propósito de ofender, ridicularizar, maltratar e desumanizar as comunidades quilombolas e a população negra. O Ministério Público Federal havia pedido R$ 300 mil de danos morais.

No processo, Bolsonaro alegou que a ação se tratava de ‘demanda com flagrante cunho político’, e que suas declarações ‘são flagrantemente interpretadas de forma tendenciosa e, com um claro intuito de prejudicar sua imagem, e de toda a sua família’.

O deputado afirmou ainda que havia sido ‘convidado pela Hebraica RJ como Deputado Federal para expor as suas ideologias para o público em geral’ e que, nesta qualidade, ‘goza de imunidade parlamentar, sendo inviolável, civil e penalmente, por qualquer de suas opiniões palavras e votos, conforme dispõe o artigo 53 da CRFB’.

Ao condenar Bolsonaro, a juíza afirmou. “Impende ressaltar que, como parlamentar, membro do Poder Legislativo, e sendo uma pessoa de altíssimo conhecimento público em âmbito nacional, o réu tem o dever de assumir uma postura mais respeitosa com relação aos cidadãos e grupos que representa, ou seja, a todos, haja vista que suas atitudes influenciam pessoas, podendo incitar reações exageradas e prejudiciais à coletividade.”

Agência Estado

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Toshio Otomo Postado em 06/Jul/2019 às 12:50

    Sabe de uma coisa? Eu estou farto desse negócio de política e ficar defendendo partido, para ser honesto nunca defendi. Eu ficava revoltado com a inflação, impostos e outras coisas banais dos governos de direita ou esquerda. Mas, beleza, continuei trabalhando honestamente e me sustentando. Aí quando fiquei sabendo desse Bolsonaro só vi gente generalizando e colocando ódio para todos os lados. Não dá vontade de votar em ninguém? Mas mesmo assim tenho que ficar preocupado pois o Bolsonaro fala que vai diminuir direitos trabalhistas e se ele ganhar até eu posso perder o meu emprego pelo qual eu mantenho a anos. E quando alguém fala sobre ditadura tem alguém já acusando de ser esquerdista safado e corrupto. Não dá uma raiva isso? Eu até fui pesquisar e me aprofundar mais e fiquei sabendo que houve ditaduras comunistas pelas quais os defensores de extrema direita diziam ter causado a morte de 200 milhões de pessoas. Mas, se for para pensar, porque a extrema direita tinha que repetir a mesma banalidade dos ditadores comunistas? Eu não entendo porque para uma pessoa ser melhor ela deveria ser mais suja do que corruptos comunistas. Não vejo sentido algum em agir dessa forma. E a ditadura de 1964 estava cheia de farsas com uma censura que proibia denunciar corrupção ou aumento na criminalidade e extermínio de vários trabalhadores e jornalistas. Depois veio a lei da anistia para que quem tivesse feito atrocidades ficasse livre de seus crimes políticos. Ou seja, apesar de muitos defenderem a ditadura havia sim algo muito errado com ela e não merecia voltar.

  2. Edson Feitosa Leal Postado em 06/Jul/2019 às 12:50

    bolsonaro 2018!