Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 05/Sep/2017 às 12:46 COMENTÁRIOS

Mãe de Diego Novais diz que filho não é ruim, mas 'precisa de tratamento'

Mãe de homem que ejaculou no pescoço de uma mulher no transporte público diz que filho virou outra pessoa após duas cirurgias na cabeça e de ter ficado em coma

mãe de diego novais ejaculou ônibus são paulo ajuda psicologica

O delegado Rogério de Camargo Nader, da Polícia Civil, requereu neste sábado a instauração de incidente de insanidade mental no boletim de ocorrência que registrou nova prisão do ajudante de serviços gerais Diego Ferreira de Novais, de 27 anos.

Diego havia sido preso após ejacular em uma mulher num ônibus em São Paulo, na terça, e foi solto no dia seguinte. E assediou outra mulher por volta das 8h30 de ontem, desta vez em um ônibus que passava pela Avenida Brigadeiro Luís Antônio, na região do Jardim Paulista, Zona Sul paulistana.

Esta autoridade policial (…) vem à digna presença de Vossa Excelência requerer a instauração do incidente de insanidade mental do indiciado, haja vista que as reiterados delitos sexuais praticados pelo mesmo dão conta de razoável dúvida sobre a sua higidez mental, demonstrado, inclusive, com cópias de dez ocorrências policiais”, anotou o delegado. Rogério relatou que “informalmente” Diego “manifestou perante esta própria autoridade policial que necessita e gostaria de ser acompanhado por um especialista de psiquiatria”.

Lista de crimes

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou, por meio de nota, que esta é a quarta vez que Diego é preso por estupro; o homem também já foi detido 13 vezes por ato obsceno e importunação ofensiva ao pudor, totalizando 17 passagens pela polícia. A dona de casa Iracema de Moraes, 49, mãe de Diego, diz que ele não agia dessa maneira até 2006, quando teve um acidente de automóvel e ficou 15 dias em coma no Hospital das Clínicas em São Paulo, pasando por duas cirurgias no cérebro. O primeiro registro que a polícia tem de queixa contra Diego é de 2009, quando exibiu o pênis a uma mulher num ônibus.

A primeira vez que ouvimos falar que ele teve problemas com comportamento sexual estranho foi em 2014. Só soubemos porque a polícia veio dizer que ele tinha sido preso”, contou o irmão de Diego, o astrônomo Lucas Ferreira de Novais, à ‘Folha’.

Mais um assédio

Após o segundo assédio, no qual encostou o pênis numa passageira, Diego foi impedido por passageiros de sair do ônibus, e encaminhado ao 78.º DP (Jardins). Segundo a tenente Stephanie Cantoia, a vítima do segundo assédio de Diego, ocorrido na manhã de ontem, tem entre 30 e 40 anos e estava a caminho do trabalho no momento do ataque. Ela relatou que estava sentada, quando o agressor se posicionou ao seu lado e começou a se tocar nas partes íntimas. Ela percebeu o que estava acontecendo e tentou levantar, já gritando para pedir ajuda, mas o agressor a segurou enquanto continuava a se masturbar.

A tenente ressaltou que ele não resistiu à prisão e relatou o assédio. “Disse que tem problemas mentais e precisa de ajuda. A vítima estava muito abalada, mas quem não ficaria? Ninguém imagina passar por isso indo para o trabalho”.

O Dia

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários