Redação Pragmatismo
Tragédia 22/Sep/2017 às 23:23 COMENTÁRIOS

Frida Sofía: menina mexicana que mobilizou o mundo nunca existiu

Frida Sofía: a menina sobrevivente enterrada no México simplesmente nunca existiu. Caso faz país reviver drama 'inventado' de menino soterrado no terremoto de 1985

Frida Sofía méxico terremoto

As autoridades mexicanas informaram nesta quinta-feira que não existe nenhuma criança viva entre os escombros da escola Enrique Rébsamen, destruída pelo terremoto que atingiu o México na terça-feira.

A imprensa local havia acompanhado nos últimos dois dias a busca angustiante por uma menina que supostamente se chamava Frida Sofía, e estava presa nos destroços do edifício. A Marinha mexicana, contudo, desmentiu a história.

A notícia de que havia uma menina ainda viva presa sob os destroços da escola reacendeu a esperança de todo o mundo após a tragédia. Segundo o jornal El Universal, a menina teria se identificado como Frida para um dos socorristas no local e teria pedido água e se movido. Os movimentos, porém, possivelmente vieram de outra pessoa, e não da suposta criança de 12 anos.

A confusão sobre o caso começou após uma declaração da própria Marinha mexicana que chegou a informar que havia detectado com seus instrumentos térmicos a presença de um corpo com vida, provavelmente de um menor, no lugar onde antes ficava a cozinha da escola.

Nas primeiras horas de terça-feira, o almirante José Luis Vergara, oficial da organização, disse: “Sabemos de uma menina que está viva e ela nos fez ver que está próxima de outras crianças com vida. Mas não sabemos a quantidade. Queremos manejar a informação com muita cautela”.

‘Monchito’

O falso drama fez o México reviver a história da busca por “Monchito”, um sobrevivente do arrasador terremoto de 1985 que também nunca existiu.

O jornal mexicano El Universal conta detalhes da história de Luis Ramón “Monchito”, que supostamente teria sido soterrado junto com o avô na manhã de 19 de setembro de 1985, quando um terremoto de magnitude 8,1 abalou o país deixando milhares de mortos e feridos.

A história de que equipes de resgate buscavam pelo garoto de 9 anos nos escombros do apartamento do avô correu o país e o mundo.

Depois de vários dias de busca frenética, as equipes de resgate, entre eles a Marinha do México, determinaram que não haveria sobreviventes no local.

Mas um socorrista argentino afirmou ter ouvido barulhos de alguém com vida debaixo dos escombros, o que trouxe nova esperança para as equipes.

O então presidente do país, Miguel de la Madrid, ordenou que a busca por Monchito fosse mantida a qualquer custo. Mas todos os esforços foram em vão e, três semanas depois, as buscas foram interrompidas.

E aos poucos veio à tona a verdade: “Monchito” não existia. Não se sabe ao certo quem criou o falso drama.

El Universal diz que a história pode ter sido inventada por pessoas que tentavam recuperar um cofre com dinheiro que estaria na propriedade do avô da criança ou que queriam roubar objetos de valor dos escombros o prédio que caiu com o terremoto.

A ‘familia’ de Monchito, após ver a história cair por terra, deixou a cidade.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários