Redação Pragmatismo
Direita 05/Sep/2017 às 10:50 COMENTÁRIOS

Entrevista do MBL com Doria vira filme adulto no XVideos

"Muscle guy and viatnamese teen sucking old rich man". Bajulação dos meninos do MBL com João Doria vira piada nas redes sociais. "Vergonha alheia. Mais parece que queriam massagear as bolas do prefeito", ironizou um internauta

João Doria MBL entrevista

Uma entrevista do prefeito João Doria (PSDB) ao Movimento Brasil Livre (MBL) virou motivo de piada nas redes sociais.

Sentados em um sofá, o político tucano é bajulado a todo instante pelo menino Kim Kataguiri e por Arthur do Val, líderes do grupo que, com a pecha de ‘apartidário’, integrou as manifestações pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

A entrevista foi veiculada pelo canal do grupo no Youtube no último dia 25 de agosto.

“Constrangido com a entrevista que o MBL fez com Doria. Não pelas respostas do prefeito, mas pelo comportamento dos garotos. Antiprofissionais, mais parece que queriam massagear as bolas do Doria do que arrancar-lhe informações relevantes. Vergonha alheia”, ironizou um internauta.

“Esses garotos se mostram tão destemidos em determinadas situações, mas agora vejo que só quando é conveniente. Diante do Doria estavam mansinhos e só levantavam a bola para ele cortar. Um dia acreditei neles, só que o dinheiro move montanhas…”, escreveu outro.

Um meme viralizou (imagem acima) após associar a conversa de compadres entre o prefeito e os meninos a um filme pornô do site XVideos.

Muscle guy and viatnamese teen sucking old rich man (‘garoto musculoso e jovem vietnamita chupando homem velho e rico’, em tradução livre), diz o título do vídeo.

O meme foi criado por Enrico Vavassori, que publicou inicialmente a piada na página Corrupção Brasileira Memes.

Outras páginas como a Anarco Memes BR e a Brazilian Revolutionary Memes também divulgaram o meme, que já acumula mais de 10 mil compartilhamentos.

Movimento Brasil Livre

Financiados por uma corporação petroleira norte-americana que ataca direitos indígenas, O MBL surgiu nas manifestações que pediam o impeachment de Dilma Rousseff. O grupo ganhou projeção afirmando ‘ser apartidário’ e ‘contra a corrupção’.

Nas eleições municipais do ano passado, o MBL lançou mais de 100 candidatos a vereador em todo o Brasil. A maioria das candidaturas estava ligada a partidos como PSDB e DEM. Ainda assim, Kataguiri e seus comandados continuavam se definindo como ‘independentes’.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários