Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 25/Aug/2017 às 14:44 COMENTÁRIOS

Professor de Medicina que filmou aluna em banheiro é demitido

Professor de medicina da UFMT que filmou aluna em banheiro feminino é demitido da instituição. Docente se diz injustiçado e afirma que irá recorrer da decisão para voltar a lecionar na instituição

alunas medicina ufmt professor banheiro

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) demitiu um professor de medicina acusado de filmar uma aluna em um dos banheiros da instituição. O caso aconteceu no campus de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá.

De acordo com a Polícia Civil, a estudante contou que foi em um dos banheiros da universidade e, quando estava numa das cabines individuais sem roupa, avistou um celular embaixo da porta.

Neste momento, ela empurrou a porta da cabine e saiu, porém não viu ninguém. A aluna decidiu esperar do lado de fora até que a pessoa saísse.

Ainda segundo o depoimento dela, pouco tempo depois, o professor Marcondes Alves Barbosa da Silva saiu de dentro do banheiro feminino, usando o telefone. A estudante o confrontou e pediu que ele apagasse as imagens.

O professor teria admitido que estava filmando a estudante e alegou que tinha problemas, mas que apagaria as imagens do celular.

Quando o caso foi denunciado, as universitárias fizeram um protesto contra o professor. Elas se pintaram de vermelho e usaram faixas na boca para protestar contra o desrespeito às mulheres.

Elas se mantiveram em silêncio durante a comemoração dos 40 anos da instituição naquele município. Na boca, faixas com a frase “o silêncio aterroriza” simbolizavam os casos de violência que não são denunciados.

Professor se diz ‘inocente’

Marcondes Alves Barbosa da Silva se diz ‘inocente’ e garante que irá recorrer para tentar recuperar o emprego na universidade.

“Esta demissão é uma injustiça porque eu não filmei ninguém”, declarou.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários