Redação Pragmatismo
Polícia Militar 06/Jul/2017 às 09:18 COMENTÁRIOS

PM que amamentou bebê desconhecido na rua se assusta com repercussão

Durante patrulha, a jovem policial Ana Maria de Figueiredo avistou um bebê desconhecido chorando no colo do pai, desconsolado, e não teve dúvidas: decidiu amamentá-lo. Ela só não esperava que o caso ganhasse tanta repercussão, com críticas e elogios

PM que amamentou bebê belém Pará
A policial Ana Maria de Figueiredo (Imagem: Tarso Sarraf/Folhapress)

Ana Maria Fernandes de Figueiredo, 24, estava em patrulha no último domingo (4) em Belém (PA) quando avistou um bebê desconhecido chorando muito no colo do pai.

A jovem policial tomou uma atitude inusitada ao testemunhar a cena: amamentou o bebê de 20 dias. O momento foi registrado e viralizou nas redes sociais.

“Ele [o pai] não levava nada, nenhuma bolsa. Andava apressado com o bebê, que estava chorando muito. A gente sai de casa pra trabalhar, não sabe o que vai ter pela frente. Temos que estar dispostos a ajudar”, contou Ana.

Em seguida, os policiais pediram para falar com o pai, que estava sem documentação. Ele explicou que é lavador de carros, e que a esposa havia saído para buscar dinheiro no local onde trabalhava. “A gente liberou ele, mas como o bebê chorava muito, fomos até um hotel da região para abrigar a criança e averiguar a situação”, disse Ana Maria.

Repercussão

Ana Maria, que é mãe de uma criança de 2 anos, disse que o bebê de 20 dias sentia fome e pediu autorização ao pai para amamentá-lo.

“As pessoas disseram que eu poderia prejudicar a criança com a amamentação, mas eu fiquei tranquila porque ainda amamento o meu filho e com frequência faço exames de sangue. Sou saudável”, afirmou a policial militar.

“Não me preocupei muito na hora. Não conhecia sobre amamentação cruzada. Só fiquei sabendo depois da repercussão que teve e as pessoas discutindo nas redes sociais sobre eu ter amamentado um bebê na rua”, completa.

Apesar das críticas, o ato de Ana Maria também recebeu muitos elogios nas redes sociais e, segundo ela, foi importante porque dá ‘certo ar de humanização à Polícia Militar’.

Recomendações

De acordo com profissionais da área de saúde, a amamentação cruzada, que já foi uma prática recorrentemente utilizada no passado, não é mais recomendada nos dias atuais. Tanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) como o Ministério da Saúde contraindicam formalmente a prática.

Para saber mais sobre amamentação cruzada e quando ela é uma prática saudável, clique aqui.

Leia também:
Mulher é bloqueada do Facebook após rejeitar “desafio da maternidade”
Parto normal ou cesárea? Conheça mitos e verdades sobre cada um
Comer placenta para quê?
A violência obstétrica contra as mulheres

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários