Redação Pragmatismo
Cuba 06/Jul/2017 às 12:15 COMENTÁRIOS

Filha de ex-ditador Fulgencio Batista mora nas ruas da Flórida

Aos 82 anos, filha de ex-ditador cubano Fulgencio Batista é descoberta morando na rua em cidade da Flórida. Ela perdeu sua fortuna no mercado de ações e com dívidas no cartão de crédito

filha ditador fulgencio batista morador de rua eua

Opera Mundi

Fermina Lázara Estévez, filha do ex-ditador cubano Fulgencio Batista, está morando há dois anos na rua na cidade de Fort Lauderdale, na Flórida, após gastar toda a herança que foi deixada pelo pai quando fugiu aos EUA. A mulher, hoje com 82 anos, saiu de Cuba com o triunfo da Revolução Cubana.

Segundo a emissora de TV Local 10, Fermina mora com a filha adotiva, Ana, no Strahanan Park, no centro da cidade. Questionada sobre como foi parar ali, a filha do ex-ditador falou em “choque”. “É uma longa história. Sempre disse que tenho uma vida perfeita. E é por isso que estar aqui, agora, é como um choque”, disse.

Em 1973, já com toda a família nos EUA, Batista morreu e deixou em testamento para Fermina mais de 1 milhão de dólares – que o governo cubano diz ter sido produto de roubo por parte do ex-ditador. Com o dinheiro, ela comprou uma casa em Coral Ridge e um apartamento em Galt Ocean Mile, dois endereços luxuosos de Fort Lauderdale. Depois, adotou Ana.

No entanto, a bonança não durou para sempre. Segundo a emissora, Fermina acumulou mais de US$ 17 mil de dívidas no cartão de crédito, o que a fez ser julgada. Colocou a casa sob hipoteca e a perdeu por não conseguir quitar o saldo devedor. Além disso, a família não conseguia pagar nem a conta de água da residência, o que levou a uma intervenção da Prefeitura de Fort Lauderdale.

Perdi meu dinheiro no mercado de ações e, talvez, tenha sido muito mão aberta”, disse à emissora.

Ela vive há dois anos nas ruas da cidade. Antes de chegar ao parque, dormiu em carros, em hotéis baratos de beira de estrada e em paradas de ônibus. “É como se deus quisesse me ensinar algo. Da próxima vez, não vai acontecer. É uma dura lição, mas você aprende”, afirmou.

Em 1959, o então ditador Fulgencio Batista foi deposto por Fidel Castro na Revolução Cubana e se exilou em Nova York com a fortuna que acumulou durante os anos de governo.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários