Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 29/Jun/2017 às 15:06 COMENTÁRIOS

A carta em defesa das mulheres que Abigail Adams escreveu em 1776

Abigail Adams escreveu uma carta histórica em defesa dos direitos das mulheres há 240 anos endereçada ao seu marido. Ela não fazia ideia que o seu companheiro se tornaria, 20 anos depois, o segundo presidente dos Estados Unidos

Abigail Smith Adams carata defesa mulheres direito
Abigail Smith Adams, ex-Primeira-dama dos Estados Unidos (reprodução)

Abigail Adams queria que seu marido, John Adams, “se lembrasse das mulheres” quando estava redigindo a Constituição dos Estados Unidos.

Segundo o History.com, Abigail, então com 32 anos, escreveu uma carta a John com a data de 31 de março de 1776, dizendo que esperava que o Congresso Continental (que se tornaria o primeiro governo nacional dos Estados Unidos) seria mais favorável às mulheres do que haviam sido seus predecessores.

Anseio por ouvir que vocês declararam a independência“, escreveu Abigail. “E, por sinal, no novo código de leis que imagino que seja necessário vocês redigirem, desejo que se recordem das mulheres e sejam mais generosos e favoráveis a elas do que foram seus ancestrais. Não depositem poder tão irrestrito nas mãos dos maridos.”

A carta chegou poucos meses antes da independência dos EUA da Grã-Bretanha, em julho de 1776. Abigail e seu marido não faziam ideia na época que John se tornaria, em 1797, o segundo presidente dos Estados Unidos.

Lembre-se, todos os homens seriam tiranos se pudessem“, ela escreveu. “Se cuidado e atenção especial não forem dedicados às mulheres, estamos determinadas a fomentar uma rebelião. Não nos consideraremos na obrigação de obedecer a quaisquer leis em que não tenhamos voz nem representação.”

Ela prosseguiu:

Que seu Sexo é Tirânico por Natureza é uma Verdade tão amplamente comprovada que não admite contestação, mas aqueles de vocês que desejam ser felizes abrem mão de bom grado do título áspero de Senhor, trocando-o pela designação mais terna e carinhosa de Amigo. Por que, então, não impedir que os perversos e desrespeitadores das leis nos tratem impunemente com crueldade e indignidade?

Os Homens de Bom-Senso de todas as Épocas rejeitaram esses costumes pelos quais somos tratadas unicamente como vassalas do Sexo Masculino. Enxerguem-nos, portanto, como Seres colocados pela Providência sob vossa proteção, e, imitando o Ser Supremo, façam uso daquele poder unicamente em prol de nossa felicidade.

Alanna Vagianos, The Huffington Post

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários