Redação Pragmatismo
Religião 01/Feb/2017 às 15:41 COMENTÁRIOS

Vereadora católica rejeita leitura da Bíblia e dá lição sobre laicidade

Thainara Faria, primeira negra a assumir uma cadeira na Câmara de Vereadores da Araraquara, católica, estudante de direito e a mais jovem da história a ser eleita para o cargo surpreendeu os colegas ao comunicar que não participaria do rodízio de leitura da bíblia; e justificou com excelência

vereadora Thainara Faria (PT) bíblia
A vereadora Thainara Faria (PT) é a primeira negra a assumir uma cadeira na Câmara de Vereadores de Araraquara, além de ser a mais jovem eleita da história

Uma atitude da vereadora de Araraquara (SP) Thainara Faria (PT) na primeira sessão do ano legislativo na Câmara Municipal da cidade surpreendeu os demais colegas.

A jovem política, que é assumidamente católica, comunicou aos demais que não participaria do rodízio diário para ler um trecho da Bíblia no início dos trabalhos, contrariando, assim, o regimento interno.

“Quis me posicionar na Câmara porque sou católica, mas estou aqui para servir ao povo e à Constituição. E lá está previsto que o nosso Estado é laico”, justificou.

Thainara é estudante de direito e a primeira mulher negra a assumir uma cadeira na Câmara de Vereadores de Araraquara, além de ser a mais jovem da história a ser eleita para o cargo.

Ela defende que as entidades governamentais têm de ser neutras em relação às religiões, sem discriminar nenhuma delas.

“A Casa do Povo não pode ter religião, é absurdo. É como dizer que o Brasil é só de católicos ou de evangélicos. Ao ler apenas trechos da Bíblia, estamos excluindo parcelas da população que não seguem o Evangelho”, diz Thainara.

Na tribuna, Thainara disse que, se a Câmara insistir na leitura da Bíblia, ela vai defender que se leia também trechos do Corão, do evangelho africano, de livros kardecistas e da literatura ateísta.

“A Casa do Povo não pode ter religião, é absurdo. É como dizer que o Brasil é só de católicos ou de evangélicos. Ao ler apenas trechos da Bíblia, estamos excluindo parcelas da população que não seguem o Evangelho”, ressaltou a vereadora.

O raro posicionamento de Thainara vai na contramão do que é habitual não só apenas em câmaras municipais, como em todas as esferas do legislativo nacional. Relembre alguns casos abaixo:

Servidor que não ficou em pé durante leitura da Bíblia é expulso de Câmara Municipal

Câmara de Vereadores de São Paulo se transforma em templo religioso

Entenda por que o Estado Brasileiro ainda não é laico

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários