Redação Pragmatismo
Governo 06/Dec/2016 às 09:31 COMENTÁRIOS

Preço da gasolina aumenta no Brasil a partir desta terça-feira

Preço do combustível aumenta em todo o Brasil a partir desta terça-feira. Gasolina deve ficar até 12 centavos/litro mais cara. Ainda não foram registrados pedidos de 'Fora Temer' nem batidas de panelas

preço da gasolina aumenta combustível

O preço do combustível no Brasil aumento desde a meia noite desta terça-feira (06/12). A Petrobras anunciou elevação no preço do diesel nas refinarias em 9,5%, em média, e da gasolina em 8,1%.

Na prática, o preço da gasolina pode subir até R$ 0,12 por litro e o diesel R$ 0,17. Esses são os valores que devem atingir o bolso do consumidor.

A Petrobras informou que a decisão é coerente com política de preços anunciada pela companhia em outubro. Segundo a empresa, as principais variáveis que explicam a decisão do são o aumento observado nos preços do petróleo e derivados e desvalorização da taxa de câmbio no período recente.

Por outro lado, a participação da Petrobras no mercado interno de diesel registrou pequenos sinais de recuperação, de acordo com avaliação da petroleira.

Em comunicado, a companhia reafirma, em sua decisão, política de revisão de preços praticados pela petroleira “pelos menos uma vez a cada 30 dias, o que lhe dá a flexibilidade necessária para lidar com variáveis cuja volatilidade vem aumentando recentemente”, avaliou a companhia.

A empresa diz que não vai cobrar preços abaixo dos praticados no exterior, ou abaixo dos custos.

Protestos

O aumento do preço do combustível durante a gestão Dilma Rousseff sempre foi acompanhado de uma reação popular em tom de indignação.

Houve registros, durante o mandato da ex-presidente, de paralisações orquestradas por consumidores em postos de gasolina e de ‘panelaços’ noturnos. Alguns manifestantes chegaram a afirmar que “Dilma precisava cair para o preço do combustível descer”.

Já se foram 7 meses desde a queda da ex-mandatária e o preço do combustível no Brasil jamais retrocedeu. Segue em vigência a política de ‘reajustes para cima’.

Recomendados para você

Comentários