Redação Pragmatismo
Protestos 05/Dez/2016 às 12:39 COMENTÁRIOS
Protestos

Esposa de Sergio Moro convocou população para apoiar o marido

Publicado em 05 Dez, 2016 às 12h39

Apesar de ter sido convocado pela Rede Globo desde as primeiras horas do dia, protestos de domingo não tiveram adesão popular esperada. Nas redes sociais, a esposa de Sergio Moro chegou a convidar o povo às ruas para defender o marido

Sergio Moro esposa protestos Lava Jato
Imagem: Sergio Moro e Rosângela Moro

A mulher do juiz federal Sérgio Moro, Rosângela Moro, que administra a página “Eu MORO com ele #rosangelawolffmoro”, em homenagem ao marido, usou o Facebook para convidar manifestantes para o ato em apoio à Operação Lava Jato, em Curitiba (PR), que aconteceu na tarde deste domingo (4).

“Chegou o dia, neste domingo contamos com todos os brasileiros. Vamos às ruas, hoje”, disse Rosângela.

O protesto na capital paranaense reuniu cerca de 8 mil pessoas, segundo a PM, e teve início em frente à sede da Justiça Federal, local de trabalho de Moro.

A página “Eu MORO com ele”, administrada por Rosângela, compartilhou uma publicação do movimento “República de Curitiba” que divulga a manifestação. “Chegou o dia, neste domingo contamos com todos os brasileiros. Vamos às ruas, hoje”, diz a publicação.

O apoio ao juiz foi uma das principais bandeiras dos protestos de ontem. Os manifestantes defenderam a continuidade da Operação Lava Jato e protestaram contra a emenda que pune juízes que incorrerem em abuso de autoridade.

Na última semana, Moro esteve no Senado Federal em sessão que debateu o projeto que atualiza a lei de abuso de autoridade, proposta que desperta temor em membros do Judiciário.

Em Brasília, o juiz propôs mudanças no texto, defendendo que juízes não sejam punidos por interpretação da Constituição, e ainda criticou as mudanças feitas por deputados federais no pacote proposto pelo Ministério Público Federal (MPF). No pacote do MPF havia itens polêmicos como a legalização das provas ilícitas.

Sergio Moro, no entanto, teve seus argumentos confrontados pelo ministro do STF Gilmar Mendes e por outro juiz federal que compunha a mesa.

Os protestos

De acordo com a polícia militar, as manifestações deste domingo (4/12) reuniram um total de 75 mil pessoas divididas em 82 cidades.

As maior manifestação ocorreu na cidade de São Paulo. Segundo a PM, 15 mil pessoas estiveram na avenida paulista.

Os alvos principais do protesto foram os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O presidente Michel Temer foi poupado.

Confira como foi a adesão dos protestos nas capitais do Brasil:

Salvador (BA). Os organizadores estimam em 1.200 os participantes.

Macapá (AP). A organização estimou 150 pessoas.

Manaus (AM). Cerca de 3 mil pessoas.

Fortaleza (CE). A organização estimou, inicialmente, a participação de 3 mil a 4 mil pessoas. A polícia não divulgou levantamento de público.

Maceió (AL). Cerca de 2 mil pessoas, segundo a organização.

Brasília (DF). A PM falou em 5 mil pessoas.

Vitória (ES). 3 mil pessoas, segundo a PM.

Goiânia (GO). A Polícia Militar calcula 1,5 mil participantes.

São Luís (MA). 100 pessoas.

Belo Horizonte (MG). 5 mil pessoas, segundo a organização.

João Pessoa (PB). 400 pessoas.

Curitiba (PR). 8 mil pessoas, disse a PM.

Teresina (PI). Cerca de 200 pessoas.

Natal (RN). Cerca de 100 pessoas, de acordo com a PM.

Rio de Janeiro (RJ). 10 mil pessoas (estimativa da televisão).

Porto Velho (RO). 50 pessoas.

Boa Vista (RR). Cerca de 200 pessoas.

Florianópolis (SC). 4 mil pessoas, segundo a PM.

Aracaju (SE). 400 pessoas, segundo os organizadores.

Palmas (TO). 350 pessoas

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

Comentários