Redação Pragmatismo
Protestos 05/Dec/2016 às 12:39 COMENTÁRIOS

Esposa de Sergio Moro convocou população para apoiar o marido

Apesar de ter sido convocado pela Rede Globo desde as primeiras horas do dia, protestos de domingo não tiveram adesão popular esperada. Nas redes sociais, a esposa de Sergio Moro chegou a convidar o povo às ruas para defender o marido

Sergio Moro esposa protestos Lava Jato
Imagem: Sergio Moro e Rosângela Moro

A mulher do juiz federal Sérgio Moro, Rosângela Moro, que administra a página “Eu MORO com ele #rosangelawolffmoro”, em homenagem ao marido, usou o Facebook para convidar manifestantes para o ato em apoio à Operação Lava Jato, em Curitiba (PR), que aconteceu na tarde deste domingo (4).

“Chegou o dia, neste domingo contamos com todos os brasileiros. Vamos às ruas, hoje”, disse Rosângela.

O protesto na capital paranaense reuniu cerca de 8 mil pessoas, segundo a PM, e teve início em frente à sede da Justiça Federal, local de trabalho de Moro.

A página “Eu MORO com ele”, administrada por Rosângela, compartilhou uma publicação do movimento “República de Curitiba” que divulga a manifestação. “Chegou o dia, neste domingo contamos com todos os brasileiros. Vamos às ruas, hoje”, diz a publicação.

O apoio ao juiz foi uma das principais bandeiras dos protestos de ontem. Os manifestantes defenderam a continuidade da Operação Lava Jato e protestaram contra a emenda que pune juízes que incorrerem em abuso de autoridade.

Na última semana, Moro esteve no Senado Federal em sessão que debateu o projeto que atualiza a lei de abuso de autoridade, proposta que desperta temor em membros do Judiciário.

Em Brasília, o juiz propôs mudanças no texto, defendendo que juízes não sejam punidos por interpretação da Constituição, e ainda criticou as mudanças feitas por deputados federais no pacote proposto pelo Ministério Público Federal (MPF). No pacote do MPF havia itens polêmicos como a legalização das provas ilícitas.

Sergio Moro, no entanto, teve seus argumentos confrontados pelo ministro do STF Gilmar Mendes e por outro juiz federal que compunha a mesa.

Os protestos

De acordo com a polícia militar, as manifestações deste domingo (4/12) reuniram um total de 75 mil pessoas divididas em 82 cidades.

As maior manifestação ocorreu na cidade de São Paulo. Segundo a PM, 15 mil pessoas estiveram na avenida paulista.

Os alvos principais do protesto foram os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O presidente Michel Temer foi poupado.

Confira como foi a adesão dos protestos nas capitais do Brasil:

Salvador (BA). Os organizadores estimam em 1.200 os participantes.

Macapá (AP). A organização estimou 150 pessoas.

Manaus (AM). Cerca de 3 mil pessoas.

Fortaleza (CE). A organização estimou, inicialmente, a participação de 3 mil a 4 mil pessoas. A polícia não divulgou levantamento de público.

Maceió (AL). Cerca de 2 mil pessoas, segundo a organização.

Brasília (DF). A PM falou em 5 mil pessoas.

Vitória (ES). 3 mil pessoas, segundo a PM.

Goiânia (GO). A Polícia Militar calcula 1,5 mil participantes.

São Luís (MA). 100 pessoas.

Belo Horizonte (MG). 5 mil pessoas, segundo a organização.

João Pessoa (PB). 400 pessoas.

Curitiba (PR). 8 mil pessoas, disse a PM.

Teresina (PI). Cerca de 200 pessoas.

Natal (RN). Cerca de 100 pessoas, de acordo com a PM.

Rio de Janeiro (RJ). 10 mil pessoas (estimativa da televisão).

Porto Velho (RO). 50 pessoas.

Boa Vista (RR). Cerca de 200 pessoas.

Florianópolis (SC). 4 mil pessoas, segundo a PM.

Aracaju (SE). 400 pessoas, segundo os organizadores.

Palmas (TO). 350 pessoas

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários