Redação Pragmatismo
Mundo 19/Dec/2016 às 16:51 COMENTÁRIOS

Embaixador da Rússia é assassinado na Turquia diante das câmeras

URGENTE. Embaixador da Rússia é assassinado na Turquia diante de câmeras de emissoras de televisão e fotógrafos de diversos veículos de comunicação

Embaixador rússia turquia
Embaixador russo é assassinado na Turquia

Um homem disparou nesta segunda-feira (19/12) em Ancara contra o embaixador da Rússia na Turquia, Andrei Karlov, que morreu em decorrência dos ferimentos, de acordo com o Ministério de Relações Exteriores russo. O autor dos disparos já teria sido “neutralizado”, afirmou a imprensa turca.

O diplomata russo foi atingido pelos disparos enquanto dava um discurso durante uma exposição de fotos na capital turca. De acordo com fontes citadas pela imprensa turca, Karlov foi levado a uma clínica próxima em estado grave. Segundo confirmou o Ministério de Relações Exteriores da Rússia, ele não resistiu aos ferimentos.

“Este é um dia trágico na história da diplomacia russa”, declarou Maria Zakharova, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores russo, que classificou o ataque como um “ato de terrorismo”.

De acordo com um fotógrafo da agência de notícias Associated Press que estava no local, Karlov estava discursando quando um homem vestido com terno e gravata gritou “Allahu akbar” (“deus é grande”, em árabe) e disparou pelo menos oito tiros. “Não esqueçam Aleppo, não esqueçam a Síria. Vocês não ficarão seguros até que nossas cidades tenham segurança. Somente a morte pode me levar daqui. Nós somos aqueles que prometeram fidelidade a Muhammad para fazer a jihad”, ele teria gritado após atirar contra Karlov.

O atirador foi morto por forças especiais turcas, divulgou a agência turca de notícias Anadolu. Ele teria entrado no local se identificando como policial. A prefeitura de Ancara confirmou que o atirador era membro da polícia da cidade.

Testemunhas disseram à imprensa turca que o autor dos disparos agiu sozinho e sabia que não ia sair vivo do local do crime.

“Ele usava um terno preto e uma camisa branca e estava sozinho. Não acredito que tenha ninguém mais”, disse à rede CNNTÜRK uma mulher que não quis se identificar e estava na exposição no momento do atentado que matou o diplomata russo.

“Não sei se tinham algum comparsa fora, mas só um agia lá dentro”, disse a jornalista Bahar Bakir à emissora NTV.

As duas testemunhas confirmaram que depois de atirar em Karlov, o homem começou a gritar frases, em turco, que relacionavam o ataque à situação em Aleppo, na Síria. “Ele disse que sabia que não sairia vivo de lá e que não ia fazer nada contra a gente. Depois voltou a disparar no embaixador”, disse Bakir.

Reunião

O ataque acontece na véspera de uma reunião em Moscou entre os ministros das Relações Exteriores da Rússia, Irã e Turquia para tratar sobre o cessar-fogo em Aleppo, ao norte da Síria.

A Rússia e o Irã têm apoiado o governo de Bashar al Assad contra as forças de oposição na Síria, que por sua vez tem sido apoiadas pelo governo turco e pelos EUA, entre outros.

EUA condenam ataque

Organizações internacionais, como a ONU, condenaram o ataque ocorrido em Ancara. Os Estados Unidos, que ameaçam retaliações à Rússia após suposta intervenção na eleição norte-americana, também lamentaram o episódio.

Embaixador era diplomata de carreira

Morto no incidente, Andrei Karlov tinha 62 anos e era diplomata de carreira. O russo entrou para o serviço diplomático em 1976 e atuou como embaixador em Pyongyang, na Coreia do Norte, entre 2001 e 2006 e depois atuou como chefe do departamento consular do Ministério das Relações Exteriores russo. Ele era embaixador na Turquia desde 2013.

Veja como os grandes veículos de comunicação do mundo estão tratando o caso:
The Independent
BBC Internacional
The Telegraph
CBS News
Al Jazeera

com Opera Mundi e EFE

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários