Redação Pragmatismo
Governo 08/Nov/2016 às 22:32 COMENTÁRIOS

Governo Temer bate recorde de gastos com cartão corporativo

Apesar do discurso de corte de despesas públicas, os gastos do governo federal com o cartão corporativo nos últimos quatro meses superam o total desembolsado em todo o primeiro semestre de 2016. Quase a metade do valor das compras é mantida sob sigilo

governo temer recorde gastos cartão coorporativo
Michel Temer (reprodução)

Apesar do discurso de corte de despesas públicas, os gastos do governo federal com o cartão corporativo nos últimos quatro meses superam o total desembolsado em todo o primeiro semestre. Entre 1º de julho e 4 de novembro, esse tipo de despesa somou R$ 24 milhões, contra os R$ 22 milhões despendidos nos seis primeiros meses do ano. Desde que Michel Temer (PMDB) assumiu a Presidência da República, ainda em maio, o governo gastou R$ 29 milhões com os cartões corporativos. As informações são da rádio CBN. Os dados de julho para cá foram atualizados apenas esta semana. Somente nos primeiros quatro dias de novembro, foram gastos R$ 3,7 milhões com esse tipo de cartão. Na média, as despesas mensais com o corporativo variam de R$ 4 milhões a R$ 5 milhões.

De acordo com a reportagem de Gabriela Echenique, o órgão do governo federal que mais gastou com os cartões corporativos foi a Presidência da República – com R$ 12 milhões, cerca de 40% do total gasto. Em segundo lugar, aparece o Ministério da Justiça, onde as despesas somaram R$ 11 milhões.

Embora os dados estejam disponíveis no Portal da Transparência, não é possível saber o que foi comprado em mais da metade dos valores apontados. Desde o início do governo Temer, 48% de todas as despesas com cartão corporativo estão classificadas como sigilosas e, por isso, não podem ser acessadas.  Ainda há saques feitos sem a publicidade das compras, ressalta a CBN.

Leia também:
Governo Temer gasta mais de meio milhão com show de samba sem licitação
Michel Temer ataca ocupações de escolas e ironiza estudantes
Rede Globo criminaliza ocupação das escolas no Brasil
O momento é propício para a clássica pergunta de Lênin: O que fazer?
O ‘fascismo’, os ‘juizecos’ e a seletividade de Renan Calheiros
Procurador da Lava Jato admite que Temer pode comprometer delação da Odebrecht

Congresso em Foco

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários