Redação Pragmatismo
Racismo não 28/Oct/2016 às 16:14 COMENTÁRIOS

Ridicularizada, funcionária negra é demitida após denunciar chefe

Trabalhadora negra com formação internacional é humilhada e demitida após denunciar racismo da chefe. Episódio ocorreu em uma grande multinacional de São Paulo

funcionária racismo ambiente de trabalho
(Imagem ilustrativa)

Silvia Nascimento, Mundo Negro

O racismo no ambiente de trabalho não escolhe cargo. Da copeira ao diretor, a discriminação se faz presente de diversas formas, que vão das diferenças salariais à intolerância com o cabelo.

E foi isso que aconteceu com a desenvolvedora de negócios Luanna Teófilo. Com 35 anos, ela é mestre em Linguística pela Université Sorbonne Nouvelle e havia recentemente voltado ao Brasil onde estava atuando nas áreas de venda da PR Newswire, uma multinacional da área de Marketing e Relações Públicas.

“Eu trabalhava numa multinacional. Como todos os ambientes brancos, lá era bastante preconceituoso. Até que um dia a presidente, diante de toda equipe, ordenou que eu tirasse minhas tranças”, explica Luanna, que já havia presenciado vários comentários racistas durante o período que ela trabalhou na empresa, mas nunca de forma tão direta como o “Tira isso”, proferido em alto e bom tom, pela presidente da companhia Thaís Antoniolli.

A presidente da empresa concluiu que as tranças de Luanna eram “inadequadas” para o ambiente de trabalho.

Indignada, Luanna pediu providências ao departamento de Recursos Humanos da empresa, que tentou uma reconciliação entre ela e Thais. A líder da PR Newswire, no entanto, classificou como petulante a atitude de Luanna ao exigir uma retratação.

O caso foi levado à sede da empresa nos EUA e um boletim de ocorrência também foi feito contra a presidente da multinacional.

Outro caminho para externar a sua inconformidade com o ocorrido foi a criação de uma página no Facebook chamada #tiraisso, onde Luanna começou a postar conteúdo sobre racismo no mercado de trabalho além de outras temáticas ligadas à questão racial.

Todo esse processo aconteceu desde setembro. Apesar de vítima de racismo e assédio moral, Luanna estava sendo bem avaliada e prestes a ser efetivada, garantem colegas. Mas depois de uma falta por motivos de saúde no dia 19 de outubro, a gerente de projetos foi demitida por “baixo desempenho”.

Futuro

Luanna não pretende ficar parada após a demissão. Sua excelente formação e experiência internacional adquirida na França, Argentina e EUA, serão usadas para as suas próprias empresas.

“Eu tenho uma empresa de desenvolvimento de negócios. No momento trabalho paralelamente em dois projetos”, diz Luanna, que comanda a loja online de produtos afro multiculturais BAP Store enquanto aguarda o andamento do caso.

PR Newswire

A PR Newswire divulgou uma nota sobre o caso. Leia abaixo:

“A PR Newswire, empresa global de serviços de comunicação, lamenta o mal entendido ocorrido em suas dependências. A companhia repudia qualquer tipo de intolerância e preconceito e ressalta que possui código de conduta e políticas internas que visam estabelecer o bom convívio no ambiente de trabalho, bem como a condução ética em seus negócios. Ainda, a PR Newswire entende que este é um tema importante e por este motivo dedicou todos os esforços para elucidar o episódio, que está devidamente esclarecido.”

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários