Redação Pragmatismo
Barbárie 26/Mai/2016 às 18:58 COMENTÁRIOS
Barbárie

Vídeo de estupro coletivo é investigado pela polícia

Publicado em 26 Mai, 2016 às 18h58

Polícia investiga estupro coletivo no Rio de Janeiro divulgado na internet. No vídeo, um rapaz diz, achando graça da situação, que mais de 30 estupraram a menina, que aparece desacordada, sem roupa e sangrando

jovem estupro coletivo vídeo rio
Jovem que sofreu estupro coletivo prestou depoimento e já foi medicada. Vítima também recebe acompanhamento psicológico

O vídeo de um estupro coletivo publicado nas redes sociais revoltou internautas brasileiros nesta quarta-feira (25). Nas imagens, a jovem aparece nua e desacordada. Segundo a polícia, as investigações estão em andamento para que os agentes encontrem os autores do crime.

Durante o vídeo, dois homens mostram em detalhes os seios e o órgão sexual da garota. “Essa aqui, mais de 30 engravidou. “Olha como que tá (sic). Sangrando. Olha onde o trem passou. Onde o trem bala passou de marreta”, diz um dos rapazes que aparecem no vídeo. Achando graça da situação, o homem ainda escreveu no Twitter: “Amassaram a mina, intendeu ou não intendeu? Kkk” (sic).

Imediatamente, internautas começaram a denunciar a publicação e postar mensagens em repúdio ao usuário. “Isso é estupro de vulnerável e sem necessidade de ser compartilhado”, “E ainda dizem que o feminismo é desnecessário. Não me calo porque amanhã ou depois pode ser eu” e “E meso que não tenha sido ele, espalhar esse tipo de material também é crime” foram alguns dos comentários.

Uma internauta ainda tenta alertar o usuário sobre o risco de sua atitude: “Apaga isso, Michel”. Mas ele responde: “Caiu na rede, pô, deixa rolar kkkk”. Mais de dez horas após a publicação do vídeo, o perfil de Michel foi suspenso, mas isso não é suficiente para formalizar uma denúncia contra o usuário.

O delegado Alessandro Thies pede que informações que possam ajudar a identificar os suspeitos sejam eviadas ao e-mail [email protected]

Depoimento

A jovem vítima de 17 anos já prestou depoimento na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI). O caso ganhou repercussão, nesta quarta-feira, após a vítima aparecer em um vídeo publicado por um rapaz identificado apenas como Michel.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a menina já passou por uma avaliação médica, exames ginecológicos e já tomou medicamentos para evitar a contaminação por doenças sexualmente transmissíveis. O órgão informou ainda que ela foi encaminhada para um acompanhamento psicológico.

Campanha

Em homenagem à vítima, os internautas criaram diversas campanhas em repúdio à cultura de estupro nas redes sociais. Diversos usuários colocaram na imagem de perfil a frase “Eu luto pelo fim da cultura de estupro”.

Além disso, artistas também se manifestaram em solidariedade à jovem, como a atriz Camila Pitanga. “Sufocada, consternada e muito triste com os casos de estupros coletivos ontem no Rio de Janeiro e no Piauí. Precisamos falar sobre a cultura do estupro”, disse a artista em uma publicação no Facebook.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

COMENTÁRIOS