Redação Pragmatismo
Política 12/Set/2014 às 12:40 COMENTÁRIOS
Política

Apesar do silêncio da mídia, Plebiscito da Reforma Política é um sucesso

Publicado em 12 Set, 2014 às 12h40

Votos da internet já foram apurados e somaram um total de 1,7 milhão. Resta ainda apurar os votos depositados nas urnas espalhadas em todo o país. Confira o resultado da internet

plebiscito constituinte reforma política
Resultado final do Plebiscito da Reforma Política deve ser divulgado no dia 24; comissão organizadora considera que a campanha foi vitoriosa apesar do “muro de silêncio” montado pela grande mídia (reprodução)

Na denominada Semana da Pátria, entre os dias 01 a 07 de setembro, mais de 40 mil urnas foram instaladas por todo território nacional para a votação do Plebiscito Popular da Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político. Após uma intensa mobilização, nesta terça-feira (9), a Secretaria Operativa Nacional, divulgou nota com os primeiros resultados do processo.

Foram 1.744.872 votos de pessoas em todo o país na votação pela internet (via online). Destas 96, 9% (1.691.006) votaram SIM à Constituinte, e 3,1% (53.866) votaram NÃO. As urnas físicas ainda estão em processo de contagem.

VEJA TAMBÉM: 5 perguntas ajudam a entender a rejeição dos poderosos ao Plebiscito

“O resultado final da votação será divulgado no dia 24 de setembro, em Coletiva de Imprensa. […] Em seguida, ainda sem data definida, entregaremos os resultados do Plebiscito Popular aos três poderes: Presidência da República (Executivo), Congresso Nacional (Legislativo) e Supremo Tribunal Federal (Judiciário), como forma de pressionar, especialmente o Congresso, por um Plebiscito Oficial com o mesmo tema do Plebiscito Popular”, diz a nota.

Muro de silêncio

A nota divulgada ainda ressalta a positividade da campanha ao envolver artistas, intelectuais, lideranças sindicais e populares, além de voluntários nas atividades. Para eles, a campanha foi vitoriosa “apesar do ‘muro de silêncio’, propositalmente montado pela grande mídia, o que só reforça a nossa posição pela democratização dos meios de comunicação no Brasil”.

Brasil de Fato

Recomendações

COMENTÁRIOS