Redação Pragmatismo
Eleições 2014 10/Jun/2014 às 17:07 COMENTÁRIOS

PMDB decide apoiar Dilma em 2014

Por 398 votos favoráveis contra 275 que defendiam rompimento, PMDB oficializa apoio a Dilma nas eleições de 2014. Atual presidente ganha agora mais 2 minutos e 20 segundos na propaganda eleitoral na TV

dilma michel temer pmdb
Dilma e Michel Temer (Reprodução)

Depois de garantir o apoio do PDT, a presidente Dilma Rousseff recebeu oficialmente na tarde desta terça-feira 10 a aprovação do PMDB por sua candidatura à reeleição em outubro. Na convenção nacional do partido, que acontece desde cedo em Brasília, foram 398 votos favoráveis à manutenção da aliança com o PT com Michel Temer na vice contra 275 que defendiam rompimento com o partido governista.

No encontro, a ala de rebeldes, contrária a apoiar Dilma, distribuiu panfletos e fez discurso com críticas ao governo e reclamações de falta de apoio em alguns estados, como no Rio de Janeiro, onde o PT lançará o senador Lindbergh Farias para disputar o governo do Rio, em vez de apoiar o peemedebista Luiz Fernando Pezão. A ala também questionava o fato de o PMDB não ter candidato próprio à Presidência há 20 anos.

O vice-presidente da República, Michel Temer, minimizou, mais cedo, a divisão no partido. “Se der 51 (por cento dos votos a favor da aliança) está bom”, disse a jornalistas ao chegar à convenção. “Isso é comum no PMDB. Se a gente não se acostumar com isso depois de 40 anos, não dá para fazer política”, acrescentou, sobre o racha na legenda.

Em seu discurso durante a convenção, o cacique peemedebista disse que a aliança com o PT tem como objetivo “abrir as portas” para que no futuro “o PMDB ocupe todos os espaços políticos, para o bem dos brasileiros”. Segundo ele, o partido é o responsável pela “grande revolução social neste país”. Temer afirmou ainda não acreditar em “intrigas” que, segundo ele, sugeriam haver traições.

247

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 10/Jun/2014 às 17:34

    Este questionamento do PMDB em relação a candidatura do PT ao governo do Rio eu acho válida. Não estou a par da política carioca, mas o PMDB é uma partido grande, muito tradicional, fortes nas eleições municipais e acho besteira haver racha no Rio de Janeiro. O ideal seria o Lindbergh Farias vice do Pezão, assim o comitê da Dilma obteria mais políticos do PMDB apoiando a candidatura presidencial além de aumentar a base aliada no legislativo. Mas fazer o que se nossos políticos não sabem fazer política? Ver os casos Dudu, Aécio e Marina que poderiam fazer uma legenda única.