Redação Pragmatismo
Mundo 11/Out/2013 às 10:21 COMENTÁRIOS
Mundo

País divulga resultado da eleição antes do início da votação

Publicado em 11 Out, 2013 às 10h21

Governo do Azerbaijão divulga resultado de eleição presidencial antes do início da votação. "A magnitude da fraude é tanta que é impossível estabelecer a vontade popular expressada nas urnas", disse opositor

eleição azerbaijão
Ilham Aliyev deve ser reeleito presidente do país (Agência Efe)

O governo do Azerbaijão anunciou na manhã da última quarta-feira (09/10) o resultado da eleição presidencial do país. No entanto, para o espanto da população, as votações nem sequer haviam começado. Em outras palavras, a vitória de reeleição do atual presidente, Ilham Aliyev, foi divulgada na internet sem nenhum cidadão ter votado.

[listaposts tipo=”relacionadosportags” titulo=”Leia também” total=”5″ posicao=”direita”]

O episódio causou constrangimento generalizado no governo azerbaijano. A justificativa oficial é que o desenvolvedor do aplicativo responsável pelas eleições fazia testes usando informações das eleições de 2008 e teria “divulgado por engano os resultados”. No entanto, a lista de candidatos apresentados era deste ano, e não de 2008, como alegaram as autoridades locais.

Após a gafe do governo, os cidadãos votaram normalmente ontem (09) sem nenhuma ocorrência. Informações preliminares apontam que Ilham Aliyev será reeleito com 84,59% dos votos nas eleições, segundo dados oficiais preliminares oferecidos quinta-feira (10) pela CEC (Comissão Eleitoral Central) da ex-república soviética.

Segundo pesquisa de boca de urna, o líder da coalizão de oposição, Jamil Hasanli, obteve 5,54% dos votos, enquanto os outros oito candidatos conseguiram entre 2,38 e 0,61%. Hasanli exigiu hoje a anulação dos resultados eleitorais e a repetição das eleições presidenciais, pois as classificou como uma “fraude total”.

“A magnitude da fraude é tanta que é impossível estabelecer a vontade popular expressada nas urnas”, disse em entrevista coletiva o candidato opositor, que acusou Aliyev de “usurpação do poder”. Hasanli anunciou que “a luta não termina com as eleições” e que buscará a impugnação do resultado nos tribunais.

O atual presidente, acusado de calar a imprensa independente e proibir as manifestações políticas de oposição, foi reeleito em 2008 com 89% dos votos. Hasanli argumenta que Aliyev não poderia concorrer a um terceiro mandato, já que a reforma constitucional entrou em vigor quando o líder havia sido reeleito uma vez.

Opera Mundi

Recomendações

COMENTÁRIOS