Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 24/Mai/2012 às 14:59 COMENTÁRIOS
Mulheres violadas

Nadadora abusada por treinador tem crise nervosa após aprovação de lei que leva seu nome

Publicado em 24 Mai, 2012 às 14h59

Joana Maranhão teve uma crise nervosa na última terça-feira em decorrência da repercussão do caso Xuxa e da aprovação da lei

Joana Maranhão

Nadadora Joana Maranhão. A lei 12.650 defende que a contagem de tempo de prescrição dos crimes sexuais contra crianças e adolescentes começa na data em que a vítima completar 18 anos

A nadadora Joanna Maranhão tem enfrentado dias agitados. Na última sexta-feira (18), uma lei federal que leva o seu nome foi aprovada em Brasília. A nova lei altera o tratamento da Justiça a crimes de pedofilia e também estupro e atentado violento ao pudor praticados contra menores de idade.

Em fevereiro de 2008, a atleta do Flamengo deu uma entrevista explosiva e declarou que havia sido abusada por um ex-treinador. Joanna se sensibilizou ainda mais quando a apresentadora Xuxa Meneghel revelou ao Fantástico que também havia sido abusada quando criança.

Segundo o Flamengo, a nadadora teve uma crise nervosa na última terça-feira (22) em decorrência da repercussão do caso Xuxa e da aprovação da lei. Com toda agitação ao redor de seu nome, os médicos do rugro negro recomendaram à Joanna que ela evite dar declarações públicas sobre o caso.

A divisão de esportes olímpicos do Flamengo afirmou que a atleta deve manter o foco nos Jogos de Londres e que deve evitar distrações a respeito do caso Xuxa e da nova lei. Joanna se classificou para as Olimpíadas após atingir índice olímpico nos 400 m medley e deve concorrer em três provas.

No domingo (20), a atleta pernambucana desabafou no twitter enquanto assistia à entrevista de Xuxa ao Fantástico.

– Meu Deus, Xuxa está falando por mim, é isso?

A nadadora recebeu inúmeros telefones após a revelação de Xuxa, mas preferiu não se pronunciar. Joanna utilizou apenas a rede social para relatar algumas lembranças.

– Cheiro, ela disse que lembra do cheiro, Meu Deus, é a lembrança mais forte.

Na noite de terça-feira, depois de todo tumulto, a atleta ainda teve tempo para agradecer.

– Dia difícil que chegou ao fim e eu sobrevivi, porque a vida é muito linda pra não ser vivida ao extremo!

A lei 12.650 defende que a contagem de tempo de prescrição dos crimes sexuais contra crianças e adolescentes começa na data em que a vítima completar 18 anos, caso o Ministério Público não tenha aberto ação penal contra o agressor anteriormente.

Leia também:
Como um médico abusou de centenas de ginastas por 30 anos e ninguém fez nada?
Médico é condenado por estuprar 156 mulheres

R7

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

Comentários