Redação Pragmatismo
Compartilhar
Cinema 04/Aug/2016 às 11:40
2
Comentários

10 filmes incríveis para quem mira a carreira acadêmica

Cinema não é apenas arte ou entretenimento. A depender do olhar do espectador, um filme também pode ser uma aula. Confira 10 películas inspiradoras para quem mira a carreira acadêmica

filmes incríveis acadêmicos professores carreira
Indicação de filmes para quem quer seguir carreira acadêmica (Imagem: Pragmatismo Político)

Cinema não é apenas arte ou entretenimento. A depender do olhar do espectador, um filme também pode ser uma aula.

Isso porque, nas telas, é possível projetar infinitas possibilidades de vida e de trabalho — das tensões do mundo corporativo aos desafios da carreira acadêmica — e pensar a respeito delas.

Se o seu objetivo é trabalhar como docente e pesquisador, não faltam títulos para estimular reflexões sobre a sua escolha.

Nesta galeria, selecionamos 10 filmes que exploram questões como o papel social do educador, a importância da diversidade na academia e as dificuldades da pesquisa científica.

Leia também: 

Top 20 frases famosas e marcantes de filmes nacionais e internacionais

Os títulos foram sugeridos por Ana Cristina Limongi – França, professora da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP) , e Marco Oliveira, consultor e antropólogo empresarial.

Segue seleção:

1 — Gênio indomável (Good Will Hunting)
Diretor: Gus Van Sant
Ano: 1997
Nacionalidade: EUA

Zelador de uma renomada universidade, Will (Matt Damon) é um “garoto-problema” com diversas passagens pela polícia. Seu destino muda quando um professor descobre seu imenso talento para a matemática.

O que ensina sobre a vida acadêmica? O foco do espectador deve ir para o professor Gerald Lambeau (Stellan Skarsgård). “Ele é capaz de abrir mão de qualquer símbolo de status, e até de se humilhar, para evitar que a matemática perca um gênio”, diz o consultor Marco Oliveira. “O que rege as suas ações é o amor pela ciência e pelo conhecimento, o princípio guiador de um acadêmico por excelência”.

2 — Quebrando a banca (21)
Diretor: Robert Luketic
Ano: 2008
Nacionalidade: EUA

Baseado em uma história real, o filme conta a história de seis alunos do MIT (Massachusetts Institute of Technology). Treinados pelo professor Micky Rosa (Kevin Spacey), eles trapaceiam em jogos de cassino e ganham milhões de dólares em Las Vegas.

O que ensina sobre a vida acadêmica? Segundo Oliveira, o antiético personagem vivido por Kevin Spacey é o contrário de Lambeau, de “Gênio indomável”. A ciência é a última das suas preocupações. A lição do filme é a de que o mundo acadêmico até pode seduzir os desonestos, oportunistas e gananciosos, mas não foi feito para eles.

3 — Tese sobre um homicídio (Tesis sobre un homicidio)
Diretor: Hernán Goldfrid
Ano: 2013
Nacionalidades: Argentina, Espanha

Roberto Bermúdez (Ricardo Darín) é professor de Direito criminal numa renomada universidade em Buenos Aires. Convencido de que um dos seus alunos cometeu um crime brutal, ele dá início a uma investigação obsessiva sobre o caso.

O que ensina sobre a vida acadêmica? O protagonista do suspense é um professor talentoso, rigoroso e apaixonado pela sua área de estudo. “O mais interessante é que ele usa conceitos da disciplina que ensina em sala de aula para investigar o suposto criminoso”, afirma Oliveira. “Assim você vê um professor aplicando na prática o que explica em sala de aula”.

4 — A teoria de tudo (The theory of everything)
Diretor: James Marsh
Ano: 2014
Nacionalidade: Reino unido

O drama conta a história do genial físico Stephen Hawking, vivido por Eddie Redmayne, e sua relação com a primeira esposa. Embora o foco esteja na vida pessoal do cientista, o filme mostra suas primeiras vivências na universidade até o seu apogeu no universo científico.

O que ensina sobre a vida acadêmica? O filme mostra que é possível ser um líder acadêmico mesmo com limitações graves, como as de Hawking, diz Ana Cristina Limongi-França, professora da FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo). “O segredo é que ele conta com o apoio da sua família e com o respeito da comunidade científica, graças à qualidade das suas ideias”, explica a docente.

5 — A onda (Die welle)
Diretor: Dennis Gansel
Ano: 2008
Nacionalidade: Alemanha

Na Alemanha, um professor de ensino médio decide fazer um experimento sociológico para mostrar a seus alunos como é a vida em um regime ditatorial. Para sua surpresa, a simulação acaba saindo do controle e os estudantes começam a agir de forma autoritária e violenta, à semelhança dos nazistas.

O que ensina sobre a vida acadêmica? O tema principal do filme é o poder da educação na construção de valores. “Aprende-se muito sobre a forma como o professor deve ou não conduzir experimentos com seus alunos, bem como sobre a facilidade com que os jovens podem ser moldados em suas ideias e atitudes, inclusive de modo inconveniente”, diz Oliveira.

6 — Spotlight: Segredos revelados (Spotlight)
Diretor: Tom McCarthy
Ano: 2015
Nacionalidade: EUA

O filme conta a história de um grupo de jornalistas do “Boston Globe”, cujas investigações trouxeram à tona um imenso escândalo de pedofilia da arquidiocese local. O caso é real e teve grande impacto para representantes e seguidores da Igreja Católica.

O que ensina sobre a vida acadêmica? O jornalismo investigativo tem muito a ver com a pesquisa acadêmica, diz a professora Ana Cristina Limongi-França, da FEA-USP. “É preciso o mesmo grau de paciência e rigor para coletar dados e elaborar entrevistas”, explica ela. “Sempre recomendo o título aos meus alunos, porque os métodos e técnicas ali apresentados são muito parecidos com os usados na academia”.

7 — Uma mente brilhante (A beautiful mind)
Diretor: Ron Howard
Ano: 2001
Nacionalidade: EUA

O drama mostra a vida de John Nash, um matemático brilhante que conduziu pesquisas de enorme impacto para a comunidade científica internacional. Tudo muda quando ele é convidado pelo Pentágono para decifrar conversas criptografadas, e sua saúde mental, já bastante debilitada, começa a se deteriorar ainda mais.

O que ensina sobre a vida acadêmica? Assim como “A teoria de tudo”, o drama mostra um ídolo do mundo científico que conseguiu espaço apesar de limitações severas, neste caso psiquiátricas. “O filme é interessante por mostrar o acolhimento incondicional da comunidade científica a Nash, bem como as fronteiras tênues entre a genialidade e a loucura”, diz a professora. Para ela, a configuração mental incomum do matemático pode até ter ajudado a sua inteligência a florescer de forma inesperada.

8 — Histórias de amor (Liberal arts)
Diretor: Josh Radnor
Ano: 2012
Nacionalidade: EUA

Peter Hoberg (Richard Jenkins) é um professor universitário que, cansado com a mesmice de sua vida na universidade, pretende se aposentar. Quando ele se arrepende e decide retornar à sua cátedra pouco tempo depois, descobre que já foi substituído por um docente mais jovem e promissor, Jesse Fisher (Josh Radnor), que está apaixonado por uma aluna.

O que ensina sobre a vida acadêmica? O filme oferece um rico painel dos sentimentos e pensamentos de um professor universitário que não vê mais encanto em sua atividade profissional. Aspectos importantes da política interna das universidades também aparecem com destaque. Outro comportamento que vale a pena observar é o da personagem Judith Fairfield, professora soberba e excessivamente centrada na sua condição de acadêmica, completa Oliveira.

9 — Ao mestre, com carinho (To sir, with love)
Diretor: James Clavell
Ano: 1967
Nacionalidade: Reino unido

Neste clássico, Mark Thackeray (Sidney Poitier) é contratado para dar aulas para uma turma de adolescentes brancos num bairro periférico de Londres. Confrontado com preconceitos raciais e sociais, ele encara o desafio de transformar a agressividade do grupo contra ele numa posição aberta ao aprendizado e ao afeto.

O que ensina sobre a vida acadêmica? “O filme mostra a importância do bom relacionamento entre professor e aluno para gerar aprendizado”, diz a professora Limongi-França. Segundo ela, a vida em um ambiente voltado para a educação nunca pode ser fria ou distante. Além disso, o drama também aborda o preconceito racial e outras mazelas da sociedade que se projetam na sala de aula. “É preciso combater esse tipo de atitude pelo diálogo e pela capacidade de dar o exemplo”, explica.

10— Sociedade dos poetas mortos (Dead Poets Society)
Diretor: Peter Weir
Ano: 1989
Sociedade dos poetas mortos

A chegada do professor de literatura John Keating (Robin Williams) é arrasadora para o ambiente conservador da Welton Academy. Ao contrário da maioria dos docentes da escola, ele deseja ensinar seus pupilos a pensar por si próprios, amar a poesia e a valorizar os prazeres da vida.

O que ensina sobre a vida acadêmica? Embora seja professor do ensino médio, Keating é um exemplo para quem se dedica à docência em todos os níveis. “Ele propõe um ambiente de educação democrático, menos vertical e mais em rede”, diz Limongi-França. “As universidades também precisam assim, porque a existência de diferentes núcleos de poder aumenta nossa capacidade de resolver problemas”.

Exame

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Pedro Postado em 04/Aug/2016 às 14:12

    Poderiam ter incluido o filme "A Prova" de John Madden, que mostra de forma um pouco mais realista (ainda que romântica demais) de como é o mundo da matemática. Ou o recente "The imitation game" sobre o Turing. O primeiro filme da lista pouco tem a ver com a vida acadêmica ou cientifica: é um filme muito legal, mas muito pouco realista. Ha poucos filmes que mostrem a vida acadêmica, talvez por ser difícil aliar a narrativa do entretenimento e o cotidiano cientifico.

  2. Flávio Postado em 22/Aug/2016 às 19:22

    Não recomento sociedade dos poetas mortos. O filme é PÉSSIMO. E antes que alguém venha dizer asneiras: detesto blockbusters, filmes de HQ, e sempre acompanho festivais e vejo filmes independentes. O filme que é ruim mesmo, não é que eu só assista lixo comercial.