Redação Pragmatismo
Compartilhar
Polícia Militar 10/Jun/2016 às 16:04
11
Comentários

Nova versão da morte do menino de 10 anos é muito diferente do que diz a PM

Várias versões, mas qual é o fato? Perícia acaba de revelar que menino de 10 anos assassinado por policiais não atirou e cena do crime foi alterada

menino 10 anos assassinado pm
(Imagem: No canto superior direito, a mãe do menino assassinado)

Cena do crime alterada e nenhuma evidência de que tenha havido disparos partindo do carro onde estavam dois garotos, de 10 e 11 anos. São essas conclusões iniciais da perícia realizada pela Polícia Civil da zona sul de São Paulo.

O menino mais jovem acabou morto pelos policiais militares com um tiro na cabeça. Os policiais afirmam que houve tiroteio.

Segundo os peritos, o carro furtado pelos meninos estava revirado, o corpo do garoto baleado havia sido mexido e a arma que um deles teria usado para disparar contra os policiais não estava no local do crime. Mas havia sido levada pelos PMs ao Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

A delegada que cuida da investigação quer ouvir os policiais nesta semana. O depoimento dos quatro PMs está marcado ainda para esta sexta-feira (10). Depois de uma semana de investigações, a polícia não tem certeza se a ação dos PMs foi legítima ou se houve uma execução.

Várias versões

O menino sobrevivente deu três versões para o caso. A primeira, gravada em vídeo pelos PMs, afirma que o amigo dirigia e atirava contra os policiais. Na segunda, confirmou os tiros, mas, depois que o carro parou, um PM se aproximou e atirou. Afirmou também que levou um tapa e foi ameaçado. Na última, negou que o amigo estivesse armado e contou que a arma foi “plantada” pelos policiais.

O vídeo em que o menino de 11 anos é interrogado, supostamente por policiais militares, sem a presença dos responsáveis e de um advogado, pode ter sido feito para criar provas a favor da Polícia Militar, segundo especialistas. As imagens do vídeo gravado por policiais militares foram encaminhadas para perícia, segundo a SSP informou em nota encaminhada nesta terça.

Para advogados especialistas em direitos da criança e do adolescente, os policiais possivelmente coagiram o menino a gravar o vídeo e produziram provas para tentar se eximir de culpa. Além disso, o interrogatório do menino sem advogados ou representante legal pode ter infringido o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Para o presidente da Comissão dos Direitos Infanto-Juvenis da OAB, Ricardo Cabezon, o interrogatório, aparentemente, é a tentativa de encobrir o que aparenta ser um excesso na abordagem policial.

Em reportagem publicada pela Ponte Jornalismo, especialistas comentam a autenticidade do vídeo. Assista:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. GabrielG Postado em 11/Jun/2016 às 11:17

    Você se vangloria e até ironiza o fato de uma criança com apenas 10 anos de vida estar a 7 palmos da terra. Que tipo de ser humano é você? Você não é humano, você é a escória da humanidade, pior do que aqueles que estão em pedrinhas! Porque cresceu num mundo diferente, longe de toda essa violência e falta de oportunidade, cercado de "gente de bem" e mesmo assim bate palmas pra morte de uma criança. Lembre-se do que você fazia aos 10 anos de idade e das oportunidades que teve antes de defecar pelos dedos. O PT nada tem haver com a criança estar no mundo do crime. Você não usaria o mesmo argumento para falar dos EUA ou UK, onde crianças da mesma idade já fizeram o mesmo. Imbecil!

  2. Carlos Postado em 11/Jun/2016 às 22:45

    Foi preso mais de 20 vezes, solto por causa dos defensores dos direitos e atos desu"humanos", se trocou tiro com os policiais pouco importa, o que importa é que tudo falhou menos o policial o único criticado, por sinal esses esquerdinha que criticam a polícia até hoje TODOS possuem perfis de covardes que jamais seriam policiais e se arriscariam por gente desconhecida.

    • marcio ramos Postado em 12/Jun/2016 às 02:38

      Seu cusão. Vc não sabe porra nenhuma seu burgues de merda. Não sabe o que é honrar uma farda seu civil babaca e se iguala a estes policiais desqualificado que desonram a instituição seu verme.

  3. marcio ramos Postado em 12/Jun/2016 às 02:34

    A realidade e que com seu comentário vc se mostrou ser um frouxo covarde acéfalo.

  4. Sergio Carneiro Postado em 12/Jun/2016 às 02:47

    Erramos.Onde lê-se: "Nova versão da morte do menino de 10 anos é muito diferente do que diz a PM" leia-se:"Nova versão da morte do bandido de 10 anos é muito diferente do que diz a PM".

  5. Eduardo Ribeiro Postado em 12/Jun/2016 às 10:26

    Só comentários reveladores. Quem ironiza chamando o menino de "anjinho" ou quem faz questão de chama-lo de bandido negando-lhe a condição de criança é filho da puta sem volta. Gente ruim e sem um pingo de carater, sem hombridade e zero de humanidade. O Brasil e os brasileiros não precisam de vocês. O mal que vocês causam só pelo fato de existirem não se mede. Vocês matariam essa criança com as próprias mãos se tivessem a chance.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 13/Jun/2016 às 10:42

      Não sou trouxa, Narinho. Meu celular novo valia uns 300,00 (agora está com a tela trincada quase toda preta, vale menos que um baseado). Essa conversinha besta do naipe "não existe ateu quando o avião está caindo" comigo não funciona. Minhas convicções são firmes, tem raízes pragmáticas e teóricas muito mais profundas. Vocês no geral estão acostumados a lidar com uma esquerda modinha festiva light que é "pega na contradição" com qualquer falácia pré-primária. Só pra constar: já "senti o cano gelado" na mão de criança 3x. E mesmo que não houvesse essa experiencia: desejar o mal a crianças, negar-lhes sua condição infantil, se regozijar com a morte dela e querer mais sangue infantil derramado, isso é banditismo, imoralidade. É filhadaputagem. Aqui eu li 3 ou 4 depoimentos de CANALHAS LIXOS HUMANOS que matariam SIM, na unha, a mesma criança. O negócio é muito mais sério do que você está colocando.

    • Ricardo Postado em 13/Jun/2016 às 18:38

      Quanto a ele, não sei, mas eu já fui assaltado à mão armada e isso não influencia em nada minha linha de pensamento. Como sujeito crítico, estou sujeito à alteração de posição, mas até agora não encontrei nenhuma fundamentação que me convencesse do contrário (aliás, que me retornasse ao posicionamento anterior, porque quando mais jovem comungava dessa ideia de que o crime é o resultado de uma escolha exclusivamente individual). Basta conversar com psicólogos que eles vão te explicar que o sujeito não se constroi isoladamente, a partir do nada, mas se controi em suas relações com o outro, em sociedade ou comunidade. Nós somos muito menos livres que pensamos - basta ver o exemplo das propagandas: se vc fosse realmente livre, seria infenso à ação propagandística; em segundo lugar, se as escolhas fossem apenas racionais, as propagandas seriam apenas informativas, e não apelativas (basta ver as propagandas de carros, onde o que menos tem é informação). Se as propagandas fossem inofensivas, significaria dizer que os administradores das grandes companhias são imbecis, porque desviariam para ações de marketing verdadeiras fortunas que poderiam servir para financiar o seu próprio produto. E isso é só um exemplo. O ser humano é muito mais do que pensa e muito menos livre do que imagina. Enquanto ignoramos isso, não passamos de joguetes nas mãos de poderosos. Voltando ao caso do menino, ele é resultado de seu meio violento; se vc realmente se importa com a violência, deveria se importar com a alteração desse meio do qual surgiu o menino - e de onde surgirão muitos outros, se nada continuar a ser feito.

  6. Ricardo Postado em 13/Jun/2016 às 18:24

    Não te causa espanto uma criança de 10 anos portar arma, invadir uma propriedade privada e furtar automóvel?! A mim, como não quero viver numa sociedade com esse nível de violência, interessa saber como esse sujeito se desenvolveu. A mim interessa muito mais interromper esse ciclo de violência. A quem nada disso interessa e se satisfaz com a morte desse sujeito depois que ele foi construído, só tenho uma coisa a dizer: não passa de um sádico.

  7. Ricardo Postado em 13/Jun/2016 às 18:39

    Sentar no colo do pedófilo "porque merece"?! Depois não existe a cultura do estupro...

  8. Eduardo Ribeiro Postado em 14/Jun/2016 às 11:32

    Foi tarde???? Tinha que ter sido executado antes, é isso? Com quantos anos seria bacana pra você, Abujamra, executar uma criança? Se com 10 anos ele "já foi tarde"...vou concluir que Abujamra gostaria de ver a execução de uma criança de 4 anos. Tá bom 4 anos, civilizado Abujamra? Execução de um futuro assassino de 4 anos, é isso aí. De preferência em praça pública, para os homens de bem e para a família quatrocentona morumbiana assistirem e se regozijarem, num grande orgasmo coletivo da família brasileira.