Redação Pragmatismo
Compartilhar
Juristas 10/Jun/2016 às 15:03
2
Comentários

Juiz orienta onda de processos contra jornalistas, revela áudio

Áudio vazado revela juiz expondo estratégias para iniciar onda de processos contra jornalistas que divulgaram supersalários dos magistrados do Paraná. Confira a gravação do presidente da Associação dos Magistrados do Paraná, Frederico Mendes Junior

Frederico Mendes Junior Juiz supersalário
(Imagem: O juiz Frederico Mendes Junior)

BuzzFeed

Em fevereiro deste ano, o jornal “Gazeta do Povo” publicou uma série de reportagens afirmando que alguns juízes do Paraná haviam recebido “supersalários” e teve uma imensa repercussão.

Segundo o jornal, o limite de salário bruto de um magistrado da Justiça estadual era de R$ 30.471,10 por mês – ou R$ 411,3 mil por ano (incluindo férias e 13º). Mas, em 2015, eles receberam, em média, R$ 527,5 mil (28% acima do teto).

A reportagem também mostrou que cada membro do Ministério Público do Estado do Paraná recebeu, em média, R$ 507 mil (23% a mais). Leia a reportagem aqui.

Os autores da série de reportagens são: Chico Marés, Euclides Lucas Garcia, Rogerio Waldrigues Galindo, Evandro Balmant e Guilherme Storck.

A série de reportagens enfureceu muitos juízes e houve a uma onda de processos em diversas cidades. Já são 37 processos que pedem R$ 1,3 milhão. O conteúdo das ações é, muitas vezes, idêntico. Os repórteres se dizem alvo de uma campanha de perseguição.

O BuzzFeed Brasil obteve um áudio de WhatsApp em que um juiz orienta os demais a processarem os jornalistas. A voz é do presidente da Associação dos Magistrados do Paraná, Frederico Mendes Junior, que afirma que já tem pronto um modelo de petição para que cada juiz entre “individualmente” com ação judicial contra os cinco jornalistas.

Ouça abaixo trecho em que ele cita a preparação do modelo para que cada um entre com a ação individualmente:

As coincidências não param aí. Das 37 ações, 36 foram apresentadas em juizado especial, o que obriga os cinco jornalistas a se deslocarem para cada audiência. Para se defender, os jornalistas já viajaram de carro 6.200 km pelo interior do Paraná – o que equivale a duas vezes a distância, em linha reta, de Porto Alegre a Manaus.

E valores idênticos: das 37 ações até agora, 35 pedem indenização de R$ 35.200,00 – o valor máximo que pode ser pedido em um juizado especial. No total até agora, foram pedidos R$ 1,34 milhão.

Por meio da assessoria de imprensa, o presidente da Amapar, Frederico Mendes Junior, negou que tenha incentivado os juízes a ingressar com ações individuais com o objetivo de perseguir os repórteres.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Sergio Carneiro Postado em 11/Jun/2016 às 03:23

    É muito mimimi. Políticos, empresários, pedreiros, juízes, o Estado, militares e até jornalistas podem ser processados. Se o processo tem fundamento legal, então processe-se.

  2. Ricardo Postado em 13/Jun/2016 às 18:20

    Sérgio, o problema não é esse. Que processo é instrumento, qualquer parvo sabe; o que se critica é a instrumentalização do processo para fins outros - ou seja, nada menos do que a CORRUPÇÃO do instrumento do processo e... ah! deixa pra lá, brasileiro não entende esse tipo de coisa.