Redação Pragmatismo
Compartilhar
Educação 19/May/2016 às 23:04
7
Comentários

Novo ministro da Educação sinaliza privatização do ensino superior

Novo ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE) defende cobrança de mensalidade em universidade pública

Mendonça Filho (DEM-PE) educação
Mendonça Filho (DEM-PE) é o novo ministro da Educação

O novo ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), apoiará a cobrança de mensalidades em cursos de extensão e de pós-graduação em universidades públicas caso as instituições assim desejem.

“Embora não seja prioritária no momento, esta é uma discussão que deve ser feita com os reitores e representantes das universidades”, afirmou ao blog do Fernando Rodrigues.

Deputado federal licenciado, Mendonça votou a favor da Proposta de Emenda à Constituição 395/2014. Aprovada em primeiro turno pelo plenário da Câmara em outubro, o texto prevê que instituições poderão cobrar pelos cursos de extensão e de pós-graduação lato sensu.

De acordo com a PEC, o ensino público superior de graduação e de pós-graduação acadêmica continua gratuito, além de programas de residência (em saúde) e de formação de profissionais na área de ensino.

Em qualquer situação, contudo, caberá à universidade decidir se quer cobrar pelo serviço ou não. A PEC precisa ser votada em 2º turno pelo plenário da Câmara antes de seguir para o Senado.

Mendonça nomeou Maria Helena Guimarães para a secretaria executiva do Ministério da Educação e Maria Inês Fini para presidência do Inep. Ambas estiveram no MEC no governo Fernando Henrique Cardoso e atuaram nos governos tucanos de São Paulo.

Agência Estado e Brasilpost

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Eduardo Postado em 20/May/2016 às 00:57

    DEM.....demônio..... querem que o Brasil volte aos tempos de miséria, e privilégios..... DEUS não deixará....o que esse demoniaco deputado vai conseguir é infernizar a vida de milhares de jovens....e será isto que o STF tá esperando para julgar improcedente as acusações contra Dilma, essa turma vai bagunçar o país de tal forma que vai acabar jogando o fundo do poço no fundo do abismo.....com nós dentro.

  2. Deisi Postado em 20/May/2016 às 08:19

    O governo golpista odeia pobre, ele não quer que "pobres explodam", quer mesmo que morram. O mais importante é tirar todas oportunidades, conquistas, e inclusão social. Pobre longe das universidades, longe dos aeroportos, longe dos restaurantes, etc.

  3. Phelipe Postado em 20/May/2016 às 08:53

    Fim da educação pública, fim do SUS, FIM FIM FIM...... só teremos isso daqui p frente.....os amarelinhos amestrados da rede golpe de televisão aplaudem....

  4. Phelipe Postado em 20/May/2016 às 08:54

    Continuem nas ruas com as blusas amarelas da CBF ( EXEMPLO DE ÉTICA E HONESTIDADE)......

  5. sandro Postado em 20/May/2016 às 10:43

    Vamos nos acostumando,a meta é extinguir tudo que é público.

  6. Eduardo Ribeiro Postado em 20/May/2016 às 10:46

    Vocês se prendem a coisas pequenas. Que que tem, privatizar o ensino superior? O importante é que o Presidente Zero Votos usa mesóclise, e a mulher dele é uma deusa loira. Sem falar que as panelas estão em silêncio. Então tá tudo bem, o Brasil tá bem encaminhado.

  7. Rodrigo Postado em 23/May/2016 às 09:59

    (Outro Rodrigo) Muitas faculdades públicas cobravam por cursos de pós-graduação lato sensu, mas pararam após ações judiciais, muitas delas iniciadas pelo Ministério Público; eram públicas e continuaram a ser públicas, sem qualquer processo de privatização. Agora a proposta do Ministro é que haja uma alteração na redação da Constituição, a fim de que tal cobrança tenha fundamento. Isso é uma coisa e privatizar é outra coisa - significaria em passar a instituição de ensino à iniciativa privada e, no caso, ela permanecerá na estrutura do Poder Público, não havendo qualquer razão para o uso de um termo que não define a situação.