Redação Pragmatismo
Compartilhar
Impeachment 18/Apr/2016 às 16:02
11
Comentários

Os discursos mais corajosos na votação do impeachment

Era preciso coragem para encarar uma espécie de corredor polonês formado pela tropa de choque de Eduardo Cunha no caminho até o único microfone disponível na votação do impeachment. Votar 'sim' significava sair dali saudado, abraçado, aplaudido. Votantes do 'não' enfrentavam xingamentos, provocações e vaias. A seguir, confira alguns dos discursos mais corajosos (que desafiaram, inclusive, o presidente da Câmara)

discursos impeachment votos deputados cunha

A Câmara dos Deputados realizou neste domingo (17) a votação sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O placar final, após seis horas de votação, ficou em 367 a favor do impedimento de Dilma e 137 contra. Além desses, sete deputados se abstiveram e dois faltaram.

Durante a votação, deputados que compõem a tropa de choque de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) fizeram uma espécie de corredor polonês até a chegada do microfone. Fazia parte da estratégia de pressão para reverter votos de inseguros e indecisos.

Horas antes, parlamentares exigiam dois ou mais microfones disponíveis para externar suas falas, a exemplo do que ocorreu na votação do impeachment de Collor, em 1992. O pedido foi frontalmente negado por Eduardo Cunha.

Ontem, domingo, no ambiente hostil que se formou na Câmara e, sobretudo, nos arredores do único microfone, votar ‘sim’ significava ser aclamado, abraçado, aplaudido e receber sorrisos. Por outro lado, votantes do ‘não’ enfrentavam xingamentos, provocações e vaias.

VEJA TAMBÉM: Deputada que votou ‘sim’ pelo impeachment amanhece com a PF em sua casa

Mesmo diante de um cenário adverso e até quando já se sabia da irreversibilidade do resultado, alguns parlamentares se destacaram por rejeitar o que lhes seria mais confortável e proferiram discursos de coragem e de enfrentamento. Confira abaixo:

Glauber Braga

Ivan Valente

Aliel Machado

Professora Marcivania

Chico Alencar

Jandira Feghali

Margarida Salomão

Wadih Damous

Henrique Fontana

Moema Gramacho

Jean Wyllys

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Grace Diniz Postado em 18/Apr/2016 às 16:21

    Ouvir um monte de idiotices dos deputados eleitos pelo povo (quem são essas pessoas?), que são responsáveis pela elaboração e aprovação de leis. Rasgaram e pisotearam a Constituição. Que vergonha! É inacreditável!

  2. Alex Postado em 18/Apr/2016 às 16:26

    Cadê o do Jean aí? "Canalhas!!"

  3. Alexandre Postado em 18/Apr/2016 às 16:28

    esqueceram do Reginaldo Lopes ... https://www.facebook.com/ReginaldoLopesOficial/videos/1118617421492595/

  4. Júlio Postado em 18/Apr/2016 às 16:33

    Não seria a hora de TODOS os deputados do PSOL, PCdoB e PT criticarem o verdadeiro golpista (globo) enquanto anunciavam seu voto?????????? Eu jurava que eles iriam aproveitar a oportunidade já que a globo transmitiu ao vivo a votação.

  5. Camila Postado em 18/Apr/2016 às 16:35

    Faltou o do Molon

  6. Thales Gomes Postado em 18/Apr/2016 às 17:22

    Cadê o voto do Jean?

  7. gustavo0 Postado em 18/Apr/2016 às 17:53

    Deputado Glauber Braga deu na veia, como foi linda sua primeira sentença, eloquente e sucinta.

  8. Sérgio Postado em 19/Apr/2016 às 02:21

    O melhor discurso foi este, uma pena que o maridão foi preso no dia seguinte: https://www.youtube.com/watch?v=XJhWw5p6eag

  9. Thiago Teixeira Postado em 19/Apr/2016 às 09:46

    Lindo os discursos, mas não adiantaram coisa alguma. O governo federal não podia deixar o impeachment ser votado nesta casa infestada pela elite conservadora, reacionária e retrograda do Brasil. A cada deputado que ia ao microfone eu pensava: "Cadê a periferia? Cadê um representante dos LGBT? Cadê o representante do MST? Sem teto? Mulheres? Trabalhadores braçais? Negros? Índios? Quilombolas? Caminhoneiros? Domésticas? Vendedores? Funcionários Públicos? Professores? Claro, tinha um de cada, mas não é suficiente, esse congresso não representa o povo brasileiro, representa os coxinhas, mas fazer o que se o povo "bovino" vota num candidato branco, homem, alto, cheiroso, cristão, elegante, que compra bola de futebol para os filhos ou ajuda na compra das passagens da família para votar na cidade de origem? Deu nisso.

  10. Flavia Postado em 19/Apr/2016 às 12:33

    Faltou o de Alice Portugal! Ela chamou Cunha de fascista e tudo

  11. sandro Postado em 19/Apr/2016 às 14:59

    Chico Alencar,nem contra nem a favor,tínhamos que sair as ruas por uma reforma política.