Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 26/Apr/2016 às 15:42
28
Comentários

José de Abreu comenta confusão após ser xingado em restaurante

José de Abreu e sua esposa foram xingados enquanto jantavam São Paulo. Ator reagiu com cusparada e lamentou o fato de pessoas com visões políticas divergentes não poderem “conviver pacificamente neste país”

josé de abreu faustão

José de Abreu se envolveu em uma confusão enquanto jantava com a esposa em São Paulo na última sexta-feira (22). O ator, recém-chegado do Japão, esteve na capital paulista para participar do “Domingão do Faustão”. Chamados de ladrões e outros xingamentos, o ator afirma que a esposa percebeu a agressão antes, mas não se pronunciou para evitar confusão.

“O casal estava sentado ao nosso lado e a minha mulher começou a perceber que o homem começou a xingar a gente. Ele falava que o nosso dinheiro era de roubo, de Lei Rounet, nos xingava de safados. Minha mulher, percebendo que eu ainda não tinha ouvido, tentou evitar que eu escutasse. O cara ao lado começou a me chamar de ladrão e a chamar minha mulher de vagabunda. Foi natural: fiquei com a cabeça quente. Quem não ficaria?”, questionou.

“Durante meia hora ofenderam minha esposa e ela não me disse nada. Na hora de ir embora ele se levantou e começou a discursar. Cuspi na cara! A mulher falou Rouanet e levou outra cusparada […] Covardes devem ser tratados assim. Talvez eles esperassem a cumplicidade dos frequentadores [do restaurante]”, afirmou.

“As pessoas estão loucas. Nunca me aconteceu isso, todo mundo no restaurante me defendeu, me levaram para fora porque fiquei muito nervoso. É f… Como ele chama um cara de 70 anos de ‘ladrão’ e minha mulher de ‘vagabunda’? Eu sou um cidadão brasileiro, pagador de impostos, trabalho desde os 14 anos, meu único rendimento é a Globo. Fiz uma lei Rouanet no meu nome na minha vida. Poderia fazer quantas quisesse, mas não faço, vivo da Globo. É um absurdo isso”, disse.

O ator revelou ainda que a postura diante dos ataques foi uma homenagem ao deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), que cuspiu na direção do parlamentar Jair Bolsonaro (PSC-RJ) durante a votação do impeachment na Câmara Federal.

“O casal estava sentado ao nosso lado e a minha mulher começou a perceber que o homem começou a xingar a gente. Ele falava que o nosso dinheiro era de roubo, de Lei Rounet, nos xingava de safados. Minha mulher, percebendo que eu ainda não tinha ouvido, tentou evitar que eu escutasse. O cara ao lado começou a me chamar de ladrão e a chamar minha mulher de vagabunda. Foi natural: fiquei com a cabeça quente. Quem não ficaria?”

Por fim, o ator lamenta que pessoas de posições políticas divergentes não possam conviver de maneira civilizada. “A única coisa que me veio à cabeça é porque não podemos conviver pacificamente neste país”.

“Eu até então estava tentando dizer pra ele que a gente poderia viver em paz mesmo pensando diferente. Mas quando ele disse ‘tua mulher é vagabunda’ eu não aguentei. Minha primeira reação foi virar a mesa, mas eu me segurei. Só que a mulher dele ficava o tempo todo me chamando de ladrão. Mas quando ela me chamou de filho da p* e minha mulher de vagabunda eu não me contive. Uma mulher que chama a outra de vagabunda só por ela ser mulher não merece ser mulher”, finalizou.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Tags

Recomendados para você

Comentários

  1. gustavo0 Postado em 26/Apr/2016 às 17:44

    Ao ser importunado no restaurante, Zé de Abreu conduziu a situação ao pior dos caminhos, que é o da violência, o da agressão. Portou-se como um covarde. Não se cospe no rosto de uma mulher, não se cospe no rosto de um homem. É asqueroso, é repugnante.

    • Thiago Teixeira Postado em 26/Apr/2016 às 19:04

      A única linguagem que fascista conhece é a agressão, violência, é só isso que resta a esse tipo de lixo. Asqueroso é alguém chamar a mulher da gente de vagabunda, ou isso não vem ao caso?

      • gustavo0 Postado em 26/Apr/2016 às 20:13

        Sei que é péssimo ser xingado e hostilizado, principalmente de maneira injustificável como no caso de Zé de Abreu, por suas posições politicas e ideológicas. Tenho empatia, imagino que ver sua mulher, sua companheira, ser agredida verbalmente tenha lhe causado sofrimento, porém não consigo dar razão ao ator, e a maneira como expressou sua revolta. Ao cuspir, ele elevou o embate a outro nível, abriu margem a uma escalada de violência, pôs-se em risco, juntamente com sua própria mulher. Zé de Abreu é figura pública, querendo ou não, ocupa um papel importante e de grande responsabilidade, é espelho de muita gente.

      • Jonas Schlesinger Postado em 27/Apr/2016 às 23:29

        Gustavo, acredito no seu bom senso. Mas o que um senhor de 70 anos, chamado de ladrão e a esposa de vagabunda, o que ele iria fazer? Dar um soco na cara? Eu tenho 24 e com certeza um soco meu causa estrago, pois sou jovem, mas um idoso? Eu repudio essa ação de cuspir, mas me diga o que você faria se a sua mulher ou sua mãe fosse chamada de puta, vagabunda, rapariga no meio do público? PS: eu quebraria os dentes do cara ou você acha que nós homens não temos limites?

      • gustavo0 Postado em 28/Apr/2016 às 10:13

        Jonas, não sei qual seria a minha reação. A princípio, não faria o mesmo, mas ressalto que é impossível prever com exatidão a reação humana em determinadas situações, como num assalto por exemplo, onde eu sempre fui orientado a não reagir e pretendo nunca reagir, porém não posso afirmar com certeza que não irei reagir porque as circunstancias tornam a previsibilidade impossível. Existe nesse caso mais um fator importante, Zé de Abreu, e o casal, possivelmente estariam sobre o efeito de certa dose de álcool, oque não abona o comportamento de nenhuma das partes, embriagues não é circunstancia atenuante.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 26/Apr/2016 às 22:50

      Sem paz e sem diálogo com fascistas. Cuspiu pouco.

    • Vinicius Postado em 27/Apr/2016 às 00:14

      Zé de Abreu errou, porém caluniar e agredir a honra de alguém por causa de suas ideologias também é asqueroso e repugnante. *Outro Vinicius

    • henrique Postado em 27/Apr/2016 às 09:10

      Levar em consideração quem começou a ofender o ator e a esposa? Eu não acho certo cuspir em outros, mas mias asqueroso é você invadir o espaço do outro com ofensas a ele e a esposa. isso é coisa de fascista, de quem se acha melhor e com mais direitos que outro, a ponto de querer ofender e sair impune.

  2. Thiago Teixeira Postado em 26/Apr/2016 às 19:02

    Então o que fazer quando chamarem a nossa esposa de vagabunda? Colocar a mão no peio e cantar o Hino Nacional?

    • eu daqui Postado em 27/Apr/2016 às 14:00

      Mas tentar amordaçar a divergencia com xingamento foi iniciativa nazipetista. Xingamento do outro lado tem vindo como reação.

  3. André Nelson Postado em 26/Apr/2016 às 19:45

    Gente covarde é essa que se aproveita do ambiente para ofender os outros. Valentões de cerca. Sou contra qualquer tipo de violência mas, uma cuspida é uma boa resposta, já que esses não sabem conviver com os que diferem.

  4. pedro Postado em 26/Apr/2016 às 20:55

    Pereira,Pereira,cuidado com as palavras meu caro, 3 coisas não tem mais volta, a flecha lançada, a agua passada e palavra proferida, pelo menos os petistas conhecem o caminho do banheiro, os peemedebistas , peesedebistas e democratas so conhecem o caminho do chiqueiro.

  5. Guilhermo Postado em 26/Apr/2016 às 21:27

    Decidi começar a cuspir nas pessoas quando me sentir contrariado. Vou aproveitar que estou resfriado e puxar aquele catarro lindo do fundo da alma e disparar em direção ao primeiro desavisado que atravessar meu caminho. Já que virou moda, vamos aderi-la. kkkk

    • Vinicius Postado em 27/Apr/2016 às 00:12

      Contrariado? Concordo que Zé errou, porém ele e sua esposa foram AGREDIDOS verbalmente e não contrariados. *Outro Vinicius

  6. sandro Postado em 26/Apr/2016 às 21:28

    O coxinha é tão bundão que provocou,ficou esperando outro FASCISTA tomar as dores,como ninguém o apoiou,continuou sentadinho com medinho,depois deu chilique.Merecido a cuspida,os FASCISTAS vão pensar duas vezes antes de querer oprimir petistas em locais público.(FASCISTAS sim,pois pra eles todos petistas são comunistas)esses FASCISTAS são uns comédias,chamar um senhor de 70 anos de covarde por cuspir em uma mulher que o acusa por varias vezes de ladrão(sou contra a cuspida na mulher,o cara merecia porrada)mas chama a nossa presidenta,de todos os palavrões possíveis,todos os dias.

  7. sandro Postado em 27/Apr/2016 às 07:50

    Policial que acha que todo petista é comunista,sim esse policial é FASCISTA,que eu saiba quem é a favor de linchamento é a heroína dos coxinhas a tal sheherazade.

  8. João Paulo Postado em 27/Apr/2016 às 08:59

    Se tivesse socado e quebrado os dentes do "casal feliz", ainda seria pouco.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 27/Apr/2016 às 12:05

      Correto. Um ou dois dentes branquinhos do opressor fascista voando pelo salão do restaurante seria apenas um bom começo. Deixar o cara mancando uns 2 meses, andando torto relembrando o ocorrido a cada passo que desse, seria o mais indicado. O ideal seria uma ou duas fraturas. Coisa pontual e civilizada, nada extremamente violento ou que envolva muito sangue, em respeito não ao fascista opressor, mas ao ambiente familiar do restaurante. Coisa pequena e moralizadora. Infelizmente é um senhor de seus 70 anos, então nem rola. Assim, a catarrada na face prejudicada dos fascistas ficou de bom tamanho. Podia ter cuspido mais, mas foi ok.

      • eu daqui Postado em 27/Apr/2016 às 14:04

        Claro. E depois o outro lado é que é facista e torturador.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 27/Apr/2016 às 16:00

        Exatamente. É o outro lado que é fascista e torturador (apesar de não ter tortura envolvida aqui). Do lado de cá existe apenas a reação. Com FASCISTAS opressores, sem diálogo.

  9. felipe Postado em 27/Apr/2016 às 09:15

    Quando se agride uma mulher o povo aqui cai matando, a não ser que o agressor seja um cara que defenda o PT aí ele esta certo, quando o povo faz justiça com as próprias mãos os moralistas da esquerda dizem que é a justiça que deve julgar mas quando um cidadão que defende o PT o faz ele acha bonito e sente orgulho, quanta hipocrisia não?? Esses dias aconteceu um caso do senhor que apanhou de um cidadão que passava na rua xingando a Dilma e que ele resolveu tomar as dores, xingou o cara e apanhou, estes mesmo que defendem Jose de Abreu condenaram o cara por bater num velhinho mas defendem Jose de Abreu por querer ser uma Lhama brasileira e cuspir em uma mulher que no vídeo permanece sentada em seu lugar, fora que no vídeo mostra uma história meio diferente da contada em rede nacional, mas o que se tira de todas estas situações é que a esquerda sabe julgar como ninguém, mas quando comete ou vive as mesmas situações que critica, acha justificável, e inclusive sente orgulho de fazer exatamente o que critica os outros de fazerem.

    • Vinicius Postado em 27/Apr/2016 às 10:51

      OK, você está "sertíssimo"! *Outro Vinicius

  10. Joao Postado em 27/Apr/2016 às 11:14

    KKKK , o hipócrita do Naro continua ........

  11. Line Postado em 27/Apr/2016 às 11:57

    Quanto ao 'casal' em questão, o cara é casado e essa mulher era a amante dele. Família tradicional e conservadora sem uma amante de brinde não é família tradicional e conservadora. Normal.

  12. eu daqui Postado em 27/Apr/2016 às 14:03

    Naro, o ator foi bem xingado e o outro lado foi bem cuspido. Deixa eles se merecerem.

  13. Anne Postado em 27/Apr/2016 às 15:44

    Realmente, várias pessoas espancarem uma só e, logo após, amarrarem-na num poste é a mesmíssima coisa de cuspir no outro após ser chamado de filho da puta, ladrão e ter sua esposa chamada de vagabunda gratuitamente num ambiente cheio de testemunhas. Depois, quando você tiver tempo, por favor nos dê uma aula sobre o tal do "repensar conceitos", citando a Carta Magna, de preferência.

  14. gustavo0 Postado em 28/Apr/2016 às 10:22

    Contexto aqui a falta de coerência de alguns comentadores. Porque a reação violenta de um cidadão ao ataque violento de um criminoso, em uma tentativa de assalto por exemplo, não é aceita e compreendida como algo legítimo, como a cusparada de Zé de Abreu? Reação agressiva contra a violência em defesa da própria honra de convicções políticas é aceitável, porém, reagir em proteção á própria vida e ao patrimônio não? Digo isso porque grande parte dos comentadores que saem hoje em defesa de Zé de Abreu e de sua cusparada, legitimando uma escalada de violência, foram e são absolutamente contra qualquer tipo de reação violenta em casos de tentativa de crimes contra a vida e ao patrimônio.

  15. gustavo0 Postado em 28/Apr/2016 às 13:39

    *Contesto...