Wallison Ulisses Silva dos Santos
Compartilhar
Economia 25/Feb/2016 às 15:11
10
Comentários

A mídia tradicional e a crise econômica Brasileira

economia crise mídia desonesta brasileira

Wallison Ulisses Silva dos Santos*, Pragmatismo Político

A crise econômica atual não é uma exclusividade da economia brasileira. Em 2008 a crise iniciou-se pelo setor imobiliário dos Estados Unidos, em poucos dias já havia atingido quase todos os países desenvolvidos, principalmente os integrantes da zona do euro. Neste mesmo período o Brasil apresentava indicadores socioeconômicos excelentes e que eram invejados pelos países Europeus e Norte-Americanos.

Muitos indicadores do Brasil entre os anos de 2008 e 2014 foram os melhores registrados na sua história ou pelo menos os melhores em décadas. Tomemos como exemplo a taxa Selic que em 2013 era de 7,12%, o menor valor registrado na série histórica do Banco Central. A inflação oscilou entre 4,31% e 6,50% que são valores altamente desejados para uma economia. A taxa de desemprego em 2014 foi de 4,8%, a menor registrada.

Estes são apenas alguns indicadores que mostram que enquanto os Estados Unidos e a Europa estavam assistindo a piora das suas economias e das condições sociais, o Brasil estava caminhando como se não houvesse crise mundial. A anomalia nesta história está exatamente na grande mídia destes países envolvidos em relação com o comportamento da grande mídia brasileira. Na Europa e nos Estados Unidos a mídia divulgava a crise, mas não alarmava e não buscava gerar pânico desenfreado na população. Em nosso país a imprensa anunciava que estávamos em uma crise econômica no ano de 2014, ano em que apresentávamos a menor taxa de desemprego, uma baixa taxa de juros e um PIB positivo (embora quase nulo).

Muitos podem questionar o que a imprensa tem a ver com a crise, que em 2015 realmente tornou-se verdadeira. A economia capitalista está intimamente ligada com a psicologia e as expectativas geradas. O economista Jonh M. Keynes já afirmava no século XX que as expectativas geradas em uma economia fazem os consumidores aumentarem ou diminuírem o seu consumo, sendo que o mesmo ocorre com os investimentos das empresas. Quando um político, grande empresário ou uma agência de risco fazem uma análise ou pronunciamento sobre um país esta consegue sair do plano abstrato e atingir a economia de bens e serviços.

Neste sentido a grande imprensa atuou de forma a gerar expectativas negativas desde 2008 quando os indicadores mostravam que era irracional falar de crise. Todavia as notícias “apocalípticas” produzidas todos os dias causaram pânicos nas famílias e nas micro e pequenas empresas que passaram a contrair seus consumos e adiar investimentos. A grande imprensa não noticiava uma crise econômica, mas fazia uma intensa propaganda para gerar uma crise que ela mesma desejava que viesse a existir.

*Wallison Ulisses Silva dos Santos é economista e mestre em economia pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), professor de economia no Instituto Cuiabano de Educação (ICE) e colaborou para Pragmatismo Político

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. irineu Postado em 25/Feb/2016 às 20:11

    vc ai em cima apenas repete o que a midia fala... economista fake... vai toma um activista! vai facilitar a ligação entre seu intestino e a sua boca

  2. Felipe Postado em 25/Feb/2016 às 21:31

    Parece piada de mau gosto mas não é, tem gente ainda nos dias de hoje que acha que essa crise não é culpa da má gestão petista, lamentável.

  3. Trajano Postado em 26/Feb/2016 às 00:23

    Existem centenas de políticos no legislativo de diversos partidos em que o PT não é maioria. A oposição durante todo o ano de 2015 insistiu em “pautas bomba”, em articulações infinitas para retirar a Dilma, tramoias para votações e, recentemente, um judiciário inteirinho e escancarado para investigar... O Lula!!! Judiciário faz política agora? E os outros políticos, empresários, corporações? Todos os outros partidos são santos e por isso não devem ser investigados?! Cruzes! É contra a corrupção ou contra a corrupção daquele lado? A situação política no Brasil está uma merda e somente uma pessoa que acha que ainda estamos no tempo do Império irá atribuir todo o “mau-como-o-pica-pau” na figura da chefe do executivo, esta, por sinal, uma estadista péssima. O problema não é atribuir culpa ao PT, partido frouxo, o problema é atribuir culpa exclusiva ao PT, isso, sim, igualmente indefensável e que privilegia políticos e empresários da pior espécie. Da mesma forma, é indefensável que uma mídia atribua a crise apenas ao cenário político nacional, como se os bilhões de sonegação fiscal no Brasil em que até uma grande corporação midiática anda enrolada não tivesse importância; como se a crise internacional do Petróleo vendido a preço de banana e a queda das ações da bolsa chinesa que cutucam o dólar para chegar às alturas não fosse assunto digno de relevância. Oras! A verdade é que até o ano passado o brasileiro médio que se alimenta de notícias dos produtos das famílias Marinho, Civita e Frias dificilmente saberia da existência de algum tipo de crise internacional que afeta o Brasil! O que me surpreende é que em pleno 2016, de tudo que já rolou de merda nestes últimos anos, de toda a tecnologia que permite a obtenção de múltiplas fontes de informação na internet, pessoas que não são militantes de partido algum ainda banquem estas corporações midiáticas através de audiência. Aff! E daí ser eventualmente ou sempre contra, a favor ou indiferente ao PT? Nada mais justo, democracia está aí pra isso, faça como quiser como cidadão que respeita a Constituição, mas ignorar que as mídias são tendenciosas e agem como verdadeiros partidos políticos que influenciam sucessivos governos, ah... Aí, meu filho, vai ver Big Brother e não enche o saco.

  4. Rogerio Postado em 26/Feb/2016 às 03:58

    Vc não está na pele da Dilma. Não sabe a responsabilidade que ela tem e o esforço que ela faz. A expressão "apesar da crise" é cômica. A situação oscilou pra baixo. Todo final de ano novos profissionais se formam na faculdade e vão procurar emprego. São novos desempregados todo começo de ano. Deve-se medir o desemprego no meio do ano até outubro pra ter uma idéia correta da gravidade do desemprego. Onde há crise se o Brasil se tornou país emergente? Temos menos 36 milhões de famintos. Temos pobre na faculdade, aeroporto, shopping e comprando carro. Lá em Kripton há crise.

  5. Moacir Postado em 26/Feb/2016 às 11:52

    Desculpe-me Trajano, mas quem continuar a ver o Big Brother vai encher o saco mais ainda. Melhor continuar a responder de saco cheio mesmo! Pode sair até melhor!...

  6. Dedé Postado em 26/Feb/2016 às 16:16

    Parei de ler aqui: "Neste mesmo período o Brasil apresentava indicadores socioeconômicos excelentes e que eram invejados pelos países Europeus e Norte-Americanos." A renda per capta brasileira em paridade do poder de compra nunca chegou a 1/3 dos americanos e da população dos países ricos da Europa. A Grécia, com toda a sua agonizante crise, tem uma renda per capta que é dobro da brasileira. Acho que há muito exagero na crise atual. A situação econômica é difícil, mas já foi muito pior no passado. Hoje o Brasil tem reservas robustas e tem uma dívida líquida administrável. Ao contrário do que a mídia de direita e de esquerda fala, a dívida pública não tem um custo tem elevado para o estado. 1° O maior detentor individual de títulos da dívida pública é o banco central. Boa parte dos juros pagos pelo governo retornam para os cofre públicos. 2° Sobre os juros pagos o governo cobra impostos que variam de 15% a 22,5%. Então quando se diz que o governo pagou 500 bilhões em juros da dívida pública, não se contabiliza que em torno de 100 bilhões retornam para os cofres públicos através de impostos e um outro bom montante vai para conta de lucro do banco central. Há muito alarmismo e muita desinformação de ambos os lados, dos que querem derrubar o governo e dos que querem mantê-lo.

    • Thiago Teixeira Postado em 26/Feb/2016 às 17:57

      Bom são todos os países, o Brasil é uma bosta. Perfeito. Detalhe, a quantos dias está sem comer?

  7. Thiago Teixeira Postado em 26/Feb/2016 às 17:56

    Rodrigo terminou com a mina dele ... culpa de quem???? Da Diiiiiiillllmaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Henrique Postado em 27/Feb/2016 às 10:34

      Thiago chega em casa e vê a mulher dando pra dois amigos, mas não se importa, afinal é tudo invenção da mídia e seus amigos juram que são as pessoas mais confiáveis do mundo

  8. Shuma Postado em 02/Mar/2016 às 10:52

    Ah sim, não temos crise, está todo mundo bem empregado e a mídia que está inventando tudo isso. Ta serto.