Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 15/Jan/2016 às 18:04
26
Comentários

Assassino do índio Vítor, de 2 anos, explica por que cometeu o crime bárbaro

Matheus de Ávila Silveira, 23 anos, confessou em interrogatório oficial ter matado o pequeno Víctor, 2 anos, em Santa Catarina. Assassino diz que crime não teve motivações racistas, mas foi fruto da influência de uma religião

índio Victor assassino Santa Catarina
O pequeno Vítor estava no colo da mãe quando foi degolado por Matheus em Santa Catarina (Pragmatismo Político)

Matheus de Ávila Silveira, de 23 anos, confessou os motivos que o levaram a matar a Vitor Pinto, de 2 anos, no último dia 30 de dezembro em Imbituba (SC), no litoral do Estado. O principal suspeito, que já está preso há 13 dias, confessou que ‘espíritos’ o mandaram assassinar a criança, que não foi escolhida por ser indígena, segundo ele.

“O suspeito disse que a matou porque criança é um ser sensível e a sociedade ficaria mais chocada e seria mais impactante”, afirmou o delegado Raphael Giordani, responsável pelo caso. Para ele, o crime está esclarecido e não teria motivação com preconceito contra índios, mas sim seria fruto da influência de uma religião.

A vítima estava sendo amamentada pela mãe no terminal rodoviário de Imbituba, no último dia 30, quando o suspeito se aproximou e cortou o pescoço da criança com um estilete, fugindo em seguida. Imagens de câmeras teriam captado Silveira deixando o local e roupas iguais às descritas pela família da criança foram encontradas com ele.

Segundo o jornal Diário Catarinense, o homem havia negado o crime em dois interrogatórios anteriores. Mas com os vídeos exibidos para ele, Silveira acabou confessando o assassinato. O delegado do caso disse que o suspeito declarou que os ‘espíritos’ lhe disseram que “anseios profissionais” seriam alcançados e ele conseguiria “se impor perante a sociedade”, caso matasse alguém.

“O suspeito disse que a matou porque criança é um ser sensível e a sociedade ficaria mais chocada e seria mais impactante”, completou o delegado, afirmando também ao G1 que o suspeito teria declarado não estar ‘lúcido’ no momento do crime – ele já teria um histórico de envolvimento com drogas. A mãe da criança e um taxista que passava pelo local reconheceram Silveira como o autor do homicídio.

A Polícia Civil deve pedir a prisão preventiva de Silveira nos próximos dias, para que ele siga atrás das grades. Na delegacia, aliás, ele teria praticado autoflagelação, tentando ingerir espuma de uma cama, o que suscitou a possibilidade de insanidade mental – um laudo poderá ser pedido após o inquérito.

HuffPost Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Fabiano Postado em 15/Jan/2016 às 21:14

    Nossa, pessoa faz de tudo para diminuir a pena mesmo. Engraçado que muitas vezes que há algum tipo de crime que choca e o agressor é preso, logo o taxam de "doente mental".

  2. paulo Postado em 15/Jan/2016 às 21:37

    um doente psiquiátrico q houve vozes é conclusão suficiente pra essa tragédia não acham? não precisa envolver religião nenhuma.

  3. Peterson Postado em 15/Jan/2016 às 23:55

    A questão de sua etnia pode (pode!) não ter sido motivo do crime... Mas explica o impacto muito menor que o caso tem no país.

  4. Thiago Teixeira Postado em 16/Jan/2016 às 07:36

    Preto quando mata é 121, imigrante, vagabundo e pena de morte nele. Playboy? ... deve ser transtorno psiquiátrico ... problemas religiosos ... familiares ... tadinho ...

    • eu daqui Postado em 18/Jan/2016 às 14:21

      Era assim mesmo. Agora já se inverteu.

  5. Alessandro Postado em 16/Jan/2016 às 09:52

    Queria eu estar de frente com esse vagabundo, sem arma alguma só no braço......ia ensinar ele a ser homem de verdade, e não um covarde!!

  6. Alessandro Postado em 16/Jan/2016 às 09:52

    Queria eu estar de frente com esse vagabundo, sem arma alguma só no braço......ia ensinar ele a ser homem de verdade, e não um covarde!!

  7. Fer maia Postado em 16/Jan/2016 às 16:05

    Parei de ler no "não seria preconceito contra índio" .... Existem muitas religiões preconceituosas e racistas... as cristãs são alguns exemplos disso..... Motivação do crime, RACISMO, FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO E DOENÇA MENTAL já que "ouviu espriritos"

    • Leonardo Postado em 17/Jan/2016 às 00:04

      Vc eh burro!

    • Charles Postado em 18/Jan/2016 às 22:04

      O acusado declarou que matou a criança para fazer sacrifício aos espíritos. Não é na religião cristã que os adeptos matam animais e até crianças como oferendas aos espíritos.

  8. Eduardo Postado em 16/Jan/2016 às 18:20

    Não vai dá em nada! Triste!

  9. João Paulo Postado em 16/Jan/2016 às 18:37

    Ninguém comentou ainda que essa figura é vítima e deve ser ressocializada? Graças a Deus!

  10. Maurício de Souza Matos Postado em 17/Jan/2016 às 10:30

    O espirito que encarnou nele é o do "krac", da cocaína, da heroína, da maconha, etc...

    • Thiago Teixeira Postado em 18/Jan/2016 às 10:47

      Espirito de coxinha Bolsonaro 2018 mesmo. Nem drogado no volume 11 se faz uma covardia dessas.

  11. Jonas Schlesinger Postado em 17/Jan/2016 às 23:45

    Muito dessas pessoas que cometem crimes hediondos alegando ouvir vozes têm duas engrenagens de motivação ao ato: 1 para amenizar a culpabilidade diante o delegado, promotor e juiz, dissuadindo a lei que seria aplicada contra ele; ou 2 realmente ele ouviu "vozes". E o que é ouvir essas vozes? Antes de mais nada sou cristão, acredito sim em Deus, acredito na bondade de Deus, Jesus na vida das pessoas e etc. Mas eu tenho certas discordâncias que muitos radicais religiosos tentam nos impor. Esse rapaz ouviu vozes ou pela primeira opção lá de cima, ou pela 2ª opção que ouviu realmente, mas não vozes de espíritos (isso é que os espíritas/ católicos/ evangélicos tentam nos impor pra causar medo nos simplórios), e sim vozes de uma doença chamada ESQUIZOFRENIA. Sim, vozes de espíritos são esquizofrenia, possessões demoníacas são esquizofrenia, ver fantasmas e vultos é esquizofrenia e passar por fenômeno pós-morte é algo da mente das pessoas. Não tem nada de sobrenatural, isso é terreno, mental, social, pessoal. Muitos pastores charlatães enganam milhões de pobres coitados com besteiras tais como inferno, fantasmas, vida após a morte e que a Terra foi criada em sete dias. Aliás, essa da Terra em 7 dias é mais mentirosa que a teoria da terra oca e no mesmo nível que a teoria da terra plana, tamanha a baboseira que picaretas querem nos impor. Como disse, sou cristão e acredito em Deus, pq acredito numa pessoa inteligente que criou o universo, mas acreditar em absurdos fanáticos religiosos? Acreditar em vozes assombradas? Acreditar que tocar a música da Xuxa de trás pra frente ouve o demônio? Ter medo do Diabo, Satanás, capeta, Lúcifer, capiroto, rei do tridente vermelho? Nem a pau. Somos animais racionais, sim, mas a ponto de acreditar em mentiras religiosas e lero-lero desse rapaz que se motivou por motivos religiosos? Acreditem, não existe o sobrenatural, pois ele utópico. Mas os safados querem que seja algo real. Fazer o que com esses urubus?

  12. Eric Guimarães Postado em 18/Jan/2016 às 10:43

    Por qual motivo o Pragmatismo Político não divulgou qual a suposta religião do cidadão? Isso é de suma importância para o caso, já que não se trata de prática de crime por motivação étnica.

  13. eu daqui Postado em 18/Jan/2016 às 11:42

    E ainda deram oportunidade de explicar???????????????

  14. sergio ribeiro Postado em 18/Jan/2016 às 11:57

    Não basta o sujeito alegar que ouviu vozes ou coisa do tipo. Ele tem que passar por exames psiquiátricos rigorosos para ser considerado "doente mental", o que deve ser feito o quanto antes.

    • Thiago Teixeira Postado em 18/Jan/2016 às 13:49

      Vozes do Malafaia, Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo, MBL, Bolsonaro, Trump, Pondé, Alexandre Garcia, Sherazadi, Olavo ...

      • Jonas Schlesinger Postado em 18/Jan/2016 às 17:14

        ... Feliciano...

      • gustavo0 Postado em 18/Jan/2016 às 17:50

        Tu só pode estar brincando. Eu aposto qualquer coisa que o assassino do menino Vitor absolutamente não conhece nenhum destes nomes. Neste caso, nem toda tara e esquizofrenia ideológicas serão capazes de dar suporte a quaisquer associações entre o drama do assassinato e questões políticas e ideológicas.

      • Charles Postado em 18/Jan/2016 às 22:08

        O que tem ideologia política em relação a este caso? Foi um crime cometido por razões religiosas. Qual é a religião em que se sacrifica sangue (vidas) para agradar a espíritos?

      • Charles Postado em 18/Jan/2016 às 22:11

        Por que Pragmatismo Político não citou o NOME DA RELIGIÃO em questão? O acusado declarou que matou a criança como um sacrifício de sangue para espíritos. Se fosse evangélico ou católico dando ênfase à religião, mas neste caso, ignoram?

      • Thiago Teixeira Postado em 19/Jan/2016 às 13:36

        E porque ele escolheu uma índia com uma criança no colo para cometer tal atrocidade? Foi por acaso? Se fosse uma loirinha com uma criança de olhos azuis no colo, ele tacaria gilete na criança? Tem viés ideológico sim senhor, ele escolheu na concepção dele uma pessoa "insignificante" para a sociedade, um "animal", achando que não ia (e nem vai) dar em nada. Esse papo de RELIGIÃO é conversa pra boi dormir, orientação do advogado de defesa.

  15. Ednaldo Costa Postado em 18/Jan/2016 às 18:12

    "Religião" que faz mal a alguém não merece este nome. Como se não bastasse a violência advindas de crimes por razões financeiras, temos que enfrentar esta vulnerabilidade diante de seguidores de seitas satânicas.

  16. Maria Célia Postado em 19/Jan/2016 às 10:40

    Engraçado, a doença mental deste bosta só faz mal aos outros!!!