Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 22/Jan/2016 às 17:07
21
Comentários

Agredir a esposa é 'coisa de casal'?

Agredir a esposa é coisa de casal? Essa foi a justificativa do deputado licenciado Pedro Paulo Carvalho, Secretário de Governo do Município do Rio de Janeiro, após a divulgação de um laudo de exame de corpo delito que comprova que a sua esposa foi usada como saco de pancadas. Documento descreve que mulher foi jogada contra a parede e o chão, teve o pescoço agarrado e tomou socos e chutes

esposa Pedro Paulo agredir
Pedro Paulo dá entrevista ao lado da esposa (reprodução)

A Procuradoria-Geral da República (PGR) está analisando o caso do secretário executivo de Governo da prefeitura do Rio de Janeiro, Pedro Paulo Carvalho. Deputado federal licenciado pelo PMDB, ele é acusado de agredir sua ex-mulher Alexandra Marcondes, de acordo com duas ocorrências registradas por ela, em 2008 e 2010.

O Ministério Público do Rio já enviou para a PGR, em Brasília, os autos do inquérito sobre a briga envolvendo Pedro Paulo e a ex-mulher. Isso foi necessário porque Pedro Paulo é deputado e, portanto, tem foro privilegiado. Desse modo, só pode ser processado pelo Supremo Tribunal Federal a pedido da PGR.

Os investigadores estão com o caso em mãos. O objetivo é ter uma conclusão ainda no início de 2016. Com isso, a PGR solicitará a abertura de inquérito ou arquivamento ao STF. Como envolve a agressão a uma mulher, Pedro Paulo pode ser enquadrado na Lei Maria da Penha, cuja punição é de um a três anos de prisão.

Revelações

A história só veio à tona em 2015 após o lançamento da pré-candidatura de Pedro Paulo à sucessão do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB). Foram reveladas duas ocorrências registradas pela ex-mulher Alexandra Marcondes. Em duas entrevistas coletivas, Pedro Paulo admitiu que bateu na mulher e mostrou não ter a menor dificuldade para justificar seus atos monstruosos.

“Quem é que não tem uma briga dentro de casa? Quem é que não tem um descontrole? Quem é que não exagera numa discussão? Nós somos um casal como qualquer outro. Às vezes exagera, fala coisas que não deve. Agora, não achar que isso possa ser uma coisa normal na nossa vida?”, disse Pedro Paulo.

As declarações foram feitas após a divulgação de um laudo de exame de corpo delito que comprova que Alexandra foi usada como saco de pancadas em 2010. O laudo descreve que Alexandra foi jogada contra a parede e o chão, teve o pescoço agarrado e tomou socos e chutes.

Quando tratou do assunto pela primeira vez, ele chegou a dizer que havia sido “um episódio isolado”. Dias depois, no entanto, foi revelada mais uma agressão, ocorrida em 2008, em São Paulo. Essa segunda agressão também foi registrada por Alexandra à Polícia. Em seguida, Pedro Paulo convocou mais uma entrevista coletiva para se explicar e levou a mulher para apoiá-lo.

Em um boletim de ocorrência há também o registro de que Pedro Paulo ameaçava sumir com a filha do casal, de apenas quatro anos de idade. “Diariamente liga para a declarante (Alexandra) e para a mãe da mesma, dizendo que vai tirar a guarda da criança e que vai sumir com ela”, diz o documento.

Violência contra a mulher

De acordo como Mapa da Violência 2015, 4.762 mulheres foram assassinadas no País em 2013. E 4 em cada 10 dessas mulheres foram assassinadas por companheiros ou ex-companheiros.

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal do Rio de Janeiro já pediu o afastamento de Pedro Paulo.

“Quando se comete um ato de violência contra a mulher, quando se agride uma criança ou quando se comete um crime de ódio, de racismo ou homofóbico, toda a sociedade é atingida. Somos todos vítimas! Nesse contexto, um homem público, um secretário de governo, um deputado federal, ao tratar dessa questão, precisa dar o exemplo. Não pode tratar como uma questão menor. Não pode particularizar o crime praticado. Não assumir sua responsabilidade é prestar um desserviço à democracia brasileira”, diz trecho de nota divulgada pela Comissão.

Eduardo Paes

Até então, Eduardo Paes mantém apoio ao nome de Pedro Paulo para sucedê-lo. Além de amigo, o secretário é seu principal braço direito na prefeitura carioca.

“Chance zero de ele não ser candidato! Pedro Paulo é candidato e vai vencer as eleições”, afirmou o prefeito em entrevista à revista Época no ano passado. “Nunca me importei com a vida pessoal e familiar de ninguém”, concluiu.

com informações da revista Época

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Davi Postado em 22/Jan/2016 às 18:23

    Coitada dessa mulher, ainda passar pela humilhação de ir a entrevista ao lado dele, para apoiá-lo. Minha solidariedade! Que ela e a filha sejam felizes bem longe desse lixo. No mais, PMDB e direita brasileira é isso ai mesmo! Bolsonaro defende estupro, Cunha quer acabar com a orientação e tratamento correto das vítimas de estupro; e a sociedade brasileira como um todo, ignorante e subdesenvolvida, ainda faz campanha contra o feminismo!

  2. Derly Postado em 22/Jan/2016 às 19:00

    Combina bem com um covarde. Acha que todo casal ja se agrediram.

  3. Jane A. Melo Postado em 22/Jan/2016 às 19:04

    Deputado canalha, tem de ser enquadrado na lei Maria da Penha e ter seus direitos políticos cassado, hoje ele é um homem público, portanto tem de ser exemplo do bem. O prefeito tem de ser repudiado por suas declarações desrespeitosa quando diz que os problemas pessoas não podem ser levado junto com o político, Homens Públicos tem de ser exemplo do bem em todos os sentido, mulheres cariocas morte seus valores, já que dos homens Públicos só tem escarnio.

  4. Vida Postado em 22/Jan/2016 às 20:29

    Não vejo como humilhação, Davi. Ela teve toda dignidade para consigo ao ter denunciado o ex-marido. O que quer tenha ocorrido ela decidiu perdoá-lo e agora lhe presta apoio. Que sirva para ele tomar conhecimento da grande companheira que tem (ainda que ex). No mais... fora Cunha, Bozonaro e toda corja corrupta e preconceituosa da política brasileira... vixi, e agora? Espero que sobre algums.

    • Thiago Teixeira Postado em 23/Jan/2016 às 11:06

      Existe bons políticos sim, mas estes não tem o holofote da grande mídia e infelizmente o brasileira não repercute boas ações desses, mas clicam milhões de "joinhas" quando um deputado grita, ameaça, dá tapas nas mãos de uma política do sexo feminino.

  5. Jonas Schlesinger Postado em 22/Jan/2016 às 23:26

    Ainda bem que eu sou um ser superior, sou um ser iluminado, um anjo de luz, sou um santo, praticamente o messias. Nunca que bateria numa mulher. Por isso mesmo quando vejo mulher bonita e uns pilantras batem nelas dá vontade de sentá-lhe o braço no feladaputa que faz isso e levá-las para a minha casa (aos mentes sujas, levá-la para a minha casa para eu cuidar no bom sentido) É por isso que minha namorada ainda tá comigo e eu ainda estou com ela, mesmo ela sendo marxista e tal e eu já não me identifico com a ideologia full esquerda. Porque ela é bonita e eu sou carinhoso.

  6. Sabrina Postado em 22/Jan/2016 às 23:48

    “Nunca me importei com a vida pessoal e familiar de ninguém”, pq isso não reflete no comportamento dele como político, né? Um homem que espanca mulher só pode ser um grande político! ¬¬

  7. Henrique Postado em 23/Jan/2016 às 10:37

    Brigas e desentendimentos sim são coisas de casal, mas agressão física é caso de polícia!

  8. Thiago Teixeira Postado em 23/Jan/2016 às 11:02

    A mulher não pode aceitar o primeiro tapa. Se isso acontecer, ele deve enfrentar o corno sim (digo corno, pois todo o babaca que bate na mulher assina a filiação no clube dos cornos) exigir que isso nunca mais se repita e dependendo dos casos, fazer a denúncia na delegacia. Quando envolve delegacia, geralmente o corno recua, pois o medo de polícia desses covardes é maior do que tudo.

    • enganado Postado em 23/Jan/2016 às 18:17

      Caro Thiago Teixeira. Tô contigo e não abro!

  9. enganado Postado em 23/Jan/2016 às 12:26

    Acho que deveriam castrá-lo.

  10. Marcelo Postado em 23/Jan/2016 às 17:17

    Dizem que ela tirou as queixas. É verdade?

  11. Trajano Postado em 23/Jan/2016 às 23:24

    Pedro Paulo como sucessor de Paes para a próxima eleição municipal começa a ser interessante. Primeiro que pode ser uma derrota histórica de um partido que está há muito tempo no executivo municipal; segundo que se ele ganhar, fica comprovado que carioca não se importa mais com política e políticos, vide o nível altíssimo de abstenções na eleição passada. Minha única preocupação é o partido da Igreja Universal conseguir, enfim, encaixar o Crivella em algum cargo do executivo do Rio: se o PMDB possui agendas políticas voltadas às empreiteiras e outros clãs empresariais, imagina um partido que tem sua agenda política voltada para os interesses imperiais do Bispo Macedo e asseclas. Algo assim: estou pra ver um candidato no Rio interessado verdadeiramente nos cariocas, assim como estou pra ver os cariocas verdadeiramente interessados em algum político. Neste chove e não molha misturado com apatia generalizada, o sucateamento da cidade se amplia, permanecendo apenas um esboço, uma silhueta do que o Rio já foi um dia e apenas uma miragem do que um dia poderá ser.

    • poliana Postado em 25/Jan/2016 às 14:43

      trajano, eu n consigo nem imaginar como seria a agenda de um político evangélico ligado à IURD, sendo chefe do executivo! dá pânico só de pensar...as opções políticas do carioca é igual ao do povo baiano: é votar no menos pior...infelizmente! diante da realidade aí do rio,entre esse senhor do pmdb e o crivela, eu n pensaria duas vezes. com muita dor no coração, mas daria meu voto a esse pedro paulo mesmo. q os evangélicos fiquem longe da chefia do executivo. deus me livre!pânico só de pensar nesse pesadelo!

      • Trajano Postado em 27/Jan/2016 às 09:43

        Olá Poliana! Sim, considero que cariocas e baianos possuem muitas coisas em comum, como tradições socioculturais bem próximas, mas com problemas bem semelhantes também. Jamais abandonaria o meu voto em um primeiro turno. Jamais votei para o PMDB para ocupar qualquer cadeira do executivo carioca, mas é interessante que com o passar dos anos o que era muito ruim, por incrível que pareça, piorou. Quem imaginaria que no Rio viveria uma situação inusitada de uma disputa entre um tal “Pezão”, sucessor de um Cabral desaparecido desde a última campanha eleitoral, e um tal “Crivella” que nem proposta de governo tinha? Se Pedro Paulo representa o poder PARA o poder, Crivella é o poder PELO poder segundo o imperialismo dos barões iurdianos. E toma abstenção e votos nulos cada vez mais assustadoramente elevados.

  12. francisco martins Postado em 24/Jan/2016 às 21:55

    eu discuto, mas nunca agredi minha mulher, seu cabra safado!

  13. Ilton Postado em 26/Jan/2016 às 08:18

    Cara Poliana! Me perdoe, não sou adepto da eleição do Crivela, não votaria nele, primeiro porque não voto no Ro, segundo por não acha-lo capaz de governar a cidade. Mas, daí, votar e elger um criminoso, um cara que infringe a lei, covarde, que não tem escrúpulos em usar a filha de quatro anos para ameaçar a mulher, é dar licença para um bandido respaldar esse time de crime na cidade, é dizer para ele que concordo e aprovo as suas atitudes. Percebo nessa sua atitude uma certa intolerância religiosa, que vai além da razão, a ponto de botar no governo de uma das cidades mais importantes desse país e do mundo, um bandido, covarde, que acha que bater em mulher é coisa de casal. E se ele fosse o seu marido?

    • poliana Postado em 26/Jan/2016 às 14:21

      llton, perceba q eu me referi a uma disputa polarizada, entre o candidato do pmdb e o crivella! somente no caso de a disputa ser entre eles dois...eu n anulo voto..então, assim como fazemos na bahia, o carioca terá q fazer o mesmo: votar no menos pior! e entre votar no candidato evangélico, da iurd, e o candidato do pmdb, sinto muito, votaria no candidato do pmdb!

      • Ilton Postado em 26/Jan/2016 às 23:30

        Ok, Poliana, admiro muito seus comentáros, gosto muito das suas opiniões e idéias. Mas achei que para uma mulher, esse comentário não foi muito bacana. Mas ok, respeito a sua opinião, afinal estamos num espaço e numbpaís ainda democrático!

      • Trajano Postado em 27/Jan/2016 às 10:10

        Ilton, a Poliana apresentou uma questão que você não respondeu e que é muito pertinente sobre a eleição 2014 do Rio. Foram 1.635.179 de votos inválidos (brancos e nulos) e 2.713.771 de abstenções. Se foram 7.786.011 de votos válidos para decidir o pleito, olha como é grave a quantidade de pessoas que não escolheram um candidato ou que simplesmente nem se deram ao trabalho de votar. Ainda que a tendência de voto na capital possa diferir do voto estadual, entre Pedro Paulo e Crivella você votaria em quem? Parece aquelas piadas de filme estadunidense em que você precisa escolher entre duas alternativas absurdas - qualquer escolha passa a ser absurda - e você precisa justificar quase que culpado por sua decisão. É isso: voto de 2º turno no Rio é um voto quase de culpa e quase três milhões de pessoas não seguraram a marimba ou não quiseram participar da piada. Ilton, este é o ponto. Eu jamais votaria no Crivella, ele nunca apresentou nenhuma proposta clara, nada relevante; eu jamais seria irresponsável por dar mais poder a uma instituição religiosa como a Igreja Universal cujo líder dá constantes tapas na cara da sociedade ao revelar todo seu apreço pelo poder e dinheiro, a mesma igreja gananciosa que, por exemplo, chegou aos recentes (e surreais) “gladiadores do altar” ou solicitação aos fiéis durante culto para que não somente consumam sua produção cinematográfica, como também comprem mais ingressos para terceiros. Enfim, não vou ficar até amanhã falando disso, para resumir: jamais votaria no PMDB e jamais votaria no PRB. Fodeu, né? E você, o que você faria, Ilton?

  14. julia Postado em 26/Jan/2016 às 10:19

    "Vale lembrar que só existe o senhor que ordena, que tiraniza e que impõe, porque ele encontra pessoas dispostas a se submeterem, que acatam, e que clamam pela sua autoridade. Não existe a possibilidade de se formar um tirano, se não houver pessoas dispostas a incondicionalmente o obedecerem. Não acatar submissamente a tirania, é automaticamente tirar o poder de comando, e destituir o tirano! É recuperar a liberdade de levantar a cabeça e movimentá-la para o lado que quiser! Em todas as situações de vida..." Sem mais para o momento, continuo observando a humanidade se autodestruindo....