Redação Pragmatismo
Compartilhar
Juristas 03/Dec/2015 às 16:09
10
Comentários

Joaquim Barbosa afirma que “não há condições para o impeachment”

Além de Joaquim Barbosa, juristas como Dalmo Dallari e Celso Antônio Bandeira de Mello comentaram a abertura do processo de impeachment contra Dilma Rousseff

Joaquim Barbosa Dilma impeachment

Revista Fórum

Após Eduardo Cunha (PMDB-RJ) autorizar, na última quarta-feira (2), a abertura de um dos pedidos de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff (PT), lideranças políticas e juristas se manifestaram contrários à medida por meio de depoimentos à imprensa e pronunciamentos nas redes sociais.

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE) escreveu em sua página oficial no Facebook que “não aceitaremos que um chefe de quadrilha processado na justiça por corrupção leve o País à ruptura democrática! NÃO ACEITAREMOS O GOLPE!”. Luciana Genro, ex-candidata à presidência pelo Psol, também foi direta em seu recado: “Impeachment nascido da chantagem de Cunha não terá apoio do PSOL!”, afirmou em sua fanpage.

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, declarou à GloboNews “não ver condições para o impeachment”. “Impeachment é um mecanismo regular do sistema presidencialista, mas é traumático. Pode trazer consequências que não temos condições de avaliar hoje”, analisou.

Deputados da bancada do Psol na Câmara seguiram a mesma linha. Jean Wyllys (RJ) disse que Cunha vem colocando o país em “situação de extrema gravidade institucional”. “O que Eduardo Cunha fez no dia de hoje chama-se chantagem. Diferentemente da Presidenta, ele está sim acusado de gravíssimos crimes. Não por mim, mas pela Procuradoria-Geral da República”, considerou.

“Um bandido com contas na Suíça e um longo histórico de envolvimento em escândalos de corrupção, desde que chegou ao poder junto a PC Farias e Collor de Melo está, há meses, valendo-se da ameaça do impeachment da Presidenta para negociar e chantagear ao mesmo tempo petistas e tucanos, usando o impeachment como moeda de troca com uns e outros para se salvar da perda do próprio mandato no Conselho de Ética da Câmara, no ‘leilão’ mais vergonhoso da história da República.”

Chico Alencar (RJ) classificou a atitude de Cunha como “uma resposta, ao seu estilo de vingança e pequena política”, à decisão de deputados petistas em votar a favor da continuidade do processo que o investiga no Conselho de Ética da Câmara. “Cunha não tem credibilidade, mas ainda usa a prerrogativa de presidente da Câmara, monocrática, imperial, de acolher um pedido de impeachment”, finalizou, em seu Facebook.

O jurista Dalmo Dallari, um dos nomes mais respeitados do meio jurídico brasileiro, em entrevista à BBC, relatou que ficou “surpreso” ao receber a notícia. “De fato não há consistência jurídica. Eu examinei todas as hipóteses, todos os pareceres e argumentos do pedido de impeachment. Estou absolutamente convencido de que não existe nada de consistente neste pedido”, assegurou. “Ele [Cunha] está muito pressionado pelo risco de perda de seu próprio mandato, porque há muitos elementos contra ele. Com este artifício ele vai tentar coagir o PT e outros partidos que apoiam a presidente para que deem apoio a ele.”

Outro jurista de peso, Celso Antônio Bandeira de Mello, concorda com Dallari. “Eu não acredito [na cassação de Dilma]. Seria uma enorme falta de dignidade por parte dos congressistas”, argumentou ao Jornal do Brasil. “É uma palhaçada [a abertura do impeachment]. Pelo que tudo indica, e o que a gente vê na imprensa, a razão foi exclusivamente política, sem nenhum embasamento na lei”.

João Pedro Stédile, líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), prometeu ir às ruas contra a tentativa de deposição de Dilma.“O povo brasileiro elegeu a presidenta e mais 27 de governadores. E todos têm direito de concluírem seus mandatos constitucionais”, alegou.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Peterson Postado em 03/Dec/2015 às 17:31

    Coxinhas entram em curto circuito... Ou não, né? Já devem ter esquecido o Barbosa.

  2. Eduardo Postado em 03/Dec/2015 às 19:07

    Jesus Cristo também foi crucificado sem culpa, num país onde o dinheiro compra tudo.... é uma incognita.

  3. Eduardo Ribeiro Postado em 03/Dec/2015 às 19:36

    Pseudo-cérebro dos reacinhas entrando em "tela azul da morte"....

  4. Márcio Ferreira Postado em 04/Dec/2015 às 09:02

    "JB critica PT": Coxinhas elogiam, amam, tripudiam. Mortadelas criticam, xingam, esperneiam. "JB elogia PT": Mortadelas elogiam, amam, tripudiam. Coxinhas criticam, xingam, esperneiam. Parecem torcedores esfomeados que gastam o dinheiro de comer em ingressos, camisetas de time e armas para matar o "inimigo" enquanto os jogadores vivem no luxo, trocam de time, combinam resultados, festejam e compartilham drogas e prostitutas com os jogadores do time adversário. Coxinhas e mortadelas não querem paz, prosperidade, crescimento. A essa gentalha só interessa o conflito. Ralé doente.

    • Line Postado em 07/Dec/2015 às 22:38

      Perfeito!

  5. Ricardo Postado em 04/Dec/2015 às 16:50

    Porque à época, ao contrário de agora, havia prova do envolvimento pessoal e direto do Presidente (inclusive de sua Primeira-Dama). Quando provarem envolvimento da Presidente Dilma, vou apoiar o impeachment; até lá, é só choro de perdedor.

  6. John J. Postado em 04/Dec/2015 às 19:27

    Vocês já pensaram no seguinte? Porque dois advogados renomados, um já velho talvez aposentado e que participou da política no partido que hoje governa o país e outro em plena atvidade, filho de outro tambem renomado e todos muito bem remunerados na vida profissional, entrariam com um processo contra a presidenta do País, de graça, sem nenhuma remuneração, só pelo prazer de perder seu tempo útil na profissão, sem ganhar absolutamente nada, pois os dois não precisam mais de fama para serem bem sucedidos, pois já são? Qual o lucro desse processo para esses dois renomados advogados? Fama? Eles já tem e de sobra. Dinheiro? Bem, dinheiro nunca alguem vai dizer que tem o suficente. Dinheiro, isso sim pode ser o incentivo de tal pedido. DINHEIRO, É ISSO QUE ALGUÉM PRECISA DESCOBRIR. QUANTO DINHEIRO, PAGO EM QUAL MOEDA, EM QUAL BANCO, EM QUAL PAÍS. PAGO POR QUEM. QUEM TERIA MUITO DINHEIRO PARA PAGAR DOIS RENOMADOS ADVOGADOS PARA ELES DERRUBAREM A PRESIDENTE DO PAÍS? QUEM TERIA ESSE DINHERO TODO E TERIA MUITO INTERESSE NESSA TRAMÓIA, PARA DERRUBAR A ÚNICA PRESIDENTE DO PAÍS QUE REALMENTE COMBATEU A CORRUPÇÃO SEM NENHUMA INTERVENÇÃO?

  7. Itajaci Postado em 04/Dec/2015 às 19:44

    rapaz, não costumo responder, mas vc pega O PC Farias roubava, as contas de Collor, da mãe, da esposa, eram pagas com o dinheiro público e não com o salario dele, tirou o dinehiro da poupança do povo, fez todo tipo de trapaças, fechou a insdústria nacional e outros malfeitos. Já viu o vídeo Um sonho intenso? Passou na TV Brasil.- explicações de Gonzaga Peluso, Conceição tavares, e outros economistas dissecam pra vc quem foi Collor presidente e os desmandos. Tenho certeza que vc sabendo disso não vai mais votar em PSDB e aliados. Vc não é contra o país e o povo. Vc é um investidor é? do Capital especulativo? humm então é um lobo de Wall Street ah ta entendi.

  8. Grace Diniz Postado em 05/Dec/2015 às 18:53

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=994631743940804&set=a.298714200199232.75158.100001819636105&type=3&theater

  9. Jorge Medeiros Postado em 07/Dec/2015 às 21:27

    Bem, depois de 35 anos estou fechando minha empresa, quebrado. A crise me destruiu, a meus clientes e fornecedora. Viva a Dilma, a demolidora do presente e do futuro.