Redação Pragmatismo
Compartilhar
Corrupção 11/Nov/2015 às 15:50
7
Comentários

"Estratégia é segurar Cunha para derrubar Dilma", admite Paulinho da Força

Manobra permite que Paulinho da Força ocupe uma cadeira no Conselho de Ética para julgar pedido de cassação de Eduardo Cunha. “Minha estratégia é segurar Cunha para derrubar Dilma”, adianta o parlamentar

paulinho da força eduardo cunha
Paulinho da Força (imagem) é um dos principais aliados de Cunha no Congresso Nacional

O deputado Wladimir Costa (SD-PA) apresentou nesta terça-feira (10), sua carta de renúncia como membro titular do Conselho de Ética da Câmara. Alegando motivo de saúde, o parlamentar não julgará o pedido de cassação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB).

De acordo com as regras do Conselho de Ética, os deputados que compõem o colegiado são eleitos e não podem ser substituídos por decisão partidária. A única exceção é quando há renúncia ou morte de um parlamentar. Nesses casos, o partido pode indicar um substituto.

A renúncia, portanto, foi uma manobra para dar lugar ao presidente da legenda, Paulinho da Força (SD-SP), na comissão. Paulinho é aliado fiel Eduardo Cunha e não esconde que se o peemedebista cair “não tem impeachment”.

Paulinho da Força afirma ser estratégica a permanência de Eduardo Cunha na presidência da Câmara: “Nós achamos que ele é a única pessoa que pode iniciar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Minha estratégia é segurar Cunha para derrubar a Dilma”.

A defesa de Eduardo Cunha sustenta que o dinheiro presente nas contas da Suíça é procedente da venda de carne para países da África na década de 80. O deputado chegou a apresentar dois passaportes que mostram 37 carimbos de entrada no continente africano.

O Conselho de Ética deve se reunir no dia 24 de novembro, quando o relator do processo de Cunha, deputado Fausto Pinato (PRB-SP), deverá apresentar um parecer preliminar apontando se o processo deve ou não continuar.

Se aprovado o parecer pela continuidade, a defesa de Cunha terá até dez dias para entregar as suas alegações. O processo pode durar até 90 dias e resultar em absolvição, censura, suspensão ou até cassação do mandato.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. JOHN J. Postado em 11/Nov/2015 às 19:46

    esses bandidos estão zombando da paciencia do povo brasileiro. ISSO VAI DAR MUITA MERDA. http://www.conversaafiada.com.br/brasil/comentarios-ao-pacto-moro-veja/moro_pig_.jpg/@@images/9c6aa169-44e6-4fb3-af1c-14dc7bef308a.jpeg

  2. Thiago Teixeira Postado em 12/Nov/2015 às 07:30

    Paulinho é o único político sincero do Brasil. Mil defeitos, puxa saco da direita, mas esse cara é Homem.

    • poliana Postado em 12/Nov/2015 às 13:09

      thiago, vc o viu ontem no JN detonando o psdb!? chamou de traidor, q já estava tudo combinado entre eles, q houve reunião há poucos dias, e qdo chegou a hora, ele pulou fora!! eu n sei como q a globo deixou passar aquilo, mas olha, fiquei chocada e feliz!

  3. Ricardo Edmundo Postado em 12/Nov/2015 às 08:05

    LIDERANÇA DO PT (GOVERNO) COSTURA ACORDO DE APOIO A EDUARDO CUNHA Ricardo Boechat, em 12 de novembro de 2.015, através de comentário na rede BANDalheira - FM, permissionária de televisão que vende horários a curandeiros charlatões pajés religiosos venderem milagres fraudulentos para a população evanjégue, afirmou, em alto e bom som, que a nota do acordo de 13 (treze) partidos políticos, reunindo 230 deputados para apoiar Eduardo Cunha, foi REDIGIDA, e assinada, pasmem, no gabinete da liderança do PT na Câmara dos Deputados. Ou seja seria um plágio do macaco usar a pata do gato para retirar castanhas ferventes da chapa do fogão. No caso o PT usaria os "gatos" partidos nanicos para manter Cunha no poder, contanto que ele breque o movimento de "impitimam" da oposição. Ricardo Boechat comentou ainda que o PT costurou o "acordão" com os partidos que apoiariam Eduardo Cunha, tomando os devidos cuidados para não assinar a NOTA DE APOIO AO EDUARDO CUNHA. Ou a liderança do PT enlouqueceu completamente, ou a BANDalheira, através do "âncora" Ricardo Boechat, cismou de vez em "caluniar" o Partido dos Trabalhadores. Vamos ver "qual liderança petista" e em qual "gabinete petista" foi redigida a nota de apoio incondicional ao mestre da fraude religiosa, Eduardo Cunha, o "santo". http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,lider-do-psc-le-em-plenario-nota-de-apoio-a-cunha,10000001756

    • Thiago Teixeira Postado em 12/Nov/2015 às 12:08

      Ricardo BoiCHATO? Parei de ler.

  4. Denisbaldo Postado em 12/Nov/2015 às 10:51

    A estratégia é levar o Brasil ao caos absoluto e daí tentar vender uma solução antiPT.

  5. Eduardo Ribeiro Postado em 12/Nov/2015 às 17:07

    Grande Paulinho da Farsa. O negócio é esse aí mesmo, mostrar o desenho do golpe sem medo de julgamento. Nada de bom mocismo fingido, nada de criar personagem democrático, e pro inferno aquele blablabla mentiroso de "somos contra a corrupissaum". O esquema é mostrar pro mundo que existe uma estratégia golpista bem montada, bem estruturada, planejadinha, tudo bem pensado e orquestrado para tirar Dilma e cometer o crime de passar por cima do resultado das urnas. Simples, objetivo e explícito.