Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2018 27/Oct/2015 às 16:20
10
Comentários

CNT/MDA divulga nova pesquisa para eleição presidencial

Faltando três anos para a eleição presidencial de 2018, CNT/MDA divulga nova pesquisa. Aécio Neves, Lula e Marina Silva foram, respectivamente, os nomes mais lembrados na pesquisa espontânea

Aécio Lula Marina eleições 2018
Nomes de Aécio, Lula e Marina foram os mais lembrados para a sucessão de 2018 (Pragmatismo Político)

Pesquisa da CNT (Confederação Nacional dos Transportes) realizada em parceria com a MDA e divulgada nesta terça-feira (27) mostra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) na frente das intenções de voto para a Presidência da República, caso as eleições presidenciais de 2018 fossem realizadas hoje.

Em segundo lugar aparece o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 7,9%, seguido pela ex-senadora Marina Silva (Rede).

Mesmo não podendo se candidatar à reeleição novamente, a presidente Dilma Rousseff também foi citada. Os números da pesquisa CNT/MDA contrastam com os do Ibope, que foram apresentados nesta segunda-feira (26).

ESPONTÂNEA (quando os nomes dos candidatos não são apresentados)

Aécio Neves (PSDB) 13,7%
Lula (PT) 7,9%
Marina Silva (Rede) 4,7%
Dilma Rousseff (PT) 1,8%
Geraldo Alckmin (PSDB) 1,2%
José Serra (PSDB) 1,1%
Jair Bolsonaro (PP) 0,9%
Joaquim Barbosa (Sem partido) 0,4%
Luciana Genro (PSOL) 0,2%
Brancos e Nulos: 17,3%
Indecisos: 47,9%

ESTIMULADA (quando os nomes dos possíveis candidatos são apresentados ao entrevistado)

(Cenário1)
Aécio Neves (PSDB) 32%
Lula (PT) 21,6%
Marina Silva (Rede) 21,3%

(Cenário2)
Marina Silva (Rede) 27,8%
Lula (PT) 23,1%
Geraldo Alckmin (PSDB) 19,9%

(Cenário3)
Marina Silva (Rede) 27,9%
Lula (PT) 23,5%
José Serra (PSDB) 19,6%

AVALIAÇÃO DO GOVERNO

A avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff ficou praticamente estável entre julho e outubro. 70% avaliaram negativamente o governo da atual presidente. Na última pesquisa, divulgada em 21 de julho, o porcentual estava em 70,9%. O governo foi avaliado positivamente por 8,8% dos entrevistados, proporção superior a do levantamento anterior (7,7%).

De acordo com a pesquisa, 18,1% dos entrevistados avaliaram o governo Dilma como “ruim” e 51,9% o consideraram “péssimo”. Já para 20,4% dos entrevistados o governo da petista é “regular”, enquanto para 7,5% ele é “bom”. Apenas 1,3% dos entrevistados classificou o governo como “ótimo”. O porcentual dos entrevistados que não souberam ou não responderam foi de 0,8%.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas em 136 municípios de 24 unidades federativas entre os dias 20 e 24 de outubro de 2015. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais, com 95% de nível de confiança. Isso significa que, em 100 pesquisas feitas com a mesma metodologia, 95 terão resultados dentro da margem de erro prevista pelo instituto.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. C.Paoliello Postado em 27/Oct/2015 às 17:06

    Tucanos não conseguem explicar ao TSE graves problemas em 78% das contas de campanha de aécim de Furnas: http://www.conversaafiada.com.br/politica/pt-quer-investigacao-nas-contas-de-aecio

  2. Eduardo Postado em 27/Oct/2015 às 18:42

    AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH LULA EM SEGUNDO..... PERDENDO PRA QUEM MESMO..... SÓ RINDO MUITO......COMO PODEM SER TÃO TÃO TÃO A PONTO DE DIZER UMA BESTEIRA DESTAS.....

    • Thiago Teixeira Postado em 27/Oct/2015 às 22:49

      AH AH AH AH AH AH AH AH AH ..... TODOS SÃO FREGUESES DO PT ..... AH AH AH AH AH AH

  3. Leonardo Postado em 28/Oct/2015 às 01:01

    É claro que tinham que arrumar outra pesquisa. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. Ivonildo Cezar Postado em 28/Oct/2015 às 06:07

    Quando num estudo tratou do debate sobre a obrigatoriedade ou a facultatividade do voto no Brasil. Expôs-se que a obrigatoriedade do voto no país já vem desde 1932, com a publicação do Código Eleitoral de 1932, sendo reiterada pela Constituição Federal de 1988, em seu art. 14. Neste sentido, para os defensores da obrigatoriedade do voto, os principais argumentos estão centrados no fato de que o voto abona o direito de escolha e é relevante na prática dos ideais democráticos. O voto, para tal corrente é um instrumento fortalecedor da Ordem Democrática. Contudo, para os defensores do voto facultativo, as principais premissas permeiam no fato de que o voto é um direito e não uma obrigação. A obrigação de votar não educa o povo. Portanto está na hora o povo brasileiro fazer essa opção. O povo já é maduro o suficiente para saber o que quer.

    • poliana Postado em 28/Oct/2015 às 15:03

      mas o voto não é obrigatório não..a obrigatoriedade está ligada ao comparecimento às urnas no dia das eleições. tanto o voto não é obrigatório q qq eleitor pode anulá-lo ou votar em branco...essa discussão acerca da obrigatoriedade ou facultatividade do voto é vazia..n tem nem o q discutir aí...

      • Ivonildo Cezar Postado em 01/Nov/2015 às 04:19

        A maior ou menor participação depende sobretudo do interesse ou desinteresse que os cidadãos demonstrem em cada eleição. Inclusive o voto chamado “antipolítica” (como, por exemplo, o nulo ou em branco), não significa um voto contra a democracia ou contra a legítima Constituição do país. Pode indicar, simplesmente, uma forma de descontentamento com o modo de governar dos políticos eleitos democraticamente, ou simplesmente a vontade de abrir espaço a novas formas de democracia mais modernas e mais adaptadas aos novos instrumentos de comunicação global que a tecnologia oferece hoje. Manifestar-se contra a obrigatoriedade do voto tampouco significa que quem está contra esta obrigatoriedade vá deixar de votar, mas simplesmente que prefere, para benefício da democracia, que cada um seja livre de participar ou não. O fato de deslocar de sua residência, ir até o local de votação, apresentar o Título Eleitoral, assinar na folha de votação, dirigir-se até a urna, votando “nulo ou em branco” não lhe tira essa obrigatoriedade prevista no artigo 14 da nossa Constituição. Pense nisso!

    • Eduardo Ribeiro Postado em 29/Oct/2015 às 10:57

      Falou de "fim de voto obrigatório", eu sempre leio: """""mimimi mimimi com o fim do voto obrigatório sobe a qualidade do voto, e pessoas como Lula e Dilma, que se elegeram com os votos dos mais pobres e sem estudo e sem preparo, nunca venceriam...deixem voto facultativo e esse monte de pobre vai preferir ficar em casa ao invés de ir votar, e o resultado das eleições seria outro mimimi mimimi""""". Em uns 95% dos casos eu acerto na minha leitura, mesmo torcendo pra errar.

  5. Eduardo Ribeiro Postado em 28/Oct/2015 às 10:25

    Conforme esperado, dado o contexto de ataque diuturno a Lula, a rejeição ao maior presidente da história do Brasil, identificada na outra pesquisa, é confirmada aqui. Lula perde em 3 cenários distintos: perde de Aécio e praticamente empata com a "fada neutra da floresta", e perde para a "fadinha engabeladora de otários" quando sai Aécio e entra outro coliforme fecal tucano. Lembrando que o cenário político e midiático hoje é de foco total e ininterrupto na DESTRUIÇÃO da imagem de Lula. Nada mais importa que não seja deixar Lula no chão. Só faço a mesma observação que outra pessoa fez: é importante refletir sobre os interesses atendidos por pesquisas de intenção de voto pra Presidente da República quando o mandato atual tem 10 meses (!!!). Essa especulação atende apenas a interesses contrários aos brasileiros, e só serve para denegrir o mandato atual da Presidenta. Aliás, hoje temos exato 1 ano que vivemos OFICIALMENTE sob a ameaça CONCRETA E DECLARADA do golpismo, considerando que o golpe - travestido de "impeachment constitucional blablabla meu candidato perdeu e sou um filho da puta mimado brasileiro de merda e quero mudar o resultado das urnas" - começou a ser rascunhado NO DIA SEGUINTE a reeleição de Dilma. Parabens aos envolvidos.

  6. LUCIANO Postado em 15/Mar/2016 às 11:24

    LULA 2018! tem alguém melhor apesar de tudo!.