Lucien de Campos
Colaborador(a)
Compartilhar
África 12/Sep/2015 às 22:38
31
Comentários

O paradoxo da democracia na África

A África em democracia? Isso é um absurdo, pois hoje ela é dominada por ditadores sanguinários, que matam seu próprio povo, e não fosse o ocidente, este continente estaria pior (...)

africa paradoxo riqueza pobreza fome miséria
Imagem: Pragmatismo Político

Lucien de Campos*, Pragmatismo Político

Você sabia que a África já vivia em democracia quando os europeus chegaram no Século XV?

O mundo ocidental conseguiu difundir uma imagem da África na qual consegue trazer-nos imediatamente pensamentos negativos quando a questão do continente africano é abordada. Logo vem em nossas cabeças imagens da pobreza, má governação, guerras, doenças e fome. No máximo conseguimos lembrar, também, de leões, girafas, animais selvagens e safáris. Os fatos verídicos e históricos, como a África sendo o berço da humanidade, são escondidos ou esquecidos devido à maioria dos noticiários que manipulam a mente daqueles conformados com o que escutam.

Foi assim que os Estados Unidos e a Europa conseguiram passar ao resto do mundo a imagem de que seus respectivos povos são os criadores da democracia, estabilidade e exemplo de governação global. Nos filmes hollywoodianos é visto quase que sempre uma África representada através da guerra, com guerrilheiros armados e comandados por um ditador vilão da história. Na Europa, muitos ainda exaltam a Era dos descobrimentos, afirmando que as Grandes Navegações contribuíram para o progresso civilizacional. Dizem ser os criadores da democracia, e por isso seriam imunes a todas as atrocidades que cometeram.

É claro que não deve-se retirar o mérito europeu na contribuição científica, ou até mesmo religiosa, que tiveram para a humanidade. Porém, é necessário também incluir outros continentes, como por exemplo a África, na lista dos principais contribuidores para a evolução humana. Não somente por serem o berço da humanidade, mas por serem responsáveis pelo desenvolvimento de vários aspectos que hoje são indispensáveis numa sociedade moderna. Nesse sentido, vamos focar somente em um aspecto, a democracia.

Soa esquisito para nossos ouvidos doutrinados pela visão ocidental ouvir dizer que os africanos já praticavam a democracia antes mesmo dos europeus chegarem no Séc. XV.

Os coxinhas devem estar se perguntando: mas o quê? A África em democracia? Isso é um absurdo, pois hoje ela é dominada por ditadores sanguinários, que matam seu próprio povo, e não fosse o ocidente, este continente estaria pior.

Pasmem-se, espantem-se, mas está comprovado que existiu um povo muito influente no norte da Angola, em que já praticava a democracia muito antes de haver o contato com os europeus. Este Estado era chamado de Kôngo, onde os próprios portugueses quando os conheceram apelidaram de “os gregos da África”. Foi um Estado criado e organizado por 12 chefes de 144 tribos africanas que elegeram através de um Grande Conselho (Lûmbu, na língua kikongo falada na época nesta região) seu primeiro líder chamado Nimi’a Lukeni.

Leia aqui todos os textos de Lucien de Campos

Ao chegarem no norte da Angola, os portugueses encontraram uma sociedade organizada através de um aparelho institucional (o Lûmbu) que além de regular as eleições, atuava na esfera militar e na separação dos poderes executivo, religioso e judiciário. A escravidão não era uma questão social, mas sim jurídica, pois ninguém que pertencia ao povo kôngo poderia ser escravizado ou vendido. No entanto, os lusitanos não fizeram questão de perceber tal estrutura social deste povo. Apenas surpreenderam-se ao saber que o rei kôngo era eleito pelo povo e provocaram, assim, desordens e batalhas.

O historiador angolano Patrício Batsikama, autor de oito livros sobre este tema, relata que o Kôngo era estruturado por bairros e municípios com autonomia financeira e integridade territorial. A lealdade dos autarcas municipais para com o governador era indispensável, e a liberdade individual era o princípio vital do diálogo.

Esse povo também consegue dar uma lição de direitos humanos em muitos Estados modernos de hoje, pois os kôngos acreditavam que não fazia sentido um homem decretar a morte de outro homem, ou seja, não existia a pena de morte.

Dados indicam que este era um Estado muito populoso em relação aos padrões europeus e à realidade da época. Em 1513 acreditava-se que já existiam mais de 600 mil habitantes kôngos. Contudo, em 1665 houve uma grande batalha para expulsar os portugueses, mas sem grande sucesso. A dominação portuguesa foi inevitável, e todas as instituições políticas, religiosas e sociais do Kôngo ficaram fragilizadas e extintas com o tempo. Os kôngos, então, foram escravizados e levados para várias partes do mundo, inclusive para o Brasil.

Vale ressaltar que foram os descendentes deste povo que protagonizaram a Revolta de São Domingos (1791-1804) no Haiti. Sabe-se que o Haiti foi o único país que teve uma revolução de escravos bem-sucedida.

Diante disso, ao estudar a história das colonizações e analisar o envolvimento dos Estados europeus neste continente, nota-se que hoje cobra-se muito da África a democracia e o respeito aos direitos humanos. Mas quinhentos anos atrás foram ignorados todos os ensinamentos que a África poderia passar, como a própria democracia, e hoje os cobram pela falta dela.

Assim como na América do Sul, os europeus primeiramente exploraram a África, retirando as riquezas, exterminaram parte do povo nativo, retalharam o continente e construíram grandes impérios. E quando não conseguiram manter as colônias e calar os movimentos independentistas, decidiram deixá-las ao alento, eximindo-se dos problemas pós-independências. Apoiaram líderes totalitários e hoje pedem a democracia.

Porém, se estudar mais fundo, nota-se que os próprios africanos na época colonial estavam envolvidos na captura de escravos. Portanto, a culpa deve ser repartida entre as partes desde o início das colonizações. Sendo que atualmente os líderes africanos deveriam, também, ter mais vontade e coragem política para cumprir seus compromissos sociais. Qualquer tipo de totalitarismo e violação de direitos humanos deve ser condenado.

Antes de tudo, grande parte da mudança na África depende dos africanos. Talvez falte mais transparência por parte dos governantes em relação ao combate das desigualdades sociais e distribuição de riquezas, para que num futuro mais próximo haja uma maior participação ativa na vida política dos cidadãos africanos.

Já em relação ao Ocidente, devemos ter a consciência de todas as especificidades da África, respeitando suas particularidades para que consigamos dar um contributo importante para a estabilidade e boa governação africana. A Europa não deve, portanto, tratar os africanos com um sentimento de paternalismo, e cabe à nós não olharmos para este continente com um espírito de desprezo.

Somente com a ajuda de todos que o berço da humanidade se desenvolverá, assim como todos os cidadãos africanos deveriam ter maior consciência de que será essencial deixarem o lugar da plateia para preencherem o lugar de atores no desenvolvimento da África.

*Lucien de Campos é mestrando em Diplomacia e Relações Internacionais pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias – Lisboa e colaborador em Pragmatismo Político

Fonte:

http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/o-kongo-vivia-em-democracia-quando-os-portugueses-chegaram-no-seculo-xv-diz-patricio-batsikama

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. João Paulo Postado em 13/Sep/2015 às 03:15

    Texto muito bom!

  2. Rodrigo Postado em 13/Sep/2015 às 18:00

    (Outro Rodrigo) Todo povo tem contribuição interessante para a humanidade, um grave defeito sendo sempre o preconceito. De outro lado, também, terá chagas a serem analisadas - no caso, mostra-se interessante, em que pese algumas omissões, a exposição de casos não tão conhecidos como o Kôngo (a exemplo da contribuição árabe para a matemática e ciência, não tão exploradas e de conhecimento do grande público). Interessante, mais, pensar sobre as consequências trazidas pela colonização e o que foi sufocado num povo pelo colonizador. Faltou, como o xará acima expôs, refletir sobre as escolhas de um povo sobre o próprio povo, ao ver outrem como inimigo e, ao vencê-lo, escravizá-lo e assim vendê-lo. Refletir sobre o persistente conceito de guerras tribais (o "bom" e velho maniqueísmo, bem como binarismo), o diabo sendo visto no outro para Deus poder ser visto e justificado em si próprio - se, na África, são pessoas da mesma cor que fazem isso, uns contra os outros, no resto do mundo fazemos tanto contra o "diferente" (sem que nos demos conta de que também somos diferentes do "diferente", somos, para o "diferente", um diferente). O ser humano, pois, valoriza o binarismo e o maniqueísmo, sempre a fim de justificar sua perversidade contra o outro, seja ele quem for - homo ou hétero, homem ou mulher, ateu ou crédulo, negro ou branco, rico ou pobre, "culto" ou "ignorante" etc. A África é o berço da humanidade e deveria ser também, para todos nós, o berço da reflexão - quem somos, de onde viemos, o que determina como somos (escolhas) e por que assim somos?

  3. Luís Guilherme Postado em 13/Sep/2015 às 19:27

    Achei o texto bem maniqueísta, supervalorizando a cultura africana e pintando os europeus como malvados responsáveis por toda a miséria africana. Igual àqueles livros toscos de História do ensino fundamental, em suma. Achei divertido como o autor pareceu se esquecer da Grécia antiga e de várias cidades-estado italianas da Idade Média ao colocar o Kongo como precursor da democracia. Mas esperar o quê de um cara tão bitolado que politiza o assunto e fala de "coxinhas" em um texto sobre história antiga?

    • Eber Prado Postado em 14/Sep/2015 às 10:46

      Vc não leu o texto muito bem, né Luis....o Autor não afirmou que Kongo era o precursor da democracia, ele afirmou já existir uma democracia antes da colonização européia...sacou a diferença? leia com atenção!!!

  4. Pereira Postado em 14/Sep/2015 às 12:39

    Depende... pobreza na África tem onde o socialismo tirânico(desculpem a redundância) entrou: Etiópia, Moçambique, angola e muitos outros. Agora a parte do desenvolvimento, foram os "déspotas" e "safados" colonizadores europeus que deixaram suas benfeitorias no continente... Namíbia e Africa do sul como exemplo. E nem me venham falar em escravidão, porque na áfrica negro escraviza negro em minas de diamantes, e outrora negro vendia negro para serem escravizados. Para completar os muçulmanos estão lá acabando com suas culturas religiosas..... Alguém vai falar alguma coisa ? Ou vão só criminalizar a "sociedade judaica branca cristã" ocidental "opressora" ?

    • Denisbaldo Postado em 14/Sep/2015 às 19:32

      Você esqueceu do "imperialista" no final. hehehe

    • Eduardo Ribeiro Postado em 14/Sep/2015 às 19:48

      Mas não é possivel...é inadmissivel uma coisa dessa.....vá ser desonesto assim na puta que o pariu. Dizer que a África está na merda por causa do Comunismo ou restringir a "parte da África que está na merda" ao Socialismo....olha, francamente....gente como o Pereira simplesmente não tem condição de debater esse assunto. Gente que é incapaz de reconhecer, ou de admitir por questões sei lá quais, que a manutenção do sistema que valoriza acima de tudo o capital causou e causa ainda todo tipo de atrocidade no mundo pra se manter vigente. Gente que não tem a mínima condição, a capacidade pra analisar a coisa de forma ampla e profunda e ver que o sistema capitalista tem o paraíso dos EUA e Europa deles, mas que isso tudo foi construído à base por exemplo de África e Ásia terem sido e ainda serem ESTUPRADOS. É um sistema sem equilíbrio, que não tem como existir em harmonia com o mínimo de empatia e humanidade. Não há meios de haver uma conversa séria com gente assim.

      • Pereira Postado em 15/Sep/2015 às 10:40

        Hehe ! como diz meu filho : Lêêêgal !

      • Pereira Postado em 15/Sep/2015 às 10:44

        Não é o capitalismo que causa problemas, é a sua ausência ! Os problemas que o capitalismo causa não são nem 10% do que causa por exemplo os terroristas muçulmanos, briga de tribos na áfrica e o totalitarismo estatal socialista. A cada 1000 pessoas que o capital salva, morre 1 pela sua ausência.

      • Pereira Postado em 15/Sep/2015 às 10:50

        Mais capitalismo e liberdade econômica e menos socialismo para a África ! Mirem o exemplo de países como Catar e Barhein.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 15/Sep/2015 às 11:00

        Esse é o mal de fugir da escola com medo da "doutrinação marxista" e ser alfabetizado pelo astrólogo. O mais liberal ali é a Somália, porra. Pro analfabeto aí, a Africa só passou a ser pobre agora, coitada, com as ditaduras recentes. A brutal exploração que sofreu dos países imperialistas durante séculos, o estupro secular que sofreu submetida ao imperialismo, que impediram seu desenvolvimento e etc, não, isso nunca aconteceu. Como eu disse: não há meios de haver uma conversa séria com gente assim.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 15/Sep/2015 às 11:03

        Não existe capitalismo sem pobreza. Por consequencia, sem pobreza não há riqueza. E África é socialista somente, SOMENTE em dois lugares no mundo, neste planeta inteiro: na tua cabeça e na cabeça do astrólogo.

      • Denisbaldo Postado em 15/Sep/2015 às 11:43

        A principal razão da miséria e desgraça humanas é o egoísmo, isso em qualquer regime. Mas vamos lembrar que o liberalismo tem o egoísmo como viga mestre de sua teoria.

  5. João Paulo Postado em 14/Sep/2015 às 13:39

    Os comentários vêm acompanhados daquele "... mas os africanos também faziam isso ..." Ora, toda a humanidade, sem exceção, tem graves erros ao longo da história. Certamente, práticas que temos como aceitáveis atualmente serão abominadas daqui um século. Não tenho dúvidas de que aprisionar alguém, seja qual for o motivo, será um espanto no futuro, pois bastaria usar uma pílula que inibe os impulsos criminosos. Outrossim, em reportagem recente, lamentável a distorção do deputado ex-BBB no que diz respeito aos governos socialistas que violavam direitos humanos. Sim, eles existiram. E o socialismo, liberalismo e demais "ismos" evoluíram. Se pegarmos ideias desde suas raízes, nenhuma delas atenderá a contento nossos anseios atuais. Também não duvidaria da possibilidade de africanos subjugarem europeus, caso conseguissem incrementos tecnológicos primeiro. Não tenho dúvidas de que negros escravizariam brancos também. Nada isso está em discussão. A vida não é hipotética ("se os negros africanos pudessem") e há um fato inconteste: europeus, brancos e judeus subjugaram e continuam subjugando os demais povos.

  6. Márcio Ferreira Postado em 14/Sep/2015 às 14:29

    O autor critica as imagens pré-concebidas da África, como pobreza, guerra, safári, animais selvagens, ou seja, quem toma a parte como o todo. Mas fala da "democracia na África" como se o continente tivesse sido amplamente democrático, ainda que num longínquo passado, ao passo que menciona apenas o "norte da Angola". Não estou criticando a África, mas a preguiça do autor, que não foi capaz de buscar outras referências para embasar o tema de seu texto. Parece ter começado por palavras-chave como "EUA", "Europa" "resto do mundo" e "coxinha" e depois teve que se virar para escrever o restante do texto.

  7. Eduardo Ribeiro Postado em 14/Sep/2015 às 14:32

    "..e não fosse o ocidente, este continente estaria pior...". Graças aos céus não conheço uma alma viva que pense isso. Não convivo com gente assim. E não consigo conceber que tipo de criatura amoral, mau caráter e analfabeta política diria uma assombrosidade desse nível.

  8. Pereira Postado em 14/Sep/2015 às 15:22

    Começou !!!! http://www.libertar.in/2015/09/ja-comecou-refugiados-com-bandeiras-do.html Terroristas disfarçados de "refugiados" atacam a polícia na Alemanha.

    • Guilhermo Postado em 14/Sep/2015 às 17:13

      Li uma notícia que o Estado Islâmico implantou 14 mil de seus membros entre os refugiados. O problema é que é muito difícil saber quem são os verdadeiros refugiados e quem são os terroristas infiltrados. .

      • Pereira Postado em 15/Sep/2015 às 10:27

        Eu vi 4 mil. Tem cidades que só estão aceitando cristãos. Cresce a repulsa pelo terrorismo islâmico na europa e já se estuda fazer campos de refugiados para triagem. Isso é uma boa notícia !

      • Pereira Postado em 15/Sep/2015 às 10:31

        Os cristãos deveriam ir para a europa; os muçulmanos que procurem os seus no Catar, Barhein, Kuawit, Omã e Em arábes. São tão bem de economia quanto a europa.

  9. Denisbaldo Postado em 15/Sep/2015 às 00:45

    E aí maninho, quando que os seus amiguinhos militares aposentados gagás vão tomar o poder e salvar o Brasil? Estamos aguardando...hahahaha! Dá até pena de gente igual a você que vive em uma realidade virtual e acredito que isso é possível nos dias de hoje. Aqui deixo minha risada pra você! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • Denisbaldo Postado em 15/Sep/2015 às 00:51

      corrigindo: e "acredita" que isso é possível nos dias de hoje. Ah, só para deixar claro. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  10. isaac Postado em 15/Sep/2015 às 10:13

    Antigamente você visitava o PP para encontrar matérias que a grande mídia jamais publicaria. Hoje você vai ler um texto e lá está o termo "coxinha". Deixou de ser aquele site de informação único de outrora para ser um mero outdoor do PT.

    • felipe Postado em 15/Sep/2015 às 10:47

      Perfeito!!!

    • Pereira Postado em 15/Sep/2015 às 10:51

      Para mim sempre foi outdoor do PT. Vocês estão sendo bonzinhos.

    • Denisbaldo Postado em 15/Sep/2015 às 18:18

      Mas vocês continuam vindo aqui e comentando. É lógico, o PP ainda é infinitamente mais interessante, democrático e inteligente do que os lixos liberais que vocês frequentam. Eu já fui bloqueado em diversos deles, enquanto que aqui no PP continuo lendo as asneiras de vocês coxinhas. Isso é democracia, aqui ambos os lados convivem. Aprendam, é assim que se constrói uma democracia.

      • Pereira Postado em 16/Sep/2015 às 11:20

        A diferença é que eu não xingo ninguém, não incito a violência e não prego divisão na sociedade. Só emito opiniões. Vocês vão lá no MBL para xingar os participantes e ameaçá-los. E aqui eu só não sou bloqueado, porque o site não controla quem entra, sabe por quê ? porque o controle seria ruim para eles.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 16/Sep/2015 às 11:37

      Eu não entendo por que ainda frequentam aqui. Vocês tem tanta opção melhor, e não tem obrigação nenhuma de vir aqui. Na vida real vocês fazem isso tambem? Vocês acordam num sábado de manhã e cismam de, do nada, sem necessidade, cancelar um futebol, de viajar, a ida no boteco tomar uma com os amigos, o cineminha com mulher e filho, pra ir, tipo, fazer tratamento de canal? Olha o motivo da reclamação....tá super puto porque leu "coxinha" no meio de um texto gigante e pertinente. Pena.

  11. Pereira Postado em 15/Sep/2015 às 10:52

    Me lembro de ter concordado 3 vezes com o que publicam.

    • Denisbaldo Postado em 15/Sep/2015 às 18:19

      Nossa, o PP deve estar super preocupado com isso!

      • Pereira Postado em 16/Sep/2015 às 11:16

        Com certeza não.... eles estão preocupados com o pixuleco estatal que os sustenta.