Redação Pragmatismo
Compartilhar
Geral 03/Jul/2015 às 10:51
11
Comentários

Deputado foi ameaçado por votar contra a redução da maioridade penal

O deputado Celso Maldaner (PMDB-SC) revelou ter sido ameaçado após votar contra a redução da maioridade penal. Menos de 24 horas depois, o parlamentar mudou o voto. Maldaner diz, no entanto, que a mudança não tem relação com a ameaça

Deputado maioridade penal
O deputado Celso Maldaner (PMDB-SC), ameaçado por votar contra a redução da maioridade penal. Ele mudou de posição 24 horas depois e ajudou a aprovar a medida

A aprovação da redução da maioridade penal na Câmara dos Deputados, em primeiro turno, seguirá pautando os debates na imprensa, no meio político e nas conversas cotidianas ainda por algum tempo.

Além da polêmica em torno da manobra antirregimental de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que será avaliada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), há muita especulação em torno da mudança de voto de deputados que, 24 horas depois de se posicionarem contra a redução da maioridade penal, misteriosamente votaram a favor da medida. Ainda na madrugada de quinta-feira, Pragmatismo Político foi o primeiro portal a divulgar a lista dos vira-casacas, que pode ser conferida aqui.

Em denúncia feita ao portal Uol, o deputado Celso Maldaner (PMDB-SC), que é do mesmo partido de Eduardo Cunha, revelou ter sido ameaçado pelo também peemedebista Valdir Colattto (PMDB-SC) por votar contra a redução da maioridade penal. Na segunda votação, Maldaner mudou o voto e votou a favor da PEC 171/93.

“Ele [Valdir Colatto] disse que ia mandar os bandidos de 16 e 17 anos para invadir minha residência em Santa Catarina”, afirmou Maldaner, completando que por pouco não chegou “às vias de fato” com o deputado. O parlamentar disse que cogitou entrar com uma representação por quebra de decoro parlamentar, mas foi desestimulado pela “turma do ‘deixa-disso'”.

Deputado minimiza as ameaças

Após a repercussão da denúncia, Maldaner tentou minimizar o incidente e disse que mudou de opinião na segunda votação não pelas ameaças, mas por concordar com a nova proposta da PEC, segundo ele, “mais específica”. “Eu não senti na minha consciência para votar a favor do primeiro projeto, mas já havia dito que para crime hediondo eu era a favor [da redução]”, frisou o parlamentar.

No discurso que justificou a mudança de voto, em que citou as ameaças recebidas, Maldaner disse que acreditava que a redução da maioridade penal “não era a solução” para a criminalidade, apesar dado voto favorável a à Proposta de Emenda Constitucional. “Eu acho que a solução é a formação familiar e a educação. Se os pais não têm condição, ter escola integral, investir mais na educação”.

VEJA TAMBÉM: Joanna Maranhão desabafa após aprovação da redução da maioridade penal

Questionado se não havia contradição em sua vontade política de mudança da sociedade pela educação com o voto a favor da PEC 171/93, o deputado catarinense resignou-se: “Eu não comemorei nada, foi uma noite muito triste”.

com informações de Uol

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Eduardo Ribeiro Postado em 03/Jul/2015 às 12:00

    Engraçado que a Camara virou um antro de populares. Isso aí de "mandar os bandidos de 16 e 17 anos para invadir residência em Santa Catarina" não é muito diferente dos tosquinhos mandando aquela bobagenzinha de "tá com pena, pega esses anjinhos e leva pra tua casa" ou "você vai mudar de opinião quando uma dessas crianças boazinhas roubar sua carteira e seu celular e te esfaquear na rua". Então...olha o nível. Exatamente onde o nível do debate deveria ser mais elevado, mais técnico, marcado mais pela racionalidade e menos por argumentos "hepáticos", é exatamente onde encontramos um bando de "lugar-comum toscos populares do G1" que argumenta com o figado, que defeca pela boca, mas com a diferença de estarem vestidos de terno.

    • felipe Postado em 03/Jul/2015 às 12:11

      Até agora não ví nenhuma ação por parte do governo, nenhuma mesmo, além de reclamar que ajudem a população a mudar de ideia, simplesmente porque não existe nenhum projeto para o jovem, querer ser contra somente por ser ou por achar errado é facil colocar projeto que ajude a diminuir a estatística do jovem infrator não existe nesse país, taí um governo federal com quase 15 anos e um estadual com mais de 20 em SP que não nos deixa mentir.

      • rafael Postado em 03/Jul/2015 às 17:57

        "...simplesmente porque não existe nenhum projeto para o jovem... ". No Brasil não existe projeto para nada.

  2. Grace Diniz Postado em 03/Jul/2015 às 13:10

    Isso é brincadeira! Conta outra mané! Covarde em dobro, então. Não vai livrar sua cara por isso.

  3. Carol Postado em 03/Jul/2015 às 17:08

    Sei la, não gosto dessas matérias vitimistas em lugar nenhum.

  4. Luiz Costa Postado em 03/Jul/2015 às 17:24

    Onde estão os piores bandidos deste país?

  5. roque francisco de souza Postado em 03/Jul/2015 às 17:24

    Eles Fizeram a Reforma, Reformaram o Salario A Casa os Carros, Agora Vão Prender ps Trombadinhas Para não Ter Preju.

  6. Oblivion Postado em 03/Jul/2015 às 19:22

    Sim, Celso Maldaner é um dos únicos parlamentares do PMDB que as vezes ainda lembram da história do PMDB. Aqui em Santa Catarina, acredito que ele seja o único. Quando observamos Brasil a fora, a maioria dos PMDbistas são mais parecidos com Cunhas e Renans, quanta ironia.... e quanta desgraça. Nada fizeram (STF) com o presidente da câmara no golpe do financiamento das campanhas... e agora? Não há regimento interno? E se ele infringiu o regimento, ficará por isso mesmo? Agora minha opinião pessoal, nada tenho contra contra diminuir a pena para crimes hediondos, o que não dá de permitir é um presidente da câmara que não respeite a república, descaradamente.

  7. Luzia Postado em 03/Jul/2015 às 20:08

    Então ele é um covarde? É isso mesmo?

  8. HiroNakamura Postado em 03/Jul/2015 às 22:27

    Pega leve aí parceiro. Esse aqui é um site de respeito.

  9. enganado Postado em 05/Jul/2015 às 15:53

    Se um canalha desses ameaçasse minha família, meu lar; eu simplesmente diria ao próprio que se acontecesse qq coisa com minha família e/ou os meus; o Valdir Colatto não iria durar 24 horas vivo e os seus iam com junto com ele. Tá para aparecer um vagabundo da Direita que vai meter medo, são todos frouxos, ou seja, se garantem na PF_DB, daí pra baixo .... . Pergunto a esse vagabundo Valdir Colatto: A que senhores ele obedece?