Redação Pragmatismo
Compartilhar
Corrupção 18/Mar/2015 às 16:56
38
Comentários

Dilma anuncia pacote anticorrupção em resposta às manifestações

A presidente Dilma Rousseff lançou oficialmente um pacote anticorrupção como resposta às manifestações ocorridas no final de semana. A proposta prevê pena de prisão de até seis anos para quem pratica crime de caixa 2, aplicação da 'ficha limpa' para servidores públicos, entre outras medidas

A presidente Dilma Rousseff (PT) lançou oficialmente nesta quarta-feira (18) um pacote anticorrupção como resposta às manifestações ocorridas no final de semana. O pacote anticorrupção prevê, entre outros pontos, a tipificação do crime de caixa 2 e a elaboração de um projeto de lei que institui a obrigatoriedade de ficha limpa para todos os servidores públicos dos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo.

Os projetos de lei foram enviados ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), pelos ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Secretaria de Relações Institucionais, Pepe Vargas. O pacote contém ainda uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para possibilitar o confisco de bens oriundos de atividade criminosa, improbidade e enriquecimento ilícito.

VEJA TAMBÉM: É mesmo a ‘corrupção’ que deixa a elite brasileira furiosa?

Pelo proposta, quem for condenado pelo crime de caixa 2 após a proposta ser aprovada pelo Congresso poderá ficar preso de três a seis anos. A tipificação do crime consiste, segundo o pacote do governo, na tentativa de fraudar a fiscalização eleitoral, com a inserção de elementos falsos ou omitir informações para ocultar a origem, o destino ou a aplicação de bens, valores ou serviços da prestação de contas de partido político ou de campanha eleitoral.

A punição será estendida aos doadores – inclusive responsáveis por doações de pessoas jurídicas – e aos partidos. Há ainda a previsão de multa de cinco a dez vezes sobre o valor doado e não declarado, proporcional aos crimes praticados por pessoa física, jurídica ou partido que se aproveitar das condutas ilícitas.

O pacote também propõe a aprovação por deputados e senadores do Projeto de Lei 5.586 de 2005, que tipifica o crime de enriquecimento ilícito. De acordo com a proposta, possuir, adquirir ou fazer uso de bens incompatíveis com renda ou evolução patrimonial acarretará em pena de três a oito anos de prisão.

O pacote ainda prevê a regulamentação da Lei Anticorrupção, por meio de decreto, com incentivo a adoção de Programas de Integridade por empresas privadas, com códigos de ética e de conduta, políticas e diretrizes para detectar desvios e irregularidades contra a administração pública. O texto estabelece e disciplina o rito do Processo Administrativo de Responsabilização e também disciplina o acordo de leniência, com competência exclusiva da CGU no Executivo federal.

Confira os principais pontos do Pacote Anticorrupção lançado por Dilma:

pacote anticorrupção dilma

Agência Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. Paulo Cesar Postado em 18/Mar/2015 às 17:48

    Na minha vã ignorância, gostaria que alguém me explicasse, porque esse pacote não pode retroagir com validade a contar de 1 de Janeiro de 2015, tendo em vista os inúmeros casos já em andamento...E também quero muito saber quem realmente acredita na efetiva obediência desses ordenamentos jurídicos...ou será que sou apenas eu que estou decepcionado e frustrado (não sou da elite branca)

    • Onda Vermelha Postado em 18/Mar/2015 às 18:31

      A Lei Penal não pode retroagir para punir condutas passados que nem eu, nem você, ninguém sabia que era um crime. Ok? Caso contrário, isso geraria insegurança jurídica e todos estaríamos sujeitos a leis de ocasião, casuísticas.

      • poliana Postado em 18/Mar/2015 às 19:17

        só pra complementar o post do onda...a lei penal só poderá retroagir para beneficiar o réu. prejudicá-lo, jamais. não me xingue, tô apenas explicando como se dá a aplicação da lei no ordenamento jurídico pátrio. rs

    • Salomon Postado em 18/Mar/2015 às 20:53

      Curiosa sua pergunta. Já se fez lei para o passado. Isso só é possível nas ditaduras. As Constituições outorgadas como a polaca, de 37, se não me engano, asseguravam a aplicação de regras jurídicas a fatos pretéritos. Isso é impensável no mundo democrático atual, assegurado que estão o ato jurídico perfeito, o direito adquirido e a coisa julgada, como disseram o onda e a poliana. Apesar disso, os manifestantes do dia 15 pediam o retorno do regresso da ditadura e com ela a insegurança jurídica. Beócios.

    • Márcio Postado em 19/Mar/2015 às 10:45

      porque a Lei Penal só retroage se for para beneficiar o réu.... não existe crime sem lei anterior que assim o defina.... abraços!

    • Félix Postado em 19/Mar/2015 às 13:15

      Deverá valer pelo menos para condenar petistas. Os Tucanos voam acima de qualquer lei.

      • Onda Vermelha Postado em 19/Mar/2015 às 17:42

        Kkkkk. Só rindo pra não chorar de nossas desgraças!

  2. Rafael Postado em 18/Mar/2015 às 17:56

    Porque palavra e palavra.

  3. Onda Vermelha Postado em 18/Mar/2015 às 18:23

    Muito bom! O Governo Federal parece começar a sair das cordas, retoma a iniciativa política e oferece respostas concretas que nem mesmo a oposição estridente sequer ousou propor! Entretanto, contudo, todavia, acho que nem a aprovação de um Pacote Anticorrupção proposto ainda na campanha pela Dilma vai deter a sanha dessa gente! Sabemos, evidentemente, que a corrupção não era a questão central, de fato, dos “marchadeiros” do dia 15 de março, mas apenas um “mote” para um golpismo nascente. Caso contrário, onde estariam os cartazes exigindo a punição dos envolvidos no Trensalão ou que citasse o AécioPorto, só pra ficar nestes exemplos? Nada, nenhum dos muitos escândalos do PSDB foi citado nos cartazes! Já está claríssimo! Ninguém aqui é ingênuo! Eles querem a cabeça da Dilma e banir o PT do quadro partidário, preferencialmente, criminalizando, via Ministério Público TODAS às doações recebidas LEGALMENTE pelo PT, somente as do PT! Se as mesmas empresas “A”, “B” o “C” doaram, proporcionalmente e no mesmo período, também para o PSDB, PMDB, DEM, etc, não importa! Essas são legais! Vejam vocês! O Ministro Gilmar Mendes, sempre ele, com uma enorme empáfia acabou de dizer que não vai liberar a ADI 4650 que julgaria inconstitucional as doações de empresas privadas para campanhas políticas. O Placar está em 6 X 1. Ele já perdeu, mas não se conforma, e a toda hora usa de subterfúgios cretinos e risíveis para não por a questão de volta ao plenário do STF. Por quê? Porque fez um “acordão” para segurar o julgamento da ADI enquanto o Congresso Nacional, “liderado” pelo Cunha/Renan, o PMDB e PSDB aprovam uma PEC constitucionalizando o financiamento de campanhas políticas pelo Poder Econômico. E daí? Caso seja aprovada, ADI 4650, proposta pelo OAB, CNBB e MCCE perderá o OBJETO e voltaremos a ESTACA ZERO! E o que ele, Gilmar Mendes, ganha em troca? A aprovação da PEC da Bengala e mais cinco anos para ele e seus compinchas no STF, STJ, TRF’s, TCU’s enxovalharem o nosso tribunal maior. Por quê? Eles têm MEDO que numa nova composição do STF com os novos indicados pela Presidente Dilma haja uma Revisão Criminal das penas aplicadas aos condenados no Mensalão devido a ocultação do laudo 2828 e os do Inquérito 2474 da PF pelo Joaquim Barboza e eles sejam declarados inocentes! E caso isso acontecesse seria uma completa desmoralização da Mídia Hegemônica, Rede globo à frente e dos próprios ministros que os condenaram. Ok? Agora alguém acredita que sem a adoção desta providência, fim da interferência do Poder Econômico, uma Reforma Política teria sucesso? A corrupção seria extirpada? Aproximaria “representantes” (políticos) de “representados” (eleitores), se àqueles somente se sentem vinculados a quem financia sua campanha? Se você respondeu “SIM” a essas questões, então meus parabéns! Você já pode esperar pelo “coelhinho da páscoa”! Ah, sim o Pacote Anticorrupção ajuda, mas não é uma panaceia que resolve todos os males e a Dilma e o PT já se convenceram disso. Por quê? Porque SEMPRE tem alguém testando os limites da Lei, e não é só no Brasil, não! E ainda com 5500 municípios, 27 estados e milhares de servidores do governo federal, e centenas/milhares/repasses de recursos de convênios não há PF ou MP ou CGU que dê conta do recado! Pronto falei! Por último, quero muito ver o Congresso Nacional aprovar o item 5, ou seja, a criminalização do enriquecimento ilícito. É sabido que nossos digníssimos Congressistas há anos enrolam para não aprovar essa lei por razões óbvias. Ficaremos de olho!

    • poliana Postado em 18/Mar/2015 às 19:18

      onda, só nos resta saber se o CN vai aprovar esse pacote "anticorrupção"...aguardemos.

  4. poliana Postado em 18/Mar/2015 às 20:04

    vc nunca tá satisfeito com nada né, naro?! o pontapé inicial precisa ser dado, alguma coisa tem q ser feita. ou vc quer q nada seja feito e deixemos tudo como está? por ora, é o q temos...só nos resta saber se o CN irá aprovar...

  5. Onda Vermelha Postado em 18/Mar/2015 às 20:31

    Pois bem, gostaria de ouvir suas propostas para o Combate à Corrupção no Brasil? Vocês as têm?

    • poliana Postado em 18/Mar/2015 às 21:59

      naro, q tal tb pedir a prisão dos mensaleiros tucanos e democratas? pra vc, basta a prisão dos mensaleiros do pt!?

    • Onda Vermelha Postado em 18/Mar/2015 às 23:15

      Kkkkk! Genial Naro! Sua única proposta seria "cumprimento efetivo das leis já existentes"? Porque não pensamos nisso antes? Nossos problemas para o combate a corrupção acabaram! Você é um ser iluminado...um talento perdido! Por que os gestores públicos nunca pensaram nisso antes? Já sei! Porque eles são petralhas...realmente você comprovou que você não é sério. E não faz o menor esforço intelectual para valorizar o tempo daqueles que, honestamente, buscam debater aqui. Boa noite!

  6. Thiago Teixeira Postado em 19/Mar/2015 às 07:57

    As pessoas ficam falando GLOBO, GLOBO, GLOBO ... mas a mídia golpista numero 1 é a BAND. Ontem no jornal da band fizeram a apresentação mais morfética, desonesta e tendenciosa da história da televisão. Estrearam com a Operação Lava jato, lógico de praxe, o ancora era o BOICHATO, e depois outras noticias negativas, fizeram um bloco exclusivo do programa mais médicos. Pegaram 2 políticos da oposição descendo a lenha no programa, mais um representante dos médicos brasileiros, todos falando contra, e mais o repórter repetindo as falácias dos opositores como se fossem verdades absolutas e incontestáveis. Nas imagens só mostraram os cubanos descendo de avião, só descendo do avião, tipo assim: "Olha, os comunistas estão invadindo o Brasil". Não mostraram nenhum médico em atividade, nenhum depoimento da população atendida, nenhum depoimento do governo ou político da base aliada, tudo contra, tudo negativo. A Globo pode ser o que for, mas em todas as reportagens eles mostram (claro, eles roubam no tempo e cortam as partes ruins dos peixes deles e procuram gafes dos inimigos governistas) duas opiniões. Ontem na banda foram 4 X 0 opiniões contra o programa Mais Médicos. Não satisfeito da palhaçada, o BOICHATO deu um comentário longo, tendencioso e golpista. Se a droga, o lixo, a porcaria, o frouxo desse governo não se impor, não responder a altura a essa Rede Bandeirantes da Televisão, não será concluído o mantado mesmo, e todo país mergulhará numa crise gigantesca. Falta pulso firme nesse acomodado ministro das Comunicações. Estamos perdidos.

    • Onda Vermelha Postado em 19/Mar/2015 às 11:17

      Thiago também vi essa "reporcagem" da Band espinafrando o Programa Mais Médicos levantando suspeitas de beneficiamento proposital de Cuba a partir de uma gravação clandestina. De meu ponto de vista não vi nada de irregular, mas Fábio Pannuzio fez um "carnaval " e a oposição já voltou ataque ao programa usando da retórica paranoica anticomunista, Cuba, bolivarianismo, blábláblá! Isenção e equilíbrio da cobertura jornalística ZERO! E o coxinha-mor dos Olavetes, Felipe Moura Brasil, e blogueiro da Veja já postou naquele lixo. Logo, logo os Olavetes viram para cá pro PP atazanar. A verdade é que fora do período eleitoral só um partido, só um lado, o da oposição com o PIG usa o espectro eletromagnético para fabricar a sua versão dos fatos. Essa é a realidade e romper esse cerco é uma tarefa nada trivial. Acho que só a aprovação de uma Lei de Meios salva!

      • Onda Vermelha Postado em 19/Mar/2015 às 11:53

        Ok, Naro! Obrigado!

  7. João Paulo Postado em 19/Mar/2015 às 08:40

    As únicas novidades são a ficha-limpa para servidores e a tipificação do enriquecimento ilícito. Além disso, apenas um ou outro ponto parece inovar a legislação vigente (perda de bem independente de responsabilidade civil e criminal) As demais propostas não acarretam mudanças. Existe legislação para punir crimes eleitorais, tais sugestões não são importantes. E a indisponibilidade de bens e alienação antecipada já são possíveis há décadas. Considerando nosso benevolente sistema penal, seis anos de reclusão nada é (no fim, cumpre-se, quando muito, um ano). A lei de execuções penais é que deve ser reanalisada, suprindo benefícios de redução de pena e aplicação de penas alternativas para aqueles que cometerem crimes que envolvam o erário público.

  8. Rodrigo Postado em 19/Mar/2015 às 10:22

    (Outro Rodrigo) O problema, na verdade, são vários. Não impeditivos nem como crítica dirigida a Dilma, mas apenas para refletirmos. Um exemplo é a pena de perdimento de bens já existe no Código Penal, faltando, sim, efetividade. De outro lado, salutar o aumento de pena para enriquecimento ilícito por funcionário público. E, cabe lembrar, Lula, logo após o "mensalão" e ao lado de Dilma, também anunciou envio de proposta contra a corrupção ao Congresso, agora Dilma fazendo o mesmo (Zero Hora, 15/07/2005 - foram Dilma e Lula, mas, claro, poderia ter sido qualquer outro, Aécio ou FHC, para eventualmente tentar desviar o foco e aparentar atenção para com o problema). Meu receio, pois, é que seja mais um jogo de cena, em vez de buscarmos dar efetividade às normas que já temos. É o de que, pois, sigamos como um país de imensa profusão legislativa, em que (desde) sempre é criada uma nova lei, em vez de ser buscada a verdadeira razão da não ou pouca efetividade das já existentes. De todo modo, desejo que seja uma boa proposta e, mais, faço mais uma sugestão: que o programa de computador usado para descobrir a máfia do ISS (cruzamento de dados), pela Prefeitura de SP (gestão Kassab), agora cedido para o Governo de Minas, seja disponibilizado para todas as administrações do país, municipais, estaduais e mesmo Governo Federal. O sucesso do programa não precisa ficar concentrado apenas na Prefeitura paulistana e no Governo mineiro.

    • Onda Vermelha Postado em 19/Mar/2015 às 11:50

      Rodrigo ( o outro) o combate o corrupção não se esgota com uma lei. É um processo que pode e deve ser aperfeiçoado. Ademais é sabido que o CN vem empurrando com barriga a aprovação /tramitação de muitas delas, como a que pune o enriquecimento ilícito porque os parlamentares e seus parentes seriam os principais atingidos. Portando, a bola agora está com Congresso. Até onde sei esse software de cruzamento de dados, originalmente, era da CGU. Logo, do Governo Federal. E será que os demais entes federados tem real interesse em realizar uma investigação de seu pessoal? Duvide-o-do! Ofereça ao Alckmin... Hehehehehe!

      • Rodrigo Postado em 19/Mar/2015 às 16:55

        (Outro Rodrigo) A Administração paulistana celebrou convênio com a mineira. Quanto aos demais, já foi oferecido? Ou já dá para baixar na internet? Ironias à parte, o uso de programa governamental depende de convênio a autorizar os moldes da cessão, bastando marcar dia e hora, convidando governadores e representante da associação de Prefeitos (em função do elevado número) - basta, ao titular do programa, oferecê-lo. E, reitero, em governo anterior já foi enviada a proposta, ou seja, em vez de "enviar de novo", por que não buscar o andamento da anterior e ver se precisa de atualização, melhoria? Sob pena de o tempo passar, todo esse alvoroço esfriar... E permanecer na mesma gaveta que a proposta anterior. Huhuhuhu (não sei do que estamos rindo, mas talvez seja de nervoso).

      • Rodrigo Postado em 19/Mar/2015 às 17:22

        (Outro Rodrigo) Você poderá, em resposta, dizer: "ah, mas ele não pede". Aí tornamos ao "jogo de empurra-empurra".

      • Rodrigo Postado em 19/Mar/2015 às 17:25

        (Outro Rodrigo) Ah, já ia me esquecendo: claro que o combate de qualquer conduta criminosa não se esgota com uma lei, mas principia com a busca da efetividade da mesma.

      • Onda Vermelha Postado em 19/Mar/2015 às 19:03

        Rodrigo (Outro Rodrigo) no mundo ideal seria recomendável que todo gestor público tivesse essa preocupação com a coisa pública, mas no mundo real nós sabemos que não é bem assim. Não por outra razão, vivemos uma crise de representatividade (e/ou valores) que está paralizando ou postergando as soluções para o país. Daí todos(ou quase todos) concordam com a urgência de uma Reforma Política, mas ninguém, com exceção do PT e dos partidos de esquerda, quer dar o primeiro passo fundamental de romper com financiamento de campanhas políticas por empresas privadas. Quanto a este software de cruzamento de dados patrimoniais, em particular, não sei se foi oferecido a outros entes. Mas outro programa federal pouco falado, mas muito bom chamado “Cidades Digitais”, oferece sim um conjunto de softwares de gestão que é fornecido, gratuitamente, aos municípios contemplados, juntamente com a infraestrutura de rede e fibras óticas. Ok? Além disso, existem dezenas de excelentes programas federais, mas em muitos casos, senão todos, a adesão NÃO é obrigatória, como o Mais Médicos. Cabe a cada um dos 5570 municípios buscar aquele que for de seu interesse. Quanto ao Pacote Anticorrupção é verdade que algumas propostas já estão em tramitação no CN, mas agora receberam a chancela do GF e, provavelmente, o carimbo de “urgência constitucional” que irá acelerar ritos legislativos e dificultar que sejam “engavetadas” em alguma Comissão Legislativa. Ah, não estou rindo de você, mas da nossa própria má sorte de vivermos em um tempo em que a nossa geração(e classe política) não consegue sair do impasse e impulsionar as mudanças que necessitamos. Ainda acho que tá faltando povo na rua exigindo mudanças. Sem pressão vai ser difícil sair alguma coisa de bom desse Congresso atual.

      • Rodrigo Postado em 20/Mar/2015 às 11:44

        (Outro Rodrigo) "Onda", bem resumido, mesmo porque sei que você não é mau intencionado, nem eu mesmo o sou. Não é necessário, pois, idealismo, pois uma convocação para convênio já seria constrangimento suficiente a Governadores, no sentido da aceitação, tendo-se em mente a eficiência da ferramenta (se foi a Prefeitura paulistana, se foi a CGU que o desenvolveu, parabéns a quem de direito) - não ficaria restrita ao Governo mineiro, atingindo o paulista, o baiano e todos os demais (há o cidadão corruptor, claro, bem como o funcionário público ou agente político corruptor ou que aceita ser corrompido, a ferramenta servindo a evitar a discussão sobre "quem veio primeiro: o ovo ou a galinha?"). Quanto ao programa "cidades digitais" eu não o conhecia e dou os parabéns, de outro lado eu conhecendo os projetos de administração de parte da verba escolar por pais de alunos, o que é de extrema importância - o pai se envolve na vida escolar e administrativa de sua comunidade, em contato com o gestor público. E, apenas como adendo, ontem conversava com uma arquiteta de prefeitura e ela me dizia quanto a verbas federais: o Governo disponibiliza para a construção de um hospital/creche/outro projeto, mas muitos municípios aplicam mal por não calcular o quanto gastarão para manter a estrutura de funcionamento (por isso hospitais, creches etc. são concluídos, mas jamais (ou por longo tempo não), funcionam. Então, concordo contigo ao final, que nossa participação política acaba sendo realmente risível. Não nos integramos à administração municipal, não nos inteiramos dela, o que dirá das administrações estadual e federal. Bom, ambos aqui de boa-fé, reitero os votos de que o pacote seja bom (não torço contra, pois o eventual insucesso atingirá a todos, inclusive a mim), bem como os votos de se insistir na efetividade das normas já existentes, aqui falando por experiência própria (sou Advogado e vejo o quanto clientes, especialmente os de baixa renda, sofrem com as diversas falhas na aplicação das leis - caso recente de um tio, que comentou comigo que a ação anulatória por ele proposta foi julgada no final do ano passado, 30 anos após o início da mesma). Abraços e bom final de semana.

  9. noel maia Postado em 19/Mar/2015 às 11:47

    O problema aqui nao e se aprovam ou nao essas medidas. A desgraca aqui e que se aprovado os implicados que julgarao os culpados , sao todos aliadoa e devedores do GOVERNO. Por ja se determina a classe de retorica que vai existir se o implicado pertence a esta casta de Politicos corruptos, seja qual for o Partido......

  10. eu daqui Postado em 19/Mar/2015 às 12:09

    Faltou incluir no pacote a crminalização do asse´dio moral contra os servidores que se recusam a se corromper.

  11. Thiago Teixeira Postado em 19/Mar/2015 às 17:05

    11- Você é coxinha.

    • JS Mill Postado em 19/Mar/2015 às 20:43

      hahahahahahahahaha Concordo com tudo que o Naro disse. A ignorância atinge ambos os lados da discussão, e ambos também mostram dificuldade para assumir isso. Mas pela primeira vez achei engraçada a piada do coxinha... Timing perfeito, Thiago. Demais! hahahahhaahah

  12. Onda Vermelha Postado em 19/Mar/2015 às 19:18

    Acho que é "alienado" é quem propõem trivialidades como "redução de ministérios", vai a Marcha do dia 15 de Março e não se pergunta porque uma parcela de nossa classe política, notadamente a oposição(PSDB, DEM, PPS, SD) e do PMDB não quer o fim do financiamento de campanhas políticas por empresas privadas, apesar de fartas evidências que demonstram a clara relação com casos de corrupção pais afora. Além disso, sequer propõe algo ou levanta uma faixa cobrando zelo com o dinheiro público quando o escândalo atinge a oposição.

    • Onda Vermelha Postado em 19/Mar/2015 às 20:52

      Rodrigo muitos especialistas em gestão já opinaram sobre essa questão, e boa parte deles não vê como a pura e simples redução de ministérios vá resultar numa queda significativa de despesas. Mas como marketing eleitoral a oposição usa muito bem deste recurso, que sabemos, quase sempre inócuo dadas as reais necessidades de recursos da máquina pública. Chamam de "choque de gestão" e nós sabemos aonde isso levou as finanças de Minas Gerais e do Paraná e a qualidade do serviço público. Não é mesmo? Será que o PMDB aceitaria começar essa redução de ministérios sobre aquelas pastas em que está à frente? Duvide-o-dó! Isso não significa que não se deva buscar sim uma racionalização da gestão pública com a redução de ministérios e/ou cargos comissionados. Só não se deve enganar o distinto público como se isso fosse o "manjar dos deuses" que irá resolver todos os nossos problemas. Bota fé! Não vai! Já o “loteamento político” que ocorre em todas as esferas de governo(estadual, municipal), e não somente em nível federal com o qual, em parte, não concordo, mas entendo sua existência é fruto de um sistema político quase caótico que se recusa a encarar uma Reforma Política digna desse nome. Dilma não tem como fazer milagres se para aprovar aqueles compromissos assumidos em campanha é “obrigada” a negociar, pontualmente, com quase TRINTA partidos políticos representados no Congresso. Ok?

    • Onda Vermelha Postado em 20/Mar/2015 às 19:01

      Não Naro. Novamente você se equivoca. O PT já defendia o FIM do financiamento de campanhas políticas por empresas privadas muito antes de chegar ao Planalto Central. E naquela época a disputa já era desigual porque o Poder Econômico temia o PT e não queria financiar um partido político que se dizia DOS TRABALHADORES. Hoje, pelo contrário, ele é um dos maiores beneficiários deste sistema porque é um dos partidos que mais recebe doações privadas por causa da EXPECTATIVA de PODER, conforme pode ser observado pelos prestações de contas apresentadas ao TSE. O problema é que tanto no passado como no presente esse modelo de financiamento INDUZ, fortemente, a CORRUPÇÃO em TODOS os níveis de governo: federal, estadual e municipal. E isso atinge a todos os PARTIDOS, sem exceção! As campanhas se tornaram proibitivamente caras, o que alimenta o moinho da corrupção. Portanto, meu caro, essa proposta não é um “santo graal”, não resolve todos os problemas! É preciso aperfeiçoar os mecanismos (e instituições) de combate à corrupção e os desvios como o Pacote Anticorrupção proposto, mas é algo perfeitamente lógico imaginar que aquele político que não se eleger “devendo favores” aquele empresário que financiou a sua campanha, não terá razões objetivas para desviar recursos públicos em benefício deste correndo os riscos que a lei impõe. Quem se opõe a essa proposta cai sempre no argumento que virou “lugar comum” de dizer que o PT será o “único” beneficiado esquecendo que TODOS os partidos receberão recursos públicos segundo sua representatividade tal como já ocorre nos dias de hoje e ninguém questiona como é feito. Logo, será preciso arranjar outro argumento mais sólido para continuar tapando os olhos de parte significativa da sociedade de que é melhor gastar um pouco mais agora para termos políticos mais comprometidos com quem, de fato, o elegeu pelo voto popular, do que aquele empresário que financiou a sua campanha e, posteriormente, EXIGIRÁ do eleito muito mais do que aquilo que a sociedade estava disposta a gastar para que este pensasse SOMENTE no bem comum, não em benefício particular. Cabe lembrar que isso é adotado em grande parte das democracias maduras europeias que tiveram problemas semelhantes aos nossos com corrupção e souberam superar esse problema, que embora ainda exista, mas passou a ser pontual.

    • Onda Vermelha Postado em 20/Mar/2015 às 21:02

      Naro isso é uma aposta? Correto? Ou você tem uma “bola de cristal”? Sem dúvida eles tentarão! Isso é uma cultura e levará algum tempo, quanto não sei, para que tenhamos uma classe política que, majoritariamente, se paute sempre pelo bem comum e visando o mais alto interesse público. Corrupção NÃO é um fenômeno novo, nem é exclusividade do Brasil e nem está presente SOMENTE no Poder Público, como alguns pretensamente querem nos fazer quer. Alguém SEMPRE estará testando os limites da lei, caminhando no fio da navalha e se arriscando a ter mais do que lhe convém e de direito acreditando que o “crime compensa”. Mas o “cerco está se fechando”! Afinal, em que momento de nossa história pregressa você viu grandes empresários, auditores fiscais, políticos, juízes sendo processados e presos como nos últimos 10 anos? Há muito que se fazer! Mas afirmar que somos o “país da impunidade” já não é mais uma verdade quase absoluta, a não ser quanto se trata de punir tucanos. Esses, por enquanto, ainda estão livres da grande maioria de seus crimes, infelizmente! São “blindados” pela mídia aliada, por parcelas do MP, do Judiciário, agora sabemos, também da PF. É o “status quo” reagindo e tentado se manter atuante pousando de ético para manter seus privilégios. Sempre foi assim! Por isso, o Brasil foi um dos últimos países do planeta a abolir a escravidão, não fez uma Reforma Agrária, não puniu os seus militares que torturam e assassinaram seus cidadãos! A sociedade precisará se convencer que esse modelo "novo" de financiamento público de campanhas DESESTIMULARÁ a cultura do "jeitinho" e das "pessoas que SEMPRE tem que levar uma vantagem em tudo, certo?". E para isso será preciso OUSADIA, pensar “fora da caixa” como se diz por aí. E projetar uma “visão de futuro”! E, principalmente, não se deixar levar pelos argumentos fáceis e atraentes daqueles que querem “manter tudo como está para depois ver como é que fica”, ou seja, NADA MUDAR, EMPURAR COM BARRIGA! Até porque o modelo atual, todos sabemos bem como funciona, e está FALIDO. Essa mudança será o “legado” de nossa geração para as gerações futuras deste país! Ou alguém aí deseja voltar ao passado?

    • Onda Vermelha Postado em 22/Mar/2015 às 14:16

      Kkkkkkk. Ah, Naro! Acredite! Não tenho a menor pretensão de "convencer" você a nada. Apenas temos pontos de vista diferentes também nesta questão. Você é um caso perdido. Afinal, o que esperar de alguém que tem como ídolo Jair Bolsonaro? Hehehehehe!

  13. Silva Postado em 20/Mar/2015 às 07:36

    Naro você é coxinha em tempo integral! Fecha os olhos ao que ti convém e arregala o olhão só quando a corrupção tem algum envolvido do PT. Não tem problema em assumir um lado é seu direito, mas hipocrisia é tipico de coxinha, você não foge a regra.

  14. Luís Postado em 21/Mar/2015 às 09:33

    Repare-se no comportamento indignado e furioso do militantezinho após alguem sugerir o corte de ministérios, redução de gastos. Na mesma época que Thomas Traumann admite que o PT paga centenas de blogs, jornalistas chapa-branca e manés na internet para fazer propaganda virtual. Coincidência?

    • Onda Vermelha Postado em 22/Mar/2015 às 10:05

      Kkkk. Furioso? Euzinho? Vejam mais um exemplo de indicação seletiva daqueles que fecham os olhos aos milhões em publicidade estatal, dinheiro público na veia, dos governos tucanos no PIG. Quer reduzir gastos? Corte as assinaturas da Veja, Folha, Época, Estadão, etc das centenas/milhares de escolas e partições públicas do Tucanistao. Mas em vez disso quer eliminar a pífia concorrência dos blogs ditos "sujos" e a pluralidade de idéias. Democrático não?

      • Onda Vermelha Postado em 22/Mar/2015 às 10:44

        Erratas: 1 - exemplo de indignação seletiva. 2 - repartições públicas.