Nicolas Chernavsky
Colaborador(a)
Compartilhar
Direita 09/Mar/2015 às 19:24
22
Comentários

Conservadorismo quer fim da reeleição por causa de Lula

No meio da reforma política conservadora que paira no parlamento, o fim da reeleição significaria reduzir de 24 anos para 20 anos seguidos o horizonte mínimo provável de governos progressistas no Brasil iniciados em 2003, pois no caso de Lula ser eleito presidente em 2018, sem reeleição ele não poderia tentar um novo mandato em 2022

lula conservadorismo direita brasil

Nicolas Chernavsky*

Os movimentos políticos têm motivos visíveis e motivos ocultos. No caso da proposta de acabar com a reeleição no Brasil, os motivos visíveis podem ser vários, mas o grande motor da proposta é um motivo oculto quase impronunciável: impedir que Lula possa tentar a reeleição em 2022, no caso de ser eleito presidente do Brasil em 2018. Afinal, é disso que se trata a grande política: que maioria vai ser formada no comando do Estado? Uma maioria com a parte mais progressista do espectro político, ou com a parte mais conservadora do espectro político? Assim, as propostas, manobras, movimentos e alianças que vemos todos os dia na política brasileira acabam se referindo ao grande xadrez que vai determinar o grau de progresso com o qual o país vai avançar nos próximos anos e décadas.

Como se compõe esse xadrez? Quem somos nós nessa disputa? Quem são os dois conjuntos de peças que fazem parte dessa disputa? Somos ou de um conjunto ou de outro ou podemos ser dos dois? Como usar essa grande metáfora do milenar jogo de mesa para ajudar a entender as disputas políticas?

Em primeiro lugar, vamos substituir a dicotomia de “peças brancas e pretas”, que neste contexto podem adquirir uma conotação racista, pela de “peças progressistas e conservadoras”. Assim, este xadrez político têm estes dois conjuntos de peças. Isso não quer dizer que cada pessoa seja uma peça, que cada partido seja uma peça ou que cada entidade da sociedade seja uma peça; quer dizer apenas que as forças fundamentais que disputam a política são essas, o progressismo e o conservadorismo, e aqui vem o principal: um jogo de xadrez como este também é jogado dentro de cada pessoa, de cada partido e de cada entidade da sociedade. A resultante deste xadrez interno é o que vai determinar se a pessoa, partido ou entidade vai fazer parte das “peças progressistas” ou das “peças conservadoras” no xadrez geral. Se o jogo de xadrez interno muda, uma pessoa, partido ou entidade pode deixar de ser progressista e passar a ser conservador, e vice-versa.

Leia aqui todos os textos de Nicolas Chernavsky

Assim, quais são as principais peças do grande xadrez da política brasileira atual? A rainha – ou seja, a “peça conservadora” de maior importância depois do rei – é a farsa do “mensalão”, que permite a continuidade da cisão entre PT e PSOL e permite reforçar o tradicional argumento dirigido pelo conservadorismo a todas as forças progressistas do mundo: o argumento da moralidade. Liberdade e igualdade sexuais? “Imoralidade”. Liberdade e igualdade religiosas? “Imoralidade”. Liberdade e igualdade de liberdade de expressão? “Imoralidade”. Liberdade e igualdade econômicas? “Imoralidade”. Liberdade e igualdade de organização política? “Imoralidade”. Para defender essa “rainha conservadora” (o “mensalão”) há vários “bispos, cavalos e torres conservadoras”, como por exemplo a tentativa de estender por cinco anos os mandatos dos atuais ministros do STF, adiando a renovação desta corte e assim dificultando que na revisão criminal, condenações a petistas na AP 470 sejam revertidas.

E quem é o rei, a peça mais importante do conservadorismo no xadrez da política brasileira atual? É aquela entidade que embasa a opinião de corações e mentes: os meios de comunicação. Dentro desta peça, está sendo jogado um xadrez interno em que, por enquanto, estão vencendo as “peças conservadoras”. Mas nos últimos anos, novos ventos da Internet têm gerado uma mudança nesse jogo, e as “peças progressistas” estão ganhando cada vez mais terreno. O grande desafio do progressismo brasileiro é vencer o “rei conservador”, e neste xadrez, o da realidade, a forma de fazer isso é que dentro do “rei conservador”, o progressismo vença. Complexo? Bem-vindos ao xadrez da política. Ah, e quem ou o quê é o “rei progressista” no Brasil de hoje? Para saber a resposta, responda a essa pergunta: quem ou o quê o conservadorismo mais ataca hoje em dia no país?

*Nicolas Chernavsky é jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP), editor do CulturaPolítica.info e colaborador do Pragmatismo Político

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. adriano Postado em 09/Mar/2015 às 20:50

    Meu voto é Lula 2018!!!

  2. jarau Postado em 09/Mar/2015 às 21:16

    LULA la lula la lula la, 2018, 2018, 2018

  3. Thiago Teixeira Postado em 09/Mar/2015 às 21:39

    2018 e 2022 já era. Basta a mídia golpista e a elite sonhar com 2026 e olha lá!!!!

    • Carlos Correa Postado em 10/Mar/2015 às 02:03

      2026 é o Haddad presidente.

  4. Carol Postado em 10/Mar/2015 às 01:02

    Esse texto não chega nem perto da realidade.

  5. Gustavo Postado em 10/Mar/2015 às 08:58

    É melhor irem acostumando com a ideia pra depois aceitarem melhor e não ficar com estas paranoias de impeachment. Não há outro líder. Vocês não conseguem construir nenhum até 2018. Nem com a ajuda da mídia. É Lula lá. 2022 é Hadaad.

  6. isaac Postado em 10/Mar/2015 às 09:03

    Depois dos seguidos escândalos. Depois de estar mais que provado que PSDB, PT e PMDB são partidos extremamente corruptos Depois de ficar mais que evidente que a nossa classe política está mesmo é preocupada consigo mesmo. Como que ainda existe pessoas disposta a defende-los? Vocês são idiotas? É por culpa gente como vocês que nossos políticos são corruptos desde sempre.

    • poliana Postado em 10/Mar/2015 às 11:10

      isaac, vc tem a fórmula mágica para o fim da polarização no cenário político nacional entre pt e psdb, e q já existe a 20 anos?????????? se vc tiver, por favor, publique aki..precisamos acabar com ela..mas enqto ela existir....o q vc sugere, dentro do nosso contexto político? enqto n houver uma profunda reforma eleitoral nesse país, ficaremos eternamente nesse pingue pongue...e quem é o responsável por aprovar essa reforma eleitoral???????

      • isaac Postado em 10/Mar/2015 às 14:18

        Concordo, nossa política merece uma reforma urgente. Contudo, a simples reforma política é inútil enquanto estivermos preenchendo os cargos de maior importância do país com abutres corruptos. Novas eleições ocorrem periodicamente mas as caras continuam sempre as mesmas.

  7. André Postado em 10/Mar/2015 às 09:46

    Mas lá no passado, o PT foi contra a reeleição. E agora não querem largar o osso? Como pode?

    • poliana Postado em 10/Mar/2015 às 11:07

      o psdb está provando do próprio veneno, meu caro! foi o "querido" fhc q comprou os votos dos congressistas, pra q eles aprovassem a emenda constitucional (algo absolutamente inconstitucional) da reeleição! agora aguentem...o mundo dá voltas hein! e ainda q haja o fim da reeleição, n se preocupe, o pt ficará pelo menos, até 2022 no poder!!!! PSDB, JAMAIS!!!!!!!!!!!!!!!

    • poliana Postado em 10/Mar/2015 às 12:24

      o psdb fez isso há tempos!!! só sobrevive por conta da blindagem da mídia!

    • poliana Postado em 10/Mar/2015 às 15:19

      ah, ok, pelo menos vc reconhece q o psdb perdeu sua biografia há muito tempo. q bom...e sim, o pt está indo pelo mesmo caminho, mas ainda é muito menos pior q o psdb...mas insisto nessa questão: por favor, se vc ou qq pessoa souber a fórmula mágica pra acabar com essa maldita polarização, por favor, divulgue-na! precisamos dela com a máxima urgência!!! mas psdb, NUNCA MAIS!!!!!!!

  8. Rodrigo Postado em 10/Mar/2015 às 10:48

    Lula em 2018!

  9. poliana Postado em 10/Mar/2015 às 11:06

    gente, vcs viram a entrevista do fhc ao msn? cara, q nojo desse crápula! ele teve a cara de pau de dizer q NUNCA quis privatizar a petrobras! q é a estatal é um patrimônio nacional...disse q isso foi invenção de lula e do pt!! meu deusssssssssssssssssssssssss!!! é o cúmulo do mau caratismo! q nojo desse homem!!!!!!!!!!!!!!! é isso aí, LULA 2018!!!!!!!!!!

    • poliana Postado em 10/Mar/2015 às 12:23

      muito bem obrigada? uma estatal q valia 90 bilhões foi vendida a 3 bilhões...e vc acha ok? vc n percebeu a mentira na cara dura desse homem? ele disse q JAMAIS pensou em privatizar a petrobras, e ainda disse q isso foi invenção de lula e do pt...n tem nem o caráter e a ombridade de sustentar seus posicionamentos...esse é o "grande" fhc!!!!!!! mau caratismo define!!!!!!!!!

    • poliana Postado em 10/Mar/2015 às 15:21

      então o psdb n tem mais o seu voto?

    • poliana Postado em 10/Mar/2015 às 17:08

      sim, sou a favor da alternância tb, mas n pra regredirmos e voltarmos a era tucana. sou a favor de tirar o pt do poder, mas pra colocar outro partido, q não o psdb! alternar pra voltar pra um passado trágico e n tão distante, não, obrigada. prefiro continuar com o pt. mas desejo, de coração, q o psol se torne um nome forte na sucessão do pt. a era pt vai acabar sim, mais cedo ou mais tarde. isso é invitável..e qdo esse dia chegar, q o psol tenha forças suficientes para assumir o planalto..mas PSDB, NUNCA MAIS!

    • Elias Montakis Postado em 11/Mar/2015 às 13:58

      Meu caro Rodrigo! Voce sabia que a Vale do Rio Doce foi privatizada e paga com dinheiro da Uniao? Leia e se instrua um pouco mais. Por que em materia de asnice neo liberal, este blog esta infestado!

  10. R.R.Rocha Postado em 10/Mar/2015 às 11:07

    Votei no Lula em 2002 e 2006. Na Dilma em 2010 e 2014. E, por mais incoerente que possa parecer, sou extremamente contra a Reeleição. E não apenas para o Executivo. Por mim, político deveria exercer apenas 01 mandato em cada cargo eletivo, no MÁXIMO!!!

  11. Onda Vermelha Postado em 10/Mar/2015 às 18:03

    Um aspecto relevante do post do Nicolas Chernavsky que para mim representou uma novidade é justamente a revelação de que a urgência da tramitação e aprovação da famigerada PEC da Bengala é impedir que numa provável Revisão Criminal a luz dos processos (e laudos) que foram, deliberadamente, omitidos por Joaquim Barbosa na AP470 os condenados venham a ser inocentados diante de uma nova composição de parcela significativa do STF que não teria tanto compromisso com o Julgamento de Exceção, o Mensalão, patrocinado e apoiado pela Mídia, “o rei conservador”. Ou seja, é importantíssimo para a Mídia Hegemônica manter a versão de que uma "quadrilha se apossou do poder" insistindo na tese da criminalização do PT e dos movimentos sociais. Afinal, essa tese se desmoronaria diante de grande parte da sociedade se viessem à tona as ilegalidades flagrantes daquele julgamento e a mídia poderia ser co-responsalizada pelo seu desfecho, tal como sabemos hoje que ocorreu também no apoio ao Golpe Civil-Militar de 1964. Agora pelo menos caiu a ficha pra mim! Não estava compreendendo a razão de tanta pressa na aprovação da PEC...

  12. Roberto Pedroso Postado em 11/Mar/2015 às 10:27

    A pressão por parte da sociedade civil organizada no sentido de se aprovar uma reforma politica urgente é legitima e necessária a questão é que o expediente da reeleição é usado como meio para a criação do politico profissional que inserido dentro do contexto do poder legislativo enseja a formação de políticos compromissados apenas em legislar em causa própria, atuam de costas para os interesses da população e assim criam os meios e mecanismos necessários para perpetrar perniciosos atos de corrupção e crimes de lesa pátria,negar que o expediente da reeleição,principalmente no poder legislativo,gera as condições para transformar o parlamento em um iníquo balcão de negócios é negar a realidade dos fatos que estamos vendo e acompanhando.Deveria-se impor um limite para a reeleição principalmente no poder legislativo,os últimos escândalos de corrupção nos mostra isso.