Ediel Rangel
Colaborador(a)
Compartilhar
Mídia desonesta 10/Feb/2015 às 20:16
11
Comentários

Ou a TV tradicional muda ou acaba!

Hoje, todos podemos ser cinegrafistas, diretores, editores, atores e donos do nosso próprio canal de vídeo, mas mais importante ainda, donos de nossa própria programação de TV

televisão mídia globo sbt record band
Imagem: Nick Thompson – Creative Commons

Ediel Rangel*, Pragmatismo Político

É incrível como querem empurrar qualquer coisa para o público. Um bom exemplo é o programa da Fátima Bernardes, que a Rede Globo empurrou “goela a baixo” de seus telespectadores. E o mau gosto do BBB que nesta 15ª edição enfrenta um de seus piores níveis de audiência (1), como outro exemplo onde a qualidade é desprezada. Nas tão famosas manifestações em junho de 2013 alguns veículos de comunicação sentiram a fúria popular em relação à posição da mídia (2), tanto que a rede Globo cobriu as manifestações sem usar a logomarca em seus microfones e uniformes e, em poucos dias, o que era noticiado como vandalismo passou a ser chamado manifestações pacíficas (3).

Ao contrário de um processo que antes demorava dias ou meses, as notícias hoje não têm mais esse “tempo”. São para o AGORA. É muito rápida a forma como as notícias se espalham, sejam elas verdadeiras ou falsas, isso graças à internet. Mas o que quero ressaltar é que com o acesso das grandes massas a tecnologias como computadores, tablets, notebooks, Smart TVs e principalmente smartphones vai forçar uma mudança na maneira de “fazer imprensa”. Hoje temos mais opções. Seja de forma legal ou não.

De forma ilegal é, por exemplo, o GATONET, que poderia ser a 3ª maior operadora de TV a cabo do Brasil (4). Chamo atenção aqui não pelo ato de contrariar lei, mas para o fato de que uma boa parcela da população tem mais opções de canais, deixando os tradicionais SBT, Globo, Band e Record como segunda opção, o que pode explicar quedas nos atuais índices de audiência. Por outro lado, até o 3º trimestre de 2014 havia no Brasil 19.473.353 de assinantes de TV por assinatura (5), um número que cresceu mais de 500% nos últimos 10 anos.

Outro fator que chama a atenção é o crescente número de dispositivos de acesso a internet, como as Smart Tvs e os Smartphones. Segundo o Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br) a quantidade de domicílios que possuem acesso a internet é de 51% (85,9 milhões de pessoas) em 2014; e segundo o estudo do IDC Mobile Phone Tracker Q3 (6), foram vendidos 15.1 milhões de celulares inteligentes (os Smarts) entre os meses de julho e setembro de 2014, o que significa um crescimento de 11% na comparação com o segundo trimestre, e de 49% se comparado com o mesmo período do ano passado.

Em relação as TVs, a Philips diz que a venda de Smart TV está crescendo e já representa 80% de suas vendas (7) e com a expectativa de que de 35% a 40% dos televisores vendidos neste ano no mercado brasileiro seja de Smart TVs (8). Mas para quem ainda não tem essa tecnologia em sua TV, o Google lançou o Chromecast, que poderá transformar o aparelho em Smart TV: o Chromecast é do tamanho de um pendrive que se conecta à porta HDMI da TV e tem seu custo entre R$150 e R$250 (9).

Hoje já não são apenas as câmeras de canais de TV que fazem os registros dos acontecimentos, já não são mais as lentes de foto jornalistas a captarem de forma exclusiva, já não são mais os jornais impressos o grande intermediário da notícia. Vivemos hoje o verdadeiro Big Brother descrito no livro de Orwell, onde uma grande parcela da população possui aparelhos que filmam e fotografam.

É mais difícil mascarar uma notícia, perdeu-se a exclusividade. Não são necessários milhões de reais para se criar um canal de televisão: é de graça no Youtube. Os preços de bons equipamentos para a captação de áudio e vídeo estão cada vez mais baixos. Hoje os adolescentes criam estúdios de gravação em casa e fazem sucesso na internet. A TV tradicional está começando a perder espaço. O mercado para os canais online está crescendo, esses canais são livres, podem se expressar de uma forma que as garras impostas por uma imprensa sensacionalista não as prendem. Blog de notícias locais estão crescendo, até mesmo nas mais pequenas cidades brasileiras.

O acesso crescente à internet, as altas nas vendas de Smart TVs e Smatphones com acesso direto ao Youtube, por exemplo, são uma real ameaça para os canais tradicionais. Em um futuro não distante o telespectador assistirá os seus canais favoritos na internet; a produção independente crescerá muito, pois há rentabilidade nesses canais – aqui no Brasil chegam a ganhar mais de US$300.000,00 (trezentos mil dólares) por mês (10), fazendo desta uma atividade altamente lucrativa e com um público direcionado e fiel.

Dentro desta expectativa e crescimento tecnológico, a TV tradicional tem de mudar ou então fechar as portas. Tem de saber que manipular as massas ficará mais difícil, não é mais como antigamente, época na qual a informação era restrita. O povo não é bobo.

Hoje, todos podemos ser cinegrafistas, diretores, editores, atores e donos do nosso próprio canal de vídeo, mas mais importante ainda, donos de nossa própria programação de TV.

*Ediel Rangel é graduado em Sistemas de Informação pelo Instituto Doctum de Educação e Tecnologia, graduando em Ciências Contábeis pela UFVJM, mestrando em Tecnologia, Ambiente e Sociedade pela UFVJM, autor do Blog Ediel Rangel e colaborou para Pragmatismo Político.

Referência

(1) http://celebridades.uol.com.br/ooops/ultimas-noticias/2015/01/28/bbb15-comeca-como-pior-ibope-de-todas-edicoes.htm

(2) http://www.conversaafiada.com.br/pig/2013/07/03/manifestacao-contra-globo-e-a-emissora-transmissora/

(3) https://www.youtube.com/watch?v=3m-6C5A__CI

(4) http://olhardigital.uol.com.br/video/-gatonet-seria-a-3-maior-operadora-no-brasil/43965

(5) http://www.abta.org.br/dados_do_setor.asp

(6) http://br.idclatin.com/releases/news.aspx?id=1777

(7) http://www.tecmundo.com.br/philips/38757-philips-diz-que-smart-tv-esta-crescendo-e-ja-representa-80-de-suas-vendas.htm

(8) http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=185620

(9) https://www.google.com.br/chrome/devices/chromecast/

(10) http://olhardigital.uol.com.br/noticia/conheca-os-canais-que-mais-fazem-dinheiro-no-youtube/39775

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcelo Br Postado em 10/Feb/2015 às 20:24

    Legal, concordo com o texto, mas e ai ? Acha mesmo que a globo irá MELHORAR a qualidade dos programas? Pois gente capacitada eles têm, mas objetivo de criar programas mais interessantes acho pouco provável.

  2. Ana Carolina Postado em 10/Feb/2015 às 23:24

    a tv tradicional tem que mudar; o rádio tradicional tem que mudar. isso tudo a gente lê nos livros de comunicação há um bom tempo. a pergunta que me faço é: mudar o que? como? de qual maneira? ir por qual caminho?

  3. Marlus Postado em 11/Feb/2015 às 00:13

    Bom, então fazer regulação da mídia para quê, né?

  4. eu daqui Postado em 11/Feb/2015 às 09:31

    A tv deste país é tão m que basta saber que a programação do dia de folga da maioria que é domindo é a pior de todas.

  5. Jamilton Postado em 11/Feb/2015 às 11:33

    O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo. Seus dias de glórias estão contados, podem esperar. A difusão do conhecimento tem que continuar, seja nas escolas, em locais públicos, sindicatos etc. o filho do trabalhador tem que honrar o pai que tanto luta para manter as condições mínimas para que o filho estude. Não vamos nos deixar manipular. Vamos usar da própria arma do inimigo para mostrarmos a nossa força. Faço questão de registrar: votei na Dilma e defendo o seu governo com unhas e dentes.

  6. Guilhermo Postado em 11/Feb/2015 às 12:15

    Pra mim, TV, hoje em dia, é sinônimo de youtube! A tradicional televisão já não assisto há alguns anos. Esses dias tive a infelicidade de ver alguns minutos do programa da Fátima Bernardes. Cruzes, que coisa horrível! >.<

  7. Salomon Postado em 11/Feb/2015 às 12:52

    Pois se a internet é tão poderosa assim; se existem tão bons recursos fora da TV tradicional, por que não vemos hoje nenhuma mudança na consciência crítica do povo? Ora, se o povo deixa de ver o BBB pode estar a interagir com coisas ainda piores na própria internet. Ou então, por que não faz fruto a ausência de telespectadores? Esta tão grande e tão importante dúvida deveria ser a matéria de um outro artigo.

  8. Augusto Postado em 11/Feb/2015 às 14:37

    Não vejo TV aberta da mesma forma a muito tempo. Vejo jornal de vez em quando, (leio mais na INet) assisto uns programas idiotas e sem noção para rir tipo Panico. Se me perguntarem quais são os anuncios que passam na TV não sei responder, inclusive fico boiando quando o assunto é celebridades efêmeras. Tampouco assisto canais de TV paga, estão um Lixo tb. Prefiro assinar NETFLIX e escolher o que quero , se quero e quando quero. Baixo filmes e series que pesquiso e acho bons e vejo Youtube os canais que curto. Acho que tanto a TV aberta quanto a fechada TEM que mudar o NETFLIX e Youtube estão mostrando isso todos os dias. Mas mudar para quem? Para todos que leem este blog com certeza. Mas mudar para a massa ignóbil? Não, não vai mudar. As emissoras não são burras, enquanto venderem seus produtos, continuarão fazendo programas para as massas e as massas são ignorantes e querem ser enganadas, é mais fácil, não precisa pensar. Só é enganado quem quer ser. Enquanto tivermos pessoas ignorantes, manipuláveis, ingênuas e necessitadas isto não vai mudar. Basta ver o resultado das ultimas eleições, 54 milhões de pessoas enganadas pelo marketing.

  9. dr. João Postado em 11/Feb/2015 às 21:39

    Bonito texto e bem fundamentado, chega a ser romântico. Fico imaginando a próxima geração que está por vir. O que será, até então para mim, é uma incógnita. Uma geração que não estará nas mãos do governo e do poder midiatico. Serão eles realmente livres? Acredito que estamos caminhando em longos passos para um episódio importante na história da humanidade e, é até preocupante. Ao contrário de tudo e todo o bem imaginário, talvez virtual, de um mundo mais democrático nos barramos com o surgimento de um novo império muito mais poderoso que qualquer sistema de país ou governo. Um nova ordem mundial. Receio que estas empresas a serviço dos norte-americanos manifestem seu controle, nao muito diferente do que já fazem hoje, a exemplo de até mesmo neste momento deste simples post onde meu corretor ortográfico do Google (ele corrigiu em maiúsculas o próprio nome) saiba mais do que eu o que penso e quais meus interesses, além de obter em tempo real minha localização, saber quem são os meus amigos, minha família, idade, sexo e até mesmo as coisas / assuntos mais íntimos que procuro na Internet, prazeres, doenças e etc! Eles sabem mais que eu. 'Eles' são trilhões de algoritmos e bits de dados que te ou me constrói, rótula, embala e nos deixa a disposição de qualquer empresa, governo ou poder. Você acha que não está sendo manipulado? Já está.

  10. fernando Postado em 12/Feb/2015 às 04:27

    Na fonte citada, fui ver os canais que mais fazem dinheiro no ytube: pelo q vi, sao todos entretenimentos, e alguns, mesmo bem feitos, sao sem conteudo e objetivo definidos, ate pobres culturalmente. Acho q ate poderia concluir que, se o bbb migrar p ytube, pela facilidade e flexibilidade de o assistir, faria um maior sucesso.

  11. Paulo Fernando Postado em 12/Feb/2015 às 10:14

    Assim com as leis brasileiras que geralmente não funcionam e que por consequencia disso é que são aprovadas outras para poder terem eficácia e no final das contas ficam como se nada tivesse sido feito. Com os canais televisivos não é diferente. São criados todos os dias novos canais nos mais diversos meios de comunicação tentando melhorar a programação e acaba que a maioria ficam só na imaginação, pois na pratica é a mesma coisa que nos canais abertos.