Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 21/Feb/2015 às 13:00
171
Comentários

A grávida passista apedrejada no país do individualismo

grávida fabiana vilela samba desfila
Fabiana Vilela, a grávida destaque da Tom Maior (Foto: Caio Kenji/G1)

Vitor Farinelli, via Facebook

Sou surpreendido na manhã de terça-feira pelas cinzas prematuras do carnaval brasileiro. Nas redes sociais, o assunto desses dias entre os brasileiros é uma passista que desfilou grávida de sete meses.

Antes de ler os comentários, só pela foto, achei o máximo. Eu, com minha obesidade indisfarçável, sofro para subir três andares de escada, e essa moça consegue atravessar uma avenida grávida e sambando. Ela se chama Fabiana Vilela, trazia na barriga um menino, que se chamará Lorenzo, e foi um dos destaques da escola de samba Tom Maior, do carnaval de São Paulo. “Talvez tenha sido incômodo, certamente foi exaustivo, mas ela parece feliz, que bom pra ela”, pensou minha mente ingênua.

Mas no Brasil atual, onde não existe espaço para esse tipo de condescendência, Fabiana foi execrada. No Superior Tribunal das Redes Sociais, os juízes rugiam sua sentença como samba de uma nota só, baseado no argumento de que “é um absurdo que mulher grávida tenha privilégio de fila especial porque não pode esperar vinte minutos, mas possa desfilar sambando no carnaval”.

Eu, o inocente diante dessas mulheres grávidas mentirosas e trapaceiras, achei a ideia extremamente violenta. A primeira alusão que me veio à cabeça foi uma declaração do Bolsonaro para defender seu voto contrário ao pós-natal de seis meses, quando ele se definiu como um liberal, e que como tal precisava defender os interesses patronais, e para nenhum patrão vale a pena pagar tantos benefícios para um empregado, e que a nova lei faria das mulheres um estorvo no mercado de trabalho.

A defesa de Bolsonaro evidencia que ainda existe, em parte do empresariado brasileiro, essa ideia de que direito trabalhista é um estorvo, e uma funcionária mulher é um acúmulo de estorvos, porque se ela engravida não pode produzir e ele terá que continuar pagando. O desfile de Fabiana no Anhembi concretizou um pesadelo coletivo que atormenta a essa parte dos patrões brasileiros, e que já foi inclusive reproduzido em nossa literatura: a mulher grávida se divertindo às custas dele – aposto que alguns pensaram exatamente isso, apesar da sambista grávida não ser sua funcionária.

Podemos discutir se esse é um pensamento somente dos patrões ou dos homens em geral, o que eu acho desnecessário, já que os conceitos se igualam no fato de que a grandiosíssima maioria dos altos cargos hierárquicos, mesmo no mundo privado, são exercidos por homens. As exceções, que sim existem, ainda que não sejam poucas, confirmam a regra, mas além delas existem os milhares de comentaristas de carnaval desta semana e sua apoteose de questionamento sobre a passista da Tom Maior.

Comentaristas dizendo que mulher engravida para poder furar a fila do banco, ou para roubar seu assento no transporte público, engordam o coro dos temores empresariais, levando a mesma indignação para o lado dos trabalhadores, porque provavelmente a maioria empregados, alguns devem até ser pessoas de baixa renda, e até mesmo algumas mulheres apareceram defendendo esse pensamento.

Essas pessoas provavelmente não costumam ver mulheres grávidas, para saber que são poucas as grávidas de sete meses que exibem a mesma disposição de Fabiana. Eu lembro das dificuldades do sétimo mês de gestação da mãe do meu filho e de algumas amigas minhas, o suficiente para saber que Fabiana é uma exceção, que seria maravilhoso que fosse a regra, e quisera eu que as mulheres tivessem ainda mais benefícios trabalhistas para que pudessem ter seus filhos dessa maneira saudável – o mesmo vale para idosos e deficientes que desafiam suas dificuldades para desfrutar as coisas boas da vida.

Mas nossa sociedade parece ter desenvolvido esse individualismo escoltado pela Lei de Gérson, com uma mescla perigosa de mesquinharia e egoísmo, que vem dando fruto a expressões microfascistas que são toleradas, quando não justificadas.

Estimuladas por esse individualismo tipicamente brasileiro, algumas pessoas parecem dedicadas a viver na busca por privilégios, por vantagens exclusivas, incapazes de ver no outro um sujeito digno de direitos, menos ainda o direito a ser feliz. É tudo uma competição, na qual os direitos dos outros podem e devem ser questionados até passar dos limites da avareza humana, que é questionar o fato do outro de desfrutar dessa vida com direitos, porque a mulher grávida passou na frente da fila, então ela tem que sofrer a gravidez para ser digna desse direito, e se ela desfila no sambódromo está zombando com a cara dos outros – a família que vivia na miséria, passou anos sem ter o que comer, ganhou bolsa-família e sua obrigação é viver de arroz com feijão e mais nada, se comprar iogurte ou uma geladeira, está extrapolando seus direitos.

Isso vai além dessa educação brasileira recheada de machismo, racismo e homofobia, recebida por todos nós e difundida nas escolas, nos lares e nas ruas, ou mesmo dos rompantes de misoginia que pegaram carona nos comentários. Esse preconceito arraigado se torna apenas uma válvula de escape para o individualismo de Gérson, que vê no outro um competidor na busca por privilégios e inimigo das suas conquistas, e nos impede de desenvolver um mínimo pensamento coletivo, visando uma sociedade de bem estar para todos.

Em outros países, onde esse pensamento não se manifesta, é possível ver uma sociedade justa para patrões e empregados, homens e mulheres, e visando que a diferença entre os mais ricos e os mais pobres seja cada vez menor, mas sobretudo onde todos entendem a necessidade de defender esse princípio de equidade para que as coisas possam funcionar bem. Nós admiramos isso, chamamos esses países de exemplos de civilização, mas não reproduzimos isso, com a desculpa de que “o Brasil não tem jeito”, apesar de que muitos, principalmente os que mais possuem, não estão dispostos a mudar sua conduta para que isso seja possível.

Ainda há quem defenda a cordialidade brasileira, e provavelmente ela não desapareceu, assim como o nosso espírito comunitário ainda deve sobreviver em muitos lugares afastados das grandes metrópoles. Sentimentos que precisam ser reivindicados e redistribuídos, antes que seja tarde demais.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Salomon Postado em 21/Feb/2015 às 13:14

    Um texto magnífico.

    • Tânia Gonçalves Postado em 22/Feb/2015 às 23:12

      O assunto é controverso. Por isso, tantas opiniões diferentes. Preferiria ter lido sobre a opinião de um médico especialista, porque acredito que as pessoas que foram do "contra" referiram-se, principalmente, à questão da saúde da sambista e do pequeno. No mais, discorrer sobre as preferências que as mulheres grávidas têm é uma tolice sem remédio. Mulher grávida, idoso, deficientes físicos são, sem dúvida, pessoas dignas de respeito e prioridade. Tira o Bolsonaro desse assunto aí, porque ele não é digno de comentários; nem ao menos negativos.

      • Maiza Postado em 23/Feb/2015 às 13:03

        Tânia, vc falou muito bem, mas acho q está sendo um pouco ingênua quando acredita na suposta preocupação com a saúde da gestante e do nascituro. No meu facebook choveu postagens do tipo "me faz levantar do banco no ônibus, mas samba 2 horas no Carnaval"!!! As pessoas estão cada vez mais egoístas e obtusas!!!

      • Guilherme Postado em 23/Feb/2015 às 14:13

        Comentário inteligente, parabens. Queria saber se é só eu que não entendi o por que ele transformou esse tema em uma crítica aos "patrões", que alias foram retratados como magnatas ricos que exploram as pessoas e querem se aproveitar dos " trabalhadores" que tem baixa renda. Tadinhos dos trabalhadores, e malditos patrões.

      • Diego Postado em 25/Feb/2015 às 02:33

        Mas isso de "preocupações de saúde" nada mais é do que um argumento falacioso e "guarda-chuva" para uma série de preconceitos disfarçados e travestidos. Não houve boa intenção na indignação quanto ao pretenso risco que a grávida se impôs. Houve sim, uma revolta contra o fato de que grávidas, por terem uma ou mais prerrogativas, devem se contentar com aquilo ali e pronto. Hipocrisia é o nome que se dá.

    • Berenice Coutinho Postado em 23/Feb/2015 às 07:21

      Concordo plenamente.

  2. Thiago Teixeira Postado em 21/Feb/2015 às 13:23

    FDP é tudo igual, são machistas, safados, egoístas, covardes, não sedem o lugar do transporte público (geralmente fingem que estão dormindo, mas não perdem o ponto, e quando chega, passam por cima de todo mundo) para mulheres (cavalheirismo zero), idosos, enfermos, portadores de necessidades especiais ou grávidas, e ainda vem com esse papo de "engravidam para furar fila no banco"? Santa falta de cidadania.

    • Alessandro Postado em 22/Feb/2015 às 12:07

      Escolhe aí meu filho. Ou você quer uma sociedade sem machismo ou você quer uma sociedade com cavalheirismo porque as duas coisas juntas seria uma contradição.

      • Aline Postado em 22/Feb/2015 às 22:29

        Segundo o dicionário: "Cavalheirismo = qualidade de quem demonstra gentileza, cortesia, civilidade." Se você acha que ser cavalheiro é ser machista, você é extremamente burro.

      • André Anlub Postado em 22/Feb/2015 às 22:45

        Rapaz, pena que não dá para apagar né?!

      • filipeferraz Postado em 22/Feb/2015 às 23:21

        Esse cérebro frito está (Yoda)

      • silney Postado em 22/Feb/2015 às 23:37

        Cancela a conta, pede para ir ao banheiro e some.

      • Patrícia Postado em 23/Feb/2015 às 01:07

        Cavalheirismo, ao meu ver, é o mesmo que gentileza. Claro que a gentileza não precisa (e não deve) ser direcionada apenas às mulheres, mas é por aí.

      • Ivonildo Cezar Postado em 23/Feb/2015 às 06:08

        Tira férias, depois volta e pede desculpas!

      • DOMENICO Postado em 23/Feb/2015 às 06:20

        SIM MAS TEMOS QUE COMPREENDE-LO. ELE USA UMA FOTO DO RASPUTIN. ELE NAO SAIU, AINDA, DA IDADE MEDIA.

      • Fátima Postado em 23/Feb/2015 às 08:18

        Pelo jeito você é um machista daqueles que ainda puxa a mulher pelos cabelos e diz que é cavalheiro!!!! Idade Média é pouco....é um homem das cavernas!!! Vai estudar pra entender a diferença.

      • Patricia Prates Postado em 23/Feb/2015 às 08:23

        Tem gente que de boca fechada vira poeta. #sóacho#

      • Guerrero Postado em 23/Feb/2015 às 13:44

        Cavalheirismo é a parte do machismo que convém às mulheres.

      • Juanna Figueiredo Postado em 23/Feb/2015 às 14:34

        kkkkkk

      • Marilda Campos Postado em 23/Feb/2015 às 15:18

        Basta uma sociedade educada.

      • guilherme Postado em 23/Feb/2015 às 15:40

        Ops... Que bola fora!

      • Laura Postado em 23/Feb/2015 às 19:10

        Grande imbecil, com um comentário mais imbecil ainda! Pobre Alessandro...

    • Felipe Peters Berchielli Postado em 23/Feb/2015 às 10:19

      Só discordo dessa de ceder lugar a mulheres...mulheres sem nenhuma deficiencia,nem gravidez nem algo parecido devemos ceder porque? Em nome do cavalheirismo?Voce daria seu lugar a um homem saudavel? Se não,também não deve ceder a uma mulher saudável e sem gravidez.

      • Thiago Teixeira Postado em 23/Feb/2015 às 11:29

        Respeito a sua individualidade, já minha criação e cultura foi de ceder meu lugar público as mulheres, tanto no ônibus, em salão de aeroporto, repartições públicas e tudo mais por vontade própria, pois é nisso que acredito, macho de verdade tem que dedicar todo conforto as mulheres, ao contrário do liberalismo que prega a lei do mais forte ou do mais "esperto".

      • eu daqui Postado em 23/Feb/2015 às 11:44

        Também não considero gravidez uma doença inevitável. Cavalheirismo eu aceito e retribuo. Coitadismo, não.

      • Luiz Henrique Postado em 23/Feb/2015 às 12:55

        Ou seja, segundo o Thiago Teixeira, e sua exímia criação: Macho de verdade tem que ser machista.

      • Felipe Peters Berchielli Postado em 23/Feb/2015 às 14:02

        Thiago,entenda,esse tipo de comportamento é machismo,mulheres não precisam desse cavalheirismo,se alguém estiver doente,ou muito cansado ok,normal,seja homem ou mulher,fica parecendo que voce faz isso para ganhar algo em troca saca?

      • Thiago Teixeira Postado em 23/Feb/2015 às 19:43

        Eu ainda não consegui entender o que cavalheirismo tem haver com machismo? Ou isso é uma picuinha com o feminismo? Tipo, se as mulheres querem direitos iguais, então fique de pé no coletivo? Quanta babaquice.

      • Washington Postado em 05/Feb/2016 às 12:25

        Concordo com você. Não costumo ceder lugar para mulheres em transporte público. Somente se for o caso de uma pessoa em condição de fragilidade física ou dificuldade física naquele momento. Outro dia vi uma senhora com uma sacola cheia de livros saindo de uma casa. O carro dela estava estacionado bem próximo. Ofereci ajuda para levar os livros até o carro. Para ela, era muito peso, para mim nem tanto. Não me considero um cavalheiro, no sentido estrito, mas uma pessoa solidária.

    • beto Postado em 22/Dec/2015 às 05:26

      "FDP é tudo igual, são machistas, safados, egoístas, covardes, não sedem o lugar do transporte público para mulheres..." Mulher é incapaz de ficar de pé? Se cavalheirismo é gentileza, que seja com homens e mulheres, agora abrir a porta APENAS por ser mulher (não fazendo igual com homens) ou ceder lugar APENAS por ser mulher são atitudes que me parecem sim machistas, ainda mais quando tu pôs depois de "mulheres" ;"idosos, enfermos, portadores de necessidades especiais ou grávidas". Entendo que não foi esta sua intenção, mas disponibilizar seu lugar a um indivíduo saudável apenas por este ser mulher remete, talvez, a uma ideia de que a mulher nao possua a mesma resistência ou força do homem.

  3. Caroline Postado em 21/Feb/2015 às 13:36

    Ótimo texto.

  4. André Postado em 21/Feb/2015 às 13:39

    Falou e não disse nada. A criança correu risco.

    • enganado Postado em 22/Feb/2015 às 00:48

      Pergunte a ISABEL do volei com qtos meses estava qdo jogava suas partidas? Taí, nasceram duas moças lindíssimas e excelentes jogadoras com a ISABEL. É só pagar para ver.

    • Rita Candeu Postado em 22/Feb/2015 às 08:26

      André - risco sofre a nossa sociedade com pessoas pensando como vc.

    • Melissa Postado em 22/Feb/2015 às 20:19

      Homem dando palpite em assunto que não entende e não faz questão de entender. Conhece o "Google"?Coloca lá e vê se a criança correu risco. Ignorante (no sentido de ignorar e não ter interesse em obter informação).

  5. José Ferreira Postado em 21/Feb/2015 às 14:42

    Fora que muitas grávidas e idosos, que poderiam muito bem pegar o transporte coletivo fora do horário de pico, mas pegam nesse horário por pirraça, e ainda reclamam porque não sedem o lugar. Tem muita grávida e idoso que poderiam bem esperar, mas se aproveita de sua gravidez, ou de sua idade, para prejudicar os outros. Poderia ter uma lei que acabassem com os assentos preferenciais nos horários de pico (mas continuassem em outros horários) e que no período do almoço (das 12 às 14 horas) não existisse fila preferencial nos bancos. Quem pode trabalhar não pode esperar e quem não trabalha pode bem ir mais tarde ou ir mais cedo para andar no transporte coletivo e para fila do banco.

    • Vinicius Postado em 21/Feb/2015 às 17:50

      Dessa vez seu nível de ignorância extrapolou todos os limites. Grávidas e idosos também têm seus horários e compromissos, e utilizam o transporte público em horário de pico porque necessitam e não por pirraça. E quem disse que idosos e grávidas não trabalham? Grávidas trabalham durante toda a gestação e alguns idosos infelizmente ainda têm que trabalhar. *Outro Vinicius

      • José Ferreira Postado em 21/Feb/2015 às 17:52

        Eu disse "muitas grávidas e idosos" e não "todas as grávidas e idosos". Fora que tem muitas com filhos que já andam que insistem em usar os assento e filas preferenciais.

      • José Ferreira Postado em 21/Feb/2015 às 17:53

        *os assentos

      • Mariana Souza Postado em 22/Feb/2015 às 00:42

        Seu comentário disse tudo, acabei mandando minha resposta sem antes ler a sua, e agora vi que respondi praticamente a mesma coisa que vc! Rsrsrs

      • Raiane Postado em 22/Feb/2015 às 22:59

        Vinícius, não adianta. Algumas pessoas são juízes por natureza.

      • mani Postado em 23/Feb/2015 às 01:20

        Perfeito! Há idosos e grávidas trabalhando, normalmente.

      • Patricia Postado em 23/Feb/2015 às 08:26

        Vc de boca fechada vira poeta. #ficaadica#

      • Daniel Postado em 23/Feb/2015 às 13:16

        Esse tipo de comentário é tipo da pessoa que se acha o centro do mundo. Quer dizer que o idoso ou a grávida acordam cedo, e pensam: "Hoje vou sacanear o José Ferreira, aí eles andam até o ponto, esperam de pé no ponto, pegam transporte público lotado apenas para poderem rir da sua cara. Só para você saber que existe mundos diferentes do seu, meu pai, idoso, tem que atravessar a cidade 3 vezes por semana para poder realizar tratamentos médicos em hospitais públicos e que só para sacanear você os médicos marcam os tratamentos em horário comercial.

    • Mariana Souza Postado em 22/Feb/2015 às 00:40

      Eu entendi mal, ou vc quis dizer que todas as grávidas e todos os idosos são desocupados? Meu Deus... Quem te disse que o seu tempo é mais precioso que o dos outros?

    • Rita Candeu Postado em 22/Feb/2015 às 08:28

      rsrs claro!!! idosos e rávidas saem de casa pra se enfiar em ônibus cheios por mero prazer - ou pirraça como vc. diz não trabalham , não fazem nada o dia inteiro esperando a hora do pico pra pirraçar nos coletivo - vc. é um gênio sabia?

      • Janine Postado em 22/Feb/2015 às 09:05

        Ótima resposta! E o gênio ainda escreve "sedem"! CEDEM!!!

    • André Postado em 22/Feb/2015 às 14:51

      Manda tua mãe pegar o busão depois da meia noite, otário.

    • Daniel Postado em 22/Feb/2015 às 15:38

      Qual a lógica de assento preferencial que não funciona em horário de pico? Você comeu cocô?

      • José Ferreira Postado em 22/Feb/2015 às 16:16

        A lógica é estimular aqueles que podem pegar filas (ou trens) em outro horário a fazerem isso. Nos horários de pico as pessoas que não estão grávidas (e que não são idosas) estão mais cansadas, por conta de terem acordado cedo ou pelo trabalho que realizou durante todo o dia. Lembre-se que nem todos trabalham sentados o dia inteiro em um escritório com aparelho de ar-condicionado.

      • noel maia Postado em 23/Feb/2015 às 11:58

        Nao DANIEL ! Ele nao comeu coco... Isso ele produz no CEREBRO......

    • F Bart Postado em 22/Feb/2015 às 18:02

      Imagino o vovô e a vovó passando as tardes ansiosos, esperando o horário de pico, para poder pegar um ônibus lotado só para atrapalhar a viva dos trabalhadores e trabalhadoras, entrando nos coletivos e exigindo o seu assento preferencial. José, tu é uma piada!

    • Leticia silva Postado em 22/Feb/2015 às 22:18

      Pq horário de pico não precisa de acento preferencial? Querido, eu trabalhei gravida, moro em cidade pequena e não preciso de transporte publico, mas muitas das mulheres brasileiras trabalham grávidas e voltam para suas casas no horário de pico. E senhores de idade tbm. E vi em outros textos dizendo que todas a mulheres grávidas passam na frente das filas e etc, eu nunca precisei de furar fila, e a sambista provavelmente tbm não. Não são todas as mulheres que ficam moles grávidas... Sao como todas as outras, batalham todos os dias.

      • Priscila Postado em 23/Feb/2015 às 12:43

        Sou uma pessoa que trabalha duro, antes de engravidar trabalha por Volta de 60 horas por semana, mas desde que Fiquei gravida meu corpo Mudou bastante, não Tenho a mesma disposição de antes e meu médico pediu pra eu me afastar do trabalho e repouso absolute. Sou mole? Não cada um é diferente do outro. Vi um video de uma gravida de 7 meses correndo uma maratona nos EUA e Tirei o chapeu, eu não aguento nem subir a escada de casa.

      • dash Postado em 23/Feb/2015 às 12:56

        Não é ficar mole, é um direito seu! Não é furar fila é exercer o seu direito preferencial, pois ficar por muito tempo de pé (ou sentada) facilita o inchaço.

    • Roberta Postado em 22/Feb/2015 às 22:23

      Grávidas e idosos não trabalham??? ridículo seu pensamento, Vc tem Mãe? Esposa? Irmã? Ou nasceu de chocadeira?

    • Gracielle Costa Postado em 22/Feb/2015 às 22:24

      Ai ai ai, José! Parece que você não teve mãe e nem nunca vai ser idoso. Tomara que um dia quando vc tiver uma esposa grávida e ela precise usar coletivo em horários de pico essa lei ainda exista pra que ela possa ser contemplada com ela.

    • Dênio Postado em 22/Feb/2015 às 22:25

      Que horror!!!

    • maria selma Postado em 22/Feb/2015 às 22:34

      concordo com voce, sem falar que tem o horario de pico que são dos estudantes tambem, já passei por este problema, hoje sou aposentada, e tenho o privilegio de ir á academia num horario que esta quase vazia onde não tenho que disputar aparelho com ninguem, vou ao banco o minimo necessário e sempre com a maior tranquilidade, sem atrapalhar ninguem

      • dash Postado em 23/Feb/2015 às 13:00

        Que bom que pode viver da aposentadoria sem precisar trabalhar, mas essa não é a realidade da maioria dos idosos. E a maior parte das gestantes trabalha até o final da gestação e precisam utilizar os serviços bancários e de transporte público em horários de pico.

    • fernanda Postado em 22/Feb/2015 às 22:35

      Gravida também trabalha e tem horário energumeno

      • José Ferreira Postado em 22/Feb/2015 às 23:07

        Energúmeno? Estou vendo que está indo para a baixaria. Acho que tenho que dizer pela terceira vez que não são todas as grávidas e idosos que não trabalham, e sim muitos.

    • Naiara Postado em 22/Feb/2015 às 22:37

      Ridículo! Simplesmente ridículo você! Queria ver tu gerar um filho, carregar uma criança por nove meses na barriga, sentir todos os sintomas que a gravidez proporciona e ainda enfrentar um parto. E já sinto muita pena da sua velhice! Colocar-se no lugar das pessoas é um ato de humildade e proporciona a todos um crescimento e uma evolução sem igual. Pense nisso. E mais... Toda regra tem sua exceção! Essas leis que você propôs só mostra o quão egoísta é o ser humano e o quanto ele não cansa de alimentá-lo. Digno de pena você! E não é pra te ofender, é pra tu pensar. Se liga cara! Cresce...

    • anaibitipoca Postado em 22/Feb/2015 às 23:05

      E vc poderia usar seu tempo livre para aprender português. Cedem, do verbo ceder é com c.

    • Gustavo Postado em 22/Feb/2015 às 23:49

      Juro que pensei, ao ler esse comentário, se tratar de uma ironia. Mas aí me espanta o mesmo defender esse pensamento ignorante e retrógrado. Fico imaginando o que se passa na cabeça desse "trabalhador" que se acha mais importante que o resto da população, pois seu tempo e mais precioso, afinal de contas, ele trabalha. Com certeza absolutas, vários idosos e gravidas ficam em casa esperando o horário de pico para se enfiarem em ônibus lotados e bancos com filas enormes, afinal de contas, não fazem nada mesmo, pelo menos têm esse passatempo maravilhoso.

    • Luiz Marques Postado em 23/Feb/2015 às 00:34

      Ah claro... a grávida não tem nada pra fazer o dia inteiro, daí pensa: "Hmm, vou ali pegar um ônibus lotado só pra poder encher ele mais ainda e prejudicar os outro". Me desculpe, mas seu comentário só deixa claro que o senhor é exemplo de tudo que foi citado no texto.

    • Thais Alves Postado em 23/Feb/2015 às 00:42

      Querido, não esqueça que não é só quem trabalha que tem horários e que precisa utilizar transporte público em horário de pico. Muitas grávidas e idosos dependem do mesmo para ir a hospitais longe de suas casas, ou para quaisquer outros compromissos com horário definido, e não podem ficar esperando a quantidade de passageiros diminuir para transportar-se. Além disso, quem te dá o direito de dizer que eles não têm horário, bem como você? Deveriam proibir que ignorantes como você utilizassem o transporte, também. E não venha dizer que eu ou outros estamos partindo para a baixaria, por chamá-lo de ignorante ou energúmeno. Você provou que o é desde seu primeiro comentário.

      • dash Postado em 23/Feb/2015 às 13:01

        Concordo com você!

    • daniela Postado em 23/Feb/2015 às 01:59

      Tu tá brincando né? Ou tu é louco? Faz assim, vai ao banheiro, enfia a cabeça no vaso e da descarga, por favor faz esse favor a humanidade.

    • Bertina Postado em 23/Feb/2015 às 02:46

      Claro pq eles deixam de ser idosos e gravidas no Horario de pico... Cara eles podem sair a hora q precisam.. Sem contar que tem muita gravida q trabalha ate quase final da gravides e idoso q tb trabalha.. VC é idiota

    • Fátima Postado em 23/Feb/2015 às 08:33

      José, seu texto é uma enxurrada de barbaridade, um monte de asneiras juntas que não servem para nada....para de justificar o que escreveu, isso só piora a situação!!! Alguém já te disse que "quem fala o que quer, ouve o que não quer"? kkkkkk

    • Ana Carolina Postado em 23/Feb/2015 às 09:34

      Amigo, teu problema com os assentos pra trabalhadores cansados diminuiria substancialmente se as crianças (a partir de uma certa idade) e adolescentes fossem educados a ceder lugar para os mais velhos. Lembro que minha mãe nunca me deixou ficar sentada se havia um adulto em pé. Sempre me dizia: "é uma pessoa mais velha que você e está mais cansado/a que você". Hoje em dia eu canso de mofar em pé com bolsa pesada e aquela turma de adolescentes com seus smartphones achando que são os reis do mundo... Mais educação para todos, menos vigilância sobre os direitos daqueles em condições mais vulneráveis.....

      • Luiz Henrique Postado em 23/Feb/2015 às 12:58

        Perfeito... também fui criado assim, ao invés de ser ensinado a ser cavalheiro apenas com as mulheres jovens, bonitas e possíveis alvos amorosos.

      • Marta Postado em 23/Feb/2015 às 21:47

        Perfeito, Ana Carolina!

    • Diane Postado em 23/Feb/2015 às 10:00

      Não se VC sabe... Mas grávidas trabalham!!! Em horário comercial! Cedo! Como todo mundo! Licença maternidade só acontece quando o BB nasce sabia? Claro que não né?! Pq pra falar umas asneiras dessas....

    • Eduardo Ribeiro Postado em 23/Feb/2015 às 10:17

      Que fossa. Esgoto a céu aberto. Lançou esse "muitas" restritivo apenas pra disfarçar o ódio irracional que sente de todas as grávidas e todos os idosos que "atrapalham e ocupam lugar de gente produtiva". Deve ser aquele tipo que chega no banco e fica bufando na fila a cada idoso que é atendido. E com certeza é do tipo que quando está sentado no ônibus abarrotado finge que está dormindo quando cola uma mulher grávida do lado dele. Não tem essa, rapaz. Eles são cidadãos, tem direito de utilizar o transporte público a hora que desejarem, por mais que deixem você transtornado. Eles vão ao banco na hora em que for mais conveniente para eles, e não para você. Não sei de que buraco insólito saiu a suposição de que "oh, são muitos mas não são todos" os idosos e grávidas que usam banco e transporte coletivo em horário de pico apenas por pirraça. Eles usam porque precisam, energúmeno, usam porque tem seus horários, seus afazeres. Usam porque trabalham também. Pelo amor de Deus, burrice tem limite.

    • Felipe Peters Berchielli Postado em 23/Feb/2015 às 10:22

      Claro,porque é uma delicia se enfiar em transporte publico lotado,ai o idoso ou gravida,e até o deficiente pensa,"porra,to sem nada pra fazer,acho que irei prejudicar umas vidas",e la vai se aventurar no transporte publico lotado para contar suas façanhas mais tarde numa mesa de bar. Claro,assento preferencial é sem lógica alguma,tem que ter assento preferencia só quando o transporte publico estiver vazio...tipo das 22:00 a 00:00,aí sou a favor da preferencia para idosos e gravidas.

      • José Ferreira Postado em 23/Feb/2015 às 11:36

        As pessoas não entendem nada. Trabalhe o dia inteiro e pegue o transporte coletivo para ver.

      • Ricardo Postado em 23/Feb/2015 às 18:30

        E agora não é só aposentado e grávida que não trabalha, mas quem discorda dele também! O cara é uma piada.

    • Pedro Postado em 23/Feb/2015 às 10:56

      Quanta burrice... Você tenta se justificar com um argumento ainda pior: "Eu disse muitas grávidas e idosos e não todas as grávidas e idosos". E você ainda sugere uma "LEI" (meu Deus, quanta burrice.....) que proíba assentos especiais. Colega, leis são para TODOS! Como você vai defender uma "lei" que se aplica apenas a ALGUMAS grávidas e idosos?? E aquelas(es) que trabalham?? Como ficam? No seu "genial" projeto de lei você vai prever que um fiscal fique na porta do ônibus ou do trem e diga "Ei você! Você é uma grávida que pode pegar ônibus em outro horário, você não tem direito ao assento especial!" ou "Aaah esse idoso eu conheço e ele não trabalha e nem tem médico hoje! Nada de assento pro sr. também" etc?? É por conta de pessoas como você que não fazem a mínima ideia do que significa "democracia" ou "leis" que as redes sociais se transformaram nessa poça de lama de comentários boçais. "parabéns" aí pelos seus conceitos de sociedade. Tá sabendo legal...

    • Roberta Postado em 23/Feb/2015 às 11:35

      Porque a pessoa tá lá em casa, de boa, e pensa: "hoje eu vou tirar um homem de bem, um trabalhador que só quer chegar em casa e encontrar sua cerveja geladinha na mão da esposinha, que já tá esperando no portão, do assento do busão" e sai, linda e pimposa, focada no objetivo maléfico! É cada coisa...

      • José Ferreira Postado em 23/Feb/2015 às 13:21

        Eu costumo evitar o horário de pico quando estou no meu período de férias, assim como não vou para as filas dos bancos nesse período. Isso é bom senso. As vezes devemos ter coragem para falar as verdades que as pessoas "politicamente corretas" não enxergam que existem.

    • dash Postado em 23/Feb/2015 às 12:52

      E quem te disse que grávida não trabalha? Trabalhei até 10 dias antes do meu filho nascer. Se sua mãe não trabalhava enquanto te gestava não quer dizer que as outras gestantes não trabalhem.

    • Luciana Postado em 23/Feb/2015 às 14:45

      Se a coisa funciona assim né? Todo mundo então tem que pegar e demarcar o lugar de sentar no ônibus? O cara vai descer três pontos depois de ter pego e não pode ceder o lugar pra grávida ou pro idoso que vai descer no ponto final? A pessoa tem que estar morrendo pra que ela tenha direito ao lugar de sentar então?

    • Regina Postado em 23/Feb/2015 às 14:45

      José Ferreira, "'cedem" se escreve assim.E você um dia será idoso.Veremos como será seu discurso quando chegar lá!

    • Vivis Postado em 23/Feb/2015 às 15:37

      que absurdo!!!! como se fosse legal uma grávida ou idoso sair por aí em horário de pico sendo espremido em ônibus ou metrô, muitooooo legal!!! Já estive grávida, e muitas das vezes, os exames e consultas são muito cedo e somos obrigados a pegar o transporte lotado. Já acompanhei minha tia idosa para exame, cirurgia, todos exatamente ás 08:00 da manhã....e ainda leio uma asneira dessa.........dizer q é pirraça...hahahah

    • Leandro Postado em 23/Feb/2015 às 16:51

      "Fora que muitas grávidas e idosos, que poderiam muito bem pegar o transporte coletivo fora do horário de pico, mas pegam nesse horário por pirraça" Logo após ler isso eu já nem li o resto porque a merda se já é grande na primeira linha...

    • Ricardo Postado em 23/Feb/2015 às 18:25

      Fácil: basta aumentar a oferta de transporte e colocar mais gente atendendo nos bancos... Sabe o que vai acontecer se vc criar isso aí que falou?! Vão colocar menos gente atendendo, simples. Ou vc acredita que, sem qualquer tipo de isenção ou preferência o serviço melhoraria?! É mais ou menos como a redução de impostos no Brasil: se o governo desonera 10%, no preço final o consumidor sente apenas 1% ou 2% dessa desoneração. Ganha um pirulito quem adivinhar com que ficou a diferença. Como é fácil transferir a responsabilidade a quem precisa do serviço...

    • Nilson Valentim Eduardo Postado em 23/Feb/2015 às 22:12

      Tenho 58 anos e sou do tempo que homem era homem e era cortes e não tinha diferença se era pobre ou rico. O que vejo nos dias atuais é uma verdadeira truculência da população, em todos os sentidos, mas esta afirmação que idosos ou gestantes fazem uso do transporte coletivo em horário de pico, talvez seja a maior das barbaridades que já vi. Como eu disse, houve um tempo que homem era homem.

    • Cintia Calaci Postado em 24/Feb/2015 às 02:22

      Em parte eu concordo com voce. Já presenciei muitas situacoes de pessoas que podem sim, aproveitar-se de uma certa fragilidade em detrimento das necessidades de terceiros. Eu, por exemplo, somente vou ao mercado à noite dias de semana, porque sei que muitos trabalhadores, inclusive grávidas e idosos, ainda na ativa, tão somente dispõe do sábado ou domingo para cuidar de seus afazeres domesticos.

    • Aline Postado em 24/Feb/2015 às 09:35

      Ai José Ferreira, melhor parar de tentar se justificar. Primeiro, vc disse que MUITA gravida e idoso poderia esperar. MUITA, no caso, se traduz sim em A MAIORIA, e não em ALGUMAS, como vc tentou disfarçar em alguma resposta. Segundo, seu raciocínio é falho, pois MUITAS grávidas trabalham, e MUITOS idosos também. Quando a pessoa tem um horário mais tranquilo ou não trabalha, você realmente acha que ela vai pegar um ônibus lotado "de pirraça"? é muita ingenuidade sua pensar uma coisa dessas, ninguém é burro a esse ponto, sinceramente. Agora, você fala essa enormidade de besteiras em público e não quer ser levar na cabeça?

  6. Pedro Postado em 21/Feb/2015 às 15:12

    Preocupante é uma grávida de sete meses colocar em risco a saúde de seu bebê. O autor mais se preocupa com comentários irrelevantes da internet do que os riscos reais que a mulher se sujeitou.

    • vanisa Postado em 22/Feb/2015 às 00:13

      não se preocupe. Dançar, cantar e ser feliz não coloca o bebê em perigo. Lindíssima a gestante no desfile! espero que se multipliquem no próximo carnaval !!!

    • Maria Postado em 22/Feb/2015 às 20:21

      Risco são comentários iguais ao seu, não entende do assunto mas tem que palpitar. Procura se informar antes, ajuda bastante sabia

    • Maria Postado em 22/Feb/2015 às 20:21

      Risco são comentários iguais ao seu, não entende do assunto mas tem que palpitar. Procura se informar antes, ajuda bastante sabia

    • Bibiana Postado em 22/Feb/2015 às 23:01

      Pedro, em uma gestação tranquila a mulher nem o bebê correm riscos, muitas gestantes trabalham e muito até os 9 meses, o ritmo quem vai ditar é o corpo da mulher, em minha primeira gestação fui muito ativa, me sentia cheia de energia, na segunda isso não ocorreu e tive que ficar em casa. Cada gestação é única, não podemos falar do que não sabemos.

    • Thais Alves Postado em 23/Feb/2015 às 00:34

      Não põe em risco, e certamente ela estava em ótimas condições para fazê-lo. Certamente, foi liberado por seu obstetra que ela desfilasse linda e pomposa na avenida. Vamos estudar um pouco de fisiologia antes de criticar.

    • Felipe Peters Berchielli Postado em 23/Feb/2015 às 10:22

      Que risco???? Gravidez não é doença cara,se liga,ha gravidez e gravidez,algumas tem restrições outras não.

    • Mirella Postado em 23/Feb/2015 às 22:44

      Ai sim falou bonito Pedro

    • Fabiola Postado em 24/Feb/2015 às 12:34

      A mulher que já tem uma vida ativa, dança, prática esportes poderá continuar a fazê-lo grávida, é por isso que a passista ensaiou e desfilou com provavelmente liberação médica. Mulheres que correm todos os dias tb podem seguir fazendo porque o corpo está acostumado, claro desde que esteja tudo bem biologicamente na gestação... Acho que essa passista é um exemplo é não alvo de críticas infundadas. Estou com 6 meses de gravidez e ando um pouco e já canso.... adoraria ter o condicionamento físico dessa mulher. O texto acima não tratou disso por dois motivos: Porque esse conceito médico é óbvio e se não sabia era só se informar antes de tecer pré julgamentos. Outro é que o pensamento médico foi somente uma desculpa racional para um pensamento individualista e preconceituoso que norteia uma grande massa atualmente. O tema tratado pelo texto embasa exatamente a raiz do pensamento sobre o assunto.

  7. Vanisa Postado em 21/Feb/2015 às 16:30

    Desculpe-me mas, é sério que tem grávidas e idosos que pegam ônibus e filas em horário de pico só por pirraça? Cara..... tenho dó de você SE FICAR IDOSO !!! VIVA AS MARAVILHOSAS PASSISTAS GRÁVIDAS !!! QUE SE MULTIPLIQUEM NOS PRÓXIMOS CARNAVAIS !!!!! BEIJOS PARA OS IDOSOS PIRRACENTOS QUE PEGAM ÔNIBUS E FILAS EM HORÁRIO DE PICO !!! rsrsrs bem baixinho ou os colegas podem brigar comigo.....

  8. poliana Postado em 21/Feb/2015 às 19:26

    o fato de ela ter desfilado n põe em risco a saúde do bebê? pergunto como leiga mesmo..

    • andre Postado em 21/Feb/2015 às 21:38

      Com certeza Poliana.Eu sempre digo o errado é certo e o certo é errado.

      • Plínio Postado em 22/Feb/2015 às 22:44

        Teve acesso aos exames pré-natais da moça? Conhecia-a, sequer, antes de ela aparecer sambando? Não. Então, onde vem sua certeza?

    • Mariana Souza Postado em 22/Feb/2015 às 00:53

      Acredito que ela tenha tido autorização do obstetra que acompanha a gravidez dela para desfilar. Tenho dois filhos, e tudo o que li em relação a esforço físico na gestação diz que a mulher não pode se submeter a esforço ou exercício com a qual ela não está acostumada. Por exemplo, a mulher que tem o hábito de correr pode continuar correndo na gravidez, isso no caso das gravidezes de baixo risco, é claro. Quando vemos no carnaval mulheres grávidas desfilando na sapucaí, em todos os casos QUE EU ACOMPANHEI as mulheres já eram passistas antes de engravidar, portanto, acostumadíssimas com o ritmo da avenida. Acredito que esse seja o caso desta moça tbm, tendo em vista a disposição com que ela desfilou! Ou seja, provavelmente já era acostumada. E , pra vc ver a diferença, eu quis começar a fazer uns exercícios aeróbios na gravidez do meu primeiro filho, só uma esteirazinha, e a obstetra q me acompanhava não deixou, dizendo q eu não podia pq eu não era acostumada antes a fazer essa série de exercícios, então era melhor não arriscar. Desculpe a resposta longa rsrs, espero ter ajudado, bjos!

    • Bibiana Postado em 22/Feb/2015 às 23:03

      Se está correndo tudo bem com a gravidez ninguém ficou em risco, basta o médico que está fazendo o pré-natal avaliar.

    • Fernanda Postado em 22/Feb/2015 às 23:15

      Pensei nisso também. Mas raciocina comigo: ninguém decide que vai desfilar do dia pra noite, né? Com certeza ela tem ido regularmente na médica e passou por vários exames pra saber se poderia fazer isso ou não. Talvez tenham até exigido um atestado.

    • Roberta Postado em 22/Feb/2015 às 23:31

      Claro que não, qualquer obstetra confirma isso! a meu exemplo, que grávida fazia exercícios que meu marido pasmava e não acompanhava!

    • Ana Carolina Postado em 23/Feb/2015 às 08:15

      Isso varia muito de gravidez pra gravidez.... provavelmente o médico a liberou... eu tive uma gestação ótima e curti pré carnaval com 39 semanas... minha filha é uma beleza!

    • Ana Postado em 23/Feb/2015 às 08:56

      Poliana acho melhor você não perguntar para um homem sobre o corpo de uma mulher. Normalmente esses caras acham que mulheres grávidas são doentes e devem ficar em casa tricotando o dia todo. Te aconselho a perguntar para mulheres grávidas ou para ginecologistas.

    • Diane Postado em 23/Feb/2015 às 10:08

      Essa mulher sempre foi passista. Ou seja, tinha condicionamento físico pra isso. E certamente o GO dela liberou né. Agora vai uma mulher sedentária fazer isso? É risco sem gravidez até! Kkkk

    • juliano Postado em 23/Feb/2015 às 11:20

      tenho uma conhecida que correu maratona até os 8 meses de gravidez e nunca teve nenhum problema. se for feito com cuidado e acompanhamento, não há risco nenhum.

    • Livia Postado em 23/Feb/2015 às 13:29

      Se a mulher é saudável e acostumada a se exercitar ela pode fazer exercícios físicos sem colocar em risco o bebê.

    • Rodrigo Postado em 24/Feb/2015 às 15:32

      (Outro Rodrigo) Perfeito, Poliana. Por vezes a pergunta mais simples é a mais importante e ninguém consultou a opinião de um especialista no assunto, a fim de saber se havia risco ou não. Tal bastaria a encerrar a celeuma, de uma vez por todas.

  9. Heloísa Coellho Postado em 21/Feb/2015 às 22:10

    Coxinha é antes de tudo uma pessoa má, perversa, odiosa, mal resolvida, enfezado. Eu achei linda a mulher feliz, sambando, sem pôr em risco o bebê. Faça Amor, não faça a Guerra, sempre digo.

    • enganado Postado em 22/Feb/2015 às 00:51

      Tô contigo e não abro! Os caras que criticam ou foram feitos na coxas, ou então não foram paridos, e sim cuspidos.

      • Tatiana Postado em 22/Feb/2015 às 22:15

        nem pelas coxas, nem cuspidos....só podem ter sido concebidos pelo uc

      • Luiz Alberto Pires Postado em 23/Feb/2015 às 08:12

        Tatiana, suas palavras mostram sua índole e caráter....vc é o máximo...

    • Rodrigo Postado em 25/Feb/2015 às 11:21

      (Outro Rodrigo) Coxinha é um salgadinho, assim como o pastel de vento. Política, vida em sociedade, não é bandeja de buffet de festa infantil. Somos concidadãos, antes de tudo, ainda quando insistimos em nos portarmos como apaixonados torcedores organizados da política.

  10. Randy Postado em 22/Feb/2015 às 01:14

    Gente, isso foi uma piada... não era para se levar a sério! Eu ri pelo absurdo... tanto o fato da mulher grávida sambar a noite toda sem considerar qualquer risco para o seu filho... e pelo fato das pessoas serem mal-criadas no transporte público... Eu sei que chefes discriminam mulheres grávidas... mas a piada não tem nada a ver com a relação chefe x empregado... mas sim uma frase absurda e desconexa que gera humor... sobre ter disposição para sambar mas não ter para ficar em pé durante a sua viagem de ônibus... é o tragicômico... o humor negro... (Até pq é óbvio que não são todas as mulheres que tem a disposição da mulher da foto) Uma piada é só uma piada... detesto quando as pessoas filosofam sobre algo ilógico, estúpido e absurdo que simplesmente serve para fazer as pessoas rirem... E se a mulher durante toda a opressão masculina foi tratada com uma "parideira" é engraçado ouvir absurdos sobre mulheres grávidas, que antes eram tratadas como se fossem uma "divindade" na Terra... Essa forma de pensar é o MARIANISMO e é o lado feminino perpetuador do machismo/homofobia... O mundo seria muito melhor se nós não nos levássemos a sério demais...

    • Alessandro Postado em 22/Feb/2015 às 11:53

      Sim. Esse é que é o X da questão: Na verdade se trata de uma piada e das muito engraçadas.

      • Randy Postado em 22/Feb/2015 às 15:55

        A piada tem um lado positivo... De que a mulher tem seu valor, seu poder... Que ela não é apenas um ser que serve para procriar... Mas enfim... continua sendo uma piada, não tem lógica e é bizarra... mas uma piada dentro do contexto no qual a mulher tem poder e não é só uma "coitadinha"... Ou seja é fruto do empoderamento da mulher... isso não é necessariamente ruim...

  11. stella Postado em 22/Feb/2015 às 07:03

    Nossa, não imaginava que tivessem criticado a dançarina grávida. Isso nem passou pela minha cabeça...ainda bem que estou fora dessas redes sociais. Não estou perdendo nada.

  12. Neide Martins Postado em 22/Feb/2015 às 09:30

    Sabem, ando assustada com o comportamento do povo brasileiro. Quando eu era criança citavam o ano 2000 como um mundo futurista, com pessoas inteligentes circulando em esteiras rolantes, etc. Mas o que estou presenciando é um povo retrógrado, cada vez mais machista, racista, mal educado, violento, hipócrita. Haja vista estes políticos e pessoas que ocupam grandes cargos se aproveitando para tirar o dinheiro ,que deveria servir a Nação, indo parar em seus bolsos sem o mínimo escrúpulo. Está havendo uma total inversão de valores. Se esta foliã sente- se bem, não há problema algum em desfilar. Eu mesma quando grávida nadei até o oitavo mês . Foram os nove meses em que mais produzi em minha vida. Agora, como será que esses fulanos tratam suas esposas em casa? Como será seu comportamento no dia a dia. Todo mundo quer criticar , mas sequer lembrar de olhar a sua cauda , que com certeza deve ser muito longa.

  13. Antunes Postado em 22/Feb/2015 às 16:17

    Infelizmente o Brasil não é um país individualista, é uma massa cega guiada por criminosos que são reflexos de boa parte da população.

  14. Luciano Postado em 22/Feb/2015 às 22:19

    Quem escreveu o texto está mais preocupado em dar respostas aos comentários que viu na internet do que com a própria mulher,cada um que cuide de sua vida,se ela não se queixou,porque se doer por ela.

  15. Marlos Postado em 22/Feb/2015 às 22:32

    Renderiam mais alguns textos esta imagem inventada de que a mulher é um frágil casulo para um bebê crescer e tudo é um perigo.

  16. Lu Cavalcanti Postado em 22/Feb/2015 às 22:34

    Uma piada mesmo rs

  17. Maria Isabel Postado em 22/Feb/2015 às 22:37

    Cada mulher e gravidez é diferente uma da outra. Sou trapezista e quando estava grávida do meu primeiro filho continuei com o meu trabalho apenas fazendo algumas adaptações, a partir do momento que uma mulher já pratica exercícios antes de engravidar e tem seu corpo preparado, se sua gravidez esta tranquila e tem acompanhamento e o seu médico libera, não há problema algum, claro que atividades perigosas como a minha por exemplo, existe possibilidade de queda, mas quando feito com cuidado e existe adaptação no espetáculo , não há perigo. Problema é ter uma mente doente e cuidar da vida dos outros. Meu filho nasceu com saúde, parto normal, sem intervenção, sem anestesia E não senti dor. Na gravidez do segundo filho dancei até o bebe nascer, e nasceu bem , de 40 semanas e parto normal. Mas cada mulher é diferente uma da outra assim como tambem cada gestação e principalmente cada uma dessas mulheres sabe de si e de sua gravidez e do que pode e é capaz de fazer.

  18. Catiane Leonardis Postado em 22/Feb/2015 às 22:38

    Sabe o que acho engraçado. .. a maioria das mulheres estão inseridas no mercado de trabalho. E elas engravidam! E trabalham! Muitas das vezes dão faxina, ficam o dia todo em pé nas lojas, andam de um lado para o outro nos fóruns da vida, fora o trabalho doméstico, interminável e extenuante...e quando uma mulher passa míseros 120 minutos se divertindo, coloca em risco o bebê. Aposto que muitos que aqui julgaram são obstetras e tiveram total acesso ao pré natal da moça, tamanha precisão no diagnóstico.

    • dash Postado em 23/Feb/2015 às 13:11

      Verdade! Esses machos preocupados com a perpetuação da espécie devem fazer todo o serviço doméstico desde o momento em que tomam conhecimento da gestação de suas esposas...

  19. polaka Postado em 22/Feb/2015 às 22:39

    A estupidez humana me assusta, e outra pelo amor de Deus de onde tiraram que o bebê corre risco? Seria muito bom que as mulheres conseguissem ter essa disposição nesta altura da gravidez, pq não é fácil. E que as grávidas e idosos pegam ônibus e vão ao banco de proposito bo horário de pico? Aff ainda irão envelhecer aí quero ver falar algo.

  20. Jane Silva Postado em 22/Feb/2015 às 22:41

    Por que será que assunto tão irrelevante mereceu uma análise tão "profunda"?? Em primeiro lugar os partidinhos desmoralizados que estão no governo fazem questão de promover e de exaltar esse comportamento aqui criticado e, principalmente provocar conflitos na sociedade. E é isso que obviamente faz esse texto, embora muitos não percebam. Em segundo lugar, não é a diferença que caracteriza o bem estar do cidadão de uma sociedade, mas sim o critério usado para definir esta diferença. Se numa sociedade a menor remuneração for suficiente para garantir educação, saúde, qualidade de vida, conforto e dignidade ao cidadão, pouco importa essa diferença, aliás, só importa aos incompetentes, aos invejosos, aos vagabundos que não querem trabalhar, mas querem ter boa vida às custas de quem trabalha. Terceiro...nossa sociedade tem muitos assuntos a serem tratados com seriedade, tantas imundícies que surgiram nos últimos 20 anos a serem denunciadas, comentadas, analisadas, como educação, saúde, corrupção. Por que o autor deste texto idiota não trata deles com a mesma "substancialidade"?? Falta de conhecimento? Duvido. Por conveniência? Talvez... Por que??????

    • Roberta Postado em 23/Feb/2015 às 01:04

      Definitivamente, Jane, seu comentário foi o mais sensato que li aqui.

    • Joana Postado em 23/Feb/2015 às 01:18

      Adorei!!!

    • Antônio Fraga Postado em 23/Feb/2015 às 11:31

      O que exatamente "os partidinhos desmoralizados que estão no governo" tem a ver com essa discussão? E outra: "educação, saúde, corrupção"... o que isso tem a ver com a gravidez da passista??? E pra fechar: já lavou a louça que ficou na pia??? Vai comer feno em Miami, idiota!!!

      • Leonardo Postado em 24/Feb/2015 às 10:19

        "E pra fechar: já lavou a louça que ficou na pia???" Olha gente, um esquerdista ofendido usa de piadinha machista ! haha, realmente inteligência não é o forte dessa galera !

  21. Fran Postado em 22/Feb/2015 às 22:58

    Falou tudo meu caro e falou bonito!

  22. Ônibus Postado em 22/Feb/2015 às 23:04

    O transporte público é Público. Ceder o lugar, além do preferencial é educação e dever. Só fico indignado quando estamos no lugar não-preferencial e temos que ceder o lugar porque alguem sentou no lugar preferencial e não saiu.

  23. bibiana Postado em 22/Feb/2015 às 23:07

    Imprudência dela ou falta de conhecimento teu sobre gestações?

  24. Celeste Postado em 22/Feb/2015 às 23:30

    Gravidez não e doença, eu trabalhei faltando uma semana p parir e trabalho no programa saude da família, fazendo visitas domiciliar e andando de ônibus no horário de pico pegava 2 ônibus, e minha gravidez foi maravilhosa.

  25. Marcio Cursino Postado em 22/Feb/2015 às 23:44

    Sei la, acho perigoso desfilar como passista em uma escola de samba com um barrigão desses. Se ela passa mal, quanto tempo ia demorar pra conseguir tirar ela do meio do desfile? E se ela sente que não ta bem mas entra numa de amor pela escola etc??? Sei la, acho que ela tem todos os outros anos pra desfilar. Se fosse meu filho não ia mas de jeito nenhum...

  26. Li sylva Postado em 22/Feb/2015 às 23:55

    Tenso,que pena !!!! as pessoas nao conseguem respeitar opinioes contrarias,e vao para o lado da ofensa.E so dar seu ponto de vista .E PRONTO.

  27. Liliane Postado em 23/Feb/2015 às 00:44

    Ótimo texto, muito sensato.

  28. Marisa Spinardi Postado em 23/Feb/2015 às 01:06

    Perfeito o texto! Não é preciso dizer mais nada! Lamentavelmente tudo que foi escrito é a mais pura verdade!

  29. joana Postado em 23/Feb/2015 às 01:16

    A gente, na boa vcs não tem mais o q fazer né??? O Q vcs tem c a vida dessa moça?? Concerteza, ela deve ter consultado seu obstetra. Ela deve saber o q faz da sua vida e da vida do serzinho q está dentro dela. Meu na boa, vão procurar o q fazer, vão trabalhar ou tentar ajudar quem realmente precisa. Acho q cada um tem sua vida, então cada um cuidando da sua. E na minha opinião ela estava linda. Tenho certeza q o bebê dela nascerá muito bem, será saudável e viverá imensamente feliz e orgulhoso pela mãe q tem. Diferente de alguns preconceituosos, desocupados e mau amados. Pronto falei. Indignada com esse mundo.

  30. ana Flavia Postado em 23/Feb/2015 às 04:21

    Não seria preciso lugares preferenciais se tivesse lugar para todos ,e um absurdo um ônibus que foi feito para um número de passageiros levar o dobro de passageiros ,muitos em pé correndo risco de vida caso aja um acidente, engraçado que se a polícia pegar um carro lotado de gente eles estão infligido a lei,mas o ônibus pode andar lotado com pessoas em pé e sem cintos ,qual o sentido de ficar brigando por acentos preferenciais se o correto seria acentos e segurança para todos ,so falta lutarmos por nossos direitos

  31. Nayark Postado em 23/Feb/2015 às 07:34

    LINDAA A PASSISTA. Quem fala mal das mulheres não deveria nem ter nascido.

    • eu daqui Postado em 23/Feb/2015 às 14:05

      AÍ VC VAI ME DESCULPAR: NÃO EXISTE SANTO: TODO MUNDO MALHA ALGUÉM AO MENOS UMA VEZ NA VIDA E OS HOMENS É QUE NÃO VOU MALHAR MESMO.......KKKKKKKK

  32. Luciana Mello Postado em 23/Feb/2015 às 07:39

    José Ferreira.. Vejo em seus comentários uma chuva de machismo e pensamentos individualistas. Você quer se achar merecedor de se sentar em um coletivo porque trabalhou o dia todo e para isso tem mil desculpas que são meros julgamentos que faz sem conhecer realmente a rotina dos demais. Atitude tipica das pessoas que não cedem seus lugares noa coletivos... "Ela ta gravida mas não ta com cara de cansada"... " a velhinha podia pegar o ônibus em outro horário".... Você está na pele deles? Vive a visa deles? Como pode saber essas coisas? É só você ter um pouco de cultura para saber que não é essa nossa realidade, a idade para se aposentar cada vez aumenta mais, ou seja, maioria dos nossos idosos ainda trabalham sim e os que não trabalham muitas vezes estão noa coletivos da vida indo a médicos pois os hospitais não se importam com horário se pico na hora de marcar as consultas deles... E as grávidas, já viu quantas mulheres se afastam por auxilio maternidade no Brasil? Isso significa que elas trabalharam e muito durante a gravidez. E para finalizar, trabalhar em um escritório com ar condicionado não significa que no final do dia estarei menos cansada que você, já ouviu falar em cansaço psicológico? Pressão? Cobranças? Por favor, não desmereça a batalha das pessoas, ninguém merece ser julgado por ter um vida "menos sofrida" que a sua....

    • José Ferreira Postado em 23/Feb/2015 às 13:28

      Não se trata de individualismo, tanto que costumo evitar o horário de pico quando estou no meu período de férias, assim como não vou para as filas dos bancos nesse período. Muitas vezes nós devemos ter a coragem para falar as verdades que as pessoas "politicamente corretas" não enxergam que existem.

      • Fabiola Postado em 24/Feb/2015 às 13:36

        Mas você evita os horarios de pico porque te aborrece estar num lugar lotado (mais confortavel um lugar traquilo) ou porque você se preocupa com o outro, porque o outro que está trabalhando merece um lugar mais vazio? No fundo... pensa bem... qual o motivo de você evitar o horario de pico? Garanto que todos que podem evitar a hora de pico, evitam!... o motivo normalmente para seu proprio bem estar. Isso é intrinseco no ser humano... infelizmente.

  33. Ana Carolina Postado em 23/Feb/2015 às 08:17

    Vc é o médico dela? Pra caracterizar o desfile como imprudência? Na verdade o que eu vejo é que o povo só é valorizado se sofre. Se é feliz, tem mais é que se danar até sofrer!

  34. Maria Antonia Postado em 23/Feb/2015 às 08:59

    Comentários......Haveriam artigos se eles não existissem???

  35. merie Postado em 23/Feb/2015 às 09:08

    Então quer dizer que os "Comentaristas dizendo que mulher engravida para poder furar a fila do banco..."" ah brincadeira né? Então a mulher engravida não pra constituir família mas pra furar fila de banco??? q comentário pobre hein? então quer dizer q toda grávida consegue fazer o q essa moça fez? vai vendo aew!!!

  36. Mayara Postado em 23/Feb/2015 às 09:41

    Magnífico o seu artigo! Expõe a ferida que ainda está aberta no coração desse Brasil tão plural! O pensamento ainda é mesquinho, essa bendita Lei de Gerson, deveria ser sepultada, para que pudéssemos expandir mais as mentes e o olhar! Que linda a foto dessa moça exibindo a sua maternidade com alegria e brilho no olhar. Que ela seja muito feliz com o seu bebê!

  37. Simone Postado em 23/Feb/2015 às 10:07

    Excelente texto!! Engraçado que estes mesmos que discriminam as mulheres grávidas se esquecem de que eles mesmos, para existir deste mundo, e ter a oportunidade de dizer o que pensam e fazer o que fazem, estiveram dentro do útero de uma mulher! Parabéns pelo seu texto, sua crítica tão brilhante e pontual. Nossa sociedade está cada vez mais permeada de preconceito, intolerância, racismo e ignorância, Isto é assustador!

  38. Gina Girão Postado em 23/Feb/2015 às 10:11

    Um texto que eu gostaria de haver escrito. Grata!

  39. Isadora Postado em 23/Feb/2015 às 12:05

    Olha, eu pego onibus todos os dias, lotado, 8 horas, ápice do horário de pico, vejo idosos indo pra igreja, shoppings, muitos extremamente debilitados, sem condição alguma de trabalhar ou ficar no mínimo 1:00 hora no trânsito, que eu enfrento todos os dias, em pé. Uma senhora pega o onibus todos os dias às 8:00 e volta comigo às 18:30, obesa, idosa, com grande dificuldase de locomoção, por minha vez, eu procuro não sentar em assentos preferênciais e sedo o meu, quando alguém se recusa, ou não hajam mais, acredito que tudo possa ser resolvido facilmente com o bom senso da parte de todos.

  40. Ana Carvalho Postado em 23/Feb/2015 às 12:58

    A gravidez é um momento especial, onde cada mulher reage de uma forma. Algumas têm mais vigor, enquanto outras não. Mas não podemos negar que é um momento delicado, que muitas vezes requer cuidado. Estou grávida, no finalzinho da gestação e quando estava com 7 meses, estava bem disposta e relativamente tranquila. Admiro a integrante da escola de samba pela energia em desfilar. Não consigo ver motivo para polemizar esse assunto. Assim como existem mulheres que estão passando pelo período da gestação com tranquilidade, existem idosos atletas, deficientes que muitas vezes conseguem driblar suas limitações. Mas o que isso tem a ver com o direito do famoso serviço preferencial? Pra mim nada. E quanto a licença maternidade? Menos ainda. A licença maternidade é um período concedido as mães para que possam sobretudo amamentar seus filhos, no qual segundo a OMS a alimentação do bebe ideal deve ser exclusivamente o leite materno (claro que existem exceções). Meu Deus, para o trem que eu quero descer. Ultimamente nesse país tudo é motivo de polémica.Chatooo!!! E esse Bolsonáro, não deveria nem sequer se citado. O cara faz sua fama com comentários preconceituosos e perdemos tempo falando sobre ele. E assim ele vai sendo eleito ano após ano.

  41. Lindomar Postado em 23/Feb/2015 às 13:49

    Muito bem , Fabiana e que a nossa Senhora do bom Parto te proteja

  42. Marcos Postado em 23/Feb/2015 às 14:07

    Acho que justamente a falta de individualismo genuíno é que causou este problema. No Brasil as pessoas se importam muito com a vida dos outros. Principalmente se o outro faz sucesso. Aí é quase uma ofensa. Acho que ela está de parabéns, tenho dois filhos e minha esposa sofreu muito nas duas vezes que esteve grávida, portanto, a passista estava ótima !!!

  43. Ju Brito Postado em 23/Feb/2015 às 14:25

    Sambar, dançar, trabalhar ou andar de ônibus não tem problema, desde que o corpo esteja bem. Agora ridículo é ir para a avenida semi-nua. O corpo da mulher é sagrado, jamais deveria ser exposto ao ridículo. Valores são valores, não indecência. Pode ser grávida ou não.

  44. Edilaine Postado em 23/Feb/2015 às 16:16

    Ta linda, quem derá eu aguentar ir para avenida com o barrigão assim !

  45. Ana Deivis Postado em 23/Feb/2015 às 18:11

    O texto é muito bom,se todos parassem para pensar e fazer uso do bom senso o mundo seria muito melhor!!!vamos pensar no próximo gente!!!

  46. Ana Deivis Postado em 23/Feb/2015 às 18:15

    O texto é muito bom,Se todos pensassem mas no próximo o mundo seria muito melhor!!!!!

  47. Joao Postado em 23/Feb/2015 às 20:25

    Mulher gravida ou não lugar de mulher é na cozinha, não precisaria ouvir isso se estivesse em casa cuidando da casa e dos filhos.

  48. paulo Postado em 23/Feb/2015 às 22:29

    só pensou em sua autopromoção pessoal, tá lá ligando para o que está na barriga, se passar mal , pari ali mesmo, dá mais ibope, quando vier pedir preferencia, peça para esperar as outras "escolas " que tenham prioridades , as dos idosos, dos especiais etc. ,!!!!!!! '' sem noção"" típica.

  49. Danyella Postado em 24/Feb/2015 às 05:30

    EU ACHO QUE ELA ARASOU OK....1 GRAVIDEZ NAO E DOENÇA E SAUDE VIDA.....POIS ESTA GERANDO UMA E OUTRA COISA SE O MÉDICO DELA DISSE QUE ELA ESTAVA LIBERADA PARA DESFILAR QUEM SOMOS NOIS PARA JUGAR ELA!!??? HEIM ALGUÉM AQUI PAGA AS CONTAS OU IRA ASSUMIR O FILHO DELA??? NAO NE SABE QUAL E O PROBLEMA DAS PESSOAS NAO CUIDAO DA PORRA DA SUAS VIDAS......FIM

  50. Elcio Thenorio Postado em 24/Feb/2015 às 10:49

    Longe de mim defender Bolsonaros, mas licença maternidade de seis meses (ou de qualquer período) é um direito social cujo ônus deveria recair sobre o governo, num país que tem a carga tributária acima dos 33%, e não sobre o empregador. Suponhamos: O coitado do micro-empresário trabalha sozinho com uma ajudante, ela engravida e ele abre falência? Essa que a lógica?

  51. Luciano Menezes Postado em 24/Feb/2015 às 11:00

    Num país onde um representante dós brasileiros prega o estupro, nada mais natural que criar uma nova Madalena. Esses são os coxinhas.