Redação Pragmatismo
Compartilhar
Europa 26/Jan/2015 às 22:11
13
Comentários

Conheça o Syriza, o partido de esquerda que pode mudar a Europa

O esquerdista Syriza fez história ao vencer as eleições na Grécia no último domingo. O partido deve se tornar o primeiro 'antiausteridade' a tomar o poder na zona do euro

Syriza partido esquerda Grécia europa

Um grande retrato da revolucionária marxista Rosa Luxemburgo decora o escritório de Nikos Samanidis, um dos membros-fundadores da Coalizão da Esquerda Radical – ou Syriza, como o partido é conhecido entre os gregos.

O Syriza venceu as eleições gerais gregas deste domingo – em que concorreu contra o Nova Democracia, do primeiro-ministro Antonis Samaras – e deve se tornar o primeiro partido antiausteridade a tomar o poder na zona do euro.

Sua vitória não só lança um manto de incertezas sobre a relação da Grécia com a União Européia, como analistas acreditam que pode dar fôlego a outros partidos de extrema esquerda europeus (como o Podemos, na Espanha).

No que diz respeito a suas propostas, o Syriza não só se opõe ao resgate internacional da Grécia e às medidas de austeridade como quer renegociar parte da dívida externa grega.

Essas promessas têm gerado nervosismo nos mercados financeiros e já se especula sobre uma possível saída da Grécia da zona do euro.

Leia também: Banco dos EUA cita Lula para acalmar mercado sobre eleição na Grécia

Para o líder do partido, Alexis Tsipras, a vitória do Syriza representa o fim de um processo em que a Grécia estaria sendo “humilhada” por outros países europeus. “Vamos acabar essas ordens vindas do exterior“, prometeu.

Mas também há quem anteveja períodos de maior turbulência para o país com a vitória do partido.

História

Nascido em 2004 como uma coalizão de treze grupos e partidos políticos que inclui maoistas, trotskistas, comunistas, ambientalistas, social-democratas e populistas de esquerda, o Syriza tinha pouca força eleitoral até 2012.

Em seus primeiros oito anos, a agremiação nunca conseguiu obter mais de 5% da preferência do eleitorado.

A popularidade de Tsipras, porém, parece ter sido impulsionada pela crise econômica que nos últimos cinco anos empurrou um quarto dos trabalhadores gregos para o desemprego.

Desde 2010 a Grécia vem implementando medidas como o aumento de impostos e cortes de gastos públicos, seguindo um script imposto pela União Europeia, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Central Europeu em troca de um pacote de resgate para sua economia.

Nas eleições gerais de 2012, com o aprofundamento da crise, o Syriza levou 27% dos votos, passando os sociais-democratas para se tornar a segunda força política da Grécia e a principal voz da oposição.

Tsipras, um líder político jovem (tem 40 anos) e carismático, foi fundamental nessa transformação do Syriza.
Conhecido por seus discursos empolgantes e sua aversão a gravatas, ele assumiu a liderança do partido em 2008 e foi eleito para o Parlamento em 2009.

Carisma

A crise econômica e o colapso dos partidos tradicionais certamente ajudaram a aumentar a influência do Syriza, mas foi Alexis Tsipras que catapultou o partido“, opina Christoforos Vernardakis, professor de ciência política da Universidade Aristóteles de Salonica e fundador do instituto de pesquisas VPRC.

Isso aconteceu porque Tsipras é jovem e parece não ter medo. Ele pegou uma esquerda que estava na defensiva e a transformou em uma opção crível para o governo.”

Para seus simpatizantes, Tsipras é um líder nato, que trata com respeito quem está a seu redor. “Ele gosta de processos e decisões coletivas“, diz Samanidis.

Nikos Karanikas, um velho amigo e colega de partido, diz que, apesar da ter se tornado um líder político proeminente, Tsipras continuou vivendo no bairro de classe média de Kypseli, em Atenas, e trabalhando como engenheiro civil.

Seus críticos, porém, costumam retratá-lo como um político arrogante, inexperiente e com fome de poder.

BBC

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. José Ferreira Postado em 26/Jan/2015 às 23:23

    A Grécia está aos poucos voltando a crescer (0,8%) e só estou a ver esse partido fazendo coisas erradas na economia. Quando tudo estiver ruim, a Grécia pedirá ajuda dos que ela mesma renegou e um partido normal vai voltar à cena política. PS.: A "Aurora Dourada" não é normal.

    • Henrique Postado em 27/Jan/2015 às 00:32

      A grécia não voltou a crescer. Ela só não tinha mais o que diminuir e estabilizou e assim permaneceria se continuasse a cumprir os acordos de austeridade.

    • Aparecida Postado em 27/Jan/2015 às 03:36

      O povo grego ta na miseria, desemprego, fome, e tudo causado pela sua inclusao no Euro, a Europa ta em pavorosa, amigo, se a Grecia sai do Euro e nao obedece mais as exigencias da UE, outros Paises farao o mesmo, na Zona do Euro so quem esta bem e a Alemanha, que na transformacao da moeda nao sofreu perdas.

  2. Thiago Teixeira Postado em 27/Jan/2015 às 08:12

    É sempre assim, quando um pais mergulha na crise, os partidos de esquerdas crescem. Porquê? Porque os mais desfavorecidos (a maioria) sofrem com a crise, e governos de direita, neoliberais jogam a banana pra cima. Quando a esquerda vence e supera crise, vem o ódio dos reacionários e tentativas incessantes de golpe. Conheço um pais assim.

    • Ricardo Postado em 27/Jan/2015 às 08:28

      É, quando a esquerda por sorte se recupera da crise, tu quer dizer ?!?!?!?! Só sorte mesmo. Se o país que tu conhece é o Brasil o senhor Lula pegou uma época muito boa de governar e com a casa mais ou menos organizada pelo governo direita neoliberal do mal que tinha governado antes. O governo Dilma já tem mais a cara do que seria uma esquerda governando o País. Ainda bem que por aqui pelo menos a matemática é um pouco respeitada (sim, um pouco, tirando a "contabilidade ccriativa"), o que parece que este partido de esquerda na Grécia não está disposto a fazer... Não existe mágica: a economia é que nem gravidade, se tu fizer merda tu cai, simples assim...

      • thiago Silva Postado em 28/Jan/2015 às 01:10

        Época boa pra se governar? Está se referindo ao período da maior crise economica da história desde 1929 (e ela ainda não acabou)??????

    • Thales Postado em 27/Jan/2015 às 11:33

      Na verdade, na época de crises os dois extremos começam a crescer, tanto a extrema esquerda como a extrema direita. Mesmo na Grécia, onde a esquerda ganhou com folgas, a extrema direita nunca foi tão forte, o próprio Syriza já fez um acordo com um partido de direita para ter maioria na câmara e governar o pais. Na França extrema direita vem crescendo, muito graças a insatisfação da população com o atual governo de esquerda de lá

    • eu daqui Postado em 27/Jan/2015 às 12:13

      Em qualquer país do mundo, o ódio da direita aumenta proporcionalmente em relação ao ódio da esquerda e vice versa. Em vez de fúria, revanchismo e vingancismo generalizado, experimente dar moderação, equilíbrio e justiça que vc tenderá a receber o mesmo.

  3. Adriana Postado em 27/Jan/2015 às 09:32

    Rolo de rir com as pessoas chamando o PT de esquerda. Na boa, quer ser de esquerda vota no PSTU ou pelo menos no PSOL.

  4. mauricio augusto martins Postado em 27/Jan/2015 às 11:02

    É uma pena que somente pela dor os POVOS vão se libertando, também pudera o predomínio da "informação" como "poder" desde o General Goebbels tornou-se uma arma nas mãos do chupa-cabras Mundial, isto é a direitona-furiosa, burra e monolítica, pois por Sabedoria e Conhecimento os POVOS poderiam adiantar os problemas e partir para a solução, talvez a Grécia sofra o terrorismo e sabotagem que tivemos por aqui, LULA pegou um País com taxa de risco de 2.400 pontos, sofreu evasão de divisas da ordem de U$ 2 bi Diários!!!, com o "C"Bond a 60% do valor facial, sem nenhum Tostão no orçamento para a Exportação em que o boca-de-sovaco "bradava" que "tínhamos que exportar!!!", salário mínimo de U$ 65, Petrobras fatiada e destroçada, Privataria das Key Account Empresas e Instituições estratégicas para a Segurança e Desenvolvimento do Brasil, taxa de juros Nas Nuvens, desemprego a 20% da população profissionalmente ativa, digo 20% pois os números diferem, o boca-de-sovaco como todo espertinho velhaco, mandou o IBGE(que se dizia "aparelhado" pelo PT) acrescentar os Trabalhadores que já estavam nas filas do Desemprego a mais de 2(dois) anos, pois estes Cidadãos na mágica neolibelê tornavam-se invisíveis ou talvez MORTOS, portanto ponteava 13% de desemprego mas na Verdade já eram 20%, nosso Real valia apenas 67% do valor facial, o índice de Informalidade da Economia era de 53%, para quem não viveu estes tempos, estávamos simplesmente a Beira de uma Guerra Civil, e ainda não contávamos com a Frota de Navios construídos aqui, pois 95% de nossas exportações pagavam Altos Fretes a Estaleiros e Armadores Internacionais, e mesmo tendo nascido aqui no Brasil o criador do Avião, Santos Dumont somente agora poderá vislumbrar o KC-390 Avião de Carga, com um passo adiantado para a Aviação Civil para passageiros, agora vamos ter Submarinos, inclusive Nuclear, se em 1962 já tivéssemos, como temos agora, um Governo de Verdade, o Nobel da Paz estaria nos Arquivos Pessoais e na Lembrança da Nação, granjeado por Josué de Castro criador da "Geografia da Fome", precursor da FAL da Onu, e teria orgulho de ver seu País ter saído FINALMENTE do Mapa Mundial da Fome, e indo um pouco mais longe no "Sonho" do Imperador do Brasil D. Pedro II que queria "acabar" com a seca do Nordeste, ei-la!!!, mas infelizmente "importada" para Sum Pablo Del PCC-tucanalha, lógico pela incompetência, que hoje imagino ser uma espécie de "ciência" porque destruir algo, como implodir Edifícios também precisa "escusos" "estudos", enfim, espero que a Grécia tenha um POVO como o do Brasil, logico, não todos, mas os que Pensam, Leem, Estudam, tem Conhecimento, portanto são e estão Naturalmente na ESQUERDA, os que "Seguram" verdadeiramente o Brasil em seus Ombros, e talvez parte da ajuda que podermos dar a Grécia seria financiar seu Desenvolvimento pelo Banco do BRICS, daí não só manter a Grande Rosa(Rosa Luxemburgo, mas também pode ser a Janis Joplin) como também colocar ao Lado, o quadro de Elza Monnerat, pois eles criaram o Socialismo mesmo que empírico através de Sócrates, visionário que institui o próximo degrau seguro da Democracia, mas outros se empenharam e o Construíram de fato, termino rememorando meu Professor João Amazonas, "O Socialismo, ainda não está pronto, não se encontra em qualquer esquina, como solução de nossas dores, Ele é construído e desenvolvido tijolo por tijolo, na máxima de Lênin, teoria/prática/teoria/prática... e assim sucessivamente" portanto sem nunca deixar de Olhar/Ver/Sentir, "Eu escutei...esqueci!!!, Eu Li...eu lembro, Eu FIZ...Eu SEI!!!..." Mao, parabéns CAMARADAS da Grécia, sucesso neste Grande Governo que se Inicia...maumau

    • Rodrigo Postado em 27/Jan/2015 às 11:21

      Bastante coerência com a realidade. Como você mesmo diz para aqueles que lêem e fazem a real leitura da vida. Somos poucos mas seremos muitos.

    • Henrique Neves Postado em 27/Jan/2015 às 12:11

      Segundo pesquisa divulgada na semana passada, até o ano que vem, 2016, metade da riqueza do planeta Terra estará nas mãos de 1% de seus habitantes. A grande mídia mundial, instrumento básico a serviço do capital, manipuladora, ainda tenta vender a ideia de que o capitalismo deu certo.

  5. Nicolau Postado em 27/Jan/2015 às 22:38

    Grécia que deu a cultura para Europa, hoje é um miserável país de comunistas otários!