Redação Pragmatismo
Compartilhar
Drogas 19/Jan/2015 às 14:54
43
Comentários

Como funciona a Lei Antidrogas da Indonésia

Detidos por tráfico podem ser condenados à pena de morte por fuzilamento na Indonésia e suspensão da execução é rara. Entenda como funciona uma das leis antidrogas mais rígidas do mundo

pena de morte Indonésia lei Antidrogas
O presidente da Indonésia Joko Widodo (Imagem: Pragmatismo Político)

A Indonésia tem uma das leis antidrogas mais rígidas do mundo, incluindo a pena de morte para o crime de tráfico. Quem for pego com mais de cinco gramas de droga pode ser condenado à morte. A lei não prevê exceções para estrangeiros.

O novo presidente do país, Joko Widodo, afirmou em dezembro, poucas semanas depois de assumir o cargo, que não haverá mudanças na legislação e que as pessoas que estão no corredor da morte não serão perdoadas. O ministro da Justiça, Yasonna Laoly, disse que o presidente ordenou às autoridades para que ajam de forma “firme e forte” contra os traficantes. “O problema das drogas é uma emergência nacional“, justificou.

A conduta contrasta com a posição do governo anterior, do presidente Susilo Bambang Yudhoyono, que perdoou alguns condenados. Entre novembro de 2008 e março de 2013 não houve execuções no país. Em outubro de 2012, o então ministro do Exterior, Marty Natalegawa, declarou que o país queria gradualmente se afastar da pena de morte. Porém, as execuções foram retomadas em março de 2013.

O condenado é executado quando são esgotadas todas as opções de apelação. A última instância é o presidente, mas o perdão presidencial é raro. A maioria dos condenados passa anos na cadeia até ser executada. Eles são mortos a tiros, tanto em pé quanto sentados, com os olhos vendados ou com um capuz. Segundo a Anistia Internacional, que luta pela extinção da pena capital, um pelotão de 12 pessoas, armadas com fuzis, executa a pena.

Leia também: O fuzilamento do brasileiro Marco Archer na Indonésia

Estrangeiros frequentemente são executados no país. Eles costumam ser detidos na ilha turística de Bali ao tentar contrabandear drogas. Alguns casos se tornaram famosos, como o da britânica Lindsay Sandiford, de 58 anos, condenada por tráfico de cocaína. Ela aguarda a execução da sentença.

Apesar da rigidez da legislação, as notícias de detenções por tráfico de drogas em Bali são frequentes. Em dezembro, um neo-zelandês de 52 anos foi detido com 1,7 quilo de metanfetamina. Em setembro, um alemão de 48 anos havia sido preso no aeroporto com 240 gramas de cocaína.

A pena de morte tem ampla aceitação na sociedade da Indonésia.

DW

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Jonas Schlesinger Postado em 19/Jan/2015 às 15:17

    O outro brasileiro, que será executado, obteve uma doença mental como esquizofrenia e alucinações. Alguém sabe se nesses casos, ele pode obter o perdão do presidente? Ou se tratar numa clínica? Pq pra mim a loucura que o acometeu já foi o suficiente.

    • claudionor Postado em 19/Jan/2015 às 17:29

      Louco é quem pensa que o preso ficou louco.O safado foi instruído por advogados.Mas,embora a lei por lá seja essa,sou contrário à essa barbárie.Não se pode matar,e a Lei do homem não deveria suplantar os mandamentos de Deus. Bandido não teme a morte,mas o trabalho.Aos delituosos,trabalho forçado em uma pedreira ou campo agrícola.Doze(12) horas de trabalho forçado,sob chibatadas no caso de o condenado fazer corpo mole,reintegraria o condenado no seio da sociedade.Penal igual a todo delituoso aonde se configurasse crime hediondo.Posto por essa forma,os bandidos pensariam um pouco mais antes de cometer o crime.

      • salomao lindolfo Postado em 19/Jan/2015 às 20:32

        sou contra pena de morte so quem pode tirar a vida e Deus

      • clarisse Postado em 19/Jan/2015 às 21:16

        Ia responder mas voce ja disse tudo Claudionor. Mta inocencia acreditar q o cara viaja com kgs de cocaina para se atrever ganhar milhoes em um pais que eh mais rigoso. Sabia que quando voce compra passagens pra esse ligar voce recebe informacoes sobre as leis de execucao dos paises? Esquizofrenia ne... sei.

      • Rosilda Postado em 19/Jan/2015 às 22:16

        Nesse caso aí meu, 12 hs de trabalho forçado em uma pedreira, sob chibatadas eu iria preferir a pena de morte ( se eu fosse o réu), ainda dispensaria o anos esperando, pediria o fuzilamento rápido....

      • Luciene Postado em 19/Jan/2015 às 22:47

        A solução não é matar (porque matar é pecado), e sim escravizar... Ta sertinho.

      • Zemauro Postado em 19/Jan/2015 às 23:36

        Claudionor me da teu numero que vou te da o numero de um psiquiatra que conheço dizem que ele é muito bom, meu filho precisa se tratar, estamos debatendo sobre a vida de humanos, pense nisso não concordo com o trafico de drogas acho que é o doença do nosso tempo, mas para cada patologia a sua vacina, a morte não é solução pra nada, eu tenho esperança que você seja curado...

      • salomao Postado em 21/Jan/2015 às 20:23

        O maior pecado de todos é a omissão Moisés matou milhares. David assassinou muita gente. Tudo em nome de Deus. Eles não se omitiram , e foram à luta. Pecado é matar por inveja, cobiça, etc. Muitos aqui realmente não leêm a Bíblia

      • jaldemir Postado em 29/Apr/2016 às 08:29

        certicimo

  2. Walter Postado em 19/Jan/2015 às 15:40

    Não precisa adotar já elegeram um monte para o congresso nacional e o senado veja em quem vota pois se não fosse nossa constituição o Brasil já era uma Indonésia faz tempo pois se elegem muito mais demagogos e fascistas aqui do que lá.

  3. Eduardo Postado em 19/Jan/2015 às 15:54

    Matar não levará a nada, vão matar, matar e a Ilha de Bali, "a paradisíaca ilha de Bali" continuará a ser a porta de entrada, pelo visto do matadouro indonésio.... pois o tráfico não vai parar.... é coisa daquele que ensina fazer, mas que não ensina esconder.... vocês sabem de quem estou falando.... não é de Deus...como uma dica....

  4. GabrielG Postado em 19/Jan/2015 às 16:53

    Temos aqui um bom cristão, seguidor de Jesus Cristo. Bem típico. Parabéns a Indonésia por punir com a morte crimes de tráfico. Parabéns a Indonésia por não punir com a morte crimes de estupro e assassinato. Parabéns a Indonésia por soltar 200 terroristas entre 2013 e 2014. Parabéns a Indonésia por além de punir traficantes com a pena capital, traficar drogas em presídios em esquemas milionários. PARABÉNS A POPULAÇÃO DA INDONÉSIA, POR SER CONIVENTE COM TUDO ISSO.

    • PAULO Postado em 19/Jan/2015 às 18:07

      Exatamente Gabriel... esse César é do tipo fora cubanos do Brasil. Bandido bom é bandido morto e etc. Em fim... Essa gentalha é mais comum aqui do que imaginei.

    • jose albuquerque Postado em 19/Jan/2015 às 22:22

      Cada pais tem sua lei, sua regra.E dever do estrangeiro respeitar suas leis seus costumes. Tudo na vida tem consequencias, pense muito antes de fazer qualquer coisa.Alguns erros que cometemos nessa vida nao tem volta.como diz o ditado:AGORA INES E MORTA...

    • Eduardo Postado em 19/Jan/2015 às 23:23

      Cara, me passa as suas fontes para eu dar uma lida. Não estou duvidndo, só quero conhecer a realidade do País.

  5. Douglas Postado em 19/Jan/2015 às 18:59

    É claro que bandido bom é bandido morto. Vocês ficam defendendo até acontecerem com vocês. Quero ver um bandido matar seus pais a troco de nada e vocês ainda perdoarem o desgraçado. Aí você vai la, perdoa o maldito, e depois de dois meses vem outro vagabundo e estupra e mata a sua irmã. Aí você vai fazer o que? Perdoar de novo? Isso só pode ser duas coisas: burrice ou masoquismo

    • vicente de paula Postado em 19/Jan/2015 às 19:23

      Entendo que a mesma pena deveria ser aplicada aos traficantes em nosso País. A única ressalva é que a lei devevia ser aplicada com mais cuidado, porque só são presos os da classe "PPP" pobres que, na verdade, não são traficantes e sim representantes/vendedores dos verdadeiros traficantes das drogas. Os "PPP" assemelham-se, a meu ver, aos vendedores de CDs piratas, ou seja, enquanto os "PPP" pobres vivem em situação de penuria e vendem estas porcarias por necessidade de sustentar os seus filhos, OS VERDADEIROS TRAFICANTES residem em residencias luxuosas localizadas em bairros nobres das cidade. Assim, entendo que aos "PPP" pobres deveria serem aplicadadas penas similares às aplicadas aos que cometem pequenos roubos para sustentar as suas familias, ou seja, praticam o que se denomina CRIME FAMELICO. Pena de morte seria privativa dos verdadeiros capitalistas do TRAFICO.

      • José Carlos Postado em 19/Jan/2015 às 20:53

        Não ficou claro se você defende a pena de morte para quem fabrica CD pirata.

    • marcao Postado em 19/Jan/2015 às 20:03

      DOUGLAS o problema do brasil e que a morte de um bandido sensibiliza mais as pessoas ,que a morte de um pai de familia ou de seus filhos ,são tantas barbaridades so quem tem coração sabe a dor que essas familias sentem ,existe 2 opções ou vc corta o mal pela raiz e elimina estes seres da façe da terra ,ou vc vira refem o resto de sua vida ate que a morte chegue a voce.

    • José Carlos Postado em 19/Jan/2015 às 20:51

      Além dessas duas coisas, imagine por um momento (milagre!) que também pode ser humanismo, que significa respeito à vida.

      • Douglas Postado em 19/Jan/2015 às 23:24

        Humanismo? Vai falar de humanismo para o bandido que mata por matar um pai de família, uma mãe, etc...Já que o cara precisa mesmo roubar (como se não tivesse outra opção), beleza, então roube. Mas precisa matar? Qual o sentido de uma pessoa puxar o gatilho pra depois vier falar que só queria sustentar a sua família? Humanismo só existe para bandido, mas para pessoas de bem não né? Me poupe

      • Luiz Postado em 20/Jan/2015 às 09:04

        Só queria que vocês que defendem eliminar pessoas para acabar com o problema das drogas me mostrassem um lugar, só um, onde isso teve resultado...

    • Anderson Postado em 19/Jan/2015 às 22:28

      Nao é esse o caso amigo,.o.pessoal fala de política püblica, o sentimento de vingança é comum a todos nós, mas nao podemos utilizá-la para criar leis. Se a pena de morte fosse a soluçao, teríamos uma Indonésia livre das drogas, o que nao é o caso.

      • Zemauro Postado em 20/Jan/2015 às 00:01

        Bom Anderson alguem lucido neste debate, humanidade independe de credo, eu sou ateu e não concordo com barbare proposta pelo o (cesar)...

    • bghluke Postado em 20/Jan/2015 às 00:01

      Esses caras repetem sempre essa velha ladainha rssrsr tudo que eles querem e ver sangue, são uns urubus, desqulificados... bandido bom é bandido regenerado e reintegrado À sociedade, seus pulhas boçais!

      • Douglas Postado em 20/Jan/2015 às 02:26

        Você gostaria de ver o bandido que assassinou alguém da sua família a sangue frio regenerado e reintegrado a sociedade? O cara vai ficar o resto da vida comendo e bebendo até morrer de velho, satisfeito e feliz, enquanto que o seu familiar vai estar la debaixo da terra e tudo que deixará serão as lembranças de quando era vivo e a tristeza dos parentes pro resto da vida. Cara eu estou falando de MOOOORTEEEEEE. Quem tem o direito de tirar a vida não é só Deus? Então porque todos os dias morrem pessoas de bem na mão desses vagabundos? Se eles tem o "direito" de tirar a vida de tanta gente, então também temos que ter o direito de tirar a vida deles também Regenerado e integrado a sociedade? Conta outra...

  6. Antonia Postado em 19/Jan/2015 às 18:59

    Pra que será que alguém se arrisca ser preso e ser condenado a morte, se não houvesse lá quem comprasse a droga pagando muito bem por ela? Será que são pobres que a encomendam? O governo vai atrás dos ricos que compram drogas? Eu sempre digo e repito, conheço todo o tipo de pessoa e nunca vi alguém sacar um revólver e obrigar alguém cheirar pó. Ao contrário, conheci pessoas, filhos de famílias muito conservadoras que iam atrás dos traficantes para adquirir drogas. Talvez sejam os mesmos que agora defendem a pena de morte para este tipo de crime. A hipocrisia também faz as pessoas perderem a noção, não só os traficantes.

    • vicente de paula Postado em 19/Jan/2015 às 19:22

      Entendo que a mesma pena deveria ser aplicada aos traficantes em nosso País. A única ressalva é que a lei devevia ser aplicada com mais cuidado, porque só são presos os da classe "PPP" pobres que, na verdade, não são traficantes e sim representantes/vendedores dos verdadeiros traficantes das drogas. Os "PPP" assemelham-se, a meu ver, aos vendedores de CDs piratas, ou seja, enquanto os "PPP" pobres vivem em situação de penuria e vendem estas porcarias por necessidade de sustentar os seus filhos, OS VERDADEIROS TRAFICANTES residem em residencias luxuosas localizadas em bairros nobres das cidade. Assim, entendo que aos "PPP" pobres deveria serem aplicadadas penas similares às aplicadas aos que cometem pequenos roubos para sustentar as suas familias, ou seja, praticam o que se denomina CRIME FAMELICO. Pena de morte seria privativa dos verdadeiros capitalistas do TRAFICO.

    • José Carlos Postado em 19/Jan/2015 às 20:48

      Parabéns por sua modéstia. Afinal, conhecer TODO tipo de pessoa não é tarefa fácil.

  7. eduardo Postado em 19/Jan/2015 às 19:03

    Se você acredita em um deus, caro xará, deveria acreditar que ele deu a cada um, um cérebro, e deveria dar o caráter também para cada um assumir seus erros sem ficar jogando a culpa em seres imaginários.

  8. Thiago Teixeira Postado em 19/Jan/2015 às 19:03

    Resumindo Galera: Não trafiquem drogas na Indonésia. (E tem gente que acha que penas severas não inibem a prática de crimes ...).

    • Anderson Postado em 19/Jan/2015 às 22:29

      Nao inibe cara, a Indonésia ainda é uma das portas fe entrada para as drogas.

  9. fabio Postado em 19/Jan/2015 às 19:11

    E existem idiotas que conseguem confundir vingança com justiça. E ainda tais pessoas querem ser respeitadas com um pensamento tão egoísta e sem fundamento

  10. Marcos Postado em 19/Jan/2015 às 19:19

    Como dizem alguns aqui "bandido bom é bandido morto" então peguem em armas e sigam até Brasília...apontar e fogo! Esses não são bandidos imaginários, são reais... tens coragem?

  11. Luis Postado em 19/Jan/2015 às 19:31

    Que atraso mental esse Cesar...

  12. Rafael Postado em 19/Jan/2015 às 19:53

    Muita distorção por aqui. Ele não foi enganado, sabia das consequências de entrar na Indonésia com drogas. Não puni-lo com a pena que a lei daquele país possui seria colocar o judiciário da Indonésia em cheque. Agora se crimes piores têm penas mais brandas é um problema que a Indonésia tem que resolver. Nós temos que parar de colocar em pedestais as pessoas erradas. Don't do the crime If you can't do de time.

  13. Observador Postado em 19/Jan/2015 às 20:37

    Pois é existem especulações que até mesmo a CIA vende drogas para financiar suas operações não-oficiais. No Brasil políticos foram ligados ao tráfico de drogas. E aí estes serão punidos do mesmo jeito que o favelado negro ou pardo?

  14. Saco Cheio Postado em 19/Jan/2015 às 21:05

    Marco era um traficante tarimbado: “Nunca fiz nada na vida, exceto viver do tráfico.” Gabava-se de não ter servido ao Exército, nem pagar imposto de renda. Nunca teve talão de cheques e ironizava da única vez numa urna: “Minha mãe me pediu para votar no Fernando Collor”. A cocaína que ele levava na asa tinha sido comprada em Iquitos, no Peru, por 8 mil dólares o quilo, bancada por um traficante norte-americano, com quem dividiria os lucros se a operação tivesse dado certo: a cotação da época da mercadoria em Bali era de 3,5 milhões de dólares. Marco me contou, às gargalhadas, sua “épica jornada” com a asa cheia de drogas pelos rios da Amazônia, misturado com inocentes turistas americanos. “Nenhum suspeitou”. Enfim chegou a Manaus, de onde embarcou para Jakarta: “Sair do Brasil foi moleza, nossa fiscalização era uma piada”. Na chegada, com certeza ele viu no aeroporto indonésio um enorme cartaz avisando: “Hukuman berta bagi pembana narkotik’’, a política nacional de punir severamente o narcotráfico. “Ora, em todo lugar do mundo existem leis para serem quebradas”, me disse, mostrando sua peculiar maneira de ver as coisas: “Se eu fosse respeitar leis nunca teria vivido o que vivi”. Ele desafiou o repórter: “Você não faria a mesma coisa pelos 3,5 milhões de dólares”? Para ele, o dinheiro valia o risco: “A venda em Bali iria me deixar bem de vida para sempre” – na ocasião, ele não falou em contas hospitalares penduradas. Marco parecia exagerar no número de vezes que cruzou fronteiras pelo mundo como mula de drogas: “Fiz mais de mil gols”. Com o dinheiro fácil manteve apartamentos em Bali, Hawai e Holanda, sempre abertos aos amigos: “Nunca me perguntaram de onde vinha o dinheiro pras nossas baladas”.

  15. Denns Postado em 19/Jan/2015 às 23:41

    Incoerente, Hipócrita e PATÉTICO.... http://oglobo.globo.com/brasil/indonesia-pede-clemencia-para-condenada-na-arabia-saudita-15080022

  16. Vlademir Gomes Postado em 21/Jan/2015 às 01:30

    Busquem sobre os massacres contra a população na década de 1960 e digam se a indonésia tem envergadura moral pra condenar um traficante à morte...

  17. Chico Lobo Postado em 21/Jan/2015 às 05:52

    Quem aposta na pena de morte é mais bandido que um assassino. Só tem "moral" pra apoiar a pena de morte quem tem a coragem de aplicar a pena, chegar lá e meter uma bala no peito do apenado. Se esse que apoia a pena de morte não tem coragem de aplicar a pena é um hipócrita que apoia a pena de morte sendo cristão. É fácil fazer esse tipo de justiça insana e desumanamente irreversível mandando os outros fazer o serviço sujo. Tenho nojo e medo de quem é insano o suficiente para apoiar a pena de morte, principalmente por ser cristão... Cristão de mentira, isso sim...

  18. Carlos Postado em 21/Jan/2015 às 11:00

    Esses sites de esquerda são uma piara, a humanidade é burra, porque não postam matérias sobre as vitimas de traficantes e bandidos que são mortas todo santo dia no Brasil, suas vidas e famílias, podem apostar que as leis seria extremamente mais duras, mas no Brasil a esquerdalha se preocupa com traficante sendo morto em um país sério.

  19. Erico Postado em 24/Feb/2015 às 14:37

    Sou contra a pena de morte. A pena de morte foi criada para que os assassinos paguem pela mesma moeda. Sendo assim se torna absurda executar uma pessoa que nunca tirou a vida de outro, mesmo sendo um traficante. E nao me venham com a historia de quantas pessoas morreriam com o uso da droga, se fosse assim donos de bares e qualquer um que venda cigarros deveriam serem executados. Eu conheco muita gente que morreu em decorrencia do uso do alcool e do tabaco. muito mais dos que morreram com o uso de droga. Sei que os traficantes do Brasil, quase todos sao envolvidos com assassinos, talvez esses mereceiam serem executados, mas quem nunca tirou a vida de outro nao merecem o mesmo tratamento e mesmo assim eu sou contra qualquer tipo de pena de morte.