Redação Pragmatismo
Compartilhar
Política 27/Nov/2014 às 16:07
8
Comentários

Baixaria no Congresso entre Mendonça e Renan tem até dedo na cara

Em sessão tensa, Mendonça Filho, do DEM, e Renan Calheiros, do PMDB, trocam farpas durante discussão sobre a votação que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)

renan calheiros mendonça filho
Renan Calheiros e Mendonça Filho protagonizaram troca de farpas no Congresso Nacional (Folhapress)

A votação do projeto de lei do governo (PLN 36/14), que altera a meta fiscal para 2014, retirando a exigência de superávit primário nas contas públicas, foi adiada para as 12h da próxima terça-feira. Depois de muito tumulto já nos primeiros minutos da sessão desta quarta-feira no Congresso Nacional, o clima de impasse e divisão sobre questões regimentais impediu qualquer acordo.

A oposição questionou a abertura e manutenção da sessão sem o quórum mínimo de um sexto da composição da Casa. O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB/AL), que assumiu a sessão já em andamento, anunciou que aguardaria mais 30 minutos para dar tempo para a chegada de novos parlamentares.

A reação foi imediata e a temperatura aumentou quando o líder do DEM na Câmara, deputado Mendonça Filho (PE), tentou explicar que a sessão teria que ser encerrada sem votação, citando artigos do Regimento Interno do Congresso. O som do microfone usado pelo deputado foi cortado e Mendonça se dirigiu até a cadeira de Renan protestar.

“Isso aqui virou o Congresso do Renan. Ele faz o que quer, aprova o que quer, ao tempo que quer, desrespeitando o regimento”, afirmou.

O comportamento da oposição também foi alvo de críticas da base governista. O deputado Henrique Fontana, líder do governo na Câmara, lembrou o tumulto na votação do mesmo texto na Comissão Mista de Orçamento (CMO) e exigiu o respeito dos parlamentares em plenário.

“A oposição está com visão intransigente. Na democracia parlamentar tem que haver respeito entre a maioria e a minoria”, disse.

Para Fontana, Renan respeitou o regimento da Casa.

“Peço à oposição que não corra para frente, que venha como estou aqui aguardar a sua vez de falar e não suba de dedo em riste em volta da cadeira do presidente”, completou.

LDO

Na avaliação do economista Raul Velloso, especialista em contas públicas, se esse problema da LDO for superado, o próximo governo não terá mais entulhos para fazer ajustes no próximo ano se Joaquim Levy apresentar um ajuste fiscal bem firme para 2015, o que desarmaria a oposição. “Estamos no meio da transição dos governos Dilma 1 e Dilma 2. A trajetória da dívida pública é menos favorável do que teria sido se o superávit estivesse sido maior”, alertou.

Vídeo:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Rocken Postado em 27/Nov/2014 às 17:04

    não vi ninguém do DEM/PFL muito preocupado com deficit orçamentário nos 8 anos de FHC que passou a divida de 30% para 70% do PIB, agora que ta aumentando em 2% a divida eles fazem escândalo

    • André Postado em 27/Nov/2014 às 20:03

      Também não vi ninguém do DEM/PFL reclamar da nomeação do Renan Calheiros como ministro da justiça no governo FHC.

    • Silva Postado em 01/Dec/2014 às 21:38

      Um erro não justifica o outro Rocken. Seguindo a sua linha de raciocínio se meu pai roubar duas pessoas e eu apenas uma, ninguém tem o direito de me julgar. O FHC cometeu uma série de erros no passado e isso não é novidade para ninguém, entretanto o que me deixa irritado é o fato de vocês justificaram tudo (sim, estou generalizado) que acontece hoje com os erros do passado (FHC).

      • Silva Postado em 01/Dec/2014 às 21:40

        *generalizando

  2. Thiago Teixeira Postado em 28/Nov/2014 às 12:48

    Inadmissível o comportamento dos parlamentares. Renan Calheiros é a figura que o PiG ensina a odiarmos, não sei qual motivo diferente dos demais políticos, mas é a lavagem cerebral entoada pelo DEM/PSDB em Brasília. Por mais que seja o seu inimigo político presidindo a sessão, temos que respeitar a democracia.

  3. Eduardo Postado em 28/Nov/2014 às 14:30

    Se não podemos "desgovernar", vamos pelo menos impedir que Dilma governe....desgovernando o Congresso Nacional, cabe a maioria colocar a MINORIA....no seu devido lugar.... a maioria só aceita imposição se houver conivência ou interesse escuso...

  4. MARIA Postado em 29/Nov/2014 às 10:36

    SE A OPOSIÇÃO ( QUE PERDEU), COMEÇAR A DIFILCULTAR O GOVERNO DILMA DE GOVERNAR, POR PIRRAÇA! O BRASILEIROS NÃO IRÃO ACEITAR ESSA CHAMADA "OPOSIÇÃO PIRRACENTA" QUE AI ESTA SE FORMANDO, POR PURA DOR DE COTOVELO, POIS, O POVO A REELEGEU!, SINAL QUE A NOSSA "PRESIDENTA " ,ESTA FAZENDO UM BOM TRABALHO PARA O NOSSO BRASIL! E ESSA NÃO É OPINIÃO SOMENTE DOS BRASILEIROS ,QUEREMOS QUE O BRASIL CONTINUE MELHORANDO COMO ESTA! PROGRESSO SEMPRE, QUEM NÃO GOSTOU, MORDE O COTOVELO!

  5. Jefferson Postado em 29/Nov/2014 às 21:24

    Os deputados do DEM são a escória do parlamento brasileiro!!