Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 29/Oct/2014 às 19:13
17
Comentários

O mito da divisão do Brasil

Números do TSE esvaziam discurso sobre divisão geopolítica do Brasil. Sudeste e Nordeste tiveram peso muito semelhante na reeleição de Dilma, contrariando ideia que atribui vitória petista apenas aos nordestinos. Radicais pedem que São Paulo se separe do país

dilma são paulo vitória paulista
Comemoração da vitória de Dilma em São Paulo (Foto: Miguel Schincariol/AFP)

RBA

As redes sociais amanheceram hoje (27) com novas demonstrações racistas de ressaca eleitoral entre correligionários do candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, derrotado no pleito de ontem por uma diferença de 3,45 milhões de votos. A intolerância contra nordestinos – já criticados por preferirem Dilma Rousseff no primeiro turno – foi além do discurso sobre a “divisão geopolítica” do Brasil e chegou ao separatismo. Uma ira, porém, que não resiste aos números.

Um dos principais porta-vozes da recente onda secessionista é o vereador da cidade de São Paulo, Coronel Telhada (PSDB), ex-comandante da tropa de elite da Polícia Militar, entusiasta da ditadura e recém-eleito deputado estadual com 254 mil votos. “Que o Brasil engula esse sapo atravessado. Acho que chegou a hora de São Paulo se separar do resto desse país”, lamentou, em sua página no Facebook, reproduzindo um cartaz que convocava paulistas a lutarem durante a Revolução Constitucionalista de 1932 contra o então presidente Getúlio Vargas.

“Já que o Brasil fez sua escolha pelo PT, entendo que Sul e Sudeste (exceto Minas Gerais e Rio de Janeiro, que optaram pelo PT) iniciem o processo de independência de um país que prefere esmola do que o trabalho, preferem a desordem ao invés da ordem, preferem o voto de cabresto do que a liberdade”, queixou-se, antes de questionar: “Por que devemos nos submeter a esse governo escolhido pelo Norte e Nordeste? Eles que paguem o preço sozinhos.”

A simples conferência das urnas, porém, desmonta o discurso do coronel tucano. De acordo com números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Nordeste e Sudeste tiveram participação muito semelhante na vitória da candidata petista. A presidenta Dilma Rousseff obteve um total de 54,5 milhões de votos no segundo turno. A região tão atacada por setores da elite paulista contribuiu com 20,2 milhões de votos – 37% dos sufrágios ao PT. No Sudeste, 19,9 milhões de pessoas escolheram a presidenta – o que representa 36,5% dos votos em Dilma.

divisao-brasil1

Por sua vez, Aécio Neves teve 25,4 milhões de votos no Sudeste, quase 6 milhões de vantagem sobre Dilma Rousseff, mostrando que a região claramente prefere o tucano. O representante do PSDB, porém, conseguiu apenas 7,9 milhões de votos entre os nordestinos – pouco mais de um terço da votação obtida pela presidenta na região. Fica claro, portanto, que o Nordeste nutre ampla predileção por Dilma Rousseff. Mas não é verdade que essa preferência se reflete com tanta ênfase para Aécio Neves no Sudeste.

divisao-brasil2

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. eu daqui Postado em 29/Oct/2014 às 12:21

    Os separatistas vão querer abrir mão da amazonia e do mercado consumidor?

    • Thiago Teixeira Postado em 29/Oct/2014 às 13:17

      E minério de ferro, petróleo, manganês, sal, carne bovina, suína, laticínios, arroz, feijão, soja ... vão importar?

      • eu daqui Postado em 29/Oct/2014 às 14:04

        O que não se produz pode se passar a produzir com investimento e trabalho. Isso em quaquer região, separada ou não. Para tanto: menos bolsas e mais investimento no setor produtivo.

    • Salomon Postado em 29/Oct/2014 às 13:28

      Ô tiago, tudo isso aí que você citou tem no nordeste e muito mais.

      • eu daqui Postado em 29/Oct/2014 às 14:05

        Se tem tudo não sei. Só sei que frutas tem e faltou ele citar.

    • Thiago Teixeira Postado em 29/Oct/2014 às 19:09

      Mina, eu me referi aos produtos que São Paulo compra de outros estados. SP se virar um pais, terá que importar muita coisa do Sul, Centro-oeste e Nordeste. Esqueci de citar a energia, São Paulo é auto suficiente nesse quesito? Não, então esses "separatistas" devem largam a mão de ser burros e aceitar que todos os estados precisam um do outro para ser uma nação FORTE E SOBERANA!

      • eu daqui Postado em 30/Oct/2014 às 12:02

        Não creio em região autosuficiente. O país é rico justamente por causa de sua diversidade em vários aspectos que é proporcionada por suas dimensões. Em todo caso, com separação ou não vou continuar vivendo de trabalho dentro da legalidade.

  2. Rogério Postado em 29/Oct/2014 às 13:22

    Votei na Dilma no primeiro turno. Sabe o que fiz no segundo? Votei nela de novo..

  3. Samael Postado em 29/Oct/2014 às 13:44

    PSDB= Partido Separatista de Ditadores Burros

  4. Denisbaldo Postado em 29/Oct/2014 às 14:48

    CHUPA CHUPA CHUPA! É DILMA DE NOVO! ENGOLE O CHORO!

    • Denisbaldo Postado em 29/Oct/2014 às 14:53

      Nesses números não constam os eleitores de Dilma que moram em outras regiões do Brasil (migrantes nordestinos em sua maioria) que nunca transferiram seus títulos. O Brasil é Dilma! CHUPA CHUPA CHUPA!

    • Denisbaldo Postado em 29/Oct/2014 às 14:59

      Desses 19,9 milhões de votos que a Dilma teve no Sudeste, quase 10 milhões vieram do Estado de SP. Algo em torno de 20% dos votos que ela obteve ao todo. Isso é para aqueles babacas que sempre criticam São Paulo. CHUPA CHUPA CHUPA!

  5. Amadeus Postado em 29/Oct/2014 às 17:25

    E os eleitores papagaios de ambos os partidos continuam insistindo nesse mito... Chamam uns aos outros de burros, e de fato, pela repetição constante desse papinho, chego à conclusão de que estão certos. A pessoa olha só para a porcentagem, ou nem isso, e se esquece dos números pontuais. Haja paciência com essa gente.

  6. Georges Postado em 29/Oct/2014 às 18:19

    O que seria de São Paulo sem os imigrantes? Estariam falando tupi-guarani até hoje, como se vê pelos nomes de suas ruas, bairros, cidades, estádios, rodovias...

  7. Éderson Cássio Postado em 30/Oct/2014 às 02:49

    Vamos cobrar taxas alfandegárias bem caras deles... pedindo pra voltar a ser um país só em 3... 2... 1...

  8. Bruno Postado em 30/Oct/2014 às 09:23

    O fato de no Brasil não se falar mais o Tupi não tem nada a haver com a imigração.Foi um decreto da coroa portuguesa no séc XVIII muito antes de chegarem as primeiras levas de imigrantes.http://www.helb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=57:a-proibicao-do-tupi-e-o-fortalecimento-da-lingua-portuguesa&catid=1029:1758&Itemid=2

  9. Aldo Gonçalves Postado em 30/Oct/2014 às 10:17

    O Sul de Minas pode ficar junto, não?