Mailson Ramos
Colunista
Compartilhar
Eleições 2014 07/Oct/2014 às 15:30
6
Comentários

Eleições 2014: os destaques

A imprecisão das pesquisas eleitorais, a polarização de poderes entre PT e PSDB e o desfecho do fenômeno Marina Silva. Confira os destaques preliminares do primeiro turno das eleições de 2014

aécio dilma marina ibope bahia
PT e PSDB voltam a polarizar eleição. Na Bahia, um erro grotesco do Ibope (Imagem: Pragmatismo Político)

Mailson Ramos*

Alguns fatos desta eleição merecem destaque preliminar. Alguns deles por sua positividade e outros nem tanto. Por razão natural de sua consciência analítica um colunista deve pertencer a uma consciência perenemente questionadora. Somente assim é possível despertar no amigo leitor suas próprias considerações. Este pequeno preâmbulo antecipa assuntos importantíssimos para a política brasileira. O primeiro deles se refere à confiabilidade das pesquisas e a maneira com que os contratantes (empresas de comunicação, em geral) divulgam os resultados; em seguida, a aguardada polarização de poderes entre PT e PSDB, resultando no embate entre Dilma e Aécio; e por fim o desfecho do fenômeno Marina Silva nas Eleições 2014.

Na Bahia, estado onde reside o vosso amigo colunista, as pesquisas colocaram o candidato Paulo Souto (DEM) à frente de Rui Costa (PT) durante todo o processo eleitoral. Souto liderava e liderava com a perspectiva de vitória ainda no primeiro turno. O IBOPE, responsável pela realização das pesquisas no estado baiano, contratado junto à Rede Bahia de Televisão (afiliada à TV Globo), até o último sábado considerava a vantagem do candidato democrata.

No último domingo, dia da decisão, Rui Costa dispara na contagem de votos, suprime todos os outros candidatos, inclusive o segundo, Paulo Souto, e avança para a vitória ainda no primeiro turno, contrariando todas as perspectivas do IBOPE e fazendo jus às pesquisas do instituto BABESP, que teve a credibilidade colocada em cheque. Parece que o BABESP sempre esteve à margem da realidade dos votos do que o IBOPE, considerado por muitos um instituto de relevante confiabilidade.

Leia aqui todos os textos de Mailson Ramos

Novamente, como em 2006 com a eleição de Jaques Wagner ainda no primeiro turno, as pesquisas deixam de retratar a vontade do povo. É preciso questionar como e onde estes resultados são colhidos, como são divulgados, o quanto os veículos de imprensa contratantes são idôneos o bastante para revelar ou exigir o resultado verdadeiro. E quando existe uma relação de promiscuidade reconhecida entre uma rede de comunicação e um candidato, ou um grupo político, a coisa fica mais séria ainda.

Os baianos elegeram Rui Costa sem pestanejar. Mas os resultados antecipados pelas pesquisas não o favoreciam. O que pensar da imprensa baiana que nos últimos meses repercutiu quase que tendenciosamente a eleição de Paulo Souto ainda no primeiro turno? Embriagadas do mesmo torpor oferecido pelo IBOPE, os jornais, as emissoras de rádio e TV degustaram o mesmo pão contaminado. Mas devem se defender atestando que acompanharam pesquisas estatísticas incontestáveis. E suas respostas serão ouvidas mais uma vez com puro desdém pelos 3.558.975 de eleitores do candidato vencedor.

E por falar nisso, a última pesquisa IBOPE, desta vez certeira, coloca Aécio Neves no segundo turno, disputando o pleito presidencial com Dilma Rousseff. Não há novidade. PT e PSDB formam uma disputa polarizada desde Lula e Fernando Henrique em 1994. Quem aguardava um desfecho diferente, certamente considerava uma alteração do quadro político brasileiro sem o PSDB na disputa. Alguns especialistas em política recorreram ao mês de Junho de 2013 para reforçar uma tendência de mudança. E revendo o cenário político depois deste primeiro turno, puderam constatar que as manifestações influenciaram pouco na decisão popular.

Os anseios da massa de modo algum são responsáveis pela passagem de Aécio Neves ao segundo turno. A mudança, naquele contexto, representava uma transformação de valores superiores para a política brasileira. O que não privilegiava partido ou político algum, mas exaltava as necessidade e demandas sociais do país, colocadas em segundo plano pelos nossos representantes. Dilma e Aécio no segundo turno é mais uma demonstração da manutenção do sistema político vigente. Não há nesta alocução nada de negativo ou positivo: é simplesmente a análise desprendida de um colunista.

Quanto à Marina Silva, com ou sem bolha eleitoral, não resistiu aos à pressão que polariza a política brasileira. Entre estas duas forças, não ouve efeito simbólico ou discurso que evitasse uma derrota. Paradigmática foi a ascensão da candidata, assim como sua silenciosa derrocada. O fôlego da metade da campanha resultou em suspiros compassados a caminho das urnas. Mas há nisso algum valor ou mesmo vitória. Os mais de 22 milhões de votos são a demonstração de que um dia a polarização possa não mais resistir. E Marina certamente seguirá os passos de uma candidata obstinada pela presidência e por governar o país. Os capítulos seguintes desta história pertencem ao destino. Aguardemos o que ele, dissimulado, nos dirá.

*Mailson Ramos é escritor, profissional de Relações Públicas e autor do blog Opinião e Contexto. Escreve semanalmente para Pragmatismo Político. Contato: [email protected]

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. poliana Postado em 07/Oct/2014 às 16:43

    as eleições 2014 serviram pra desmascarar de uma vez por todas todos esses institutos de pesquisa, principalmente o data folha e o ibope! eu nunca vi uma pesquisa sendo feita, e ainda q falem q ela é feita, o número de eleitores q estes institutos entrevistam (se eh q isso realmente acontece), é irrisório diante dos milhões de eleitores q temos no país. sem contar q o perfil dos mesmos muda radicalmente de acordo ao local em q a pesquisa é feita. alguém acha q um eleitor da periferia, ou de bairros de classe média baixa, vota no mesmo candidato q os eleitores dos bairros nobres? há anos q todos esses institutos tem sua credibilidade questionada pelo público, e agora em 2014, finalmente, pelo menos ao meu ver, ficou claro q eles mentem e q tentam a todo custo manipular a massa! isso é extremamente perigoso e pesquisas desse tipo deveriam ser proibidas, principalmente qdo "encomendadas" pela rede globo e suas afiliadas nos estados. vejam o exemplo da bahia. a tv bahia,afiliada da rede globo no estado, como o autor do texto disse, é da família de antonio carlos magalhães, e durante todo o processo eleitoral, deu vitória garantida a paulo souto, ainda no 1º turno. paulo souto q é "afilhado" do carlismo e tem todo apoio político de acm neto, atual prefeito da cidade de salvador. e o q falar das pesquisas no q tange a eleição presidencial??? UMA VERGONHA! o tempo inteiro mentindo, na tentativa de alavancar a candidatura de aécio neves (antes da morte de campos), indicando inclusive um empate técnico entre ele e dilma, ou tentando alavancar a candidatura da marina silva, após a morte de campos, tendo dado vitória a ela, tanto no 1º qto no 2º turno das eleições. uma vergonha! somente agora na reta final, foi q os institutos focaram apenas na disputa pelo 2º lugar, e afirmaram o crescimento de aécio em relação a marina. só um cego n vê o quão manipuladores e mentirosos são estes institutos de pesquisa. essa vergonha deveria ser proibida! as eleições 2014 deixaram claro o jogo sujo q eles fazem. realmente lamentável. vamos ver agora no 2º turno como eles irão se comportar...alguém aí acha q eles serão honestos???? mas enfim...vamos aguardar!!!!!!!!!!

    • KARINA BB Postado em 07/Oct/2014 às 18:17

      Eu ingenuamente acreditava,mas depois que tentaram inflar Marina pra enganar otario ,tentando manipular os brasileiros,,,,EU NAO ACREDITO MAIS,ESSAS PESQUISAS SAO FRAUDADAS

      • poliana Postado em 07/Oct/2014 às 18:29

        karina, pois é...mas acredito q agora o povo abriu os olhos...eu NUNCA fui entrevistada por nenhum instituto, tampouco NUNCA vi nenhuma pesquisa sendo feita.no máximo, eles focam algumas perguntas durante uma tarde, numa avenida movimentada do rio ou de sp, e a partir daí projetam o resultado como se refletisse todo o eleitorado nacional, de norte a sul desse país, das regiões nobres à periferia. cara, é realmente revoltante!!!! mas q bom q a máscara caiu..quero ver quem vai acreditar nesses institutos a partir de agora, principalmente qdo a pesquisa for encomendada pela rede globo, folha de sp e cia...e sempre q eu os questionava aki, levava pedrada. só um cego mesmo pra acreditar numa pesquisa encomendada pela rede globo...meu deus!!!!

  2. Rodrigo Postado em 07/Oct/2014 às 16:47

    (Outro Rodrigo) Recebi há pouco: "Hoje é terça, 07 de outubro. Segundo a margem de erro do Ibope: FELIZ NATAL!".

  3. Natália Postado em 07/Oct/2014 às 17:56

    Poliana:ontem eu vi um pedaço de uma entrevista do diretor do Ibope na qual ele responsabiliza o erro das pesquisas no último debate na Globo, segundo ele Marina teve um mal desempenho e por isso os eleitores de Marina migraram para Aécio por achar que ele estaria mais preparado para derrotar o PT...

    • poliana Postado em 07/Oct/2014 às 18:25

      eu sabia q eles iam sair pela tangente natalia...tanto a presidente do ibope qto o presidente do datafolha deram declarações desastrosas pra justificar o "engano" das pesquisas...só quero ver agora no 2º turno como eles vão fazer...o povo brasileiro viu q a máscara caiu e a tentativa deles manipularem a massa ficou cristalina! continuo indignada com esses institutos de pesquisa. numa eventual reforma política q venha a ser feita, essas pesquisas precisam ser proibidas! a nossa vingança é saber q por mais q eles tentem, n conseguem concretizar seus objetivos...vamos aguardá-los no 2º turno...