Redação Pragmatismo
Compartilhar
Saúde 05/Sep/2014 às 18:32
19
Comentários

95% dos brasileiros aprovam o Mais Médicos

95% da população está satisfeita com o Mais Médicos e 85% diz que o atendimento melhorou muito desde a implantação do programa

mais médicos cubanos saúde brasil
Maioria dos profissionais do Mais Médicos são de origem cubana. Profissionais foram destinados para onde brasileiros não quiseram ir (divulgação)

O Programa Mais Médicos, do governo federal, completou um ano, nesta semana, desde que os primeiros profissionais começaram a atuar. Uma pesquisa inédita mostra: 95% da população atendida e entrevistada diz estar satisfeita com a atuação dos médicos, com notas acima de 8 para os profissionais, e 86% avalia que o atendimento melhorou muito.

“O programa Mais Médicos efetivamente está garantindo mais acesso, qualidade e mais humanização no atendimento. E essa pesquisa confirma que aqueles que usam o Programa Mais Médicos, na periferia de grandes cidades, no interior do país, na Floresta Amazônica, no sertão nordestino, estão muito satisfeitos com o médico”, disse o ministro da Saúde Arthur Chioro, em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (04).

VEJA TAMBÉM: Médicas patricinhas envergonham o Brasil

A pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) entrevistou 4 mil pessoas em 200 municípios que contam com os médicos do programa, entre junho e julho deste ano.

A grande maioria (96%) afirmou que os profissionais são competentes e 90% aprovaram o tratamento durante o atendimento.

Um total de 84% dos entrevistados revela estar satisfeito com a duração da consulta médica, 83% vê uma melhoria nos esclarecimentos sobre os problemas de saúde e 80% estão contentes com o acompanhamento do paciente pelo mesmo profissional. Além disso, os usuários observaram que foram informados sobre outras formas e prevenção e ação: 67% receberam recomendações de alimentação e 56% de atividades físicas.

Em perguntas espontâneas, os entrevistados levantaram os pontos fortes do Programa Mais Médicos: 56% afirmaram que aumentou o atendimento e número de consultas, 33% ressaltaram a presença de médicos todos os dias nas unidades básicas e 37% elogiaram os médicos como atenciosos.

Apenas 2% considera que o Programa está pior do que o esperado, contra 74% que acredita estar melhor, e 19% acha que está como se esperava.

Mais formação

Junto com a apresentação da pesquisa, o ministro da Saúde anunciou, ao lado do ministro da Educação Henrique Paim, o terceiro eixo do Programa: 39 municípios receberão cursos de Medicina, ampliando também a área de especialização, com as residências médicas.

As cidades escolhidas têm 70 mil habitantes, não dispunham de curso superior para médicos, localizadas em 11 estados do país e nenhum dos municípios é capital. A intenção é oferecer a formação em regiões que necessitam do curso, mas que tenham estrutura da rede de saúde para realizar as atividades práticas, sobretudo no programa de residência.

Uma das condições para instituições de ensino superior receberem os cursos é realizar investimentos na rede de saúde.

VEJA TAMBÉM: A hipocrisia e o silêncio dos críticos do Mais Médicos

O anúncio é parte da previsão de criar, até 2017, mais 11,5 mil vagas de graduação e 12,4 de residência, com foco na valorização da Atenção Básica e outras prioritárias para o Sistema Único de Saúde (SUS). Novas faculdades serão instaladas em regiões do Norte e Nordeste e em cidades do interior do país.

Desde a criação do Mais Médicos, os cursos de Medicina estão, em sua maioria, em municípios do interior: 11.269 vagas, diante de 10.045 em capitais. Antes, até 2012, as capitais tinham a maior oferta de vagas de graduação de médicos.

Jornal GGN

Recomendados para você

Comentários

  1. poliana Postado em 05/Sep/2014 às 18:59

    o programa é excelente! só quem n aceita é a classe médica brasileira, q é extremamente elitista e arrogante. os médicos estrangeiros precisaram vir para o brasil justamente pq os médicos brasileiros n aceitam ir pros estados mais pobres e distantes dos grandes centros. se eles n aceitam isso de jeito nenhum, o governo brasileiro precisa da mãos de obra médica estrangeira! é fácil ser contra o programa qdo se tem plano de saúde e nunca precisou da saúde pública do país.só mesmo por pura birra a classe médica e a elite brasileira n querem reconhecer os benefícios trazidos pra população carente com a vinda dos médicos estrangeiros pra cá. pode n ter sido a solução pro caos da nossa saúde pública, mas foi uma excelente iniciativa em prol da população carente q vive nos rincões de pobreza, principalmente na região norte e nordeste do país! n reconhecer os benefícios da implantação desse programa do gov federal, é pura birrinha partidária. querer expulsar os médicos cubanos do país, é de uma desumanidade imensurável! só mesmo a classe médica brasileira pra ter uma visão tão mesquinha, elitista e arrogante como essa!

    • Rocken Postado em 05/Sep/2014 às 19:12

      vc poderia ter resumido, só coxinhas não gostam

      • poliana Postado em 05/Sep/2014 às 19:30

        rsrsrsrsrs. faz sentido rocken. rs

      • Thiago Teixeira Postado em 06/Sep/2014 às 08:09

        Para o coxinha, preto pobre da periferia bom, é ppp no semáforo pedindo esmola mostrando as feridas na perna, como nos governos anteriores.

    • Gustavo Postado em 06/Sep/2014 às 17:55

      Se os médicos cubanos revalidarem seus diplomas e receberem seus salários integralmente, com carteira assinada e supervisionados pelos Conselhos Regionais de Medicina, não tenho nada contra...tenho colega boliviano, italiano, argentino e admiro a medicina comunitária de Cuba...agora, reter 70% do salario dos caras? E a CLT serve para que? Médico é força de trabalho, é sindicalizado, tem que ter condições adequadas de trabalho, férias, jornada semanal...ou essas regras não servem para gente? Dá a carteira de trabalho para os médicos Cubanos, revalidem o diploma e paguem o salario integral dos caras e pronto.

      • Thomas Anderson Postado em 09/Sep/2014 às 23:25

        Bom, concordo que 70% é um absurdo, porém não devemos esquecer que o governo CUBANO que bancou a formação deles para servir ao BRASIL e aos BRASILEIROS, então tem que ter algum tipo de retorno. Ou talvez o pessoal da direita prefira que o Brasil faça uma universidade de medicina gratuita p/ os cubanos voltada ao programa mais médicos [/ironia off]

    • Henrique Postado em 08/Sep/2014 às 13:21

      "os médicos brasileiros n aceitam ir pros estados mais pobres e distantes dos grandes centros". Já se perguntou por que isso ocorre? Meses de salários atrasados, sem condições de trabalho. O programa é bom sim, mas como o Lucas disse alguns comentários abaixo, é paliativo e emergencial. Enquanto somente planos paliativos forem criados a saúde continuará essa tristeza que se vê hoje em dia, e os médicos levando a culpa.

  2. Ilha Postado em 05/Sep/2014 às 19:13

    Exatamente, concordo plenamente com a Poliana. E fico muito feliz de ver pessoas tendo acesso à saúde. Parabéns pelos elaboradores do programa.

  3. ana carol Postado em 06/Sep/2014 às 09:37

    ESCRAVOS? Porque voce gosta de causar em todos as noticias? Serio, ta precisando de atencao?

  4. poliana Postado em 06/Sep/2014 às 16:29

    Melhor mesmo foi tudo q o príncipe fez pela saúde publica em sua era né jose ferreira? Ele sim agiu pra tornar a nossa saúde digna da saúde pub do 1* mundo. Orgulho do príncipe dos sociólogos. Esse sim fez muito pela população carente do nosso país.

  5. Ana Carolina Postado em 06/Sep/2014 às 19:46

    É mesmo, tem que ser muito coxinha, reacionário e elitista para se preocupar com que médicos os pobres serão atendidos. Porque meu amigo, rico não vai se atender na saúde pública, poderia estar pouco se lixando. Se pessoas com melhor condição financeira são contra, é porque não acreditam que médico de pobre tenha que ser pior que médico de rico :) E outra coisa: qual a fonte dessa pesquisa?

    • Inalda Paz Postado em 07/Sep/2014 às 01:54

      Não é bem assim. Até burguês precisa de transplante ou tratamento contra o câncer. 95% dos transplantes do Brasil são feitos pelo SUS, pois os planos pulam fora de cirurgias e tratamentos caros. Tem muita gente diferenciada se tratando com medicação caríssima financiada pelo SUS, através de ações judiciais.

  6. Gabriel Postado em 06/Sep/2014 às 21:47

    A medicina e cuba é internacionalmente reconhecida, então denegrir o programa por essa via beira o ridículo. Chamar os médicos cubanos de escravos, prefiro nem me aprofundar. Mas o que gostaria de realmente comentar é: vc deseja, em um sistema público de saúde lotado, que pessoas que tem convênio se tratem no mesmo, por algum sentimento de vingança, você só prejudicaria os pobres, que sem acesso a hospitais particulares, teriam filas ainda maiores. E tenho ainda mais pena de você. Por ficar culpando PT enquanto não percebe que quem movimenta toda a corrupção não são os políticos, mas o 1% mais rico do Brasil...

  7. Débora Postado em 07/Sep/2014 às 04:13

    Concordo com você demais André. estes profissionais precisam ser pagos com a dignidade devida por seu trabalho. Isso é ilegal eles receberem menos da metade do que ganham com suor de seu trabalho. O Brasil jamais poderia compactuar com trabalho escravo.

  8. Lucas Postado em 07/Sep/2014 às 05:32

    Eu tenho pena de alguém que acha que os Políticos são bonzinhos. Você acha que esse 1%, que você diz mover a corrupção , o faz como ? A medicina e cuba é internacionalmente reconhecida pela atenção básica, essa se faz com muito, mais muito mais coisa do que apenas médico. Questão cultural, estrutural, de estratégia e com inúmeros outros profissionais de saúde (Odontólogo, ACS, enfermeiro e por aí vai). Um programa que era para ser paliativo, emergencial, já é trago dito como solução. E amigo, Cuba tem histórico de exportar médicos, uma coisa é a medicina que se faz lá, os médicos exportados são outra história. Medicina é muito mais coisa do que medico. Já que somos um dos poucos países que não exige prova de revalidação de diploma mais, o único jeito de avaliar é com o segmento do trabalho desse dos trabalhadores, algo que é quase impossível na situação atual. Acho excelente que o pessoal esteja recebendo atendimento, mas tem que ter críticas sim. O programa não é nem de perto solução para os problemas na saúde e sim um paliativo para uma situação de emergência.

  9. eu daqui Postado em 08/Sep/2014 às 10:07

    Profissional da saúde no Brsil, em geral, não só médicos, são mercenários, desrespeitosos e arrogantes mesmo quando atendem a aelite. Imagine o que não andam fazendo com os pacientes do sus..........

  10. Thiago Teixeira Postado em 08/Sep/2014 às 15:48

    Hoje, o profissional da Saúde (principalmente médicos) atendem o SUS por militância, pois as clinicas particulares e hospitais privados pagam muito mais. A demanda por médicos nas grandes cidades é tamanha, que impossibilita qualquer hipótese do médico em necessitar a mobilização para o interior do Brasil. A saída é a formação de profissionais indicados pelas pequenas prefeituras, mediante um contrato mínimo de 2 anos atuando na prefeitura "financiadora" do profissional da saúde. Partindo do princípio que há Universidade Pública, vagas para BENEFÍCIO PÚBLICO devem ser destinadas a estudantes de todos cantos do Brasil.

  11. eu daqui Postado em 10/Sep/2014 às 12:44

    MAS FORAM OS MÉDICOS CUBANOS QUE MATARAM?

  12. Gabriel Postado em 11/Sep/2014 às 12:56

    Lucas, não acho que políticos sejam santos, apenas representam o povo q os elegem, e a corrupção neste momento é intrínseca ao povo, vou te explicar como funciona a corrupção, um exemplo básico é de a construção de uma ponte, vc vai contratar a empreiteira, que vai supervalorizar e fazer esquema de corrupção, ao fazer o contrato, o advogado com honorários grotescos vai "legalizar" essa corrupção, posteriormente vai todo esse dinheiro ao banco, quando os banqueiros tiram as fatias deles, isso é apenas um exemplo pobre, pois a corrupção vai envolvendo mais e mais pessoas, inclusive bancos no exterior. Enquanto aos médicos de cuba, sim eles são especialistas em saúde primária, e não é só médico que resolve, mas 95% acharam que melhorou, e é óbvio que melhorou, poucos médicos brasileiros, que pagam 5000 reais mensais em faculdades privadas, ou passam 3 anos estudando no cursinho pra passar em uma pública, tem interesse em ir para esses lugares, e o governo conseguiu médicos, e bons, de uma escola renomada, que é a cubana.