Redação Pragmatismo
Compartilhar
Cuba 01/Aug/2014 às 16:46
12
Comentários

"Um olhar sobre Cuba" fala da Revolução Cubana em tom pessoal

Em cartaz no MIS até 10 de agosto, "Um Olhar sobre Cuba" reúne fotos, cartazes e outros documentos de jornalista que trabalhou no aniversário da Revolução

olhar sobre cuba che guevara
Che Guevara e a esposa, Aleida March (Foto: Rose Carvalho)

Contra a polarização que ronda a ilha de Cuba, há um caminho a ser tomado: procurar toda a informação que não circula pelas vias tradicionais, escutar os cubanos e suas histórias, visitar o país. É essa, sem dúvida, a maneira mais eficiente de se aproximar de uma realidade cheia de matizes frequentemente ignorados pelos extremos políticos e pela imprensa.

Para quem não tem planos imediatos de viajar pra lá, uma dica é visitar a exposição “Um olhar sobre Cuba”, que desde o início de julho está em cartaz no Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo – e lá permanece até 10 de agosto, com entrada gratuita. Trata-se de uma pequena mostra curada por Rose Carvalho, uma brasileira que residiu em Cuba por dois anos na década de 80 e que atuou como assessora de imprensa na divulgação do evento comemorativo de 30 anos da Revolução Cubana.

O leitor mais desconfiado concluirá que já conhece essa história. Mas, não se trata de escolher lados – e, sim, de conhecer um deles.

O trunfo do material exposto, além de ser inédito, é que ronda a memória particular: são coisas que Carvalho foi ganhando, reunindo, guardando e que fazem um retrato pessoal de sua experiência. Fala-se de Cuba através de 37 fotos, 21 cartazes, quatro livros e dois vídeos inéditos que revelam aspectos da vida política e cultural cubana com certa admiração e afeto, mas também com a nostalgia de um tempo que já passou – o que torna tudo mais interessante. O MIS topou abrigar essa história e, em meio à agitada programação da casa, ela está conquistando boa visitação.

Rose Carvalho, paulistana, foi jornalista, relações públicas, agitadora cultural e assessora de imprensa ligada ao cinema – pioneira na área no Brasil e que, por essa tarefa, foi parar na ilha, envolvida com o Festival Internacional de Cinema de Havana. Sobre o evento, ela conta: “A Revolução Cubana, pra mim, foi o maior acontecimento político-social da América Latina no século XX. A revolução está fazendo 55 anos e foi uma forma de mostrá-la. A exposição é multimídia, com materiais da revolução e pós-revolução”.

Camila Moraes, Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Pereira Postado em 01/Aug/2014 às 17:07

    Antes de tirar essa foto quantas pessoas o psicopata que ali aparece assassinou ?

    • Thiago Teixeira Postado em 01/Aug/2014 às 17:14

      Umas 6 milhões. E reparou na barriga dele? Teve ter comido criança ao molho pardo.

      • Pereira Postado em 01/Aug/2014 às 17:21

        Não dúvido. Por Criancinha para defender morteiro é lá com o Hamas. isso que eu chamo de "comer criancinhas"

  2. Eduardo Benatti Postado em 01/Aug/2014 às 17:30

    Revolução é um jeito mais bonitinho de se referir a ditadura. Do mesmo jeito que os apoiadores da ditadura militar chamam o evento de "Revolução de 1964", os bolivarianos chamam o crime humanitário que se passa em Cuba de "Revolução Cubana". E claro, afinal, vamos mostrar ao mundo com dados fabricados pelo próprio "governo" cubano como a ilha dos Castro possui uma educação de altíssimo nível, saúde de primeiro mundo, e IDH alto o suficiente para pontuar entre os 50 países mais desenvolvidos do mundo.

  3. Elias Postado em 01/Aug/2014 às 22:15

    Eu tenho mau gosto prefiro matérias sobre o Canada do que Cuba. Eu e meu mau gosto.

  4. Aristóteles Postado em 02/Aug/2014 às 13:01

    Por que será que as pessoas - mal informadas - só sabem se dirigir a Cuba, seu povo e sua história, com gracejos nem sempre engraçados? Seria interessante saber do povo cubano se Che Guevara foi assim tão ruim como querem fazer crer. Será que ele fez, juntamente com Fidel Castro, Raul Castro, Camilo Cienfuegos e outros(as) revolucionários(as), mais barbaridades que os líderes israelenses, americanos e ingleses? Não seria bom ler um pouco sobre a história da Revolução Cubana, para depois tecer comentários raivosos?

    • Franco Postado em 03/Aug/2014 às 00:16

      Fuzilar 40000 pessoas desarmadas não é exatamente algo impressionante.

  5. Marcel Postado em 03/Aug/2014 às 19:23

    Como o sistema cubano funciona? Castros e você, tudo a ver. O sistema conta com falhas a esquerda diz que não. Mas é assim, tudo culpa do maldito capitalismo. Cada teoria. Os revolucionários mataram gente inocente, só assumir e ponto.

  6. Jão Da Silva Postado em 04/Aug/2014 às 20:22

    Juro que gostaria de entender o rancor com que um monte de gente fala sobre Cuba, sem saber absolutamente nada sobre lá(fora o que vê no Globo e na Veja). Normal existir mercenário. Gente que ganha dinheiro pra falar e fazer merda. O que assusta é o fanático. Fundamentalista. Ps: Até gente de "esquerda" fala mal de Cuba, o que esperar do resto? Viva Cuba livre, seu povo heróico, humilde, rebelde, orgulhoso e solidário.

    • Marcel Postado em 05/Aug/2014 às 10:50

      Povo rebelde não exagera. Viu como eles reclamam do governo? 100% do povo feliz. Fanático e fundamentalista, são todas as pessoas que não concordam com seu ponto de vista? Qual é a treta contra a Veja e a Globo? É só não ler ou mudar de canal, ninguém é obrigado a ler ou assistir o que produzem, já em Cuba...

  7. Souza Postado em 05/Aug/2014 às 15:56

    *Observando*

  8. Souza Postado em 05/Aug/2014 às 15:59

    Cuba é maravilhosa. Ótima para dar nomes às coisas. Exemplo: Che Guevara é o nome de uma favela da periferia da minha cidade, Raul era o nome do meu cachorro e Fidel era o apelido de um bandido que morreu. Boas referências, só Cuba.