Redação Pragmatismo
Compartilhar
Palestina 04/Aug/2014 às 19:43
70
Comentários

O que Eric Hobsbawm pensava de Gaza?

Dois anos após a morte de Eric Hobsbawm, um judeu britânico, as palavras do historiador são mais relevantes do que nunca com a nova ofensiva israelense em Gaza

eric hobsbawm gaza palestina israel
O historiador judeu Eric Hobsbawm, um dos nomes mais importantes da intelectualidade no século XX (Arquivo)

Originalmente publicado em El Ciudadano. Tradução, GGN. Revisão: Pragmatismo

O historiador Eric Hobsbawm publicou este artigo sobre o conflito entre Israel e a Faixa de Gaza em 2009. Cinco anos após sua publicação e dois anos depois da morte de seu autor, as palavras de Hobsbawm, um judeu britânico, são mais relevantes do que nunca com a nova ofensiva israelense em Gaza.

Os argumentos de Hobsbawm servem também para desmontar a histérica argumentação que pretende fazer crer que a condenação dos crimes de Israel significa antissemitismo. Muitos judeus são também vítimas do sionismo.

A propósito de Gaza
Eric Hobsbawm

“Durante três semanas a barbárie tem sido mostrada ante um público universal, que tem observado, julgado e, com poucas exceções, rechaçado o uso do terror militar por parte de Israel contra um milhão e meio de habitantes bloqueados desde 2006 na Faixa de Gaza. Nunca antes as justificativas oficiais da invasão têm sido tão claramente refutadas como agora, com a combinação de câmeras e aritmética; nem a linguagem dos “alvos militares” com imagens sangrentas de crianças e escolas em chamas. Treze mortos em um dos lados, 1.360 de outro: não é difícil estabelecer onde está a vítima. Não há muito mais a dizer sobre a operação terrível de Israel em Gaza.

LEIA TAMBÉM:
Gaza, por Roberto Fisk
Barbárie em Gaza, por Noam Chomsky
Eduardo Galeano: Quem deu a Israel o direito de negar todos os direitos?

Exceto para aqueles de nós que são judeus. Em uma história longa e incerta de um povo em diáspora, a nossa reação natural para eventos públicos têm incluído, inevitavelmente, a pergunta: “É bom ou ruim para os judeus?”. Neste caso, a resposta é inequívoca: “Ruim para os judeus”.

É evidente que é ruim para os cinco milhões e meio de judeus vivendo em Israel e nos territórios ocupados desde 1967, cuja segurança está ameaçada por ações militares israelenses tomem em Gaza e no Líbano, ações que demonstram a sua incapacidade de atingir os objetivos definidos e que perpetuam e intensificam o isolamento de Israel em um Oriente Médio hostil. Desde o genocídio ou expulsão em massa de palestinos do que resta de sua terra natal não tem havido outro programa prático que não a destruição do Estado de Israel, e somente uma coexistência negociada em igualdade de condições entre os os dois grupos pode proporcionar um futuro estável. Cada nova aventura militar, como as de Gaza e no Líbano, fará com que esta solução seja mais difícil e fortalecerá a ala direitista de Israel e aos colonos da Cisjordânia, que lideram a oposição a a uma solução negociada.

Igual à guerra do Líbano, em 2006, Gaza escureceu as perspectivas de futuro para Israel. Também escureceu as perspectivas dos nove milhões de judeus que vivem na diáspora. Permitam-me que fale sem rodeios: a crítica de Israel não implica em antissemitimismo, mas as ações do governo de Israel causam vergonha entre os judeus e, sobretudo, dá espaço ao atual antissemitismo. Desde 1945, os judeus, dentro e fora de Israel, se beneficiaram enormemente com a má consciência do um mundo ocidental, que se recusou à imigração judia na década de 1930, alguns anos antes de serem permitidas, ou não se opuseram ao genocídio. Quanta dessa má consciência, que praticamente eliminou o antissemitismo no Ocidente durante sessenta anos e produziu uma época dourada para sua diáspora, é hoje a esquerda?

RELEMBRE: Historiadores detonam matéria da revista Veja sobre Eric Hobsbawm

A ação de Israel em Gaza não é a de um povo que é vítima da história, nem sequer é o “pequeno valente” Israel da mitologia de 1948-1967, como um David derrotando a todos os Golias ao seu redor. Israel está perdendo a boa vontade tão rapidamente como os EUA de George W. Bush, e por razões similares: a cegueira nacionalista e a megalomania do poder militar. O que é bom para Israel e o que é bom para os judeus como povo são coisas que estão evidentemente vinculadas, mas enquanto não houver uma resposta para a questão da Palestina não são e não podem ser idênticas. E é essencial para os judeus que se diga.”

Recomendados para você

Comentários

  1. Souza Postado em 04/Aug/2014 às 19:58

    Acabe com o Hamas. Depois negociem as outras coisas.

    • Cesar Postado em 04/Aug/2014 às 22:17

      Melhor não apresentar essa sugestão. Ela dá margem a que se proponha e sustente exatamente o contrário. E pior: com amplo apoio popular internacional. É melhor negociar...

    • Jorge Postado em 05/Aug/2014 às 01:39

      O assassinato de palestinos vem de antes da existência do Hamas. Portanto, isso que o sr. está a dizer não passa de uma abobrinha.

      • Rogerio Postado em 05/Aug/2014 às 12:22

        Correto. O Hamas não é causa. É consequência. Israel não está permitindo outra solução exceto o combate violento.

    • Lucas Postado em 05/Aug/2014 às 05:30

      Va se informar pq o Hamas foi criado seu alienado

    • eu daqui Postado em 05/Aug/2014 às 08:41

      Acabem com os genocidas pra depois moralizar terroristas.

    • Thiago Teixeira Postado em 05/Aug/2014 às 08:48

      Agora está explicado a sua linha de raciocínio. Parabéns, está mais que provado a mentalidade de um reacionário americanizado. Acabe também com os Curdos, Xiitas, Indianos, Aborígenes, Indígenas, Negros, Homossexuais, Cubanos, quem mais? Belo exemplo de democracia.

      • Antonio Palhares Postado em 06/Aug/2014 às 11:22

        Não da para ser democrata concordado e justificando assassinatos de crianças com suas casas sendo bombardeadas de forma indiscriminada e seu País sendo invadido. "Não me perguntem por quem os sinos dobram.."

    • Vivian Postado em 05/Aug/2014 às 12:20

      Eu ia responder. mas aí percebi que vc não é digno de resposta.

    • Pedro Postado em 05/Aug/2014 às 13:27

      Sabe quando o Hamas vai acabar?? Quando a ocupação criminosa e violenta acabar! Se por acaso destruírem o Hamas de forma violenta e a ocupação continuar, outros grupos de RESISTÊNCIA irão surgir. ISRAEL ESTADO ASSASSINO. SIONISMO O NAZISMO DO SECULO XXI!

    • jose renato da silveira Postado em 05/Aug/2014 às 17:18

      Concordo, o HAMAS é o inimigo de ISRAEL e da PALESTINA, os palestinos na FAIXA DE GAZA estão prisioneiros e deve acontecer um esforço coletivo(ONU) para tirar o poder deles neste territorio e dai criar condinções de negocios para criação do ESTADO DA PALESTINA...

    • Rodrigo Postado em 07/Aug/2014 às 23:48

      Estude antes de postas comentários sem fundamento!! O Hamas é um produto da intolerância sionista.

    • Carlos Postado em 08/Aug/2014 às 13:18

      Souza Sou mais por acabar com o Estado de Israel, que roubou as propriedades dos Palestinos, que são preconceituosos e genocidas. Negociar seria Israel seguir as deliberaçõrs da ONU. Sainda da Cisjordania, de Golan e que fosse fundado o Estado Palestino com a divisão original de terras.

  2. Jão Da Silva Postado em 04/Aug/2014 às 20:11

    Vai lá tentar. Só que entre por terra, como um bom soldado, ao invés de bombardear de longe. Ou faça como os covardes da "força de defesa" israelense e divirta-se humilhando senhores idosos, estuprando mulheres e assassinando crianças. Viva o Hamas! Abaixo o Sionismo e sua marionete, EUA!

    • Gustavo Postado em 06/Aug/2014 às 08:14

      Ingênuo, o Hamas não prega liberdade ao povo palestino e e tão terrorista quanto os políticos ortodoxos israelenses. Me responda- você acha que o Hamas iria aceitar o homossexualismo ou a liberdade pregada pelo movimento feminista? Espero que você seja um garoto de 13 anos.

  3. Souza Postado em 04/Aug/2014 às 22:11

    Kkkk cuidado. Talvez uns quilinhos de TNT faça parte da sua vestimenta. Quer saber, já deu. Pra quem é ameba ser chamado de gente já é mais que elogio. Um bando querendo ver a Utopia de que o mundo vai viver sem Israel. Vai nessa, espere no seu túmulo e mais dezoito gerações suas. Nada vai acontecer, porque vcs só se interessam por crianças em época de eleição. Em qualquer época se morrem mil crianças ninguém vê. Isso é guerra, temos que ser realistas.

    • eu daqui Postado em 05/Aug/2014 às 08:42

      O mundo já viveu melhor sem Israel e vai voltar a viver. Quem durar verá.

      • Rogerio Postado em 05/Aug/2014 às 12:24

        Infelizmente parece que o fim do estado de Israel é a única solução. Nada impede, é claro, de judeus viverem ali. Só não seriam donos do pais, mas cidadãos como qualquer outro.

      • eu daqui Postado em 06/Aug/2014 às 08:26

        Os israelenses já não são donos do país que, em verdade, é um capanga dos EUA.

  4. Sarah Postado em 04/Aug/2014 às 22:31

    Ao tal de Souza: esse tipo de política militarista e intervencionista de Israel não enfraquece o Hamas em Gaza, pelo contrário (ainda mais neste atual conflito em que eles conseguiram matar mais de 50 soldados de Israel). Poderia-se dizer que é uma política estúpida, exceto se o objetivo do atual governo de Israel é justamente fortalecer o Hamas e enfraquecer o Fatah, tornando um processo de paz cada vez mais impossível.

  5. Calleb Cavalcante Postado em 04/Aug/2014 às 22:34

    O Hamas é fruto do próprio estado de Israel. Quando se massacra um povo durante anos, chega uma hora que é preciso revidar. E como miseráveis que são também por conta de Israel o único jeito é um formando grupos terroristas. Tudo isso é a prova de que violência gera violência, jamais a paz. Resumo disso é a morte de milhares de pessoas inocentes.

    • Diego Postado em 05/Aug/2014 às 01:01

      Hamas não é grupo terrorista, é grupo de resistência armado. Pro ocidental, tudo que tem arma ou bomba e vai contra à "verdade" dele é terrorista. É o selvagem, o errado, o demônio, o inimigo a ser torturado ou eliminado sem dó porque o Deus é amor.

      • Maria Luz Postado em 05/Aug/2014 às 10:01

        Boa Diego...é bem por aí

  6. gloria Postado em 04/Aug/2014 às 23:05

    As pessoas q defendem tanto um quanto o outro se esqueceram de q desde o começo em Abrãao, esse povo vive `´as avessas ao q Yah, lhes ordena, são desobedientes, de corações duros e ´ma influencia para os outros povo, pensam q por serem o q são podem repudiar, matar e destruir em nome de seu Criador e q nunca terão de pagar pelas vidas q ceifam, vão pagar sim pq Yah ñ é homem para q minta e nem filho de homem q volte atrás nas suas promessas, o castigo virá c\ a força de todas as nações contra Israel & Gaza q serão tido como o inimigo de toda a humanidade.

  7. Fernando Jeronimo Postado em 04/Aug/2014 às 23:40

    Se Israel quisesse acabar com o Hamas já teria acabado, era só pedir para seu padrinho (EUA) meia dúzia de SEALs somados à alguns soldados da elite do Exército de Israel, não gastariam recursos com bombardeios e outros recursos bélicos. Se quisessem mesmo acabar com o Hamas, derrubariam os cabeças a e inteligência do grupo (não mulheres, velhos e crianças), consequentemente eles pereceriam, pois um força armada não vive apenas de soldados. O que Israel quer, o que os EUA apadrinha, e a UE se omite, é o extermínio dos palestinos para que o estado de Israel incorpore o território de Gaza.

    • Vivian Postado em 05/Aug/2014 às 12:21

      Mandou bem.

    • Antonio Palhares Postado em 06/Aug/2014 às 11:31

      Fernando Geronimo. Com todo respeito, voce acha que os SEALS entrariam lã e sairiam vivos ? Os caras enfrentam um inimigo muitíssimo mais poderoso e veja os estragos que fazem nos Israelenses que são considerados o melhor exército combatente do mundo.

  8. Souza Postado em 05/Aug/2014 às 00:03

    Quem está morrendo afogado e se abraça no jacaré pode ser morto. É a mesma coisa quando uma sociedade confia em terroristas. Mas tudo bem quero ver nas próximas eleições de lá. Nunca mais vão querer confiar em jacaré.

    • Antonio Palhares Postado em 06/Aug/2014 às 11:32

      Se invadirem a sua terra voce tem o dever moral de causar danos ao invasor.

  9. Jonas Postado em 05/Aug/2014 às 00:33

    Meio difícil entender aonde começa e termina o texto do intelectual. Tem uma aspas perdida somente no final. Mas de qualquer modo: #FreePalestine.

  10. Antimatéria Postado em 05/Aug/2014 às 01:26

    A verdade deve prevalecer: https://www.youtube.com/watch?v=ToYDesW47Wc

  11. Souza Postado em 05/Aug/2014 às 09:37

    Agora falando sério Que bom que houve um cessar fogo hoje. Que bom para os dois lados principalmente dos palestinos. Tomara que agora consigam a paz necessária. Não aguento mais sofrimento desse povo, da mídia sensacionalista e da choradeira de muitos.

  12. Souza Postado em 05/Aug/2014 às 09:57

    Amigos o debate aqui tá intenso que eu nem notei a foto desse homem. Lol Fidel é um menino na frente dele kkkk

  13. Pereira Postado em 05/Aug/2014 às 10:23

    Que bom que houve cessar fogo. Vamos ver o que o mundo e a ONU exigirá dos terroristas palestinos. De Israel a gente está careca de saber as exigências exacerbadas que os pró terroristas impõem. Vamos ver se os 2 atentados terroristas dentro de Israel que deixou um morto e 6 feridos civis võa parar por aí.

    • Pereira Postado em 05/Aug/2014 às 10:29

      Deixo já meu apoio ao povo judeu. Um povo perseguido e massacrado ao longo da história. Perseguido desde alexandre o grande a hitler, desde napoleão aos intelectualóides que aqui comentam. Que o terrorismo acabe e Israel possa desfrutar de seu direito básico : o direito a existência. VIVA A ISRAEL !!!!ABAIXO AO TERRORISMO ISLÂMICO !!

      • José Almida Andrade Jr Postado em 05/Aug/2014 às 12:13

        terrorismo islâmico ? ok, uma minoria islâmica você julga como se todos fizessem parte ? Muito antes dos judeus voltarem para a "terra prometida" judeus e islâmicos viviam em paz não existe "terrorismo islâmico", mas sim o Hamas, uma minoria islâmica !

      • eu daqui Postado em 06/Aug/2014 às 08:27

        Viva a justiça e abaixo o genocidio !

      • maria luiza cataneo Postado em 06/Aug/2014 às 17:09

        Judeus nao sao gente sao ratos pestilentos que transmitiam a apeste e a morte na idade media,Hitler nao dizimou so ratos judeus mais as maiores ratazanas ja estavam sendo protegidos pelos lobby judeus nos USA e Suiça e ja eram ratazanas banqueiros e ladroes todo problema économico vem desses ratos dos infernos mais o final dos ratos estao proximos porque o mundo comeca a ver esses ratos nogentos como sao judeus ladroes e bastardos

      • maria luiza cataneo Postado em 06/Aug/2014 às 19:59

        respondi a esse ridiculo e minha resposta nao foi publicada porque?Voces tambem sao parcial!!!... meu nome maria luiza cataneo

  14. Pereira Postado em 05/Aug/2014 às 10:31

    Vamos torcer para que haja uma notinha a respeito dos 2 atentados terroristas promovidos pelos terroristas palestinos dentro do território israelense.

  15. Pereira Postado em 05/Aug/2014 às 10:38

    Vamos torcer por mais cessar fogos. Vamos torcer para que os curdos, que são mais pacíficos possam ter seu país. Vamos torcer para que os cristãos parem de serem torturados e mortos e países islâmicos da áfrica. Vamos torcer para que haja democracia na venezuela e o governo comunista pare de perseguir e matar opositores. Vamos torcer para que haja um fim das FARC que torturam,matam e espalham o terror pelo interior da colômbia. Vamos torcer para que fidel castro para de oprimir seus compatriotas. Vamos torcer para que a taxa de homicídios no Brasil caia de 56 mil por ano(40 x mais que os mortos da palestina) para números próximo a zero. Vamos torcer que na coréia do norte o comunismo não mate mais gente do que ja matou. Vamos torcer para que o ditador sírio para de massacrar a etnia rival. OU SEJA !!!! VAMOS TORCER PARA QUE HAJA PAZ E O FIM DE QUALQUER MORTE.

    • Pereira Postado em 05/Aug/2014 às 10:41

      Vamos torcer também para que o islã pare de matar homossexuais e mulheres em praça pública. Vamos torcer pelo fim do tráfico de entorpecentes e a destruição familiar.

      • eu daqui Postado em 06/Aug/2014 às 08:28

        Viva o tráfico que droga os israelenses e viva a destruição familiar dos genocidas.

  16. gomes Postado em 05/Aug/2014 às 10:45

    Não há justificativa pra jogar bomba em escola com crianças dormindo, tem que ser gente de índole muito ruim.Eles não vão escapar do julgamento que virá, aguardem?

  17. Souza Postado em 05/Aug/2014 às 11:34

    Eu torço para que um dia a corrupção deste país caia significativamente. Eu torço para que países autoritários China e Rússia (membros dos BRInCadeiraS) adotem a democracia algum dia. Eu torço para que exista enfim o estado palestino e que este seja uma democracia plena no meio do oriente médio para servir de exemplo. Eu torço para que mulheres parem de ser sequestradas na Nigéria, torço para que o Ebola seja controlado, torço para que algum dia países islâmicos parem de promover pedofilia em nome de Alá.

    • eu daqui Postado em 06/Aug/2014 às 08:28

      Torcer é fácil e insuficiente. Haja.

  18. Elias Postado em 05/Aug/2014 às 11:46

    HAMAS é fundamentalista, se nem os vizinhos árabes os apoiam, só esquerda a caviar.

    • eu daqui Postado em 06/Aug/2014 às 08:30

      Vamos ver se agora a maior parte do mundo não vai apoiar o Hamas. Além de genocidas vcs são burros: mataram tanto que acabaram se matando perante o resto do mundo.

  19. Pereira Postado em 05/Aug/2014 às 12:10

    Eles apoiam qualquer coisa que seja contra judeu e cristão.

    • eu daqui Postado em 06/Aug/2014 às 08:31

      Apoio qualquer coisa que seja contra genocidio.

      • Pereira Postado em 06/Aug/2014 às 09:14

        vou dar umas dicas então: Cuba,venezuela,colômbia,coreia do norte,síria,nigeria,sudão,somália,ucrânia entre outros. Se você é contra genocídio, da uma olhada o que está acontencendo nesses países.

  20. Pereira Postado em 05/Aug/2014 às 12:12

    Aquele chavão que o bin ladem inventou e virou piada do casseta e planeta : "Vamos acabar com a civilização judaico cristã ocidental". Esse chavão eles têm como objeitovo primncipal e levam a sério.

    • eu daqui Postado em 06/Aug/2014 às 08:31

      Boa merda o mundo vai perder: civilização de genocidas.

      • Antonio Palhares Postado em 06/Aug/2014 às 11:42

        A raça "humana" exterminou mais de cem milhões de indivíduos da propria especie no século que passou. E os assassinos são notórios.Concordar e tentar justificar assassinatos de crianças em suas proprias casas é coisa de débil mental igualmente assassino.

  21. Zé Rodrigues Postado em 05/Aug/2014 às 13:00

    Tá tudo errado! Os judeus nunca deveriam ter tomado um território com a justificativa que "foi deus que deu". Ao meu modo de ver Israel não pode ser dos palestinos e nem dos Judeus, eles tem que viver sobre um governo estrangeiro. Os ingleses não deveriam ter saído de lá e largado aquelas terras nas mãos dos judeus, tão pouco nas mãos dos palestinos. Ali vai ser sempre um tentando eliminar o outro!

  22. Ricardo Postado em 05/Aug/2014 às 15:08

    Vendo as atitudes de Israel com relação à Palestina, fica a pergunta: quem são os verdadeiros terroristas? Hamas perto do estado de Israel é fichinha. Os palestinos já vivem quase um século de holocausto.

  23. Flavio Wittlin Postado em 05/Aug/2014 às 22:19

    Não conheço a posição de Art Spiegelman no conflito do Oriente Médio. Mas, se fosse-lhe encomendado adaptar o seu “Maus” àquela região, como ele estilizaria os povos e as forças presentes ali? Eu que descendo diretamente dos ratos, pergunto: honestamente, quem seriam os gatos e os ratos? Ao verem tremulando as bandeiras de Israel e Palestina, qual delas assustaria de fato os ratos e seus filhotes e reafirmaria a glória ingloriosa dos gatos? Art arriscaria mostrar quem são os gatos do OM que lançam todo tipo de perversidade contra os ratos, ratoeira, raticidas, etc? Teria a sinceridade de mostrar quem são os ratos que perderam -- pela morte, ferimentos, prisão ou tortura -- seus filhotes, fêmeas e velhos? E viram desmoronar suas famílias, a água, o alimento, o abrigo, sua dignidade, a alegria da vida, teria esta sinceridade? Nomearia, com clareza inconfundível, os gatos e ratos nesta história de atrocidades sem fim? Nesta história em que os felinos confinam centenas de milhares de murinos em guetos, imundície e doença, privando-os de tudo? Art mostraria que os gatos são bacanas por que defendem sua espécie? Ou demonstraria que a sua força de defesa tem sido desde 1967, de verdade, uma força de agressão e ocupação da terra dos ratos? Ele acataria ou desmontaria as felinas alegações que sustentam que os terroristas murínicos usam sua colônia civil como escudo? Aceitaria ou rebateria que por isso, exterminam-se os ratos civis, varando-os de bombas e balas para supostamente atingir os militantes murínicos do terror? O cartunista arriscaria explicar como parte da atual geração nascida de ratos sobreviventes da opressão felina transmutou-se em gatos? Que, apoiada na ética dos kapos, passou a barbarizar com ferocidade incontida uma colônia de ratos primos-irmãos? E adotou, em terra alheia, o apreço por escombros, morte e horror, onde as únicas cores que são vistas vêm do cinza, do fogo e do sangue? Concluo aqui e quem souber que me diga que posições Art Spiegelman tem sobre o Oriente Médio.

  24. Marcos Postado em 05/Aug/2014 às 23:06

    https://www.facebook.com/photo.php?v=10204267449991209 Mais de 1500 executados por fundamentalistas, um grupo fundamentalista semelhante ao HAMAS, aviso que o vídeo é forte. Os árabes não apoiam o HAMAS por motivos óbvios basta verem o vídeo, criticam a democracia ocidental mas o Brasil não luta contra fundamentalistas, até mesmo os governos árabes estão se alinhando com os USA devido a violência desses grupos. é muito ignorância de toda esquerda criticar Israel apenas, talvez o passado fundamentalista gere essa comoção por bandidos e terroristas apenas. O vídeo lembra a história Cubana aviso que é forte.

  25. Souza Postado em 05/Aug/2014 às 23:26

    Se o Hamas não acabar pelo menos faça com que eles assinem um tratado de reconhecimento do estado de israel perante a onu e a todos e na sequencia Israel retirar as barreiras de Gaza. Ai vai ser o momento crucial pro Hamas demonstrar que não são terroristas. Com documento assinado e tudo. Depois que Israel liberar as fronteiras então retirar o embargo e as sanções pouco a pouco até a região se globalizar com o resto do mundo. Deu certo na Alemanha, no Japão. Agora precisaria de um comprovante de que o Hamas cumprir. Grande Egito.

    • Thiago Teixeira Postado em 06/Aug/2014 às 09:15

      E Israel? Não precisam cumprir nada? Na sua cabeça só o Hamas precisa ceder então? Israel vai reconhecer o estado Palestino?

      • Pereira Postado em 06/Aug/2014 às 11:54

        Quando houver democracia e o hamas for desarmado e desmantalelado, saudaremos o estado palestino desejando que seja um exemplo de civilidade para os povos árabes. O que esses terroristas querem é perpetuação de poder e a destruiçõa total de Israel como manda seu estatuto.

  26. J.C Souza Schlesinger Postado em 06/Aug/2014 às 02:32

    Responsabilidade das duas partes

  27. Pereira Postado em 06/Aug/2014 às 12:02

    "Se invadirem a sua terra voce tem o dever moral de causar danos ao invasor." Devo concluir que israel está certo em bombardear os terroristas então? os caras jogam mísseis diariamente ao longo do ano para causar destruição e mortes em israel.

  28. Antonio Palhares Postado em 06/Aug/2014 às 14:02

    Pereira. Voce é uma figurinha carimbada.Percebe-se que a sua indigência mental aliada a uma estupidez atávica lhe impede de perceber o certo e o errado nesta situação. Quem invadiu as terras Palestinas foram os Israelenses , quem mata crianças bombardeando suas casas são israelenses. Estude mais, e não me venha com a falácia de terra prometida.

    • Pereira Postado em 06/Aug/2014 às 16:10

      Claro, o hamas quando joga 2500 mísseis em israel cuida para não atingir civis e escolas. "Quem invadiu as terras Palestinas foram os Israelenses". Isso de novo. Já provei que os judeus estão naquelas terras desde pelo menos o governo do império romano. Os arábes entraram depois dos romanos dizimarem os judeus. Quem mata criança paelestina é o hamas que as usa como escudo e usa as mortes das mesmas para manipular a opinião pública mundial. aliás, ainda estou esperando uma notinha do site sobre os 2 atentados terroristas recentes dentro de israel.

      • Pereira Postado em 06/Aug/2014 às 16:13

        Para os terroristas palestinos quanto mais crianças morrerem melhor para eles.

  29. riva Postado em 06/Aug/2014 às 14:31

    E os políticos aqui no Brasil bajulando um templo milionários de edir Macedo, uma homenagem a Israel em são paulo...

  30. Souza Postado em 06/Aug/2014 às 14:32

    Kkk falácia. Uma palavra do dialeto de jornalistas aposentados.

  31. Ulysses Postado em 07/Aug/2014 às 02:18

    Uma lição bíblica. Certo dia, apareceu, na vida de Abrão, um caldeu, um estranho deus que lhe incumbiu de mudar-se para oeste onde seria o pai de um grande povo. O deus mudou-lhe o nome para Abraão e fez com ele uma aliança. Essa aliança foi sendo passada de pai par filho. Abraão foi o pai de duas nações: a nação dos judeus, por meio de seu filho Isaque; e a nação dos árabes, por meio de seu filho Ismael. A grande nação que Deus mandou formar não era a nação dos judeus, como querem muitos judeus e cristãos, mas a nação dos semitas. Durante a história do povo judeu, enquanto Deus cumpria sua parte no trata (aliança), seu povo virava-lhe as costas. E, por vezes e vezes, foi punido por causa disso. Os judeus sempre acreditaram serem eles os únicos filhos de Deus. Mas um judeu, Jesus, mudou a história dando novo rumo ao judaísmo. O cristianismo foi forjado sobre passagens dos livros proféticos que previam a chegada de um Messias da linhagem de Davi. Jesus é assim identificado no Evangelho de São João. A diferença fundamental entre o judaísmo e o cristianismo é o aumento do rebanho de Deus. Deus não é mais apenas o deus de um povo, mas de toda a humanidade (ou de todos aqueles que quiserem fazer parte de seu rebanho). Mas há uma diferença mais importante ainda, que diz respeito à jurisprudência. A parte mais importante da Bíblia, para os judeus, é o Pentateuco, a que eles chamam de Torá, ou Leis. Essas leis foram-se tornando arcaicas e tiveram de ser mudadas. É aqui que Jesus cumprirá o papel de legislador. Ele conseguiu resumir todos os Dez Mandamentos e um só: Amar o próximo como a si mesmo e a Deus acima de todas as coisas. Passaram-se dois milênios e essa lei nem a própria igreja, a pedra de Cristo, respeitou. Muitas guerras se fizeram em nome de Deus e muita gente sofreu o suplício da fogueira e as torturas da Inquisição. Mas tudo isso foi superado pelas atrocidades do século XX. Depois de o homem ter passado por quatro séculos de progresso espiritual -- a Renascença, o barroco, o iluminismo, o classicismo e o romantismo --, sobreveio a era da matança. Duas guerras cujo único objetivo era garantir o lucro dos capitalistas. E milhões de mortes. Em meio a elas, o martírio dos judeus. Milhões de judeus mortos em nome de sabe-se lá o quê. Quantos judeus não vivem ainda hoje aterrorizados, e até mesmo sentindo-se culpados, por serem sobreviventes da guerra e do extermínio cometido contra o seu povo pelo fascismo e pela extrema-direita. Quantos judeus morreram nos campos de extermínio! Quantos judeus, violentados no corpo e na alma, aguardam pela paz entre os homens para poder descansar em paz! Aqueles que fazem uso do holocausto, do sacrifício humano a que o povo judeus foi submetido; aqueles que fazem uso do martírio de seus pais; aqueles que evocam, em nome de uma outra atrocidade, a memória daqueles que morreram nas câmaras de gás do nazismo... apenas um adjetivo os descreve: DESUMANOS. O holocausto deveria ter ensinado à humanidade a não cometer mais atrocidades, mas é, agora, utilizado como propaganda para justificar a matança de um outro povo. E de um povo semita, de um filho de Abraão. Ninguém deve se calar diante dessa atrocidade por que passa o povo palestino. É tarefa de todo ser humano, de todos os homens que têm coração, de todo aquele que tem um pingo de humanidade, de apoiar o povo palestino. INCONDICIONALMENTE. E deve, também, apoiar o Hamás, pois é esse grupo que está lá para defender o povo como pode. Nós choramos sentados numa poltrona vendo televisão. Eles choram a cada momento, vivendo as atrocidades da mesma forma que os judeus nos campos de Hitler.