Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 12/Aug/2014 às 15:43
12
Comentários

Mercado financeiro volta a atacar Dilma e mídia internacional "se diverte"

Permanência de Dilma Rousseff no topo das pesquisas de intenção de voto desperta fúria do mercado financeiro. Consultorias "lamentam informar" seus clientes que atual presidente poderá se reeleger no 1º turno

dilma economia mercado financeiro
Mercado financeiro usa de ironias e agressões para atacar possível reeleição de Dilma (abr)

247

O mercado financeiro continua reagindo mal à associação de fatos que indicam a resistência da presidente Dilma Rousseff em manter-se à frente nas pesquisas de opinião, com chances reais de vencer a disputa em primeiro turno, a projeções sobre a economia feitas pelo próprio mercado financeiro. Entre o que é a realidade política e o que pode ser uma ficção econômica – já há expectativas de analistas, nem sempre identificados, de que até 2018 o Brasil terá PIB baixo e inflação alta, como está na manchete do jornal Folha de S. Paulo –, a verdade é que os nervos estão à flor da pelo entre banqueiros, consultores e executivos do poderoso ramo financeiro da economia.

Do exterior, o jornal inglês Financial Times voltou a mostrar suas garras de ironia. Nota na seção sobre países dos Brics classificou como “dança da cordinha” a redução das expectativas de crescimento criadas pelo próprio mercado financeiro para o Brasil. No Boletim Focus publicado na segunda-feira 11, a mediana das projeções de economistas ouvidos pelo Banco Central mostrou redução, pela 11ª semana consecutiva, das expectativas de crescimento para 2014. Elas convergem, agora, para 0,81% de elevação do PIB neste ano.

Divertindo-se a valer com isso, o FT não demonstrou nenhum senso de humor, na mesma nota, ao lembrar seus leitores que “a avaliação do governo” da presidente Dilma Rousseff “subiu no Ibope”. O dado indicou que ela não está sofrendo nas pesquisas como seus adversários gostariam que estivesse. O FT, por isso, se mostrou amuado logo depois da fazer sua imagem.

Por aqui, a consultoria Rosemberg & Associados, de um dos formuladores do Plano Cruzado – o que congelou preços e terminou com uma chuva de aumentos de tarifas públicas, no governo José Sarney -, Luiz Paulo Rosemberg, partiu para esmurrar o estilo. Entre conceitos vagos e descompromisso com o respeito ao adversário, perpetrou mais uma análise financeira, assinada por quatro economistas, em tudo mau humorada, mau sustentada e francamente resignada.

O relatório da Rosemberg transmitido a clientes da casa, entre os quais os bancos Itaú e Santander, parte de uma análise política assumidamente de oposição.

. (Dilma) está plantada numa sólida diferença para os demais [candidatos] que, se não é confortável, é desencorajante”, assegura o texto, que passa a lamentar uma regra da eleição, a distribuição do horário eleitoral pela televisão de acordo com regras de proporcionalidade partidária garantidas pelo TSE.

. (Dilma) vai dispor de muito mais tempo que os outros para ‘alertar’ a classe baixa de que a elite está tentando anular suas conquistas e trazer de volta um passado de dificuldades, reclamam os analistas.

O passo seguinte é um golpe baixo, desferido a partir de conceitos vagos e termos grosseiros

– É por isto que, visto de hoje, o cenário mais provável é a continuidade da mediocridade, do descompromisso com a Lógica, do mau humor prepotente do poste que se transformou em porrete contra o senso comum.

Vale perguntar: Lógica de quem? Da banca ou do pato? Senso comum de quem? Dos espertos ou dos trouxas?

Recomendados para você

Comentários

  1. Matheus B. Postado em 12/Aug/2014 às 16:13

    Banqueiros, ou seja, donos de bancos, estão rindo à toa, com lucros cada vez mais altos. Já bancários, economistas, analistas, enfim, trabalhadores do setor financeiro, estão apavorados diante da crise certa e da provável reeleição do grupo causador dessa crise. É só isso, o resto é barulho, reprodução do mito opressor/oprimido e conversa mole ideológica. A situação é ruim, e em qualquer lugar do mundo os eleitores estariam insatisfeitos - menos aqui no Brasil -, o que causa perplexidade ao Financial Times. O caso é que aqui a máquina de propaganda petista é muito eficiente, e a oposição não consegue falar a linguagem do povo.

    • velhos baianos Postado em 12/Aug/2014 às 19:16

      Não se trata de conspiração petista, rapaz... Eles se enforcam sozinhos, falando cada vez mais bobagens neoliberais divorciadas da realidade do cidadão comum... É como naquela piada onde o matuto com sua varinha de pesca simples de madeira, pega mais peixe que o mauricinho com um monte de recursos tecnológicos na sua... No final o playboy joga sua vara no chão, irritadinho, e vai embora dizendo: " esses peixes não entendem nada de pescaria " ! ... Sacou ?... Abraço da Bahia...

    • Rogério Postado em 13/Aug/2014 às 06:52

      Correto. O PSDB é especialista em falar a linguagem dos empresários. Já a linguagem do povo eles nem suspeitam. É que eles desprezam tanto o pobre que esquecem que pobre vota. E é maioria do eleitorado. Quando começar o horário eleitoral na TV, a Dilma vai subir tanto que os investidores vão se matar.

  2. poliana Postado em 12/Aug/2014 às 17:15

    "Permanência de Dilma Rousseff no topo das pesquisas de intenção de voto desperta fúria do mercado financeiro." tá...ri litros só mesmo com essa chamada do título. parece akeles menininhos birrentos q batem o pé pra terem o q quer, mas n adianta nada. cruza os braços e faz bico!!! kkkkkkkkkkkkkk

  3. Luiz Postado em 12/Aug/2014 às 18:17

    Talvez o Matheus B e os economistas vivam em um pais diferente do meu, porque aqui onde eu moro a populaçao nunca teve tanto acesso à bens de consumo e bens duraveis. Nunca esteve tanto na universidade, nunca teve tanto financiamento pra abrir construtora, pra comprar apartamento. Nunca viu tanta gente de carro (e nunca reclamou tanto do transito), nunca viajou tanto e pra tao longe. A populaçao viu os desenvolvidos entrarem em recessao, terem suas economias destroçadas e nao sentiu o impacto do tsunami de 2008... Talvez eu more em alguma Suiça brasileira, mas por aqui as coisas mudaram muito desde 2002, e nao vejo ninguem pior do que estava. Talvez alguns, que achavam melhor quando o favelado nao dividia a praça de alimentaçao ou o giche do check in com eles...

    • Matheus B. Postado em 12/Aug/2014 às 22:08

      Luiz, evidentemente que o país melhorou em relação a ele próprio, porém melhorou menos do que poderia, se tu comparar com o restante dos Brics e da América Latina. O crescimento promovido pelo PT foi baseado em consumo e expansão do crédito. Isso não é sustentável, e a conta está chegando através da inflação. Entretanto, pessoas como tu acham que as restrições ao PT se devem a esse conflito social que tu mencionou no final do teu comentário, e parece não ser possível desfazer esse tipo de fantasia em que vocês vivem.

      • Denisbaldo Postado em 12/Aug/2014 às 23:32

        Como que você sabe que poderia melhorar mais??? Você está comparando o crescimento de países anões latinos com um gigante igual ao Brasil??? É a mesma coisa que comparar a Dolly com a Coca-Cola, é óbvio que um país minúsculo tem que crescer mais relativamente que outro muito maior. Está comparando o Brasil com a Rússia, China, Índia ou África do Sul??? Países educados, onde falam inglês fluente há séculos. Países com mão de obra qualificada, coisa que aqui no Brasil a direita nunca se preocupou em dar ao seu povo: EDUCAÇÃO PROFISSIONAL!!! Você é mais um papagaio que repete asneiras sem ao menos consultar as fontes e as razões. O Brasil foi governado por FDPs por mais de 500 anos, e você defende a volta de seus filhos e netos ao poder. Você é burro igual à direita brasileira que perdeu o rumo, e nunca mais vão achar! Continue falando, daqui estamos rindo e crescendo. Nunca houve tanto pobre se educando meu amigo, isso é o que mais importa, o resto é cocô de playboy.

      • Matheus B. Postado em 13/Aug/2014 às 08:59

        Denisbaldo, o nível do teu comentário mostra que a educação no Brasil continua uma porcaria.

      • velhos baianos Postado em 14/Aug/2014 às 10:14

        A maior falta de educação é mentir através de comparações de países gigantes, com outras realidades administrativas no tocante a políticas econômico/sociais, com pequenos países... É de uma profunda desonestidade intelectual...

      • Matheus B. Postado em 14/Aug/2014 às 11:29

        Rússia, Índia e China são "pequenos países"??? Ora, quer discutir e sequer se dá ao trabalho de ler o que está escrito? Ou é analfabetismo funcional mesmo?

  4. luke skywalker Postado em 12/Aug/2014 às 19:08

    É gente como esse Rosemberg que fez o Brasil, no passado, ser aquele lixo que era !

  5. Teucú Postado em 14/Aug/2014 às 13:09

    O Rosemberg acertou numa coisa: (Dilma) vai dispor de muito mais tempo que os outros para ‘alertar’ a classe baixa de que a elite está tentando anular suas conquistas e trazer de volta um passado de dificuldades, (é isso mesmo que a Elite está querendo! Só querem saber de aumentar os lucros, mesmo que ninguém possa comprar nada depois, aí é só voltar para os países de origem rir dos idiotas aqui!) Ainda bem que vamos ter mais tempo pra calar os Reaça!