Redação Pragmatismo
Compartilhar
EUA 21/Aug/2014 às 21:21
21
Comentários

A luta dos EUA contra um monstro que eles próprios criaram

Caos atual no Iraque mostra que os EUA têm de lutar novamente contra um monstro (ISIS) que eles próprios criaram e armaram

isis eua califado islâmico
Financiado pelos EUA, Estado Islâmico cresceu e se tornou problema para os próprios norte-americanos (Imagem: Pragmatismo Político)

Alex Kane, Alternet. Tradução: Vinicius Gomes, Fórum

Os ataques aéreos dos EUA no Iraque estão atingindo os combatentes do Estado Islâmico do Iraque e da Síria (Isis, sigla em inglês), que estão usando de armamento feito nos EUA. Esse simples fato mostra uma dura realidade na história da política externa dos EUA em um país destruído por bombas norte-americanas e, então, uma guerra civil.

Durante a última semana, o Pentágono lançou declarações triunfantes sobre o esforço militar dos EUA contra o Isis. Mas o que não é mencionado por eles é que aqueles iraquianos andando em veículos armados portando armas e artilharias provavelmente foram abastecidos por contribuintes norte-americanos. As armas que o Isis possui são outra amostra do fracasso que foi a invasão dos EUA em 2003. Isso é similar ao que aconteceu na intervenção norte-americana na Líbia, em 2011, que derrubou o ditador Muammar Qadafi, mas também desestabilizou o país – resultando então em um fornecimento de armas para os militantes do Mali, mais ao sul, que por sua vez levou a uma intervenção da França e dos EUA no país africano em 2013.

Ao passo que o Isis, junto de sunitas insatisfeitos e cansados da discriminação e marginalização que sofrem há anos, avançaram pelo Iraque e capturaram armas fabricadas nos EUA. Iniciada em junho, o Isis capturou grandes porções de território no norte do Iraque. O exército iraquiano, treinado pelos EUA, entrou em colapso frente aos avanços do Isis. Em uma combinação de fraco treinamento, equipamentos quebrados e moral baixa, eles deixaram para trás armas, munições e equipamento que foram produzidos e pagos pelos EUA, que usou de 25 bilhões de dólares para treinar e armar o exército do Iraque desde 2003.

Então, agora o Isis possui centenas de veículos armados, caminhonetes, tanques, humvees, assim como munições e armas, que eles utilizam enquanto continuam a marchar pelo país para ajudar a sua luta em outro país: a Síria, onde o Isis está lutando contra o governo de Bashar al-Assad – ironicamente, também inimigo dos EUA.

Histórico

A história de como as armas dos EUA acabaram nas mãos daqueles que muitos descrevem como o mais temido movimento islâmico no mundo data de 2003. Esse foi o ano em que a administração Bush, baseada em informações maquiadas, mentiu para o seu povo a fim de justificar um ataque militar contra o Iraque e sua subseqüente ocupação. Os EUA debandaram grande parte dos militares iraquianos, compostos em sua grande maioria por muçulmanos sunitas. Isso fez com que aumentasse a insurgência anti-ocupação no país, mas então buscou reagrupar tal exército sem a influência daqueles que trabalharam com Saddam Hussein.

VEJA TAMBÉM:
EUA financiaram Estado Islâmico e agora querem dizimá-los
Jornalista dos EUA é decapitado e Obama diz que resposta será ‘implacável’

Em 2006, o homem comandando o show de reformar as forças armadas do Iraque era Nouri al-Maliki, o atual primeiro-ministro e muçulmano xiita. Escolhido a dedo pelos EUA, a ascensão de Maliki ao poder foi um símbolo de como a estrutura de poder do Iraque foi revirada do avesso. Sob o comando de Saddam Hussein, a minoria sunita tinha muito mais poder, apesar de o partido de Hussein, o Baath, incluir xiitas. Mas a invasão norte-americana entregou todo o poder aos xiitas, resultando em um grave sectarismo entre as duas alas islâmicas. Além disso, Maliki não fez esforço algum para criar uma estrutura governamental mais inclusiva.

O governo de Maliki alienou os muçulmanos sunitas, que organizaram maciços protestos contra ele, que foram recebidos sob intensa violência, matando centenas de civis. Ele ordenou, inclusive, a prisão de seu vice-presidente sunita, em 2011. As forças de segurança prenderam milhares de homens sunitas sem qualquer acusação, classificando-os como terroristas. Muitos foram torturados. Maliki também realizou um expurgo de sunitas dentro da máquina burocrática. E os EUA ajudaram Maliki em sua busca para marginalizá-los, financiando seu governo e fornecendo armas a suas forças de segurança.

Em 15 de agosto, sob intensa pressão dos EUA e do Irã – país que passou a ter grande influência no país, Maliki saiu de cena. O novo primeiro-ministro, Haidar al-Abadi, vem do Partido Dawa, o mesmo de Maliki. A esperança é que al-Abadi governará de modo mais inclusivo, apesar de tal decisão já receber críticas.

Os EUA estão agora aumentando seus bombardeios aéreos e armando as milícias curdas, no norte do país, em uma tentativa de derrotar um monstro que eles mesmos criaram e que, paradoxalmente, está sendo financiado por aliados norte-americanos, como a Arábia Saudita e o Kuwait.

Mas se a história da política dos EUA para com o Iraque mostra alguma coisa, é que bombardeios não serão suficientes para resolver a crise no país.

Recomendados para você

Comentários

  1. Pereira Postado em 21/Aug/2014 às 16:44

    "As armas que o Isis possui são outra amostra do fracasso que foi a invasão dos EUA em 2003." Meu Deus o cinismo é sem limites mesmo. Os EUA deporam um governo que matou 300 mil presos políticos opositores de sadam. Um ditador que matou milhares de curdos inocentes com gás mostarda. É o país árabe mais próximo da democracia que os americanos ajudaram a implantar. O erro de Obama foi ter retirado as tropas, só se foi por isso que os americanos criaram esse monstro. Talvez se obama não retirasse as tropas esses maníacos não existiriam. Só se for por isso.

    • Thiago Teixeira Postado em 21/Aug/2014 às 18:38

      A retirada das tropas foi promessa de campanha, pois o custo de um efetivo naquela região é altíssimo, sem contar da perda de vidas americanas "a toa". Todos estes fatores criaram insatisfação da opinião pública americana.

    • Ferreira Postado em 23/Aug/2014 às 03:51

      Quem colocou o "esse matador de presos políticos e curdos no ´poder"??? O inimigo era o Irã... Depois virou o Saddam... Agora é o Isis!!! E quem armou Saddam e Isis???

    • Rodrigo Postado em 23/Aug/2014 às 08:49

      (Outro Rodrigo) Iraque é produtor de petróleo... O Afeganistão é rota de escoamento... Armas químicas não foram encontradas... Empreiteiras norte-americanas ganharam os contratos para "reconstrução" do Iraque, bem como também foi contratada a Black Water... Quando governos "direitistas" e "esquerdistas" aparecem com promessas de Justiça e Liberdade, eu ponho as barbas de molho...

  2. Pereira Postado em 21/Aug/2014 às 16:47

    Existem essas armas com grana americana sim. mas não é uma política de estado, é a elite americana que fianancia boa parte desses terroristas(grupo bilderberg).

    • Felipe Peters Berchielli Postado em 22/Aug/2014 às 09:28

      Os EUA correndo atrás do próprio rabo por erros deles mesmos,vem nego e fala ,"AHHHH o Saddam era pior que o EI",Saddam foi armado pelos EUA,que o tirou do poder a custa de milhares de vidas iraquianas,que culminaram na criação do EI,e agora armam os curdos porque não vão colocar o exército lá de novo. Erraram no passado e continuam errando para remendar os erros,mas criam sempre mais problemas,os caras criaram a Al Qaeda,o Estado de Israel e são responsáveis direto ou indiretamente pelos piores grupos do globo,se todos esses são terroristas os EUA são o pai do terrorismo.

  3. Pereira Postado em 21/Aug/2014 às 16:51

    depuseram desculpa.

  4. BEBEZINHA_19 Postado em 21/Aug/2014 às 17:23

    Oooo pereira vc é algum tipo d neurotico vc apoia tudo q é tipo d matança esse bush era um carniceiro metido a cawboy,e pesquisando vi q os EUA mereceram aquele 11 de setambro,pq depois daquilo eles mataram muito mais inocentes do q os q morreram naqueles atentados,eles querem o q!!! So eles tem o direito d matar eles podem ahhhh me poupe pereira ta revoltado

  5. Jonas Schlesinger Postado em 21/Aug/2014 às 20:06

    Malik pode não ter sido bom, mas o Saddam foi o inferno. Depois da saída deste carniceiro as coisas melhoraram em Bagdá. Claro que sempre irão surgir extremistas de uma forma ou de outra, mas só pq são ou foram financiados pelos estados unidos não quer dizer que não devam ser combatidos.

  6. raphael_subversivo Postado em 22/Aug/2014 às 08:22

    Pra vc esses caras surgiram assim, do nada? a CIA não tem nada a ver com isso? verdade, esqueci que os americanos nunca financiam grupos opositores extremistas contra governos que não se alinham com a politica de Washington.

  7. Pereira Postado em 22/Aug/2014 às 10:37

    Sim claro, a culpa é dos americanos. Por pressão popular eles sairam do vietnã e camboja e o comunismo matou 3 milhoes de pessoas nessas regiões. Aceitou o "fim" da guerra da coreia e hoje temos a coreia do norte com seu singelo ditador que mata indiscrimidamente. Obama atendendo a interesses de seus chefes(Grupo bilderberg) se retirou do Iraque, novamente por pressão popular, e se levantou os maníacos do califado que ja mataram e escravizaram sexualmente mulheres cristãs e curdas. Sem contar no sepultamento vivo de crianças também de famílias cristãs. Apoiaram os afegãos contra a violência comunista da URSS naqueles territórios, saiu, e a al qaeda chegou ao poder, inaugurando uma nova era de terrorismo mundial, sempre é claro com o fundamentalismo islâmico. Se não fosse os "carniceiros" a matança seria muito maior.

    • raphael_subversivo Postado em 22/Aug/2014 às 12:48

      Entendi, mas a propaganda americana já sei, qualquer um sabe o senso comum, de como '' os muçulmanos são cruéis e desumanos junto dos sanguinários comunistas comedores de criancinhas e como os EUA espalham a democracia e justiça por ai'', podia ter me poupado de ler o que ja leio todo dia nos veiculos que pregam essa mesma propaganda ocidental/burguesa. Vc tem realmente uma posição muito critica, meus parabens.

  8. Bruna Pagnan Postado em 22/Aug/2014 às 11:06

    Eu sempre sou contra a maioria das coisas que escreve o Pereira aqui, leio e nunca comento, mas hoje só vi verdades...Parabéns Pereira! Estou dentro do Iraque há 2 anos e tudo que você, Pereira, disse, condiz com a nossa realidade. E digo mais, se não fosse os "chatos dos americanos" bombardearam o EI, eu e mais um monte de gente inocente, não estávamos mais aqui pra contar!

  9. Narciso Tenório Postado em 22/Aug/2014 às 12:13

    Impressionante como tem muita gente afetada pela bobageira midiática disseminada por Washington,(EUA) para catequizar e emburrecer a opinião pública local e internacional. É como se o único livro lido fosse "A História segundo a visão dos EUA"?. Triste isso! Ai nota-se como é plantada uma formação discursiva na cabeça do sujeito, como é submetido a uma verdade mentirosa e como é programado para defender essa mentira a qualquer custo e de forma gratuita... Impressionante!.. Tem uns usuários que sinceramente chegam a parecer "Bot" de respostas pré-definidas...

  10. Jovana Postado em 22/Aug/2014 às 13:34

    O principio dos problemas dos EUA é a forte influência das empresas bélicas ao financiar campanhas de presidenciáveis e estes ficam presos a acordos voltados a interesses dessas empresas.Também o fato de acharem que podem equilibrar a economia com pilhagens internacionais!!

  11. Carlos Postado em 22/Aug/2014 às 14:41

    São armas tomadas, outro detalhe o maior exportador de armas para o mundo segundo algumas fontes é a Rússia que financia grupos terroristas em todo mundo.

  12. Pereira Postado em 22/Aug/2014 às 14:54

    raphael_subversivo. tudo que eu falei é mentira. O islã é uma flor de formosura que não mata, não invade, não agride e não lança mísseis contra inimigos e não escraviza ninguém. A exemplo do socialismo que é um baita regime de governo que não cria elites governantes e socializa os meios de produção(Ahammm, sei!!!) e também não mata seus opositores e defende a ampla liberdade de expressão e de consciência. Stalin que o diga !

    • Tchekowski Postado em 22/Aug/2014 às 17:00

      Ei Pereira: vai morar nos Estados Unidos, meu querido. E não ligue para o preconceito que eles terão para com um latino vira-latas e puxa-saco igual a você. Talvez eles até lhe ofereçam um emprego como lavador de pratos, mas eu aconselharia o de engraxate, pois você faria sucesso dando um toque a mais lambendo as botas deles depois da graxa.

    • eu daqui Postado em 27/Aug/2014 às 09:26

      Um genocidio não justifica outro. É isso que o antissionismo quer que o mundo entenda independente de afinidades religiosas.

  13. Roberto Pedroso Postado em 27/Aug/2014 às 09:30

    Seguindo simplesmente os fatos é que Saddan no Iraque recebeu apoio dos EUA logo após a revolução islamica no Irã (os Estados Unidos temiam o avanço da chamada revolução islamica em todo o Oriente Médio)o Talibã recebeu incentivo e armas para lutarem contra a invasão soviética no Afeganistão,a politica externa de intervenção é errônea e equivocada.pois graças a postura imperialista ntervencionista e belicista que pautam a politica externa Estadunidense (politica esta que nem mesmo Obama ousou alterar)que cria monstros e deturbações sociais e justamente esta mesma postura politica de intervenção que estimulou e financiou todas as ditaduras na America do Sul.Defende-la é o cúmulo do absurdo.

  14. Dagmar Marie Postado em 20/Sep/2014 às 20:38

    O que se podia esperar do muçulmanos Barack Hussein Obama? Criou ISIS e agora alega que os combate?! Mais uma farsa do muçulmano, infiltrado na presidência dos USA, e apoiado por muçulmanos do Oriente Médio e os demais espalhados pelo mundo. BARACK HUSSEIN OBAMA e sua estratégia... Obama estava desesperado em bombardear a Síria, para apagar os últimos vestígios das Armas Químicas, que ele deu aos seus amigos Terroristas muçulmanos, chamados de "Rebeldes", para serem espalhadas entre o povo, com a finalidade de incriminar o governo sírio, e finalmente conseguir o seu verdadeiro objetivo: ajudar em implantar o ISLAMISMO RADICAL, na Síria. Nota: no Egito, onde OBAMA também interferiu em prol da IRMANDADE MUÇULMANA se deu mal, e o ISLAMISMO RADICAL foi derrubado. Ora, não é OBAMA que envia armamentos e dinheiro para os Terroristas, na Síria? Não foi Obama que entregou um Drone para que os iraquianos o pudessem copiar, sob alegação que caiu no IRÃ? Obama, monitora os telefonemas no mundo inteiro, sob alegação que é para combater o Terrorismo. Se realmente quisesse combater o Terrorismo, monitoraria os telefonemas de muçulmanos, que são Terroristas, e não dos europeus e asiáticos!!! Alega que combate Terrorismo, no entanto, deixou que os irmãos chechenos, praticassem Terrorismo na maratona de Boston, embora tivesse sido avisado pelo Serviço de Inteligência Russa, que eram perigosos, e cuja mãe deles estava fichada no FBI, como Terrorista. OBAMA alegou ter mandado matar OSAMA BIN LADEN, e nada foi provado. O interessante é que os enviados para o Oriente Médio, e que participaram da FARSA, num total de 24 (vinte e quatro), e dos quais 20 (vinte) já estão mortos, numa verdadeira 'QUEIMA DE ARQUIVO". A única realidade crua e nua é que OBAMA é aliado dos Terroristas muçulmanos, e lhes passa todas as informações necessárias sobre tudo que acontece no Ocidente, no que se refere ao combate ao Terrorismo, através de escutas de telefonemas e internet, para que possa avisar em tempo, seus amigos Terroristas muçulmanos, se alguma preparação para um atentado Terrorista, já foi descoberta, para os advertir. Quando os verdadeiros combatentes do Terrorismo nada descobrem, o atentado é realizado. Se não tivesse essa intenção, não precisaria monitorar telefonemas dos Ocidentais e Orientais, porque eles não enviam Terroristas para matar em outros países, como os muçulmanos! Em meio a um discurso do OBAMA, lhe escapou: "FUI PREPARADO POR ANOS, PARA SER PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA". A nítida impressão que se tem, é que foi preparado por Terroristas muçulmanos. E se aproveitando de atual tecnologia usada por NSA, PRISM E VERIZON, incluindo os Drones, está sabotando o mundo civilizado, sob alegação que combate o Terrorismo, porém OBAMA, na verdade combate a civilização ocidental e oriental, em prol dos Terroristas muçulmanos! A Europa e os países civilizados não podem e nem devem aceitar qualquer ajuda desse "infiltrado" na presidência americana, o OBAMA, que se faz passar por um simples mulato e cristão, e cuja verdadeira identidade e religião continuam uma incógnita! E, graças ao BARACK HUSSEIN OBAMA, o terrorismo aumentou!!!